Cumplicidade e tristeza

 (Fotos: Pedro Martins/MoWA Press)

(Fotos: Pedro Martins/MoWA Press)

Cumplicidade

Achei lindo o gesto de Tite presenteando Renato Augusto com uma pulseira, rigorosamente igual à que ele usa. Nada mais pertinente do que materializar o amor. O nome disto é cumplicidade que, produto é de um somatório de afinidade, confiança, admiração e carinho.

Já disse ao Renato e, repito aqui, que Tite me encanta como ser humano e como profissional.

Quase trabalhamos juntos. Naquela loucura de 2005, quando o perigo de ir para a segunda divisão era enorme, assumindo o futebol, Tite foi minha primeira opção. Não topou. Acho que imaginou que poderia estar entrando numa canoa furada. Entendi à época e, continuo entendendo. Felizmente, o Flamengo ressurgiu das cinzas e, de uma iminente degola, muitas conquistas. Penta-tri, Copa do Brasil e Campeonato Brasileiro.

Tite, ao mesmo tempo, acumulou títulos e chegou ao topo como treinador da Seleção Brasileira.

Diria mesmo, sem medo de errar, que Flamengo e Tite foram feitos um para o outro. Quem sabe um dia…


(Foto: Dhavid Normando / Futura Press)

(Foto: Dhavid Normando / Futura Press)

Tristeza

Poucas vezes, em se tratando de futebol, me senti tão mal.

Que coisa horrorosa este negócio de Leo Moura, pelo que li, recorrer ao judiciário, exigindo uma fortuna do Flamengo pelas horas extras trabalhadas.

Não quero aqui entrar no mérito da questão, embora tenha absoluta convicção de que cada um de nós escolhe o seu caminho e, há determinadas profissões que são atípicas.

Outro dia mesmo, comentava com alguns adolescentes que começam a pesquisar interiormente o querem da vida, que não há preço para o trabalho que é prazer.

Num tempo enorme nesta vida, como profissional do rádio, não tive sábado, domingo e, feriado. Até porque, exatamente nestes momentos, havia futebol. Já houve até um ano, no Mundialito do Uruguai, que Natal e Ano Novo foram fora de casa.

Não me arrependo de nada e dou graças a Deus de ter escolhido o caminho onde trabalho e prazer se misturavam.

Prefiro imaginar, até porque Leonardo Moura é um bom caráter, um ser sensível, que isto possa ser obra de algum mau conselheiro, provavelmente interessado em colocar algum trocado no bolso.

Leo, acorda!!! Não jogue para o alto a imagem que você construiu no Flamengo com amor e dedicação. E, a recíproca, foi verdadeira. Sempre!

Por favor, reflita…

1 Comentário

  1. Presidente.. realmente com muita tristeza e decepção que lemos hoje à notícia do Léo Moura…entrando na justiça para receber uns trocados do Flamengo. Que falta de caráter baseado em que o Flamengo diz ter pago tudo que lhe era devido como profissional. Onde a diretoria foi justa com o mesmo..lhe estendo a mão em 2005 quando o mesmo já havia passado por inúmeros clubes sem se firmar em nenhum. Os seus primeiros e principais títulos foram no flamengo. Um jogador que pra mim jamais foi ídolo mesmo com tanto jogos..mas o que mais me entristece é a ganância do ser humano. Será que esse rapaz não ganhou dinheiro suficiente quando jogava?? Será que a ingratidão tem sido o câncer que tem atingido a pessoas? Será que o dinheiro vale mais que uma imagem que ele mesmo construiu por 10 anos?? E a justiça será injusta a ponto de lhe conceder valores reclamados enquanto ele estava descansando para fazer o que gosta em hotéis de grande qualidade?? O Brasil mais que qualquer reforma..precisa urgentemente rever valores, caráter. Leo Moura não precisava disso. Tomará Deus que a justiça não seja injusta a ponto de lhe conceder esses trocados. E é por essas e outras que o Brasil tem 12 milhões de desempregados , que empresas e respectivos empresários irão querer gerar emprego em um país de leis tão absurdas e tão injustas, com encargos absurdos como o nosso. Por isso muitos estão saindo, deixando de investir nesse país. Leonardo Moura..vc não precisa de passar por tão grande ridículo. E nem vou dizer que está mal assessorado.. está sim com valores de caráter deturbado. Belíssimo exemplo está dando para crianças que sonham em um dia ser um jogador..dinheiro.
    Dinheiro..dinheiro. é por essas e outras que vimos um certo jogador chamado Artur Antunes de Coimbra..ser exemplo em tudo, esse sim, o verdadeiro ídolo. Triste, com pessoas como Leonardo Moura e com o Brasil.

    Reply
    • Liliano, o tempo em que o Atleta amava o clube e o clube amava o atleta acabou faz tempo. Hoje é tudo “profissionalismo”. Ninguém está nem aí mais para o clube. A base hoje é objeto de tanta especulação que já nem se pode mais considerar que ali estarão os futuros jogadores. Quem pode mais, manda mais. É a lei do capitalismo, amigo.

      Esse rapaz nunca passou de um jogador mediano, nada mais que isso. Mas dizer que amou o Flamengo, é pura balela. Até Adriano e Petkovic fizeram o mesmo e circulam livremente pelos corredores da gávea e do ct ninho do urubu.

      Hoje, infelizmente, ninguém está mais nem aí para o clube. Veja o caso do Ronaldinho Gaucho que chegou dizendo realizar o sonho de jogar no Flamengo, aliás, todos dizem isso, mas só depois de garantirem o melhor contrato entre os que os disputam. Fazendo média, caro amigo, nada mais que isso.

      Reply
  2. Companheiros do Blog:
    E, no entanto…
    Comandante que livrou o Flamengo de uma ” iminente degola”: Joel Santana.
    Comandante que, durante 17 rodadas, deixou o Atlético, naquele mesmo 2005, em último lugar, viabilizando a degola do time mineiro: Tite.
    Saudações,
    Carlos Cazé.

    Reply
    • Cazé, esqueceu a parte em que ele ganhou tudo no Corinthians e o que anda fazendo de bonito na Seleção Brasileira.

      Ninguém nasce sendo estrela, amigo. Tem que ralar primeiro.

      Reply
      • Prezado Hélder:

        Não, não esqueci, amigo. Ocorre que o texto se reporta ao ano de 2005, simplesmente. Então, também muito simplesmente,fotografei aquele ano na sua inteireza, e parece-me que vale pela reflexão quanto à relatividade, no futebol.
        Contudo, o que me parece não ter nada de relativo, é o injusto tratamento que Joel Santana tem recebido de muitos rubro-negros: é absolutamente inaceitável. Joel deveria, a meu ver, estar na Gávea, seja em que função for. Experiência, talento, competência, ótimo nas relações inter-pessoais: como desprezar alguém assim?
        Saudações,
        Carlos Cazé.

        PS:Aliás, sempre que um de nós, rubro-negros, gozarmos os vascaínos, pela série B, convém que nos lembremos desse nome: Joel Santana. Ou não?

        Reply
        • Meu amigo, Joel Santana faz parte do nosso folclore. É um ser humano maravilhoso. Duvido que alguém não goste da sua pessoa. Como treinador de futebol acho-o limitado e tenta levar a coisa na base do “vamo que vamo”. Não sei o que ele poderia acrescentar ao nosso futebol fazendo parte de uma comissão técnica ou da diretoria.

          Reply
  3. Caro Kléber e amigos! Hoje respeito mais o Tite e sou fã do Renato Augusto, que espero um dia vê-lo de volta na sua verdadeira casa. No caso do Tite, pela minha vaga lembrança, creio que ele fez grande trabalho especialmente no Corinthians. Gostaria de dizer que Tite e Flamengo nasceram um para o outro, mas, prefiro não me iludir. No caso do Léo Moura, além de ATO COVARDE, considero também de mau caratismo, sendo neste caso, o pior de todos, ou seja, deu um tempo, fez silêncio e depois apunhalou pelas costas. Deveria ter cobrado essas horas por onde andou, seria mais compreensível agora. Deveria ter cobrado antes do jogo de despedida, sendo assim, não se faria uma festa para um traidor. Lamento se de fato tudo for verdade e reforço neste caso, tudo que penso e que acabo de escrever nesse texto. Lamentável Léo Moura! Se você foi seduzido por alguém, pior ainda, pois prova o tamanho da sua fraqueza. O seu farto salário foi pago por pessoas que talvez quiseram lhe prestigiar em dias de jogos e talvez em momentos de sacrifícios financeiros. Horas extras em hotéis de luxo e com elevada fama, isso, graças ao Flamengo. Só posso lamentar e torcer para que a notícia seja falsa. SRN

    Reply
  4. Não sou contra alguém reclamar direitos trabalhistas se estes, obviamente, são devidos. Seríamos hipócritas se criticássemos essa atitude dele só por criticar, pois todos que se sentem lesados fazem isso. Mas considerando que o Flamengo vem sendo extremamente correto nos ultimos anos, pelo menos desde que os blues assumiram, achei covardia do Léo Moura essa atitude, pois quando precisou do Flamengo, o clube lhe estendeu a mão. Agora, por causa de algumas migalhas, duvido que chegue a 10 milhões, vai sujar sua passagem pelo Flamengo, embora eu nunca o achei lá grandes coisas, sempre foi um jogador regular, mas nunca um jogador de seleção, tanto que só vestiu a amarelinha uma única vez e num amistoso para substituir outro lateral que se machucou na época.

    Reply
  5. A gente vai no embalo e se esquece que o assunto aqui é Tite.
    Eu, particularmente, sou fã desse treinador. Acho-o, disparado, o melhor treinador que temos no Brasil desde 2012. Achei uma covardia da CBF não o colocar para comandar o Brasil na copa aqui em nossa casa. Deu no que deu.

    Eu, também, caro Kleber Leite, gostaria muito de ve-lo comandando o Flamengo. Acredito que ele ajudaria demais a formarmos um dos melhores elencos do país além de sua inegável capacidade de saber orquestrar muito bem a postura e a forma de jogar de cada um em campo.

    Lí hoje que uma de suas armas nesse momento na seleção é usar os jogadores mantendo-os na mesma posição que jogam em seus clubes, aqui ou fora do Brasil. Talvez esteja aí uma boa parte do seu sucesso imediato na seleção, não inventar para não complicar. Saber usar a capacidade de cada um respeitando o que já fazem em seus respectivos clubes.

    Mas infelizmente não poderemos ver essa ideia se materializar tão cedo. Mas, quem sabe, um dia desses esse casamento acontece.

    Reply
  6. Tite cara do Flamengo? Sinceramente KL queridão! Tite é justamente a antítese do espirito rubro-negro. Acho que o Luxemburgo que vc trouxe em 95 tinha mais ou menos esse perfil do Tite atual.

    Reply
    • ô louco Nino, aí não, amigo. Luxemburgo não tem nada a ver com Tite nem ontem nem nunca. Tite é polido nas palavras, no trato com os jogadores e até com a imprensa. Viu o Luxemburgo no “Bem Amigos” de segunda passada? Cria confusão por qualquer coisa. Ele parece querer sempre ter a razão. Olha, chamar de corrupto um esporte num país onde corrupção é punida com a pena de morte foi um tremendo bora fora do Luxa. Esse aí é outro que precisa se reinventar.

      Reply
  7. Caro Kleber: senti-me obrigado a comentar. Vivemos tempos difíceis como sociedade. Lealdade, seriedade, parcerias, tudo isso é jogado no lixo com a maior facilidade em troca de uns caraminguás.

    Alguns, ao tomarem conhecimento das cifras que o futebol movimenta, ficam horrorizados e reclamam, diante de valores que acham absurdos. Não penso assim. Falamos da paixão de milhões de pessoas e quem se expõe neste mercado deve ser devidamente remunerado.

    Digo isto pra registrar que tenho certeza que Léo Moura sempre recebeu o valor merecido por ser o maior ídolo do maior time do mundo por praticamente dez anos.

    Dez milhões? Hora extra? Isso é sério? Só pode ser piada, de péssimo gosto.

    Comecei a trabalhar com 12 anos, dando aulas de informática. Sem carteira assinada. Com 14 assinei minha primeira carteira. A última vez que tive carteira assinada foi em 2006. Ela está em aberto até hoje, sem ter sido dado baixa quando saí do jornal em que trabalhava.

    Os “direitos trabalhistas” que acumulei desde então certamente me resolveriam uma parte da vida. Mas isso é coisa de gente sem caráter, sem princípios, sem vergonha na cara. Morrerei com o orgulho de nunca, jamais, em hipótese alguma sacanear gente que abriu portas pra mim.

    Tua experiência na rádio é didática neste sentido. Certas profissões nos trazem bônus maravilhosos. O jornalismo é uma delas. Tu fostes pelo jornalismo esportivo e construiu uma história maravilhosa no esporte brasileiro. Eu tento o mesmo caminho, tendo feito minha trajetória no jornalismo político.

    Mas profissões assim também trazem o ônus. As noites insones, a falta de horários ou de datas comemorativas. Quem dirá o futebol e seus milhões de dinheiros como justa recompensa.

    Siceramente, torço que Léo acorde e perceba a bobagem que fez. Sua história no Maior do Mundo é grande demais pra ser jogada no lixo desta forma.

    Por fim, que a atual geração também acorde. Volte aos bons princípios. Desista, de uma vez por todas, dos atalhos falaciosos para o dinheiro e para o sucesso.

    O único lugar do mundo em que Sucesso aparece antes de Trabalho e Lealdade é no dicionário.

    Abraço a todos!

    Reply
  8. Caro Kleber, duas situações tão antagônicas , tão relacionadas ao momento de ambos personagens que chegam a chocar.
    Tite é a personificação do profissional bem sucedido, que trilhou com sabedoria um longo caminho e que soube se qualificar tecnicamente e emocionalmente, sua inteligência emocional faz a diferença e a cabeça de quem o cerca , o cara é um líder nato !!!
    Já o Léo Moura ,que esta em fim de carreira como jogador e poderia agora deliciar-se como um ídolo do maior time do Brasil e quem sabe abrir várias portas no Flamengo em outra função toma uma atitude imediatista , desnecessária e irracional como essa . Acredito , como você bem falou ,que ainda de tempo de voltar atrás e consertar essa lambança. Lamentável , triste e inconsequente , falar o que?

    Reply
  9. Eu vi ontem o jogo Peru x Argentina. Incrível como o Guerrero jogou bola. Sozinho acabou com a zaga da Argentina, fez um golaço e ainda cavou um pênalti. Se ele jogar assim pelo Flamengo ficarei bem feliz.

    Reply

Comente.