Zico polêmico

Zico e Juninho (Foto: Patricia Ingo/Rádio Globo))

Zico e Juninho na Rádio Globo (Foto: Patricia Ingo/Rádio Globo))

Como gosto muito de rolar a bola para as discussões, vou começar pelo meu ídolo e, o maior na história do Flamengo. Para quem não sabe, Zico participa às segundas-feiras, ao lado de Ricardo Rocha e Juninho Pernambucano, de interessante programa, à noite, na Rádio Globo. O programa é muito bem conduzido e, como o negócio é debater os principais assuntos ligados ao futebol, o sucesso está diretamente ligado à qualidade dos debatedores que, neste caso, é excepcional. Todos estão muito bem, soltos, autênticos e com colocações inteligentes. Ontem, o nosso Galo deu show. Entre tantas participações brilhantes, Zico saiu com uma tese que me fez pensar muito. Disse ele que era radicalmente contra a expulsão de um jogador por ter cometido um pênalti, independentemente das circunstâncias. A tese, oportuna, interessante e inteligente, é no sentido de que ninguém pode ser punido duas vezes. Ora, o pênalti é o maior castigo que um time pode receber e, o jogador que cometeu o pênalti, integrante deste time penalizado, não pode ser punido duas vezes. Primeiro com a pena máxima que é o pênalti e, depois, com a expulsão.

Como o debate está aberto, você, companheiro do blog, concorda ou discorda da tese de Zico?

 

1 Comentário

  1. Depende muito… pois se o jogador entrar de carrinho por trás e cometer falta grave mesmo que seja pênalti o mesmo deveria ficar em campo??? logo sou a favor que se fez algo grave tem que ter sim dupla punição!!!!

    Reply
  2. Discordo. O pênalti é a punição pela “falta” dentro da área e o cartão vermelho pelo anti jogo, portanto, no mínimo, duas infrações. Ademais, só a marcação do penalti dá ao time adversário a chance de o goleiro defender o penalti e assim a infração da regra poderia resultar de nenhuma punição, de fato, ao infrator. No direito fala-se do crime culposo e doloso. Jamais poderia ser culposo uma atitude dessas já que houvera a nítida intenção de matar a jogada numa prerrogativa de tentar se salvaguardar através de uma eventual defesa pelo goleiro.
    Há coisas muito mais interessantes a se mudar no futebol. Exemplos:
    – Limitar o número de faltas, por exemplo, com tiro direto após excedê-las; (Quanto tempo ganharíamos com bola rolando sem a necessidade de formar barreiras)
    – Eliminação completa do impedimento, que vai de encontro ao objetivo do futebol, o gol;
    – Que o jogo começe e termine com 11 jogadores em cada time, assim, se alguém for excluído por cartão vermelho, haja a devida substituição. A punição valeria a partir do próximo jogo;
    – Permitir que haja pelo menos 5 sustituições por jogo em cada time; (hoje um clube de futebol tem pelo menos 15 profissionais em condições de titularidade)
    – Uso da tecnologia para sanar dúvidas quanto a legalidade ou não de um lance polêmico;
    – Dois tempos fixos de 30 minutos cada, com interrupção do cronômetro quando a bola parar;
    Eis aí meu caro Kleber algumas ideias que poderiam fazer parte de uma mudança no futebol. Algumas polêmicas outras nem tanto. Mas mudar é preciso. Os tempos mudaram. O futebol é o único esporte, hoje, que sustenta a rigidez de suas regras. SRN

    Reply
  3. Fora de qualquer contexto, concordo com o Galo.
    Até porque, não sendo o último homem, não faz sentido.
    Vejo uma falta dentro da área, como uma falta comum. Não sendo muito cascuda, cartão amarelo, vermelho, se for violenta.
    Assim como aconteceria em qualquer outro lugar do campo.
    O que deveriam colocar em pratos limpos, é sobre mão na bola e bola na mão dentro da área.
    Entendo, caso fosse juiz, que só daria penalti se a bola fosse em direção ao gol.
    O gol do Paraguai, por exemplo, foi uma asneira imperdoável do Thiago Silva.
    Penalti claro! No caso, nem bateu nele. ELE bateu nela…
    Muito rigor dos de preto, também muitas lambanças dos mesmos.
    Normalmente são ruins mesmo e erram pros dois lados.
    Mas… que o fator campo altera, isso é verdade…

    Reply
  4. Prefiro discutir sobre o comentário que o “Galinho” fez sobre o Gilmar Rinaldi (Diretor da CBF), que achei bastante pertinente. Se o Gilmar, ainda, é empresário de jogador, já que na Seleção, basta um jogador dá dois “chutinhos” já é vendido por um caminhão de dinheiro.
    Zico lembrou que, quando Gilmar foi ser diretor de futebol no Flamengo, ele (Zico) perguntou se ele iria continuar como “empresário” de jogador e ele respondera que estava fechando as portas da sua empresa para ficar exclusivo no Mengão. Quando saiu de lá levou na bagagem, nada mais, nada menos, que o zagueiro Juan e os atacantes, Adriano (Imperador) e o Reinaldo, os três melhores da época.
    Gilmar, descontente com o comentário, disse que vai processar o Galinho.
    Melhor seria se ele pedisse o boné na CBF, faria um grande favor ao futebol.
    E o Elias, Kleber, vem ou não para o Fla?
    SRN!!!

    Reply
  5. A idéia do Zico até faz algum sentido sim, mas como já questionaram antes, e se for uma falta gravíssima dentro da área?
    Respondendo ao colega Hélder, sou radicalmente contra a eliminação do impedimento, pra mim a regra mais inteligente do futebol. Tal regra permite que os times tenham setores bem definidos e que o jogo tenha cadência, equilíbrio, em vez de ficar numa espécie de “gol a gol”, onde bastaria que uma bola recuperada na defesa fosse isolada com um chutão pra frente, pra encontrar um atacante a fim de colocá-la pra dentro do gol adversário. Nao haveria meio de campo. Sem o impedimento não teríamos Zico, Pelé, Maradona etc. O jogo seria completamente diferente.
    Concordo quanto a mais substituições e quanto a mais tecnologia, embora sem parar o jogo por muito tempo. Também concordo com uma punição intermediária aos cartões amarelo e vermelho. O amarelo está banalizado. E o vermelho muito radical.

    Reply
  6. Apesar de vir de uma pessoa como o Zico, considero essa proposta péssima. Caso a regra fosse essa, sempre que a situação for iminente de gol vale a pena fazer o penalty. Isso porque você não terá ninguém expulso e o penalty poderá ou não ser convertido em gol. Você trocará a certeza de tomar gol pela chance de seu goleiro defender o penalty. O infrator só tem a ganhar. Essa regra claramente incentivará o defensor a fazer o penalty em situação clara de gol. É isso que queremos?
    SRN,
    Vinícius

    Reply
  7. Também discordo do nosso GALO, se a falta for violenta dentro da area deve sim ser dado o cartão vermelho além do penalty.

    Reply
  8. Sr. Kleber. O Zico será para mim o maior, o rei, um ídolo eterno, exemplo sempre. Dei sorte inclusive de nascer no mesmo dia que ele, 03/03.
    Agora não concordo com ele, acho que uma coisa é a penalidade máxima e outra a punição ao atleta.
    Na minha visão é correto a dupla punição. A regra é clara, pode ser burra mas é clara. Chega de penalidades, quem gosta muito delas ultimamente é o Vasco.

    Reply
  9. Discordo totalmente do Galo. Se a falta for dura, por trás, se salvar uma chance de clara de gol com as mãos, não ha discussão. Penalty e expulsão.
    Uma alteração que eu proporia na regra ‘e a seguinte: jogador fez uma falta dura no adversário, que tem que sair de campo para ser atendido. O tempo que ele estiver fora de campo sendo atendido, o agressor também deveria permanecer fora das quatro linhas; caso seja necessária substituição, o agressor só volta a campo quando o substituto entrar. Vemos em todas as rodadas esse tipo de lance e o jogador que faz a falta, quando não ‘e expulso, permanece em campo, enquanto o outro time fica alguns minutos com um homem a menos, obviamente correndo o risco de levar um gol durante esse periodo

    Reply
  10. Klebão, Sem lógica essa ideia para toda e qualquer situação de falta dentro da área não dar cartão vermelho. Ora, falta com potencial de gerar lesão séria no adversário é para punir com cartão vermelho, e antijogo, caso já tenha amarelo, deve ser aplicado o segundo amarelo sim. Punição severa para mim é gola na rede, e se o cara que cobrar o pênalti jogar a bola para fora ou o goleiro pegar?

    Um exemplo: O atacante está de cara para o gol, dribla o goleiro chuta e o zagueiro mete a mão na bola com a bola indo em direção ao gol, o arbitro marca pênalti (que pode ser perdido) não vai expulsar o jogador q interviu em uma situação clara de gol? Zico é fera, ídolo do nosso Fla, mas não está imune a falar bobagem ou a discordâncias. SRN.

    Reply
  11. Olá Kléber.

    Gostará de parabenizar pelos excelentes textos veiculados no seu blog. Eu, como bom jovem rubro-negro, venho passar uma mensagem de estímulo para que continue com esse canal, pois assim a nova geração de jovens pode ter a mesma sensação que você tinha no rádio quando da sua juventude.

    Mais uma vez parabéns,

    Victor

    Reply
  12. ISSO TEM ENDEREÇO, NOME E CPF…

    “Flamengo revira mercado e não acha camisa 10. ‘Peça está ameaçada’
    Pela primeira vez na história, Rubro-Negro pode passar uma temporada inteira sem entrar em campo com um jogador vestindo o número que foi de Zico e Petkovic”

    Cacild’s!!!! Como esses caras são incompetentes…

    Reply
  13. …E SEGUE O ENTERRO…

    “A diretoria como um todo ainda tenta sustentar uma discurso de que o grupo atual tem qualidade e pode render mais do que tem rendido. Contudo, há um consenso entre conselheiros sobre a necessidade de de um pulso mais firme no futebol. Atualmente, o conselho gestor toma decisões à distância e não tem representatividade perante os jogadores. O time treina hoje na Arena Joinville, local do jogo, para onde nenhum membro do conselho de futebol se deslocou para acompanhar o mau momento do Flamengo. O futebol do clube está à deriva”.

    Extra Online

    Reply
  14. Grande Carlos,como é chato ter que bater sempre na mesma tecla por quase 3 anos…. mas o problema do Flamengo não é seus jogadores ,é a escolha dos mesmos e a “administração a distância” dos nossos gestores, sendo que seus “alunos” estão cursando na àrea de humanas e os seus “tutores” são phd na àrea de exatas. O resultado é esse ai, um pepino tamanho família que o pobre do Cristovão (que esta mais perdido que cego em tiroteio)e da torcida tem que degustar. Vou mais longe, espero que eu esteja errado…a unica coisa que da certo ,a tal das finanças, só esta indo bem porque existem profissionais MUITO bem pagos exercendo a função , porque se dependesse do tal do conselho gestor ,que só falta querer entender de culinaria, estariamos no SERASA .
    É muito triste o descaso e a omissão desse pessoal com nosso futebol, que só aparece quando e muito pra apagar incêndio como o desta semana, lamentável, nada é feito antecipadamente porque pelo jeito não existe corpo a corpo e dia a dia.

    Reply
    • Amigo Pedro!
      Nós, amparados pelo bom senso, concordamos quase por completo com a maioria dos amigos que escrevem neste blog.
      Nossa sintonia e sentimentos são absolutamente idênticos.
      Sinal, que os despreparados estão por dentro dos muros da Gávea…
      Apena uma vírgula!
      Quando menciona 3 anos de descaso total no nosso Departamento de Futebol, esquece, que este samba vem desde a gestão da Patrícia. Portanto, quase 6 (seis) anos…
      Neste período, NUNCA tivemos ao menos um personagem que entendesse de futebol.
      Assim como Patrícia acumulou a cadeira de vice de futebol por quase um ano, Bandeira está usando o mesmo expediente após a saída do Wrobel.
      Não considero as passagens do Pelaipe, muito menos Ximenes, como gestores.
      Pelaipe, NUNCA conseguiu trabalhar em clube nenhum, fora o Grêmio.
      Ximenes, conseguiu a façanha de ser demitido (por omissão) do Fluminense, em apenas um mês…
      Acredite! Existem rubro-negros, que colocam o saneamento financeiro do clube, acima de um possível rebaixamento.
      Com certeza, devem ser sócios-atletas do clube que levam muito a sério jogar bocha, arremesso de presidente, saltos ornamentais, purrinha… e por aí vai…
      Não conseguimos entender o Flamengo nesses 6 anos!
      Do Parquinho ao Banco Imobiliário, não existe um vão para encaixar o carro-chefe do clube. O futebol…
      E segue o enterro, Grande amigo Pedro.

      Reply

Comente.