Dúvida, impaciência, incerteza e esperança

(Reprodução da TV)

DÚVIDA

Passado o momento da emoção, com os nervos e coração na mais absoluta ordem, fiquei matutando… O pênalti, ou a penalidade máxima – e o nome já diz tudo – é tão letal que, para marcar, o árbitro tem que ter convicção absoluta. Na dúvida, qualquer soprador de apito deixa o jogo rolar, pois um erro deste tamanho poderá ter uma influência decisiva no resultado do jogo. Partindo desta premissa, é difícil entender a marcação do pênalti de ontem.

Como é que alguém pode ter certeza de alguma coisa que não viu? Sim, porque se a bola foi de encontro à barriga de Renê, e lance mais claro é impossível, como o nosso folclórico “Índio” pode ter certeza de algo que não existiu?

Outro detalhe que causa espanto é o fato de o árbitro ter o recurso eletrônico para se comunicar com seus inúmeros auxiliares e, ainda assim, tenha cometido erro tão bisonho. Caramba, são dois bandeirinhas, mais dois espiões de linha de fundo, além do auxiliar que levanta a placa de substituição. E, ninguém viu o que realmente aconteceu? Muito estranho…


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

IMPACIÊNCIA

Paulo César Ferreira, conselheiro e polêmico rubro-negro, um belo dia teve uma tirada simplesmente genial: “uma coisa, é uma coisa. Outra coisa, é outra coisa.” A colocação de uma simplicidade Maracaneana, é pragmática, ao extremo. Vamos ao nosso tema que tem tudo a ver com o que acabo de colocar.

Todos sabem de que tamanho vejo o Flamengo. Seja lá para o que for, há de se pensar grande e sempre na melhor das soluções. Pensando assim, foi possível em 1995 trazer para o Flamengo o melhor jogador do mundo. Claro que, ante esta premissa, quem vier me perguntar que treinador gostaria de ver no Flamengo, certamente espera como resposta, no mínimo, Pep Guardiola… Aí é hora do “uma coisa, é uma coisa. Outra coisa, é outra coisa.”

Pelos comentários, e todos de excelente nível, noto que há uma quantidade significativa de torcedores rubro-negros incomodados com a presença de Zé Ricardo no comando do time. Uma coisa, é querer o melhor do mundo para o Flamengo. Outra coisa, é poder ter o melhor do mundo no Flamengo. Por isso mesmo, restritos estamos ao mercado interno, e a este ou aquele treinador do continente sul-americano e, no atual contexto, neste momento, não vejo nenhum nome disponível que, se dirigente fosse, me comovesse na tentativa de brigar muito por esta contratação.

Pode ser que a maioria tenha razão quando fala da inexperiência de Zé Ricardo. Posso, lá atrás, já ter concordado. Só que agora Zé Ricardo está mais maduro, mais pronto, mais confiante em si mesmo. Gosto da figura dele. Treinador de um grande clube, a meu conceito, tem a obrigação de ter um bom poder de comunicação, ter uma boa imagem, pois sendo o profissional mais assediado pela imprensa, não deixa de ser um porta-voz do clube ou, quase que uma marca, um símbolo…

Zé Ricardo me passa firmeza, como ser humano e como profissional. No que diz respeito ao seu desempenho, os números são altamente favoráveis e, é bom não esquecer que, por uma série de circunstâncias, quase que todas as contratações ocorreram sem que ele tivesse indicado.

Enfim, acho que hoje temos um treinador mais maduro, quase pronto. Como não gosto de ficar em cima do muro, achei importante colocar o que penso. Claro que, com todo respeito a quem pensa de forma diferente. A estes companheiros e amigos do blog, peço um pouquinho mais de paciência com o nosso treinador.


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

INCERTEZA

Esta palavra deve estar na cabeça de muitos rubro-negros no que diz respeito a alguns jogadores. Já disse e repito que, no cenário nacional, o Flamengo tem um bom elenco e, em função disso, duvido que tenha uma participação ruim em qualquer campeonato longo, como, por exemplo, o Campeonato Brasileiro. A certeza de título, já é outra história…

Em competições mais curtas ou eliminatórias, como Carioca, Copa do Brasil e Libertadores, o time pesa mais. Por isso mesmo começo a me questionar com relação a alguns jogadores. Mancuello é o primeiro. Afinal, que instrumento toca o argentino? Ontem, a tentativa de, numa eventualidade, ser ele o substituto de Diego, foi frustrante e preocupante. E o Berrío? Sei lá… apesar do belo gol de ontem, demonstra muito pouca intimidade com a bola, sendo a velocidade a sua única arma disponível. Muito pouco…

Tenho o pressentimento, e é puro palpite, que um ou dois garotos vão resolver o problema do Zé Ricardo. Até por uma questão de coerência com o que penso, VINÍCIUS JR, JÁ!!! Até porque, ele também precisa amadurecer, e jogador só amadurece jogando…


ESPERANÇA

Ainda não tive nenhuma informação sobre a reunião entre a Odebrecht e o Governo do Estado. Embora no momento o panorama seja nebuloso, com perspectivas remotas de um casamento Flamengo e Maracanã, confesso que não me conformo com isso.

Há quem defenda a tese de que o Flamengo deve partir para a construção do seu estádio próprio. Tudo bem, é um ponto de vista. Agora, algumas perguntas são necessárias. Em quanto tempo este estádio estará em pé, passando antes pela aquisição do terreno, criação e aprovação de projeto, e construção? A pergunta seguinte é simples: enquanto isto, vamos ficar jogando onde? Na Ilha? Tudo bem que um jogo ou outro, sim. Mas, e os jogos pra arrebentar? Oitavas, quartas, semifinal ou final de Libertadores, jogamos onde?

Não discuto a construção do estádio próprio. Discuto, a vida do Flamengo não parar enquanto este estádio não for construído. Respeito e admiro o presidente Eduardo Bandeira de Mello e toda sua impecável diretoria, mas há de se pensar este tema com mais prudência e pragmatismo do que com emoção.

Hoje, embora o Maracanã dependa basicamente do Flamengo, também somos dependentes dele. Amanhã, pode ser outra história. Hoje, mesmo tendo que “engolir sapo”, sem o Maraca, não dá…

1 Comentário

  1. Kleber, vou avaliar o Flamengo somente nos jogos importantes (estadual está fora, pois a diferença de motivação nossa e do adversário é gigante):

    – Na Libertadores, goleamos o San Lorenzo e se não fosse a falta de capricho nas finalizações (ou de sorte mesmo), o Flamengo teria vencido bem a Católica. Nos dois jogos foi muito superior aos adversários e as estratégias do Zé Ricardo foram acertadas. Se perdeu, o treinador não teve nada a ver, pois o time colocou 2 bolas na trave, fora os gols perdidos.

    Claro que fica a preocupação da postura e falta daquele futebol que todos gostamos, mas contra adversários inexpressivos fica complicado avaliar.

    E se sair o Zé Ricardo, quem trazer? Cuca parou, Dorival Jr empregado, Luxemburgo nem de graça, Guardiola, San Paoli, Mourinho não estão na realidade do Flamengo.

    Reply
  2. Kleber,
    O Flamengo precisa oferecer um bom projeto ao Cuca, esse sim é um excelente treinador e está livre no mercado. Está há quase 4 meses sem trabalhar, as vezes já resolveu o seu problema particular. Esse sim é o nome ideal para comandar esse elenco, que consideramos bom para a sequência do ano.
    Quanto ao Zé Ricardo, estamos tendo toda a paciência do mundo, o que ele apresentou de mudanças em relação a treinamentos e parte táctica do ano passado para esse? Quantas jogadas ensaiadas e variações nós temos?
    Não pode um treinador como esse aprender a ser treinador no Flamengo. Ficamos 4 anos com times medíocres e quando a direção consegue montar um elenco mais ou menos, não temos um comandante a altura.
    Essa sua paciência vai acabar quando ficarmos sem carioca, primeira liga e libertadores.
    Quanto ao estádio, não há dúvidas que temos que construir nossa própria casa. A Arena na Ilha pode ter sua capacidade aumentada para no mínimo 30 mil pessoas(Antiga Arena Petrobras possuía essa capacidade), quem sabe até mesmo uma capacidade maior. Aumentando para algo em torno de 35 mil pessoas, acredito que seja suficiente para os 3 ou 4 anos de construção de um estádio novo.

    Reply
    • Fellipe, presta atenção no jogo, pois logo na saída o Flamengo faz uma jogada ensaiada com o zagueiro subindo e outro lançando a bola.

      Nas laterais, um zagueiro fica na entrada da área para explorar a jogada aérea ofensiva. Já nas ultrapassagens, o Pará abre, o Arão passa e o Mancuello centraliza.

      Ontem mesmo, quando estava 1 a 0 ou 1 a 1, o Márcio Araújo ficou de terceiro zagueiro e os dois laterais avançaram formando um 3-4-3 (o Barcelona joga assim desde a vitória sobre o PSG).

      As faltas são bastante treinadas e estão na Fla TV. Fora os gols do Diego e Guerrero, além das bolas na trave.

      Pode falar o que for do Zé Ricardo, mas não da falta de jogadas ensaiadas.

      Reply
      • Isso do 1ºvolante ficar como 3º zagueiro é praxe,não é nada de ensaido que surpreenda o rival,é uma velha e conhecida forma de saída de bola,Oswaldo,Luxa e outros faziam assim tbm.A do zagueiro subir e outro lançar é outra coisa normal,aliás isso acontece quando a saída de bola pelo meio está difícil,oq no Fla sempre está,pois os jogadores ficam distantes um do outro,levando a chutes frenéticos pra frente.E,francamente,ñ existe time que não treine falta,isso é básico do futebol…….

        Se entende como jogadas trabalhadas,triangulações com toques curtos e rápidos que terminem com o atacante infiltrando e recebendo o último passe na cara do gol,isso é resultado de treino,mas o time só apresentou algo parecido no 1ºjogo do ano contra o BOAVISTA,veja novamente o gol de Trauco na época.FOI a única jogada trabalhada que vi nesse time,depois nunca mais.Compactação,triangulação,infiltração e crianção de jogadas diferentes de chuveirinhos no último terço de campo não existe nesse time,e,apesar de erros de atacantes,isso explica o ataque nível ponte preta que temos desde 2016.O fla fica devendo em todos esses atributos,essenciais para a criação de jogadas de gol,isso não é de hoje. Não é só eu que digo isso,especialistas tbm já alertam como André Rocha e Carlos Mansur.Mas o tempo vai mostrar que dessa maneira o único título que pode conseguir é um carioquinha,continuando o jejum de títulos importantes desde o achado de 2013,mesmo com todo o investimento feito.

        Reply
  3. Kleber,
    concordo plenamente em relação a Zé Ricardo, Maracanã e ao time. Alguns jogadores, tipo Mancuello, Damião, Aron e Vaz têm jogado abaixo do padrão exigido em competições como Libertadores e Brasileirão. Basta só observar como o Flamengo tem dificuldades em partidas decisivas relevantes. Perdeu a maioria.
    Outra coisa: Muralha não é aquele goleiro que se imaginava. E, disparado, é o pior pegador de pênaltis dos últimos tempos do time. Será que se treinar um pouco mais não dá uma melhorada?

    Reply
  4. Prezado Kleber

    Acredito que a falta de paciência com o Ze Ricardo não tem a ver com resultados e sim como o time joga, hoje vivemos de bolas jogadas na área, e quando o Diego não joga o meio de campo fica nulo. E acredito que o ZR seja o tipo de Treinador que morre abraçado ao jogador que ele acredita, (visto Rafael Vaz) mesmo sendo essa minha opinião compartilho do pensamento que não temos nada melhor no mercado, pois o Cuca deixou claro que não trabalharia nesse ano e caso mude de ideia a preferencia e o Palmeiras

    Reply
  5. REPITO AQUI AQUELA FRASE, GAROTOS GANHAM JOGOS, HOMENS GANHAM TÍTULOS, E NOSSO TREINADOR E GAROTO NA PROFISSÃO,FOI ASSIM ANO PASSADO, FICAMOS NO QUASE, E ESSE ANO COM ZR ESTAMOS INDO PARA O MESMO DESTINO INFELIZMENTE.

    Reply
  6. Prezados. Presidente Kleber.
    Não vejo qualidades no Zé Ricardo para se tornar um treinador TOP, e olha que ele treina um dos melhores elencos do país. Tem pouco repertório tático, dificuldade extrema de fazer leitura de jogo e substituir de forma eficaz. Os resultados estatísticos são enganosos demais, pois tem origem na qualidade individual do elenco. Quase igual avaliar o trabalho do Marcelo Oliveira no Atlético MG/2016 apenas nos números, ficou em 4º no BR e foi finalista da Copa BR, por méritos do grupo.
    Gosto do LEVIR CULPI, que salvo engano está sem clube. (O IDEAL, considerando a molecada que está surgindo, seria o Dorival Jr.) E não me venham com papo De “medalhão”, pois os treinadores TOPs que passaram recentemente pegaram elencos horríveis, sem estrutura física e caos financeiro.
    Mas, por outro lado, parece que o grupo e a Diretoria gostam do Zé Ricardo. Este seria o fator complicador em eventual mudança.

    Quanto ao estádio, penso que somente uma RUPTURA total trará benefícios ao Flamengo… Recuar, ao menos neste momento, seria um equívoco estratégico de negociação – deixem que eles, os franceses, procurem o Flamengo. A postura da torcida e pessoas influentes no clube tem que ser essa, de apoiar a atual Diretoria, certos de que recuar é perder moral na negociação.
    Certo de que tem que partir para a construção de um ESTÁDIO PRÓPRIO (acho que isso é unânime), nos próximos 6 anos faria acordo para jogos pontuais no Maraca e o resto mandaria na Ilha (dependendo do desempenho TÉCNICO nos ventos uivantes, mandaria todos os jogos do BR por lá – tirando os clássicos – evitando o equívoco do ano passado, de ter saído de Cariacica para o desalmado “NewMaracanã”).
    Se o “NewMaracanã” for caro, que mandem as finais de Libertadores (se chegar!) no Pacaembú.

    Reply
  7. Em relação ao jogo esse ano bem mais do que os anteriores quero que acabe esse confuso e defasado Campeonato carioca o quanto antes, o Flamengo não pode jogar para 4 mil torcedores nunca e quando isso acontece demonstra a total falta de interesse do público e o quanto o produto oferecido é ruim.
    Prefiro esperar mais um pouco com relação a Berrio…Agora como temos tido dedo podre na escolha de nossas contratações Argentinas nos últimos tempos e vejo que infelizmente Macuello é mais uma.
    Com relação a estádio repito o que sempre digo aqui…DEVEMOS OLHAR PARA FRENTE!!E Maracana por mais que tenhamos nossas glórias e conquistas NUNCA será nossa casa, o máximo que podemos ser é um inquilino de luxo.
    E nesse quesiti discordo das palavras do Kleber quando diz “Respeito e admiro o presidente Eduardo Bandeira de Mello e toda sua impecável diretoria, mas há de se pensar este tema com mais prudência e pragmatismo do que com emoção” nesse caso vejo que agindo com a emoção seria engolir qualquer acordo imposto por quem quer que seja e vejo essa diretoria agindo sim com a razão.
    Assim Como MINEIRAO não é de Atlético e nem do Cruzeiro, E Pacaembu não é de nenhum dos clubes vejo o Maracana dessa forma como sendo um artigo do Estado.
    Essa mesma diretoria acertou em cheio na MINHA opinião em preparar uma arena mesmo que provisória e agora sim correr atrás da casa própria.
    Vejo que se não for agora quando teremos nossa casa em definitivo ?

    Reply
  8. Lembro que a capacidade da Vila Belmiro é menor que 20 mil pessoas e a quanto tempo o Santos Joga lá?
    E porque não podemos adotar a Ilha como nossa casa mesmo sendo em grandes jogos?
    Entendo que a ilha na libertadores só pode ser usada até uma determinada fase…Vamos para Brasília. ..natal…ou pacaembu se for o caso! Mais desde que tenhamos uma perspectiva de um futuro melhor em relação a casa própria.

    Reply
  9. Kleber creio que é uma dúvida de muitos rubro negros, everton ribeiro vem ou não? Caso venha onde jogaria? E o jogador que precisamos? Ou uma opção de mais renome na defesa seria o melhor investimento?

    Aguardo sua resposta, obrigado.

    Reply
    • Amigo José,
      Se vier, escolhe camisa em qualquer lugar do meio (tirando a 35 do Diego, lógico)… Penso que ele pode entrar no lugar e atual função do Mancuello, formando o quarteto de ataque com Diego, Everton Ribeiro, Everton e Guerrero.
      E o D.Conca e Ederson, após se recuperarem, serão ótimas opções para substituir os dois. Dando certo essa contratação e retorno do pessoal do D.M., tentaria por o Mancuello na real posição dele, que é similar ao do W.Arão, só que pela esquerda… Arão, por sinal, cada partida pior!

      Reply
  10. Caro Kleber e amigos,
    Vou fazer meus comentários dentro da estrutura do título do post, assim, entendo que fica até mais seguir a linha de raciocínio do post.
    Duvida: particularmente entendo que o arbitro se deixou levar pela cobrança inicial dos jogadores do Vasco e mesmo sabendo que estava errado, não quis recuar. Talvez, ficasse com medo de repetir o mesmo episodio que ocorreu ano passado no Fla X Flu. Se foi isso, somente ele sabe, o que não se pode conceber é a quantidade de auxiliares que não viram “nada”. Também, o manifesto contrário dos jogadores do Vasco foi de pouca intensidade. E não poderia ser diferente. Foram agraciados com um empate com sabor de vitória. Minha única dúvida é se na preleção do vestiário do Vasco o arbitro estava junto.
    Impaciência: tenho um enorme respeito pelos amigos que escrevem neste blog, que diga-se, são sempre de alto nível e algumas colocações são difíceis de apontarmos que estão incorretas. Entendo perfeitamente os questionamentos e todos tem meu respeito e acima de tudo admiração. Pessolmente, vou numa direção um pouco contrária, não sei se com a maioria ou minoria, porém, a que me parece confortável e que não me trás qualquer constrangimento. Eu gosto do Zé Ricardo. Primeiro, pela personalidade que me parece ser do bem e segundo, porque seus números não são devedores, comparados a tantos outros que passaram e foram tímidos (vamos usar esse termo). O primeiro grande problema do Flamengo é fazer o GOL. Isso tem sido o grande X na minha opinião. Vou manter minha coerência, primeiro respeitando pensamentos em contrário e em seguida, mantendo um voto de confiança no trabalho. Nomes melhores que ele existem? SIM! Era hora de mudar? Eis a questão. O Zé Ricardo por enquanto apenas não tem grife. Por enquanto…
    Incerteza: minhas incertezas começa no GOL. Não tenho plena confiança no Muralha. Os demais, como sejam, MANCUELLO, BERRIO, por exemplo, são por enquanto uma interrogação, mas, nada que um pouco de tempo não os ajude. O Berrio está em fase de adaptação, enquanto o Mancuello fez bons jogos esse ano. É esperar mais um pouco.
    Esperança: O Flamengo e Maracanã nasceram um para o outro. Que esse amor não acabe se transformando num caminho sem volta. As partes conversar sem veneno, sem espadas e sem arrogância. Em tudo, equilíbrio e bom senso. Nada mais que isso.
    SRN

    Reply
  11. I) Painel Tático

    No twitter gosto muito de acompanhar @leoffmiranda com seu painel tático e ontem justificou muito bem ‘como um time como o WasCoo’ conseguiu igualar e até ter por muitas vezes maior volume de jogo, contra um meio campo do Flamengo, que foi escalado com três volantes.

    Em um momento ele cita:

    “o Flamengo vem tendo dificuldades para construir jogadas. … time fica lento e não consegue progredir ao campo de ataque.”

    “cria-se um grande vazio no meio, compensando com os lançamentos dos zagueiros. Quando Vasco ganha a segunda bola, gera problemas na defesa.”

    II) Alô Zé Ricardo!!!

    Quanto a Mancuello, eu já tinha lido uma entrevista do seu ex técnico, e resolvi resgatar, e quem quiser pode jogar no google:
    “Técnico do Independiente explica como Mancuello pode render mais no Fla” , e ele disse: “Mancuello deve jogar como um segundo volante, ou um meia interior posicionado à frente do primeiro volante. E projetando-se ao ataque, preferencialmente, pela meia esquerda.”

    Não esquecer que Berrio fez suas melhores partidas também pela esquerda. Por que não existe troca de posições durante o jogo com o Everton?

    III) Por fim, quanto ao estádio: vem pra Nikity.

    SRNs

    Reply
  12. Presidente, o Ze Ricardo trm boa imagem, e educado, parece gente boa mas nao esta pronto. Obtime sempre recua para garantir resultado, nao atua com aquela vontade de vencedor e as escolhas dele sao muito questionaveis. Com ele nao vamos a lugar nenhum.
    A diretoria e fraca no quesito futebol, pois ninguem que esta la e do ramo. Logo, todas as contratacoes garimpadas dao errado e na duvida( DuduxCirino, por ex) eles escolhem errado. Mancuello e Berrio sao fraquissimos e nao foi falta de aviso.
    Quanto ao estadio, a casa propria e imperativo para qq time grande. Enquanto isso, e Ilha ou jogar esporadicamente no Maracana ou ainda esperar uma outra diretoria menos recalcada do Bosta e jogar no VaZiao. Mas a nossa casa tem que acontecer. Ja passou do ponto.
    Henrique, meu amigo,queria ver que jogadas ensaiadas vc ve na fla-tv. Deve passar apenas la pq dentro de campo, que eu vejo 4f e sab ou dom, o time tem posse de bola mas rida de um lado pro outro e joga na area esperando que alguem desvie. Aquelas ultrapassagens, centros da linha de fundo, infiltracoes de quem vem de tras, isso e rarissimo, bem como os escanteios sao de uma pobreza atroz.
    Mas espero sinceramente ve-las na partida contra o Patetico Paranaense aqui pois e um jogo decisivo.

    Reply
  13. Caro Kleber. Perfeita a sua análise. Penso igual a você.
    Dúvida: Realmente, muito estranho.
    Impaciência: Criaram esse estigma com o Zé Ricardo igual ao Márcio Araújo. Com relação ao Márcio, alguns já entenderam a sua importância. Quanto ao Zé Ricardo, tenho certeza, acontecerá o mesmo.
    Incerteza: Eu não tenho a menor dúvida. Já mostraram que não são jogadores para o nosso querido Flamengo. Conseguiram trazer um outro Cirino, porém, piorado.
    Já postei aqui por diversas vezes que não temos atacantes. Temos 3 centroavantes com características muito parecidas. Temos que ter atacantes mais incisivos e dribladores. O Vinícius Jr. poderia ser testado na Copa do Brasil.
    Esperança: Perfeito. Nada a comentar.
    Um abraço.

    Reply
  14. Kleber, complementando a minha opinião, gostaria de deixar aqui a minha opinião a respeito de algo muito importante, qual seja:
    Há muito tempo não vejo um time tão unido e com uma garra impressionante.
    Isso é trabalho do treinador. Se um plantel não acredita no seu comandante, seria muito diferente. Como exemplo, posso citar o Muralha, que saiu do seu gol e foi comemorar o 2º gol pulando e abraçando o Zé Ricardo.

    Reply
  15. Boa noite Kleber e companheiros de resenha neste blog.

    Concordo com o Kleber, nosso treinador se não é Ainda acima da média, tem números a seu favor, bem como o time, quer queira quer não, apresenta um esquema definido, jogadas ensaiadas, cena minha avaliação ele precisa somente ser mais enérgico, cobrar mais a equipe de forma contagiante, cortar os lançamentos excessivos da saga, como nada e perfeito e como não gostaria de ver celso Roth, Cristóvão Borges, Adilson batista e outros disponíveis no mercado à frente da comissão técnica do Flamengo me dou por muito satisfeito.

    Há de se destacar Ainda e vale como exercício para a memória, que não perdíamos desde outubro/16 e só perdemos porque quis os Deuses do futebol que a bola não entrasse no Chile, crucificar o treinador por isso eu não tenho como concordar.

    O que falta nesse time e um líder, um cara que imponha respeito, tenha uma liderança positiva, mais que os adversários respeitem, alguém que cobre com veemência quando preciso, alguém que de um sacode no Arão quando ele ficar displicente, que puxe a orelha do Vaz no segundo lançamento equivocado e nos chutes descabidos…..

    Hoje pela disposição o time e massarajo e mais 10….

    BERRIO, o Cirino colombiano….sem comentários.

    VIZEU JÁ, #foradamiaocone

    SRN

    Reply
  16. Já externei minha opinião anteriormente sobre o Ze Ricardo achando que ele um bom técnico. Ele não tem culpa se o sistema defensivo inteiro falhou.Rever individualmente perdendo a bola, Marcio Araújo demorou a dar o combate direto ao Nenê achando que a bola ia para fora,Rafael Vaz se posicionou muito mal para uma bola vindo em curva,René desistiu de acompanhar o Picachu e o nosso Muralha qdo decidiu sair para interceptar o cruzamento já era tarde demais.
    PS.Alguém viu o Mancuello jogando.

    Reply
  17. Isso do 1ºvolante ficar como 3º zagueiro é praxe,não é nada de ensaido que surpreenda o rival,é uma velha e conhecida forma de saída de bola,Oswaldo,Luxa e outros faziam assim tbm.A do zagueiro subir e outro lançar é outra coisa normal,aliás isso acontece quando a saída de bola pelo meio está difícil,oq no Fla sempre está,pois os jogadores ficam distantes um do outro,levando a chutes frenéticos pra frente.E,francamente,ñ existe time que não treine falta,isso é básico do futebol…….

    Se entende como jogadas trabalhadas,triangulações com toques curtos e rápidos que terminem com o atacante infiltrando e recebendo o último passe na cara do gol,isso é resultado de treino,mas o time só apresentou algo parecido no 1ºjogo do ano contra o BOAVISTA,veja novamente o gol de Trauco na época.FOI a única jogada trabalhada que vi nesse time,depois nunca mais.Compactação,triangulação,infiltração e crianção de jogadas diferentes de chuveirinhos no último terço de campo não existe nesse time,e,apesar de erros de atacantes,isso explica o ataque nível ponte preta que temos desde 2016.O fla fica devendo em todos esses atributos,essenciais para a criação de jogadas de gol,isso não é de hoje. Não é só eu que digo isso,especialistas tbm já alertam como André Rocha e Carlos Mansur.Mas o tempo vai mostrar que dessa maneira o único título que pode conseguir é um carioquinha,continuando o jejum de títulos importantes desde o achado de 2013,mesmo com todo o investimento feito.

    Reply
  18. KLEBER,ENTENDA,tem razão,agora o mercados de técnicos não está para peixe,tanto que era para ter contratado um já no fim de 2016;Roger,Dorival,Cuca,Mano,todos esses demonstram bons trabalhos.Como disse em 2016,um treinador não surge do acaso,é preciso cursos e um bom tempo de estágio na beira do campo com diferentes profissionais por um bom tempo,criando repertórios,foi assim com Roger.Já Zé,NUNCA tinha sequer estagiado em um time profissional,era professor municipal e ficou treinando os juniores,que sabemos que é outra coisa bem diferente.Não dá pra aprender a ser técnico no Fla,isso é uma temeridade! De forma acertada,consertou minimamente DEFENSIVAMENTE o péssimo trabalho de Muricy,que antes de contratar disse aqui que seria um erro,pois seu tempo já tinha acabado e fez bem em se aposentar.Após isso,não deu um mínimo de repertório ofensivo,contando apenas com o brilho individual de seus jogadores e na base de “chuveiradas”,que continua até hoje.No final de 2016,era para se tornar auxiliar no lugar de Jayme,e no futuro estaria apto para treinar o maior do BR.

    O coletivo quem dá é o técnico através de seus métodos de treinamento,para induzir saída de bola consistente,triangulações,toques rápidos,tabelas que resultem em assistências para atacantes no último terço do campo,compactação,variações táticas,jogadas de bola parada ensaiadas,como em faltas de longe em que um jogador sempre aparecia como elemento surpresa(Palmeiras de Cuca era cheio disso),enfim,encher um time de repertório para que não fique previsível,isso Zé não conseguiu em nenhum momento.Se tiver um bom elenco,até dá para empurrar com a barriga e fazer um bom desempenho em resultados como em 2016 com o Fla e com o Galo de Marcelo Oliveira,que em ambos os casos só contavam com a estrela de seus jogadores,uma pena,um ficou em 3º o outro em 4º,sem títulos após tanto investimento….Esse ano é preciso títulos e com o fraco repertório de chuveiradas,o jejum de títulos importantes desde o “achado” de 2013 continuará mesmo depois de tanto investimento,fazendo com que tenhamos dificuldades com times com 20% da nossa folha salarial,como os nossos rivais aqui do RJ,nos clássicos.

    Já no galo a “Era Marcelo Oliveira de chutões” está acabendo e Roger vai implementando vários atributos listados acima.

    Entenda,a insatisfação não vem dos resultados,mesmo que obtidos um na libertadores,contra um San Lorenzo que ñ jogava faz 4 meses,contra Macaés,Resendes e time B do Bota do carioquinha e time C do Grêmio na Liga,isso resulta em um bom aproveitamento.A insatisfação vem da falta de todos os atributos listados acima,desperdiçando tanto investimento feito,dando espaço para críticas de peças do elenco(mesmo sendo um dos melhores do BR) e queixas de falta de alma e raça,essas críticas descabidas é típico de acontecer,da mesma forma como aconteceu na seleção brasileira,que vimos que faltava mesmo era um técnico capaz.

    Se acham que o time tem repertório coletivo e futebol suficiente,isso com o elenco que tem e investimentos feitos,de ganhar algo de relevância como Brasileiro ou Libertadores,ok,acho que o tempo mostrará novamente,como em 2016,em que alguns até chegaram a acreditar,mesmo com aquele fraco repertório em título.OBS:Carioquinha não vale,ok?
    Eu aposto em,no máximo, um bom rendimento,muito pelo elenco que tem,agora títulos importantes? ZERO,assim como em 2014,2015,2016 e segue o jejum.Esse elenco com todo o investimento feito,merece um treinador melhor.

    Reply
  19. Segundo Eduardo Bandeira,Rodrigo Caetano e o próprio Zé,a montagem do elenco foi feita,SEMPRE OUVINDO a opinião de Zé Ricardo,não existe um jogador que permaneceu ou um jogador que chegou sem sua aprovação.

    Portanto,não faz sentido a crítica ao elenco como motivo do fraco futebol,se quem aprovou foi o amado Zé.Ele tem exatamente oq quis,e olha que muito time queria ter um elenco caro desses,falta na verdade é um técnico. Não vou pedir mais sua cabeça,se o rendimento no campo não demonstra isso,vou esperar o tempo mostrar,pena que até lá o Fla tenha que pagar por tanto investimento sem retorno de títulos relevantes.

    Reply

Comente.