Chororô espetacular!!!

Yelena Isinbayeva

Yelena Isinbayeva

Estas olimpíadas vão terminar e, sem dúvida alguma, será lembrada como a olimpíada do chororô e, para quem tem sensibilidade, para quem se emociona com uma vitória retumbante ou, com a derrota de cortar o coração, esta olimpíada está sendo imbatível. E, tão diferente das outras que, até quando não há jogo, há emoção.  A coletiva da russa Isinbayeva é prova disso. Que depoimento lindo…

Impedida de participar pelo problema do doping generalizado, e quase que oficializado em seu país, embora jamais tenha nadado nesta praia, morreu afogada…

Quando aqui chegou, cuspindo marimbondo, impedida de participar, passou toda a sua ira e revolta contra aqueles que tomaram tal decisão. Hoje, se despediu como atleta, perdoando os possíveis injustos e insensíveis. E, tudo isto dito de uma forma direta e sincera. Diria mesmo, poética…  Como não se comover… Como não chorar…

(Foto: Murad Sezer / Reuters)

(Foto: Murad Sezer / Reuters)

Ontem, ou melhor, hoje, em plena madrugada, a dupla masculina de vôlei de praia do Brasil fez o país inteiro nadar nas benditas lágrimas do chororô. Caramba, quanta emoção… Alison e Bruno Schmidt, embora tão diferentes, têm almas quase iguais. Que talentos… Que figuras humanas… Como não chorar ante este tsunami de emoções…

Ainda agora, um jogo épico de vôlei. Itália 3 x 2 Estados Unidos, com a Itália garantindo presença na final. O jogo foi emocionante e inacreditável, onde os deuses estavam ao lado da Itália. Mesmo para quem não era italiano ou americano, impossível não vibrar e se emocionar.

(Foto: Getty Images/Shaun Botterill)

(Foto: Getty Images/Shaun Botterill)

Outra coisa. Meu mestre de vida Doalcei Camargo, sempre dizia que música não tem pátria nem idade. Com todo respeito, complemento, afirmando que, os gênios do esporte, também não. Bolt, é o exemplo da vez. O mundo, torce por ele. Cada vitória de Bolt, é a vitória do talento, do super-homem, do bem, da vida… Somos todos, “inclusive todos”, Bolt Futebol Clube…e, diria mais: tenho a impressão de que até os adversários torcem por ele.

Que olimpíada emocionante. Como é bom chorar de alegria… As meninas do futebol esbarraram no talento maior das adversárias. Reconhecer, é preciso. Daí, a falta da presença no pódio. Como contestar a vitória do Canadá?

Amanhã, o “Dia D”. O dia do ouro olímpico no futebol masculino. Estamos, eu e Saleti (mamãe de Renato Augusto) pedindo a Papai do Céu que seja um sábado de muita emoção e, que o nosso choro seja de muita alegria…

Chororô rubro-negro…

1 Comentário

  1. Presidente, atletas vitoriosos, choram de alegria, de emoção. Atletas derrotados choram de tristeza, anos de árduo trabalho sem resultado. Porém, esse negócio de chororô, é lá com o Botafogo.

    Reply
  2. Pelo aspecto negativo fica o choro do francês do salto com vara. Convenhamos Kleber ele não foi vaiado a toa, ficou desdenhando da performance do Brasileiro e quando este passou de 6m começou a sentir a pressão e as vaias em si, enfim a torcida n o perdoou. Assim como Bolt,Phelps,Simone Biles,e o grego Pretunias que duelou com o Zanetti pelo ouro, estes conquistaram a torcida pela sua simplicidade e respeito tanto a torcida quanto aos atletas brasileiros. Vaiar em esportes que se precisam de concentração é errado, mas ele podia mostrar um mínimo de respeito ao Brasileiro. Resumo ficou chorando no podium e tirando os holofotes do devido medalhista de ouro: Thiago Braz.

    Reply
  3. Ninho do Urubu ” REI”.

    Por favor FLAMENGUISTAS vamos utilizar o termo “NINHO DO URUBU REI” ao nos referirmos ao nosso CT, parece bobagem, mas ñ é.

    O peso psicológico e de MARKETING da forma URUBU REI é extremamente mais IMPACTANTE.

    Somos o URUBU “REI”.

    PERCEBERAM ?

    Reply

Comente.