Hora errada

Quase todos os assuntos pertinentes ao Flamengo são pesquisados e divulgados na internet pelo grande rubro-negro Mario Cruz. Em meio a noticiário farto e variado, eis que surge um fato novo e preocupante. O papo é que Vanderlei Luxemburgo estaria entrando numa esteira de atrito com a diretoria do Flamengo. O que se comenta é que, como estava afastado das quatro linhas por falta de interesse dos grandes clubes brasileiros, Vanderlei resolveu encarar o desafio proposto pelo Flamengo, e topou o salário de 300 mil reais, salário este bem inferior ao que recebia na época das “vacas gordas”.

Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press

Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press

O tempo passou e se hoje não está uma maravilha para o Flamengo, verdade é que melhorou bastante. Vanderlei encontrou o Flamengo na lanterna do Campeonato Brasileiro e, hoje, o clube ocupa a décima primeira posição, tendo a princípio, afastado o fantasma do rebaixamento. Faltando nove jogos para o final do campeonato, basta ao Flamengo vencer três e aí já estaria com 46 pontos ou, livre matematicamente do mico de ser rebaixado. Além disso, Vanderlei colocou o Flamengo na fase semifinal da Copa do Brasil. Inegavelmente um belo trabalho, com um elenco que podemos classificar de mediano.

Agora, o que se comenta é que Vanderlei começa a discutir o seu futuro na Gávea, já tendo colocado na mesa o quanto quer para continuar. Pelo que comentam, a pedida é superior ao dobro do salário atual e, para ficar, Vanderlei exige a contratação de três reforços de peso.

Não gostaria que este tema caísse na discussão se Vanderlei vale o que está pedindo. Acho até que, dependendo da produtividade, pode-se ir até além do que ele pede e, sobre os três reforços, isto me parece óbvio e me recuso a acreditar que a diretoria do Flamengo não pense da mesma forma. O que discordo, é com relação ao momento, pois futebol é algo muito mais sensível do que a maioria possa imaginar e, este tipo de coisa acaba atrapalhando. Vira assunto prioritário nas rodinhas, causa desconfiança e tumultua o ambiente. Pelo ponto que se chegou, há duas soluções. A primeira, se a diretoria estiver convencida de que o melhor para o Flamengo é Vanderlei continuar, é acertar “ontem” com o treinador e tornar público. A segunda, se não há uma certeza por parte da diretoria, é chamar Vanderlei, e dizer que um dia após o último jogo decisivo para o Flamengo, seja pelo Brasileirão ou pela Copa do Brasil, o assunto será discutido entre as partes. E, claro, obter o de acordo de Vanderlei, o que evitaria qualquer tipo de risco de ir ele para outro clube.

Enfim, tudo normal, num momento inoportuno.

 

 

Comente.