RMP – Mais do que normal

(Reprodução de vídeo)

(Reprodução da TV)

Leio que houve uma acalorada discussão num programa de TV, em que Renato Maurício Prado defendia a tese de que a maioria dos torcedores do Flamengo não apoiava a administração de Eduardo Bandeira de Melo, ao contrário de quem com ele discutia, que afirmava ter a atual diretoria, noventa por cento da simpatia dos torcedores. Na sequência do fato, os comentários foram contrários a Renato, taxado por alguns como desequilibrado.

Primeiro, este tipo de discussão entre profissionais é mais do que normal. Antes de serem profissionais, são seres humanos e reagem como tal. Já vi, ouvi e participei de momentos como esse. Já vi estúdio sendo invadido e até revólver ser sacado durante um programa. Portanto, a novidade para alguns, de novidade nada tem. Em segundo lugar, cada um tem o seu estilo. O do Renato é e sempre será polêmico e contundente. Assim, com esta contundência, ele se tornou uma celebridade no mundo do futebol. Muitos dos que nesta oportunidade o criticaram, em outras, o apoiaram. Questão de momento e de coincidência de opinião.

Particularmente, e já disse isso, como rubro-negro tenho orgulho e prazer em ver o Flamengo ser dirigido por gente séria, bem intencionada, com o único propósito de servir ao clube. Da mesma forma, tenho que dizer que nestes primeiros dois anos talvez tenha faltado algo no futebol, daí o sofrimento no ano passado. Neste 2015, as coisas começaram bem com a contratação de Rodrigo Caetano e a jogada muito bem sacada de puxar Marcelo Cirino, revelação do Campeonato Brasileiro. Melhor ainda, a sinalização de que vem por aí, finalmente, um camisa 10. E se vier, que ninguém tenha dúvida de que o Flamengo sai da turma que brigava para não cair, para entrar no pacote de quem vai brigar para ser campeão. Renato, na sua tese, tomou como base o passado e se fixou no futebol. Olhando por este ângulo, entender o ponto de vista do comentarista não é difícil. Como sou mais otimista do que contundente e, por entender que se aprende de verdade é no dia a dia, acredito que estes dois anos iniciais possam ter sido um aprendizado para a turma que dirige o clube entender que, por mais séria e bem intencionada que seja uma diretoria rubro-negra, se no futebol o panorama for mal, a tristeza será geral.

Tipo da discussão em que, por incrível que pareça, todos têm razão, dependendo apenas do ângulo em que se analisa o fato.

E aqui pra nós, muito bom algum fato novo, principalmente acalorado, acontecer nos programas esportivos. O povo gosta.

Saudade

Confesso que, se dar uma paradinha na vida é bom, em contra partida, quebrar um elo de dia a dia, faz com que sempre fique faltando alguma coisa. Na realidade, é assim que me sinto. Este contacto com tantos amigos, antigos e novos, tem me feito um bem enorme. Pensar, escrever, saber o que os outros pensam sobre a forma como você vê alguma coisa é fascinante, mágico. É viver interagindo. Isto está me fazendo falta e, como tal, até por uma questão de coerência, aqui estamos de novo.

Estou escrevendo do aeroporto, embarcando para Paris, numa etapa sentimental/familiar. De lá, a partir de amanhã, conto o que encontrar de novo e interessante, além de falar sobre os nossos temas normais. Neste espaço de tempo, entre o último post e o dia de hoje, pouquíssimas novidades esportivas. Dá pra notar que os novos dirigentes de Vasco e Botafogo estão realmente empenhados em encontrar um caminho para suas respectivas paixões. Pode ser até que esteja enganado, mas sinto o panorama tricolor meio perdido, sem saber o rumo exato a ser tomado. E sinto o Flamengo muito bem parado, no caminho certo. A divulgação da numeração do time sem que o número 10 estivesse com algum jogador é uma demonstração clara que alguma coisa boa vem por aí. Diria mais: Se esta contratação for feliz, o Flamengo será candidatíssimo aos títulos mais importantes de 2015.

Que coisa boa, linda, merecida, saber que meu querido amigo Michel Assef é o novo presidente do conselho de grandes beneméritos do Flamengo. Como é bom, neste país de valores tão esquisitos, ver alguém ser homenageado com tanta justiça. Valeu, Dr. Michel!!! Sou testemunha auditiva, ocular e espiritual, de todo seu enorme amor pela maior paixão da sua vida, que é o Flamengo. Naturalmente, me desculpando com Lenita, sua adorável alma gêmea e com seus super filhos, Michelzinho e Marquinho. Eles, com certeza, entendem esta paixão…

Flamengo x Vasco, já de cara. Pra começar o ano. Há coisa melhor?