Euricadas

Foto: Alexandre Loureiro

Foto: Alexandre Loureiro

Hoje, convidado pelo futuro presidente da CBF, Marco Polo del Nero, tive o prazer de almoçar com amigos queridos, colocando a conversa em dia. Quem deu um verdadeiro show foi Eurico Miranda, o “novo” presidente do Vasco. Na mescla de um entusiasmo juvenil e seu inconfundível jeito de colocar as coisas, sem dúvida, foi o centro das atenções, fazendo revelações interessantes.

  • No primeiro dia, chamou todos os “diretores executivos” e detonou: “Não sei quem de vocês vai ficar, agora uma coisa é certa. Quem ficar não mais será “diretor executivo”. Isto no Vasco acabou. Quem manda no futebol é o vice-presidente de futebol, nas finanças, manda o vice de finanças e por aí adiante. E quem manda em todos, sou eu”.
  • Sobre o rebaixamento do Vasco: “A chance do Vasco ser rebaixado comigo, é zero. Nunca aconteceu e jamais acontecerá”.
  • Dirigindo-se a mim: “Ô Kleber, te prepara porque eu vou bater muito no Flamengo. Toda vez que tiver uma chance vou colocar a boca no trombone. O Vasco cresceu quando acirrei esta rivalidade. O que você viu até agora não foi nada. Espere o que vem por aí…”.
  • Ainda sobre os “diretores executivos”: “Engraçado estes caras. Fazem um cursinho de administração esportiva e já começam a imaginar que inventaram a bicicleta. Estou 60 anos na frente de todos, pois este é o meu tempo de futebol. São uns brincalhões que ganham salários absurdos. Não sabem nada”.
  • Contou que chamou Rodrigo Caetano e colocou: “Rodrigo, não sei se você é bom ou ruim. Sei quanto você ganha e acho um absurdo. Vamos achar uma saída que seja suave para as duas partes…”.
  • Genial foi quando se dirigiu a Marco Polo del Nero, disparando o seguinte: “Marco Polo, meu novo treinador é o Doriva, campeão paulista deste ano. Das duas uma, ou ele é realmente muito bom, ou o seu campeonato é uma merda…”.
  • O presidente da Federação Baiana, Ednaldo Rodrigues, também foi premiado: “Ô Ednaldo, aqui pra nós: baiano é da região nordeste com uma vontade danada de ser da região sudeste…”.
  • Embora pretenda, “batendo” no Flamengo, reviver a rivalidade tão conhecida, pegou o Flamengo para seu aliado na guerra pelo lado direito do Maracanã. Segundo Eurico, ele e Michel Assef fizeram uma dobradinha que culminou com a decisão da Federação em determinar o local das torcidas no Campeonato Carioca. Afirmou ainda Eurico que o Fluminense não exibe o contrato com o consórcio por determinação deste, já que o contrato com o Fluminense é infinitamente superior ao feito pelo mesmo consórcio com o Flamengo.

Para encerrar, um passarinho tricolor me contou que a debandada por lá será geral, e que Conca pediu ao seu empresário para não ir para o Flamengo. Ao que tudo indica, das três cores do Fluminense, Conca gosta mais do verde…

Fome e vontade de comer

Foto: Editoria de Arte GloboEsporte.com

Foto: Editoria de Arte GloboEsporte.com

A saída da Unimed do Fluminense ou, a perda do patrocínio de quinze anos, talvez tenha duas explicações que, somadas, a verdade absoluta estará bem próxima. A primeira é o momento da empresa, até onde se sabe passando por uma série de modificações estruturais, dentre as quais a necessidade de apertar o cinto e, quando se chega a esta conclusão, nove entre dez empresas vão direto com a tesourinha nas verbas de patrocínio. A segunda explicação é pública. A total falta de sintonia fina entre o presidente do Fluminense, Peter Siemsen, e o presidente da Unimed, Celso Barros. Juntando-se as duas explicações fica mais do que claro porque uma relação vencedora, que já durava 15 anos, foi para o espaço.

Não posso deixar de registrar aqui a minha admiração pessoal pelo empresário e pelo tricolor Celso Barros. Normalmente, quando há envolvimento emocional nada caminha bem no mundo dos negócios. Este episódio é a clara demonstração de que para toda regra há exceção. Tinha tudo para dar errado e deu certo. Muito bom para a Unimed que, de terceira, passou a ser a primeira no ranking, e para o Fluminense que, com a parceria, saiu da suprema humilhação de uma terceira divisão, para conquistas memoráveis.

Deu no rádio

produto02_aDeu no rádio que o São Paulo está sondando Conca. Deu no rádio que o Cruzeiro, que vai ficar sem Marcelo Moreno, já está acertando com Leandro Damião. Deu no rádio que o Goiás está tratando de pegar de volta o gordinho bom de bola, Walter. Deu no rádio que o Corinthians pode repatriar dois jogadores de seleção. Não ouvi no rádio nenhuma notícia que animasse a maior torcida do Brasil. O rádio brigou comigo…

Fim de feira

fim-de-feiraE tudo terminou mais ou menos dentro do que estava previsto já na metade do campeonato. Cruzeiro campeão, atingindo a maior performance desde a implantação dos pontos corridos. Aliás, o nível do campeonato explica as duas pontas. O Cruzeiro ter chegado aos 80 pontos, e os matemáticos terem errado feio, quando afirmaram que para não cair era preciso chegar aos 45 pontos. O nível foi tão baixo que o Palmeiras se safou com muito menos.
De qualquer forma, é o que temos. Que para 2015 os clubes tenham um pouco mais de inspiração na construção dos seus elencos. Parece simples, mas não é.

Olho no São Paulo

Foto Getty Images

Foto Getty Images

Um sopro de competência passou pelo Morumbi e o São Paulo, de início apagado no Campeonato Brasileiro, deu uma remada tão boa que acabou como Brasil 3, na linguagem da Libertadores, só ficando atrás do Cruzeiro, Campeão Brasileiro, e do Atlético, campeão da Copa do Brasil. Quando muitos ficaram espantados com a contratação de Carlinhos, ex-Fluminense, fica para mim a certeza de que a contratação foi planejada e executada faz tempo…
O São Paulo está sinalizando que 2015 tem uma grande possibilidade de ser um ano tricolor. Só não vê quem não quer.

Atrasildo

Foto: Staff Images

Foto: Staff Images

Leio que o treinador Vanderlei Luxemburgo está disposto a abrir mão de suas férias, para neste período tentar montar o elenco do Flamengo. A atitude é louvável e merece elogios, só que esta etapa deveria ser a de conclusão das negociações que deveriam ter tido início no meio deste ano. E curioso que, ao invés de se procurar no mercado brasileiro de forma prioritária os reforços para 2015, até por uma questão de mais fácil adaptação a um novo clube, as manchetes dão conta de que as baterias rubro-negras estão voltadas para o mercado argentino. Quando isto é pontual, tudo bem. Agora, concentrar todas as energias por lá, vai uma distância enorme. Embora o levantamento sobre os jogadores interessantes devesse já ter sido feito e, claro que não foi, antes tarde do que nunca e, de preferência começando ainda hoje. Acho que, no Cruzeiro, por exemplo, vai espirrar jogador que pode ser interessante. No Corinthians, idem. Enfim, a hora é essa! E que seja, com competência! Como disse sabiamente Cuca, à época treinador do Flamengo, “pior que não contratar, é contratar errado”.

Goleiros

Como sou louco por rádio, sapeando atrás de coisas boas, acabei encontrando. Primeiro, uma entrevista de Cesar, goleiro reserva do Flamengo, muito jovem, por quem já havia me encantado numa destas Copinhas da vida, mas que hoje, nesta entrevista, deu um banho de profissionalismo e de alma iluminada.

Foto: Alexandre Durão / Globoesporte.com

Foto: Alexandre Durão / Globoesporte.com

Cesar afirmou que, embora procurando o seu espaço, imaginando um dia ser titular da camisa 1 do Flamengo, torce apaixonadamente por Paulo Vitor que, em tese, é a maior barreira para que ele atinja o seu objetivo. Com sabedoria de veterano, tendo pouco mais de 20 anos, afirmou ele que na vida há o tempo certo para tudo, e que as coisas acontecem naturalmente. Pelo que ouvi, César deve ser um destes profissionais apaixonados pelo que faz. Treina como um leão, embora saiba que o espera no jogo seja quase nada, até porque a chance de jogar é quase zero. Sabe de tudo isso, torce pelo seu amigo titular e sabe também que a sua hora é uma questão de tempo. Sabedoria numa alminha especial.

Quando achei, encantado com tudo que havia ouvido, que tudo aquilo era música para meus ouvidos, é convocado para opinar sobre o depoimento de Cesar, um ex-goleiro do Vasco da Gama. Aí, outro show. Acácio deu um banho de simplicidade, encantado com o depoimento de César e falando sobre suas passagens de vida. Querem saber quem foi o primeiro treinador de goleiros que ele teve? Vanderlei Luxemburgo!!! É isso mesmo. Vanderlei, começou como treinador de goleiros e, segundo Acácio, introduziu a importância do treinador de goleiros ser um bom chutador. Ainda, segundo Acácio, a canhota de Vanderlei era poderosa e, ao contrário dos outros treinadores de goleiros da época, que usavam somente as mãos, Vanderlei, com sua canhota, colocava os goleiros em situações parecidas como as que iriam encontrar nos jogos. Em síntese, foi um revolucionário para os goleiros.

Quem diria. O nosso Vanderlei, consagrado técnico, começou como treinador de goleiros e o seu primeiro clube, como treinador, foi o América.

Ouvindo e aprendendo.

Confusão Rubro-Negra. Sem a menor necessidade…

Abaixo, mensagem de Delair Dumbrosck para Márcio Braga, criticando teor e comportamento, no vídeo divulgado por Luiz Eduardo Batista, o Bap.


De: Delair Dumbrosck
Enviada em: quinta-feira, 4 de dezembro de 2014 13:13
Assunto: ENC: [flassociados] Recado do Bap pra Nação Rubro-Negra

Amigo Marcio Braga,

Assista o vídeo abaixo, para constatar a inconsistência das afirmações ali colocadas.   O vice de Marketing se vangloria dizendo que outros tiveram no poder e não conseguiram alavancar recursos e que foi a atual gestão que conseguiu a maior arrecadação até hoje. MENTIRA.

Vamos aos fatos:  a ADIDAS, foi negociada na gestão da PA pelo Hélio.  A CAIXA da mesma forma, acrescentando que, não foi um contrato conquistado e sim oferecido pela própria estatal, fazendo parte de um grande projeto nacional. Registro ainda, que o Corinthians tem um valor superior ao nosso. A TIM, também é um projeto da empresa com diversos clubes e o Flamengo foi procurado. A TELEVISÃO, naturalmente negociado a cada período espelhando o momento de mercado e a negociação também já havia sido iniciada pelo Hélio. Restaram então PEUGEOT e GUARAVITON, que foram realmente trabalhadas pelo Marketing, porém, com valores bem inferiores aos que o Flamengo já conseguiu em oportunidades anteriores, inclusive no nosso período com o Ricardo. Independente de qualquer outra análise, constata-se a arrogância nas colocações feitas neste vídeo.

A gestão atual recebeu o Flamengo, com dinheiro em caixa e belos contratos para serem firmados e um clube com 117 anos de glórias com títulos da maior importância que constituiu esta Nação de mais de 40 milhões de Rubro Negros.   Todos nós já fomos por demais desmerecidos e no meu entender precisamos reagir às críticas e ainda, exigir que o FLAMENGO em 2015 não repita a vergonhosa campanha de 2013 e 2104.

Saudações Rubro Negras,

Delair

 


Tenho aqui, repetidas vezes, afirmado que como rubro-negro, como ex-presidente do Flamengo, tenho orgulho da correção, da dignidade, e dos bons propósitos de toda esta turma que hoje dirige o Flamengo. Também aqui, e em diversas entrevistas, jamais neguei a minha admiração pessoal pelo talento e brilhantismo do nosso vice-presidente de marketing, Luiz Eduardo Batista, o Bap. Agora, será que realmente é preciso agredir para valorizar um trabalho? O vídeo, cujo teor é contestado por Delair, na realidade me chama muito mais a atenção pela agressividade, pior ainda, por partir de uma pessoa educada e brilhante. Infelizmente, algumas pessoas que hoje dirigem o clube, devem ter a sensação clara de que o Flamengo foi descoberto por elas. Os 119 anos passados, com um mundo de conquistas e glórias, sendo a maior de todas a transformação de uma torcida em uma nação, para estas pessoas a construção deste gigante chamado Flamengo não deve ter tido a influência ou participação de nenhum ser humano. Deve ter sido obra do Divino Espírito Santo…

Em síntese, o tom, este tom, não é bom. O clube precisa e pede paz para crescer.

A SUDERJ informa

Ximenes-e-Caetano

(Foto: Igor Siqueira)

No Flamengo, sai Ximenes e entra Rodrigo Caetano. Sugiro, se você não leu, dar uma olhadinha no post de ontem, cujo título foi “Vasco Mudando”. Tudo a ver com este momento do Flamengo. Se Rodrigo Caetano tiver autoridade  e autonomia para dirigir o departamento de futebol, há uma enorme possibilidade da coisa dar certo, pois estamos falando de um profissional correto, já com boa experiência e, certamente motivado por poder desenvolver seu trabalho num clube tão importante. Se assumir com a “caneta”, são boas as perspectivas. Sem caneta, terá sido trocar seis, por meia dúzia.

Rádio Globo

Propaganda antiga da Rádio Globo

Propaganda antiga da Rádio Globo

Ontem, passei bons momentos sendo entrevistado pelo meu querido amigo e companheiro de Rádio, Edson Mauro. O tema, os 70 anos da Rádio Globo. Juntos, rememoramos momentos marcantes e engraçados, quando trabalhar era enorme  prazer. Falamos dos nossos companheiros de equipe, das figurinhas carimbadas do rádio, das inúmeras Copas do Mundo, dos programas que marcaram época e, da grande saudade daquele tempo. Parabéns a todos que fizeram da Rádio Globo uma referência nacional. Saravá…Jorge Curi, Waldir Amaral, Doalcey Camargo, Celso Garcia, Edson Mauro, José Carlos Araujo, Antônio Porto, Luiz Penido, Airton Rebelo, Sergio Moraes,  João Saldanha, Ruy Porto, Afonso Soares, Alberto Rodrigues, Washington Rodrigues, Deni Menezes, Loureiro Neto, Ronaldo castro, Gilson Ricardo, Pedro Costa, Sergio Américo, Fernando Carlos, Dalton Ferreira, Jairo de Souza, Claudio Perrot, Francisco Horta,  Gerson “Canhotinha de Ouro”, Aureo Ameno, Mário Vianna, João Fogueira, Américo das Carrapetas, Joãozinho, Formiga, Chico “Banho de Ouro”, enfim, Saravá… turma do esporte!!! Cada um dos aqui mencionados e, outros tantos que com mais um pouco de tempo para lembrar, com certeza, aqui estariam, só resta dizer com enorme orgulho: “Missão cumprida, para a mais ouvida”.