Dicas

Hoje, almoçando com dois brilhantes comentaristas da Rede Globo, Roger e Lédio Carmona, apurei que os dois ficaram bem impressionados com dois jogadores. Roger, com o brasileiro Felipe Gedoz, do Defensor do Uruguai que, tem 21 anos. Gedoz, segundo Roger, fez uma Libertadores espetacular. Lédio Carmona que ontem comentou Internacional 1 X 2 Ceará, encheu a bola de Ricardinho, do Ceará.

História do boi tatá

No Flamengo é engraçado e repetitivo como ante qualquer insucesso no futebol ou crise financeira, quem está no poder tem o péssimo hábito de responsabilizar gestões anteriores pela situação do momento. Quero que alguém me diga quando no Flamengo alguma diretoria assumiu sem ter encargos de administrações passadas. Nós mesmos, quando assumimos em 95, de cara, tivemos que injetar do próprio bolso, o equivalente a um milhão e oitocentos mil dólares, para que pudéssemos começar sem ter vergonha de encarar funcionários e atletas que estavam há quatro meses sem receber seus salários. Além disso, inúmeras ações que nasceram no passado, estouraram durante a nossa gestão, inclusive uma em que se não “inventássemos” dinheiro, o clube perderia o passe de Sávio que estava como garantia de uma dívida não paga. Portanto, sugiro que não se perca tempo buscando desculpas para o momento que não é bom. Ninguém é bobo e esta historinha já está cansando. Por favor, ocupem o tempo buscando soluções. De historinha do boi Tatá já está todo mundo de saco cheio.

Shopping Center – “Consórcio Plaza”

Recentemente, conversando com um amigo que fez parte da nossa diretoria no período de 1995 a 1998, fiquei surpreso ao notar que ele, meu amigo pessoal, que havia participado ativamente em duas gestões, pouco ou quase nada sabia sobre o assunto “Shopping Center – Consórcio Plaza”. Da mesma forma, ficou bem claro através das redes sociais a carência de informações relativas a este assunto. Imediatamente me veio a ideia de pesquisar este tema à fundo, pois jamais fui chamado pelo Flamengo para discutir ou colaborar na defesa do clube e, por meio deste blog, poder deixar registrado nos mínimos detalhes a verdade sobre esta página na vida do clube que, como já tive oportunidade de tornar público, tem um pouco de tudo: ganância, má fé, corrupção, inconsequência e irresponsabilidade. Ora, se quem conviveu neste período não domina o tema, como os mais jovens saberão?

Além disso, é uma ótima oportunidade para esclarecer fatos que são constantemente utilizados de forma indevida, por diversas correntes do clube, independente de partido.

Primeiro relato os fatos e, logo abaixo, anexo os respectivos documentos. Leia mais

Banco Central

Injusta a publicação no Lance, na coluna De Prima, dando conta de que a dívida do Flamengo junto ao Banco Central ocorreu na década de 90 e, principalmente na minha gestão. Ontem, aqui já expliquei que a operação realizada em 98, quando Real Madrid e Flamengo concluíram uma operação de troca de jogadores, com Sávio indo para o Real Madrid e o clube espanhol colocando no Flamengo, seus jogadores Zé Roberto e Rodrigo Fabri e garantindo junto ao Valencia e Palma de Mallorca, respectivamente, Romário e Palhinha, para o Flamengo, tudo isto sem que houvesse qualquer remessa de dinheiro para o exterior ou entrada de dinheiro no Brasil. Acho que já  é hora de todos entenderem que o presidente do clube não bate o córner e corre para fazer o gol de cabeça. Embora o regime seja presidencialista, há toda uma estrutura em que, cada vice-presidente responde por sua respectiva área. Esta operação teve os carimbos das vice-presidências, Jurídica e Financeira. Independente disto, quando deixamos a presidência em 98 nada havia com relação a este fato. A ação do Banco Central ocorreu muito depois e, em nenhum momento, eu ou qualquer outro membro da nossa diretoria, recebemos qualquer chamado do clube para que pudéssemos ajudar a esclarecer o tema ou ajudar na defesa do clube. E mais: Não tenho a menor ideia de como, ao longo do tempo, o Flamengo vem fazendo a sua defesa. Se por acaso for parecido com a do assunto Shopping Center, já dá para se entender como esta dívida cresceu tanto.

Alô, DE PRIMA!!!

Na coluna “DE PRIMA”, publicada hoje no jornal Lance, foram feitas duas colocações sobre mim que não correspondem à verdade: a primeira de que não teria como fazer críticas à gestão atual do Flamengo por causa de dívidas da minha gestão na década de 90 e, que critico o fato de Wallim Vasconcelos, ex-vice de futebol, ainda ter influência no departamento de futebol.

De 95 até 98 fui presidente do Flamengo. Há dois temas em que, por ignorância (no sentido exato de ignorar) ou má fé, atribuem à mim a responsabilidade na ação do Banco Central e no assunto do Shopping Center. (sobre este tema, aguardem)

Com relação ao Banco Central, em 1998, o Flamengo e o Real Madrid, fizeram uma operação em que nenhum centavo de dólar foi envolvido. O Flamengo entregou Sávio ao Real Madrid e o clube espanhol, em operação interna, colocou no Flamengo os jogadores Zé Roberto, Rodrigo Fabri, Palhinha e Romário. Como disse anteriormente, nenhum centavo de dólar foi para lá ou veio para cá. Nenhum dinheiro foi enviado ou recebido. À época, a operação foi aprovada pelas vice-presidências jurídica e financeira do Flamengo. Nada sei com relação a como foi iniciado este processo contra o Flamengo e, tão pouco, como foi a defesa do clube, se competente ou não. Este assunto surgiu muito tempo depois de eu ter deixado a presidência do clube e, poucas informações tenho à respeito.

Quando não se tem dinheiro, ensinou Francisco Horta muito tempo atrás, a única saída é a imaginação. O troca-troca foi inventado, pois dinheiro não havia. Como pagar imposto de remessa de dinheiro, se este daqui não saiu?

E sobre Wallim Vasconcellos, interferir no futebol do Flamengo por não ser mais o vice-de-futebol é pura bobagem.  Sendo ele pessoa de confiança do presidente, pode sim, e deve ajudar. O que foi publicado é exatamente o contrário do que penso.

Favor corrigir!

Perigo à vista

Este episódio da agressão ao jogador André Santos pode fazer com que a barra de Flamengo e Inter fiquem pesadas. Os membros do tribunal podem tirar o mando de campo ou obrigar Flamengo e Inter a jogarem com portões fechados em até dez jogos neste campeonato brasileiro.

Discutir agora se está certo ou errado, é o mesmo que discutir o sexo dos anjos. O fato é que está escrito. O problema maior será do Flamengo que será obrigado a jogar esta quantidade enorme de partidas sem o seu único “super-craque”, a sua incomparável torcida. Perigo, à vista…

Encontro com Otávio Leite

Otávio Leite

Otávio Leite

Encontro o bravo e simpático deputado, responsável pelo novo desenho de comportamento dos clubes brasileiros e pergunto: De todos os fatos novos que passarão a fazer parte da vida dos clubes, qual na sua opinião é o mais importante?

Sem pensar muito, veio a resposta: “Sem nenhuma dúvida, a proibição de antecipação de receita”. E, pela importância do fato, até porque, 95% dos clubes vêm usando deste artifício há muitíssimo tempo e, de forma corriqueira, será uma medida, embora sadia, difícil de ser aplicada, pois os recursos que as diretorias atuais poderiam dispor, já foram gastos lá atrás por outras administrações. Se não houver uma carência a médio prazo, vamos ver muitos clubes jogando a toalha…

Felipão

Foto: Ivo Gonzalez - O Globo

Foto: Ivo Gonzalez – O Globo

Não quero aqui discutir se Felipão é bom ou ruim. Se está atualizado ou não com a modernidade do futebol. Acho apenas que o momento não é feliz para quem o contrata. As feridas da seleção continuam abertas na alma dele.

O mesmo aconteceu com Mano Menezes, quando ao deixar a seleção, assumiu o Flamengo. Ele havia saído da seleção, mas a seleção não havia saído dele… Com certeza, Mano está muito mais em condições emocionais e psicológicas, hoje, dirigindo o Corinthians do que quando ainda com a alma verde e amarela, ferida, foi mergulhar no vermelho e preto.

Jorjão

Atendendo a apelos, vamos fazer uma retificação: Jorge Rodrigues não foi proibido de entrar no vestiário do Flamengo para animar os jogadores com seu irado e impublicável grito de guerra.

Apenas não foi convidado. Limitou-se a abraçar Vanderlei Luxemburgo na porta do vestiário.

Ecos do clássico

Maurício Gomes de Matos, presidente do Conselho de Administração do Flamengo, comentava com amigos que, Jorge Rodrigues, benemérito rubro-negro e candidato na última eleição, fora barrado no vestiário. Jorjão, como é conhecido, ficou famoso pelo seu inusitado grito de guerra para os jogadores, momentos antes de cada jogo. Jorjão tentou repetir ontem, porém houve quem não entendesse. Pena…

Vanderlei Luxemburgo bateu o martelo e, foi peso decisivo para a manutenção do regime de concentração. Como já havia informado, há uma corrente, comandada pelo vice-de finanças, que visando economizar, pretende abolir as concentrações. A tese, é válida. Até porque, várias equipes no mundo não concentram mais. Agora, aqui pra nós: neste momento complicado para o Flamengo, melhor economizar em outro lugar.

Foto: Paulo Sérgio-LANCE!Press

Foto: Paulo Sérgio-LANCE!Press

Triste, de doer, ver o estado de espírito do time do Botafogo e, principalmente do torcedor Botafoguense. Que situação! A totalidade da arrecadação comprometida com penhoras. Três meses de salários atrasados e cinco de direito de imagem, com meu amigo Maurício Assunção afirmando no encontro com a presidenta Dilma que, pode até pedir a exclusão do Botafogo do campeonato brasileiro. Será este problemão, só do Botafogo? Será que o mundo do futebol, CBF, Federação, clubes co-irmãos, iniciativa privada (principalmente os anunciantes tradicionais do futebol) não conseguem entender que este problema do Botafogo, é de todos? Leia mais