FLAMENGO x BOTAFOGO

Eduardo Bandeira de Mello e Carlos Eduardo Pereira

Voltando ao assunto da violência, tema central do POST anterior, um querido amigo, dirigente rubro-negro, tem opinião definida de que tudo que aconteceu no Engenhão, quando o tratamento dado ao time e aos dirigentes rubro-negros, faz parte de uma estratégia de polarizar o futebol do Rio, com o Flamengo de um lado e, o Botafogo do outro, como o grande rival.

Por este motivo, segundo ele, o ônibus do Flamengo foi apedrejado, e os dirigentes – inclusive nosso presidente – ameaçados no camarote destinado ao visitante.

O episódio, lá atrás, da transferência de William Arão, com o inconformismo injustificado da diretoria do Botafogo, já seria parte da estratégia de, por qualquer motivo, bater de frente com o Flamengo.

Lembrei ao meu amigo dirigente rubro-negro que esta estratégia adotada pelo Botafogo, na realidade, é um estelionato, já que Eurico Miranda, o presidente do Vasco, verdadeiro criador desta inteligente artimanha, não está recebendo um único centavo a título de royalty.

Aos meus amigos do Botafogo, em especial ao querido presidente Carlos Eduardo, pediria um pouco de reflexão sobre o tema. Hoje, diferente de quando Eurico Miranda descobriu este astuto caminho para popularizar o Vasco da Gama, as pessoas agem e reagem de outra forma, onde não há o mesmo humor e, onde sempre há rancor. O mundo mudou. As pessoas mudaram.

Hoje, há de se ter mais cuidado em tudo, mesmo com ideias que pareçam desprovidas de qualquer má intenção.

Aí, o meu amigo, dirigente máximo rubro-negro, está coberto de razão. Quando há paixão envolvida, todo cuidado é pouco…

1 Comentário

  1. Kleber, aproveitando seu comentário, seria muito proveitoso, e até mesmo oportuno, o Flamengo entrar quarta feira próxima, com uma faixa de rivalidade sim, violência não, seria um tapa na cara de quem acha q a violência é o caminho a seguir!

    Reply
  2. Acrescentando o comentário anterior, sou mineiro de Juíz de Fora, amigo do Andrade, pois estudei na mesma sala de aula e jogamos junto, cansei de ir no Maracanã ver o Mengao, com 130 mil pessoas no estádio sem problema nenhum, hj converso com amigos p ir num jogo no Rio e todos recusam com medo dá violência. Cansados de fazer caravanas p assistir jogos por aí, hj o pessoal tem medo, é triste!

    Reply
  3. Dirigentes precisam ser responsaveis e responsabilizados, assim evitariamos muitas coisas graves que acontece ao redor e dentro dos estadios. Problema é quem irá puni-los? Del Nero? Coitado se nem do país pode sair, vai poder punir presidente de grande clube? A hora é outra e ate Eurico está percebendo que tudo mudou e como prova veja o que está acontecendo contra ele em um clube que ele sempre fez o que desejou sem ser molestado. O mundo mudou e muda em alta velocidade.

    Reply
  4. Kleber,não tinha percebido,em sendo verdade definitiva,que esta manobra do CEP era preconcebida,e tem a finalidade de polarizar as duas torcidas.Claro,fazendo maior mobilização e antagonismo por parte da torcida do Bota,que se envolveria e participaria mais com as coisas de Gal. Severiano,(+ socio-torcedor,aumento do quadro social,ida aos estádios),etc.
    Só acho que o CEP está errando na dose.Acirrando ânimos,mais que isto até ,incentivando a violência e as agressões,até por parte de pessoas normalmente melhores educadas no acompanhamento do futebol.
    Como vc disse CEP deve repensar o assunto.
    ABS.
    SRN.

    Reply

Comente.