Momento difícil. O tempo pode ajudar.

luiz-eduardo-baptista-d-o-bap-vice-de-marketing-do-flamengo-concede-entrevista-ao-lado-do-presidente-eduardo-bandeira-de-mello-e-1368045851121_615x300Infelizmente, a possibilidade do nosso Bap retornar, continuando a fazer parte desta diretoria, é remota, quase zero. Há sérias divergências conceituais entre ele e quem preside o clube. Até ontem, não tinha uma noção exata do problema que, a bem da verdade, já vem de algum tempo, e o episódio da Federação, quando o presidente do Flamengo ouviu o diabo por parte do presidente da FERJ, foi a gota d’água, pois em reunião de diretoria, por maioria absoluta, havia sido decidido que, no sentido de preservar o presidente e a própria instituição, Eduardo Bandeira de Mello não deveria ir, com o Flamengo sendo representado pelo seu vice-presidente de relações externas, Michel Assef. Eduardo, por decisão própria, foi, e o restante todos já sabem…

E o futuro? Só Deus sabe… Claro que o tempo é um grande aliado. As mágoas de hoje, daqui a seis meses serão bem menores. Havendo um nome que atenda a todos para as eleições no final do ano, a chapa azul estará em paz e voando em céu de brigadeiro. O tema central é que este nome que venha unir todo o grupo jamais será o do atual presidente, o que equivale a dizer que, se Eduardo Bandeira de Mello quiser tentar a reeleição, teremos no pleito de dezembro duas tonalidades da cor azul. Uma turquesa e outra celeste.

Estimo de coração que haja equilíbrio, e que a vaidade não interfira a ponto de comprometer o futuro do Flamengo. O momento é difícil. O tempo pode ajudar.

Mensagens Rubro-Negras e Tricolor

Curto muito ver no blog os comentários. Realmente é muito bom, independente do teor, de haver concordância ou discordância. Isto é de uma importância inimaginável, pois amplia o horizonte de todos, inclusive o meu. Há quem, ao invés de comentar, envia e-mails e, nesta quinta, para começar o dia, copio alguns e-mails. Um sobre a velha ideia de um estádio na Gávea (muito bom tema), mensagens de apoio ao Bap e uma mensagem tricolor muito carinhosa.

Curtam…


De: Rodolfo Bandeira
Assunto: estádio na gávea

Corpo da mensagem:
Prezado KL, sou advogado tenho 39 anos e hoje por opção de vida moro em arraial do cabo. Vivi no RJ até os 25 anos, morando no Jardim Botânico e sendo meu pai sócio proprietário literalmente vivi a Gávea como poucos, fiz escolinhas, etc….
A única vez que fiz meu pai ir votar no CRF foi na sua eleição já que em 94 o “último a sair que fechasse a porta” …você sabe bem melhor que qualquer outro…
Obrigado por trazer o Romário, pois 95/96 foram os anos que fui a quase todos os estádios pequenos do RJ só para ver a genialidade do baixinho…. Que época…. Que saudade…
Esse e-mail é sobre a Gávea e um estádio lá. Será que vamos morrer sem ver isso? Não me conformo! Companha do tijolo, cimento, etc…..daria para fazer mole….
Mas como você foi o único presidente que teve coragem de fazer um alçapão da gávea (onde se não me engano nunca perdemos), por que não fazer isso de novo para 25/30 mil nos moldes das arquibancadas do vôlei de praia das olimpíadas de Pequim (veja no google).
Será que você tem alguma foto do jogo contra o Bangu (antes do Fla x Flu do gol de barriga) que tinham 25 mil pessoas e que poderiamos ser campeões em caso de empate do Flu em 3 rios?
Será que algum político seria louco de ir contra a nação? Tem estacionamento na gávea, jóquei, estádio de remo…etc. Por que não uma mini-bomboneira na gávea??? Poderia escrever sobre isso?

Muito obrigado,
Rodolfo Bandeira


De: Yrisson P da Silva
Assunto: Futebol brasileiro

Corpo da mensagem:
Como vai Kleber? Com muita tristeza vejo nosso futebol a cada dia perder a oportunidade de crescer. Brigas, “picuinhas” e tantas coisas que só servem para atrapalhar. Sou torcedor do Fluminense, mas sempre admirei sua forma de conduzir o futebol do Flamengo. Corajoso, ambicioso, inteligente e outras marcas que você sempre demonstrou no comando do futebol rubro negro. Acho que você com sua capacidade de gestão, um homem de negócios bem sucedido, poderia ser o início da reconstrução de um novo futebol brasileiro. Pense nisso. Quando vejo sua empresa homenagear um tricolor, no caso nosso eterno presidente Francisco Horta, enxergo em você a grandeza de reconhecer no adversário, um também parceiro, e é isso que está faltando no nosso futebol alguém que pense na grandeza do outro, não como uma ameaça, mas sim, como uma oportunidade de crescimento. Pense na ideia e saiba que terás sucesso devido sua grande competência.

Saudações tricolores!!


De: Sergio de Tarso Vieira
Assunto: Bap

Corpo da mensagem:
Caro Kleber, como não tenho como contactar com Bap, peço-lhe transmitir ao mesmo meu apelo para que ele reveja a decisão de sair. Tenho 73 anos e não vou ter mais tanto tempo pra ver o Mengão na cabeça. A ausência vai adiar este dia. 


De: Marco Vianna
Assunto: Apoiado Kleber

Corpo da mensagem:
Eu lembro de você repórter de campo em um jogo do Fla e Bahia quando o árbitro mandou repetir o pênalti 2 ou 3 vezes e você perguntou – e o áudio da TV pegou – se ia mandar bater até entrar e ai eu vi que você era mesmo rubro-negro de alma e coração. FICA BAP!!! 


De: Rodrigo Esberard
Assunto: Vamos Flamengo!

Corpo da mensagem:
Caro Kleber Leite, Primeiramente quero parabenizar o blog, por sempre manter os Rubro-Negros atualizados. Eu acompanho sempre! Gostaria de me apresentar, meu nome é Rodrigo, tenho 28 anos, Rubro-Negro de coração, morei meus 18 anos iniciais no RJ. Em 2005 acabei me mudando para Joinville-SC; Tenho uma vontade enorme de ajudar o Flamengo, trabalhar pelo Flamengo, recompensar cada alegria que este clube já proporcionou. Já tentei contato com o Flamengo, mas nunca responderam…
Como posso conseguir concorrer em algum cargo de trabalho no Flamengo? Sou um apaixonado por futebol e Flamengo e seria um imenso prazer trabalhar para O mais querido.
Aproveito para agradecer a todo seu empenho, sempre defendeu e honrou as cores do maior do mundo. Você é um grande personagem da história deste clube. Eu tinha 9 anos, quando o baixinho, veio vestir o manto.
Um dia quem sabe, possa eu ser um representante do seu nível e ajudar o Flamengo.
Deixo aqui o meu contato, seria um prazer iniciar um trabalho em prol do clube ou em alguma outra empresa ligada ao Futebol. E saiba que a nação com toda certeza apoiará a volta do BAP.
Grande abraço,
Rodrigo Esberard.

SRN

Animador

Foto: Staff Images

Ao fundo, arquibancadas vazias 

Por favor, que ninguém venha argumentar que o adversário era fraco. Com muitos fracos por aí, favoritos absolutos ficam devendo.

Independentemente da boa atuação coletiva, de animar as atuações de Marcelo Cirino e, principalmente, Arthur Maia. Como leva jeito e que facilidade em ver o jogo e descobrir os espaços vazios para a chegada de alguém.

De negativo, a falta de conhecimento de causa de quem definiu o setor a ser aberto no Maracanã. Óbvio que todo setor prioritário em um campo de futebol é o frontal às câmeras de televisão. Ridículo o público presente atrás de um dos gols, e quem via o jogo mundo afora via um Maracanã deserto, pois na posição em frente às câmeras de TV não havia uma viva alma. Péssimo para o campeonato. Muito ruim para o Flamengo.

Erro primário. Imperdoável!!!

Pênalti

penaltiUma quarta-feira de muita conversa, espero que proveitosa. Pela manhã, recebi um gentil telefonema do Presidente da nossa Federação, Rubens Lopes e, senti por parte dele uma enorme vontade de encontrar uma saída justa e honrosa nesta queda de braço com os dirigentes do Flamengo. Claro que justa e honrosa para os dois lados. Mais uma vez, como medida alternativa, me pareceu engenhosa a ideia de se colocar um determinado número de ingressos a preços populares e, quando estes estiverem esgotados, se praticar um outro preço. Acredito que isto venha a aumentar o público nos jogos médios e, quando o jogo for muito atrativo, o impacto dos preços populares será atenuado pela maior quantidade de ingressos mais caros. Enfim, ante a confusão, vejo como uma bela saída.

De ontem à noite até agora, troquei carinhosos e-mails com o nosso Bap. O que disse a ele, quem acompanha este blog está cansado de saber. O que percebi por parte dele, uma certa mágoa de quem quis ajudar e não ter sido compreendido. Não há animosidade, não há rancor, não há mágoa profunda. Por isso mesmo e, até pelo fato de entender e ter dito a ele que em um clube como o Flamengo nem sempre conseguimos emplacar as nossas idéias, e que os desencontros devem ser encarados como tal, como algo natural, sem prejuízo para o clube, como redundar na saída de alguém importante, fica a impressão de que, pensando melhor, Bap pode reconsiderar.

Não satisfeito, peguei o telefone e liguei para o Presidente Eduardo Bandeira de Mello, dizendo a ele do meu inconformismo com a saída do Bap e a importância que tem ele em convencê-lo a ficar. Disse que há momentos em que a figura do presidente é insubstituível, e este é o caso. Quem precisa dizer ao Bap que não aceita a saída dele é o presidente do clube. Esta ação vai valer mais do que 100 apelos, mesmo de figuras representativas do Flamengo. Este pênalti quem tem que colocar pra dentro é o presidente do Flamengo.

Ah, ia esquecendo. Troquei mensagens também com Flavio Godinho, outro enorme talento rubro-negro que, por motivo parecido, se afastou, e senti nele disposição em novamente colaborar,  claro que, desde que convidado seja. A política da boa intriga já foi feita. Contei este meu sentimento ao presidente Eduardo que, se for bom batedor, pode dar uma vitória retumbante ao Flamengo por 2 X 0. Eduardo me confirmou que está disposto a cobrar os pênaltis. Boa sorte, presidente!!!

Indo para o jogo. Sorte, Mengão!!!

Mensagem Rubro-Negra para o Bap

De: Kleber Leite
Enviada em: terça-feira, 3 de fevereiro de 2015 13:43
Para: ‘Bap’
Cc: ‘Eduardo Bandeira de Mello’;
Assunto: APELO RUBRO-NEGRO

Estimado Bap,

Como fervoroso adepto do processo democrático, respeito opiniões e decisões. Como para toda regra há exceção, vou me apegar nela para dizer que não me conformo com a sua decisão, tão perversa aos interesses do Flamengo. Caramba, depois de tudo, de vencer barreiras, de amadurecer como dirigente, de pavimentar a estrada, sair agora? …

O que posso afirmar e, com absoluta convicção, é que o Flamengo não pode neste momento prescindir do seu talento e da sua liderança natural. Por favor, releve os desencontros, pois em clube é assim mesmo, onde, nem sempre, o nosso ponto de vista prevalece. Devo confessar que, há muito tempo, como rubro-negro, não me identifico tanto com alguém como dirigente. Você tem a cara do Flamengo. Você é do tamanho do Flamengo e tem todas as armas para o sucesso. As que Papai do Céu lhe aquinhoou, e as que você conquistou. Talento raro. Honrado e carismático. Isto não se acha da noite para o dia em qualquer esquina. O Flamengo vai sofrer demais com a sua ausência. Isto é justo?

E o sonho de se tornar um dia presidente?

Em nome da maior paixão da minha vida, faço um apelo para que você reconsidere a sua decisão. Voltar atrás não é pecado. Neste caso, será além de uma enorme demonstração de grandeza, materializar o seu enorme amor pelo Flamengo.

De coração, e com o coração apertado,

Kleber Leite.

 

 

Apelo Rubro-Negro

Amigos, confesso que não me conformo com o fato do Flamengo deixar de contar com o talento do Bap. Recebi um carinhoso e-mail do ex-presidente Hélio Ferraz, que me motivou a partir para uma campanha para que o nosso Bap reconsidere a infeliz ideia de se afastar, absolutamente perversa aos interesses do Flamengo.


De: Helio P Ferraz
Enviada em: terça-feira, 3 de fevereiro de 2015 07:55
Para: Carlos Goes
Cc: Kleber Leite; Michel Assef; Marcio Braga; Adalberto Ribeiro; JEFF (Jorge E F Farah); Walter D August; Walter Monteiro; Marco Aurelio Assef; Andrade; Mario Cruz; Edmilson Varejão; Melhim Chalhub; Mario Pucheu; MEsteves; Joca Sdr; Pedro Hemsley; Maurício; MARCUS FAVER; Sergio V. Brito; Gerson Flamengo; Fernando Goes; Bernardo Amaral
Assunto: Re: Kleber Leite | Blog do jornalista, empresário e dirigente esportivo |

Joca
Vc está, e o Churchil estava, absolutamente certo!!!
Kleber, acho que a diplomacia seja mesmo principal ferramenta, nosso Michel um grande Embaixador, mas quando suportada pelo poderio econômico, “militar”, aspas em nosso caso, político, etc.
Se queremos a paz temos que nos preparar para a guerra.
Também preferia ter o BAP ao nosso lado neste combate que só os adversários já começaram, a COSA NOSTRA que controla o futebol, nós ainda estamos nos debatendo, lavando e colocando nossas luvas de pelica.
Ofender o Presidente do maior Clube do Brasil, com palavras de baixo calão, em plenário da entidade máxima do futebol do Estado…… ultrapassa todos os limites.
Minha mãe também foi ofendida publicamente, INSTITUCIONALMENTE, o Flamengo sou eu, é minha família, e meu presidente sou eu, é todos nós.
A Globo deve ser compensada com jogos fora do Campeonato, a multa é cem mil reais, nossos jogos, valem um milhão….
Enfim, Kleber precisamos de sua inteligência, seu talento, seu charme negocial, guerra é guerra, precisamos dos melhores, do BAP, também, e muito.
SRN
Helio


De: Kleber Leite 
Enviada em: terça-feira, 3 de fevereiro de 2015 12:43
Para: ‘Helio P Ferraz’; ‘Carlos Goes’
Cc: ‘Michel Assef’; ‘Marcio Braga’; ‘Adalberto Ribeiro’; ‘JEFF (Jorge E F Farah)’; ‘Walter D August’; ‘Walter Monteiro’; ‘Marco Aurelio Assef’; ‘Andrade’; ‘Mario Cruz’; ‘Edmilson Varejão’; ‘Melhim Chalhub’; ‘Mario Pucheu’; ‘MEsteves’; ‘Joca Sdr’; ‘Pedro Hemsley’; ‘Maurício’; ‘MARCUS FAVER’; ‘Sergio V. Brito’; ‘Gerson Flamengo’; ‘Fernando Goes’; ‘Bernardo Amaral’
Assunto: RES: Kleber Leite | Blog do jornalista, empresário e dirigente esportivo |

 Helinho, Joquinha e demais queridos companheiros,

Creio que deveríamos fazer um tour de force no sentido do Bap reconsiderar este afastamento, tão perverso aos interesses do Flamengo. Talento e, talento com seriedade e paixão verdadeira, não se encontra em cada esquina, seja ela rubro-negra ou esquina do arco-íris. Claro que, em função de um temperamento “trepidante”, nosso Bap pode desagradar a alguns e, com certeza, a maioria absoluta dos que olham para ele de forma enviesada não o conhece. Atrás deste trator há um rubro-negro apaixonado e de raríssima competência. Não bastasse tudo isto, sabe comandar e não tem medo de decidir. Diria mesmo, que o Bap tem a cara do Flamengo. Quero deixar registrado o meu inconformismo pela perda irreparável e, como irreparável é, tratemos de trabalhar no sentido de demovê-lo da infeliz ideia. A nossa causa maior será a grande beneficiada. Vamos tentar?
Fortíssimo abraço e as nossas preocupadas saudações,
Kleber Leite.

 

 

Notícia ruim

Luiz Eduardo Baptista, o Bap (Foto: Divulgação)

Luiz Eduardo Baptista, o Bap (Foto: Divulgação)

Notícia ruim. Em termos de Flamengo, pior, impossível.

Fui informado há pouco que Luiz Eduardo Batista, o Bap, acaba de jogar a toalha…

Segundo me foi dito, Bap defendia a tese de que o Flamengo deveria ir até as últimas consequências na briga com a Federação, inclusive abrindo mão de jogar no Maracanã. Como houve o acordo com a Federação, aliás, inteligente, de se estabelecer um determinado número de ingressos com preço popular e, esgotados estes ingressos, aí sim, se aplicando preços que o Flamengo considera mais de acordo com a realidade. Ao que tudo indica, este acordo foi o estopim para a saída de Bap.

De minha parte, dois comentários. O primeiro, para dizer que, neste caso, Bap estava do lado errado. Por tudo que já vi e convivi, como presidente e vice de futebol, esta não é uma briga boa, e a possibilidade de se ganhar é zero. Acho que o acordo foi muito bem costurado e que esta briga, com troca de insultos, com grosserias, não leva a nada, e o Flamengo só tem a perder. Quem escreve é quem já cometeu este mesmo equívoco. Já vi este filme e o final não foi feliz. Tive uma segunda chance e a experiência anterior me mostrou o caminho certo. Com este mesmo Rubinho ganhamos três campeonatos consecutivos.

O segundo comentário, como rubro-negro, é o de lamentar esta perda irreparável. Bap é simplesmente genial, diferenciado, iluminado… Tenho, em se tratando de Flamengo, é verdade, atração pelo talento. Tanto dentro, como fora de campo. E fora de campo, Bap, o vice-presidente de marketing do Flamengo, pelo seu talento, tem contribuído em vários outros segmentos do clube, inclusive no futebol. E, com sinceridade, ficamos órfãos dos dois únicos talentos desta nova diretoria. Primeiro, Flavio Godinho. Agora, Bap. Adoraria ver qualquer um dos dois um dia na presidência. Eles são do tamanho do Flamengo.

Que notícia ruim, hein? E ninguém vai fazer nada para tentar demover o Bap desta infeliz decisão?

Briga ruim

Sempre tive um pé atrás em todo início de campeonato. Como a influência da pré-temporada no desempenho dos times é enorme, principalmente quando o campeonato começa, melhor não criticar, e tão pouco elogiar. Portanto, vamos falar de outro tema que pode ter influência decisiva no final do filme do Flamengo neste campeonato.

Esta briga com a Federação e, principalmente, a temperatura destas divergências, cria um outro tipo de consequência. Como é público e notório que Federação e Flamengo estão em guerra, evidentemente, os árbitros pagos e escalados pela Federação, mesmo que de forma inconsciente, podem não ver o Flamengo da mesma forma como veem os outros clubes.

Lembro aqui que, apesar do Fluminense rezar na mesma cartilha do Flamengo, não se ouve falar de nenhum bate-boca entre qualquer representante tricolor e o presidente da Federação. A discussão fica no terreno conceitual. Aliás, o Fluminense sempre foi mestre na arte de discordar com polidez. Como Vasco e Botafogo estão alinhados com a Federação, o único Dom Quixote é mesmo o Flamengo. Não estou aqui, em absoluto, afirmando que alguém da Federação pode tomar a iniciativa de trabalhar os árbitros para que estes prejudiquem o Flamengo. Não vão fazer isso, até porque, não é preciso. Ao longo da minha vida esportiva já vi este filme uma dezena de vezes. Mesmo o árbitro não tendo nenhuma intenção premeditada em prejudicar o clube que está em guerra com a Federação, por um motivo natural de preservação, e por ser bíblico, “Matheus, primeiro os teus”… na dúvida, sempre contra o time que é contra a casa que o escala e que o sustenta. Este não é um comportamento exclusivo dos árbitros de futebol. Isto é inerente ao comportamento do ser humano. Há exceções…

Briga ruim…