Olimpíadas, Flamengo e polêmica

(Foto: Eduardo Peixoto Globo Esporte)

(Foto: Eduardo Peixoto Globo Esporte)

Não tenho certeza, mas tenho a impressão que foi o competente Cuca, atual treinador do Palmeiras, que afirmou que toda e qualquer atividade esportiva, claro que, incluindo-se aí o futebol, deveria sofrer paralisação radical durante os jogos olímpicos.

Confesso que, quando li este depoimento, achei exagerado. Hoje me rendo e afirmo que Cuca tem toda razão.

Outro dia, aqui mesmo no blog, um dos companheiros se queixou, afirmando não ter dado eu, a importância que o jogo do Flamengo merecia. O problema é que me vi diante de duas televisões e, mesmo sendo alucinadamente rubro-negro, não havia como ignorar aquele momento olímpico. Claro que, o Flamengo é e será sempre prioridade, mas impossível ignorar o que o mundo está curtindo. Mais ou menos parecido com a mulher do vizinho, belíssima que, embora não sendo a prioridade, não há como não olhar.

Sei que existe o problema de calendário, mas até mesmo em defesa da imagem do campeonato brasileiro que, como a principal competição nacional do esporte que está no nosso sangue merece atenção exclusiva, como se dar atenção exclusiva se há uma olimpíada sendo disputada no Brasil?

(Foto: J. Eisele / AFP)

(Foto: J. Eisele / AFP)

Amanhã, tem o vôlei feminino. Como não se encantar e se apaixonar pelo talento destas nossas notáveis meninas?

Bem, na sequência teria que falar nas meninas do futebol, nos barbados do futebol, nas meninas e barbados do vôlei de praia e… por aí vai…

Ainda bem que o nosso jogo é no domingo – e às 11 da manhã. Mesmo com o porre olímpico, as maiores emoções já terão passado e a atenção estará toda voltada para a nossa paixão maior. Melhor assim… Dividir paixão, não é legal.

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

E, falando em Flamengo, pelo que leio, embora a tendência seja Damião substituir o nervoso Guerrero, há quem defenda a tese de que Viseu é que deveria jogar. Polêmica boa…

Para encerrar. Vi emocionado a volta por cima de Diego Hipólito e, esperei o tempo todo que houvesse, partindo dele, da Daniele, ou de qualquer membro da família, uma citação ao que o Flamengo representou na vida dele. Ninguém teve esta lembrança. Pena…

(Foto: Divulgação)

(Foto: Divulgação)

Doalcei Camargo, mestre de vida, sempre dizia que o sentimento de gratidão é algo obrigatório ao ser humano.

Não tão radical, apenas lamento o esquecimento. O Flamengo foi para a família Hipólito, casa, porto seguro, sonho e esperança. Trampolim maravilhoso para uma família pra lá de talentosa.

Fica o registro. Por uma questão de justiça, é preciso.

1 Comentário

  1. Eu também me vi diante de duas televisões. E eu não sei se seria o caso de parar o brasileiro por conta da olimpíada, vide que a premier league iniciou essa semana, mas sendo no Brasil, inclusive usando os principais estádios, deveria ser dado essa pausa.

    Parabéns ao Hipólito, e gostaria de lembrar que se por um lado temos os representantes militares se mostrando presente, o Flamengo poderia destacar seus atletas, de alguma forma, seja com entrevistas na Fla TV, comparecimento na casa flamengo, … trabalho para o marketing.

    Remadores Fernanda Nunes, Michel Pessanha e seu técnico Franquilim Oliveira, sendo esses na Paralimpíadas.

    Judoca deficiente visual Karla Cardoso,

    Natação com Luiz Altamir,

    Lorena Molinos e Maria Clara Lobo no nado sincronizado; na comissão técnica, o fisioterapeuta do futebol de base rubro-negro Dudu Calçada,

    Treinador José Neto, como auxiliar-técnico de Rubén Magnano, e o preparador físico Diego Falcão estão na comissão técnica do basquete brasileiro,

    Rosicleia Campos no Judô,

    Ginástica artística, Jade Barbosa, Rebeca Andrade, Flávia Saraiva e Milena Theodoro,

    Polo aquático brasileiro com Marina Canetti, entre outros.

    Reply
  2. A crítica não teria vindo do Levir Culpi? Ele bateu pesado na CBF por ter futebol junto com as Olimpíadas. Paramos um mês pra copa do mundo, porque não duas semanas para as Olimpíadas? Faltou bom senso aos cartolas da CBF.

    Reply
  3. Desculpa Kleber mas como eu posso criticar a conduta do atleta Diego Hypólito se nem msm o Flamengo por seu site oficial ou Twitter deu o devido reconhecimento a ele pela conquista da medalha de prata?.

    Reply
    • Silas, quando a chapa azul assumiu em 2013 eles pararam tudo que diz respeito a esportes olímpicos com a promessa de reorganiza-lo e torna-lo auto-sustentável, sem a dependência de recursos oriundos do futebol. Diego e sua irmâ não acreditaram e saíram do clube cuspindo marimbondo, batendo duro nos dirigentes e fazendo críticas públicas, pela imprensa, a nova política rubro-negra. Ficou sem clima depois desse episódio. Agora os blues cumpriram o que prometeram quando assumiram.

      Reply
      • O fla já é referência em Basquete, e caminha para também ser no Vôlei. Em 2019/2020 vms ser referência tanto em futebol quanto em diversos esportes olímpicos e os mesmos que duvidaram vão ter que reconhecer que estavam errados!

        Reply
  4. A crítica foi do Levir…(que não tinha mais nada o que pensar, é bom que se diga)
    Vivemos em um mundo de apelo midiático que usa um veículo de meditação transcendental, que é justamente esse tudo de raios catódicos, led ou plasma, um aparelho chamado TV. Esse aparelho nos trás o mundo em um clicar de teclas…Sinta-se em uma moto gp a mais de 300 km em uma reta, ou náufrago em uma ilha, ou faça o impossível, volte a 200 anos trás ou ao futuro, td isso em mundo de spectro cincunscrito, fechado que é a TV. Então a TV nos diz, “é tempo de Olimpíadas”, e ai cria-se um frenesi no fosquete televisivo. Esportes olímpicos como esgrima, handebol, judô, natação, e inúmeros outros nobres esportes, de meros esportes relegados a 10a categoria na preferência de audiência brasileira se tornam interessantes, necessários, prioritários…um verdadeiro big, mega, super “memê” galaxial. Enquanto isso, o futebol, o tão necessário nosso pãozinho de cada dia, nosso arroz-com feijão, inspiração para a gozação alheia, tem que ser relegado? Paralisado? Acho que não!

    Reply
  5. É tempo de … ?

    Essa expressão me lembra os tempos de infância quando sabemos que existem os “tempos de ..”

    E assim é tempo de bolinha de gude.

    ou é tempo de empinar pipa.

    ou é tempo de colecionar gigurinhas dos times da copa.

    Quem aqui ñ lembra dos “tempo de ” de nossa infancia ?

    Pois bem AGORA o mundo nos diz que É TEMPO DE OLIMPIADAS.

    Brasileirão o que é isso ?

    Reply
  6. Agora a Danielle Hipólito voltou ao Flamengo, mas quando as duas irmãs eram atletas do clube, cansei de ver entrevistas delas em que o nome do Flamengo nunca era lembrado, pra mim nenhuma novidade. Sem essa de parar o brasileirão, mais de duas semanas sem o Flamengo já é muito. E cá pra nós, a maioria desses esportes é um porre de se assistir.

    Reply
  7. Acredito que o nosso maior problema é o treinador. Dos times que brigam pelo título e Libertadores, o Flamengo e o Corinthians são os times que possuem os piores treinadores! Um time que é Márcio Araújo e mais onze fica difícil imaginar chegar longe.

    Reply
  8. Prefiro o Damião ao Vizeu. Vizeu vinha sendo muito criticado até o jogo contra o Atlético-MG. Foi nosso centroavante que mais jogou nesse campeonato. Quero ver como está o Damião.

    O Fla não tinha dinheiro pra pagar atletas de alto rendimento em 2013 e mandou todo mundo embora. Diego, Daniele e Jade não aceitaram um Fla sem dinheiro, eles argumentavam que o salário de um jogador de futebol pagaria toda a equipe de ginástica rubro-negra. O argumento de que cada esporte precisava ser auto-suficiente não os convenceu. O Fla se reorganizou e trouxe de volta Jade e Daniele. O Diego não quis vir. A mágoa permaneceu. Ele achava que merecia mais respeito depois de tudo que ele havia feito pelo Flamengo. Também achava que deveria ser grato a quem o acolheu após a dispensa do Flamengo.

    Reply
    • Daniel, sem a estrutura de ginástica montada (com sacrifício e paixão) pelo Flamengo no passado, a família Hipólito não teria tido condições de existir esportivamente. A família Hipólito não passou a existir com a Seleção Permanente de Curitiba, já existia antes dentro do Flamengo (e quem conhece as vielas da Gávea, sabe que se fala e respira muito mais em esportes olímpicos do que propriamente futebol). Mas se Diego omite, nega ou ignora seu passado, isso é problema dele, afinal, dali mesmo, daquele ninho de atletas da ginástica olímpica (atletas, professores, pais de atletas) sairão ainda outros ginastas que representarão do clube em Olimpíadas.
      Parabéns ao Diego pela medalha, e penso que depois da sua fase de atleta, como técnico ou professor, seus olhos não poderão se desviar da Gávea, então verá que ele é que deixou de ter relevância na história do clube, e não o clube deixou de ser engrandecido pela omissão dele. SRN

      Reply
      • A ginástica na Gávea meus amigos, para quem não conhece, é particularmente emocionante, e cheia de vida. Um dia estava conversando com uma das porteiras da portaria principal do clube, ela se despediu dizendo que já estava na hora de buscar a sua filhinha na ginástica…Momentos depois a vi em frente a FlaBoutique com a menininha com seu colã saindo dos treinamentos. Isso foi emocionante meus amigos, a filha de uma porteira do clube, potencial esportista de alto desempenho do clube…

        Reply
        • Nino, concordo com vc. A forma que ele, Jade e Danielle saíram foi muito feia. A Jade chorando (literalmente) em todos os jornais e os Hipólito conclamando entrevista coletiva reclamando que eles ajudaram a divulgar a marca do Fla no mundo e foram injustiçados… Bem igual o Luxemburgo na sua famosa entrevista “eles não entendem nada de futebol”! Por mim, não voltariam. Mas enfim, foi-se feito o convite e a Daniele e a Jade aceitaram. O Diego ainda tá nessa. É coisa do ser humano. Ano passado eu fui mandado embora de um emprego pois a empresa (uma corretora) sofreu demais com a crise financeira. Faz parte da vida. Até hoje falo bem deles e sou grato. O Diego pensa diferente.

          Reply
  9. Sabem qual a maior contradição nos ESPORTES ?

    É que quanto mais DIFíCIL for um esporte MENOR será os salários de que o pratica, inversamente quanto MENOS DIFíCIL for um esporte MAIORES serão os salários de seus praticantes.

    O motivo de INVERSãO é simples. Esportes difíceis terão POUCOS PRATICANTES e consequentemente POUCA audiencia e mídia, já os mais FACEIS terão uma MULTIDãO de praticante s, consequentemente MAIS MíDIA e PUBLICIDADE.

    As Olimpiades evidencia isso.

    A vida é ironica.

    Reply
  10. Quem falou foi o Levir e concordo com ele. No sábado vi o basquete e quando cheguei na casa da namorada lá pelas 17h, o ppv com o jogo do Flamengo não estava pegando.

    Felizmente, o Flamengo deu guarida a vários atletas do esporte “amador”. Não foi como outros clubes de futebol que tiveram remo, vôlei, basquete, natação, futsal e acabaram com essas modalidades e ainda deram calote nos atletas.

    No domingo, é Damião, Diego e mais 9.

    Reply
  11. Queria via a público aqui pedi desculpas ao Nino por ter passado um pouco do ponto no post passado e tê-lo ofendido ,me desculpe Nino estava irritado com o jogo do Fla e acabei estrapolando .Entendo que aqui é um “canal” de interatividade com os rubro negros e não de brigas e ofensas ,acredito que todo mundo aqui procura entender e tentar ajudar ao máximo o nosso Mengao . Abraço a todos e vamos discutir o nosso assunto favorito FLAMENGO.

    Reply
    • Não o xinguei só passei do ponto em relação ao seu comentário que falava que o Zé Ricardo era bom ouvinte de críticas ,somente isso meu caro.

      Reply

Comente.