Comentando a matéria

Marcelo Frazão (Foto: Staff Images)

Marcelo Frazão (Foto: Staff Images)

Sobre a entrevista publicada hoje no Jornal Extra (ler aqui), que trata da contratação de Marcelo Frazão para traçar estratégias a fim de tornar o Maracanã a casa do rubro-negro, nada contra o Flamengo estar super atento para pegar o Maracanã, a ponto de contratar um gerentão para este projeto. Tudo perfeito. O objetivo é ter o Maraca, o que hoje é prioritário para nós rubro-negros e, levar isto a sério, contratando alguém competente para tocar o projeto, perfeito!

Só um pequenino detalhe. Não é o local onde fica o torcedor, (arquibancada, cadeira ou geral) que torna o estádio popular. Alguma coisa é popular ou não, em função do preço praticado.

Por favor, que negócio é esse de se aventar modificações estruturais no Maracanã, arrancando as cadeiras para que sejam criados novos setores, como arquibancada e geral?

Ao invés de mais uma obra, basta definir um determinado setor com preços populares. Simples assim…

Apoio a ideia de popularizar. Sou a favor de abrir a porta para o povão. Só sou contra a maluquice. Aliás, a ideia é discriminatória. O povão não tem direito de sentar numa cadeira?

Por favor, é só eleger um setor e, baixar o preço.

Meu Deus…

1 Comentário

  1. Prezados,
    E mais uma vez o Flamengo ficará para trás por causa do Maracanã…
    Todos os times de ponta com suas arenas, ganhando dinheiro e sócios torcedores, e o Flamengo abraçado com algo que NUNCA será seu.
    De nada adianta pegar o Estádio hoje, mas daqui 20 anos ter todo este problema novamente. Além disso, em nada motiva e infla o ego da torcida ter o Maraca “alugado”, não vai gerar ST, igual acontece com o Palmeiras e sua arena própria.
    Prefiro fazer uma Arena Própria, certamente passaríamos de 100 mil sócios.

    O clube fica pra trás, mais uma vez, por causa do Maracanã.

    Reply
    • E quanto à retirada de cadeiras para o setor “popular”, parece até aquelas casas de Madame na qual a empregada tem que ficar em pé ao lado da mesa aguardando os patrões terminarem o jantar.
      Mais ridículo e constrangedor impossível.

      Reply
  2. Prezado Kleber:

    Não sei detalhes do projeto, as primeiras linhas que li sobre o assunto foram as suas, acima. Mas o Romário, de quem discordo de quase tudo, tem pelo menos duas percepções que são exatamente as minhas. Uma delas, que vem ao caso, é essa: ” “O estádio vai ficar lindo, talvez se torne até o mais bonito do mundo. Só que infelizmente hoje o Maracanã está totalmente desfigurado. A verdade é que bonito ele vai ficar. Só não vai ser mais o Maracanã”.
    Vou me inteirar do assunto e, depois, emito minha simples opinião. Mas, em princípio, achei a ideia bastante provocante…
    Saudações,
    Carlos Cazé.

    Reply
  3. Não vejo problema algum em se retirar cadeiras de um determinado setor, para se colocar mais gente e assim baratear os preços daquele determinado local, até porque muita gente prefere ver o jogo em pé. Pior é quando você compra ingresso para ver o jogo sentado e as pessoas ficam na sua frente de pé, com este setor o problema estaria resolvido.
    Outro aspecto que melhoraria, seria o clima dentro do estádio, tornando o estádio mais pulsante, diminuindo um pouco o clima de teatro do New maracá.
    Srn

    Reply
  4. Kleber , bola dentro do Flamengo em contratar esse profissional, precisamos focar de forma definitiva no tema , e o mais importante da entrevista foi a declaração de que não jogaremos mais no estádio se não o assumirmos , este é o ponto chave , enfim temos uma definição !!!! Quanto à sua readequação concordo contigo , não vejo motivo pra se aumentar a capacidade do estádio , ainda mais com a justificativa de se abaixar os preços , poxa o cara pra pagar menos tem que sentar no cimento? Desnecessário !!! O que se tem que fazer e não permitir a farra das torcidas adversárias , limitando o seu espaço e na medida do possível se personificar o Maracanã com nossa marca , isso sim é necessário , o resto é bobagem , mas repito estamos no caminho certo, mais uma vez parabéns Bandeira de Mello!!!!

    Reply
  5. Caro Kleber Leite, a questão é que exageraram no encolhimento do estádio, paralelamente os preguiçosos PMs resolveram diminuir ainda mais o número de expectadores,em nome de uma segurança bizarra, pra protegerem 300 torcedores de fora, inviabilizam 7 , 8 mil lugares. Se for pra aumentar a capacidade do exageradamente encolhido maraca, sou a favor da mexida.

    Reply
  6. Presidente, o Maracanã ficou descaracterizado. O estádio está muito bonito e funcional mas matou a sua essência que estava na geral. A geral do Maraca é a cara do Fla assim como a torcida que frequenta o setor norte. Entendo que precisamos fazer algo neste sentido. Eu, por exemplo, gosto de ver o jogo em pé onde jogo com o time. A cadeira restringe isso aí. O Maracanã é primordial para nós e temos que fazer algo a respeito.

    Reply
  7. KL,
    Discordo plenamente de vc!
    Sou a favor de se retiraem sem as cadeiras atras dos gols!
    Veja o que grêmio e corinthians fizeram.
    Veja como os ingleses assistem aos jogos.
    Veja como a torcida atras dos gols vê os jogos no maraca….
    Eu mesmo detesto ver jogo sentado! Quem quer ver sentado vai de “especial” ou fica em casa!
    Então deixa a massa torcer em pé, não estamos em barcelona nem nossa torcida é “coxinha” ….

    Reply
  8. Perfeito, Kleber. Observações pontuais.
    Achei interessante, também, a observação feita pelo Diego S. que aponta para o fato de o Maracanã não ser definitivamente a casa do Flamengo e voltarmo a esse problema lá na frente. Espero que os que estejam coordenando o assunto estejam atentos a esse detalhe também.
    Uma coisa está clara, o Flamengo não pode mais ficar refém de uma casa própria. Que seja, preferencialmente, o Maracanã, onde conquistamos quase tudo. Mas se não for possível, que se busque uma solução definitiva para esse assunto.

    Reply
  9. A propósito, pincei este trecho do ” perspectivaonline.com.br” (28/10/2015), no qual se discute, quanto ao Grêmio, o assunto em pauta:

    ” Recentemente, o Corinthians viveu situação similar. Por pedido de suas torcidas organizadas, removeu as cadeiras de um dos setores de seu novo estádio para que os torcedores possam permanecer sempre em pé. A capacidade do local era de 7 mil lugares. Com as remoções, o clube paulista conseguiu autorização para comercializar 9 mil ingressos na nova área sem cadeiras. Por que o Grêmio não pode adotar caminho semelhante?
    Resolver questões como essa auxiliariam a melhorar a média de público, fomentar novas associações ao clube, ampliar a arrecadação e melhorar a imagem do estádio junto à opinião pública. Há muita morosidade na Arena do Grêmio. É hora de evoluir.”
    Abs,
    Carlos Cazé.

    Reply
  10. O Maracanã foi reformado e REPENSADO para atender os INTERESSES da FIFA, ñ dos clubes ou de seus administradores.

    Somente esse detalhe já explica tudo. Quantos estádios próprios tem a FIFA ?

    Tenho absoluta CONVICão que a VIABILIZAção desse ELEFANTE BRANCO passa inevitávelmente pela volta da GERAL.

    A GERAL é de interesse dos CLUBES, mas ñ da FIFA.

    O próprio termo GERAL já fala tudo. É para TODOS, os que só PODEM ir para ela e também para os que PREFEREM FICAR NELA.

    Isso sem falar no ENORME aumento da quantidade de TORCEDORES e consequentemente de PRESãO favorävel ao time da casa.

    Vou resumir assim … ” quem ASSISTE o jogo sentado, ASSISTE o jogo, mas quem assiste o jogo em pé PARTICIPA, EMPURRA, PRESSIONA e JOGA junto do time.

    BOLEIRO gosta de GERAL. JOGA pra GERAL e corre pra vibrar com a GERAL.

    Reply
  11. Tudo bem, mas insisto, a Gávea tem que ser remodelada. Não é concebível deixar aquele espaço nobre sem utilização, que, por Decreto Municipal, só pode ser aproveitado para a prática esportiva. Acorda Diretoria!

    Reply
  12. Sinceramente, eu me inclino sempre para o pragmatismo, que é um rio que quase sempre deságua na probabilidade mais verdadeira.
    Assim, penso que esse discurso de “popularizar”, que “O Maracanã será de todos os clubes”, é jogada de marketing do Flamengo, um discurso politicamente correto com certeza (e não poderia haver outro).
    Tomemos como base o ferrenho e elevadíssimo compromisso de administrar o “complexo” Maracanã, Júlio Dela Mare, Célio de Barros, além do próprio Maracanã que hoje em dia é um aparelho bem mais complexo do que foi no passado (teto, estrutura de fibras óticas, placares e IT), então veremos que não haverá margem para “generosidades”.
    1o. ponto é a parceria com o Fluminense, significa ter o Fluminense como parceiro do Flamengo e não como parceiro na licitação do estádio. Cotas de publicidades do estádio do Flamengo jamais poderão ser dividas com o time tricolor por exemplo.
    Outro dado que me chama a atenção, com a vinda do Diego são atuais 70mil sócios torcedores…Alguém duvida que com um boa campanha, um bom time e com um estádio esse número passe tranquilamente do dobro do que é hoje? E lembremos, a capacidade do Maracanã é hoje 75mil pagantes + as gratuidades. Ou seja, baixar preços de ingressos ao nível de “preços populares”, acho improvável.
    Em tempo, o Palmeiras, que é a melhor gestão do programa ‘sócio torcedor” descobriu que fez um estádio menor do que deveria. Não me surpreenderei que nos próximos anos o Maracanã se torne pequeno para a nossa torcida.

    Reply
  13. E se a FIFA fosse um TIME e fosse construir um estádio próprio para disputar campeonatos ESTADUAIS e BRASILEIROS ?

    Vamos RACIOCINAR ?

    O PUBLICO ALVO da FIFA é MUNDIAL, já o público ALVO do Maracanã/FLAMENGO é LOCAL/NACIONAL.

    A FIFA tem como MERCADO consumidor de seus ingressos o MUNDO e os campeonatos MUNDIAIS, e o Maracanão e o FLAMENGO ?

    Se a FIFA fosse dona do Maracanã o estádio teria uma GRANDE GERAL.

    O Maraca foi planejado para uma FINAL DE COPA DO MUNDO, ñ para estaduais ….

    Tem que repensar sim, tem que REMODELAR sim, tem que ajustar a “REALIDADE” sim.

    A Copa passou, a realidade é outra totalmente diferente.

    Reply
  14. Sobre o tema, ele foi uma das ‘promessas de governo’ do Cacau Cotta durante a eleição passada e no fim, o Wallim admitiu que era boa idéia e resolveu adotar o discurso.
    Acho apenas que a remoção de cadeiras de alguns setores iria resolver 2 problemas de uma só vez:
    O primeiro e pra mim mais interessante seria o fato de que, em jogo de clubes, o Maracanã só suporta 63 mil pessoas, visto que uma grande área precisa ser interditada para alocar a torcida rival. Com isso, perdemos quase 10 mil lugares no estádio. Basta lembrarem que a Seleção Brasileira quando joga no Maracanã tem 72500 ingressos postos à venda, por ser torcida única. na Final da Copa do Brasil não pudemos ter o mesmo contingente de ingressos vendidos.

    2_ Não vejo como depreciação retirar as cadeiras e deixar os ingressos mais baratos. Se não há manutenção, é comum o preço ser mais barato. O que não pode é fazer festa com dinheiro alheio. Se as cadeiras têm custo de manutenção, é natural que isso seja repassado ao consumidor final.

    Independente disso, o nosso problema não é um setor popular no Maracanã. O Problema são todos os parasitas, que vai da FFERJ ao governo do Estado que só pensa em ganhar dinheiro encima do Flamengo. Gosto do Maracanã e queria que ainda fosse nossa casa. Honestamente não ligo se ele é aluguel, concessão ou apropriação. Sendo justo e permitindo ao Fla transformar sua bilheteria em reforços para o time, está valendo. Mas tem que ser justo.

    Reply
  15. Bomboa, bomba, bomba !!
    O FLAMENGO foi tomado por um fornigueiro de FORMIGAS SAúVA .

    Abaixo um link INTELIGENTíSSIMO que da um belo horizonte sobre o atual momento do FLAMENGO.

    http://colunadoflamengo.com/2016/07/formiga-rubro-negra/

    A descrição da fabula acima é perfeita para o momento RUBRO NEGRO. Porém a grande vantagem é que o FLA virou um grande formigueiro de FORMIGAS SAúVA “CONSTRUTORAS”.

    Estamos vendo e vivenciandi a ” aurora boreal RUBRO NEGRA”.

    Que LiNDO !!!

    Reply

Comente.