Fifa e Jobson

Foto: Satiro Sodre/SSPress

Foto: Satiro Sodre/SSPress

Estava ontem indo para casa e ouvi a notícia dando conta de que o departamento jurídico do Botafogo continuava tentando o efeito suspensivo para que Jobson pudesse jogar a decisão de domingo. Logo após vieram os comentários, e todos pessimistas, com respeito a tentativa do clube. Muito mais importante do que isso para ser analisado é a pena imposta pela FIFA, pelo fato de Jobson ter se negado a fazer o exame antidoping. Caramba, quatro anos de suspensão para quem não sabe fazer outra coisa na vida, é como se pena de morte fosse. Entendo que a entidade maior do futebol mundial deva ser rígida ante delito realmente grave, mas convenhamos, quatro anos é um exagero. Como impedir que um cidadão exerça sua profissão durante quatro anos? Alguém pode argumentar que ante delito grave, um advogado pode ter a sua carteira da OAB cassada e, também impedido estará de exercer a sua profissão e, consequentemente, de poder se sustentar. A pergunta é: Quatro anos de suspensão por um jogador ter se negado a fazer um exame antidoping, é justo?

Para mim, um exagero.

1 Comentário

  1. No caso especifico do Jobson pode significar mais do que isso, a sua propria destruiçao .O assunto e delicado, tomara q o juridico do Botafogo consiga amenizar porque se assim for infelizmente esse rapaz pode ir pro buraco. O futebol e a unica muleta q segura o seu vicio e doença,a decisao precisa ser humanizada e corrigida a tempo.

    Reply

Comente.