Vamos ajudar?

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Sempre acreditei em energia positiva. Isto é, mais ou menos, como se todos remassem, mesmo que calados, na mesma direção, um dando força ao outro. Neste momento, em que estamos a dois jogos de um título continental, para rimar, me parece fundamental…

Tenho lido os companheiros com os seus comentários no blog e, com o respeito de sempre ao que cada companheiro pensa, sugiro que deixemos a avaliação do balanço final deste ano para a partir da madrugada do dia 14 próximo, quando então teremos chegado ao fim da temporada.

Hoje mesmo, o papo entre rubro-negros invariavelmente tomava este curso, quando, a meu ver, deveríamos estar discutindo as duas partidas decisivas, e tudo que gira em torno delas. E, motivos para um bom papo não faltam, começando pela surpresa altamente positiva que ocorreu no nosso calcanhar de Aquiles neste ano de 2017.

Quem diria que um quarto goleiro, que estava sem jogar há praticamente dois anos, entraria em ação para ser a salvação da lavoura? Este é um bom papo e, com absoluta certeza cada comentário ou observação irá enriquecendo o outro. Pessoalmente, atribuo o sucesso de nosso César a quatro fatores somados, quais sejam: personalidade, talento, confiança e sorte. E, que termine o ano assim…

Outro bom papo diz respeito às notas dadas pelos nossos jornais. Hoje, no Globo, Éverton Ribeiro recebeu nota 4.0, enquanto que no Lance, a nota foi 7.0. Será que os analistas viram dois jogos diferentes? O comentário do Lance foi exatamente o que coloquei ontem no blog: “As principais jogadas ofensivas do Flamengo saíram dos pés dele, principalmente no primeiro tempo.” Aliás, o que faltou ao Éverton Ribeiro, como a quase todo time do Flamengo, no segundo tempo, foi … gás!

Mudando de assunto, e aí já há uma unanimidade, diz respeito ao parcimonioso e irritante aproveitamento de Vinícius Júnior, que ontem foi decisivo. O jogo desta quarta-feira, que esperamos que seja mágico, foi feito para o garoto, pois jogando em casa, com o apoio de sua torcida, o Independiente não tem outra alternativa qual não seja atacar e, para isso, inevitavelmente vai deixar espaços, facilitando o contra-ataque.

E, para contra-atacar com sucesso, há de se ter obrigatoriamente, ao menos, um jogador de velocidade. Repito que este jogo cai como uma luva para Vinícius Júnior. Não bastasse o aspecto tático, há o fator confiança que ele já estava começando a perder. A boa e decisiva atuação contra o Vitória trouxe a auto estima de volta. Vinícius Jr neles!!!

No mais, é confiar e concentrar todas as energias na decisão, ou melhor, nas decisões, já que são dois jogos. Vamos juntos acreditar? Há tempo para tudo, inclusive para o balanço, se positivo ou negativo, do ano. A hora é de corrente positiva. Vamos ajudar?

1 Comentário

  1. Caro KL e amigos, volto a enfatizar que quarta feira é jogo para Mancuelo – o cara mandou no Independente por mais de 6 anos- conhecer o time como poucos, eu colocaria ele no lugar de E.Ribeiro, que está mal fisicamente.Meu time seria Cesar Para Rever Juan Trauco Cuellar Arão Diego Mancuelo Vizeu E.Cardoso.
    SRN

    Reply
  2. MEU ETERNO PRESIDENTE. ANTES DO JOGO DE VOLTA CONTRA O JR BARRANQUILLA. JÁ TINHA POSTADO AQUI NO BLOG QUE O FLAMENGO SERÁ CAMPEÃO DA SULAMERICANA 2017. QUERO APOSTAR COM VOCÊ NOVAMENTE CASO O FLAMENGO CONFIRME O TÍTULO O SR ME DAR UMA CAMISA OFICIAL AUTOGRAFADA PELOS JOGADORES? TÁ APOSTADO DIGA QUE SIM ESTÁ ENGASGADO DESDE A FINAL DA COPA DO BRASIL QUE SÓ PERDEMOS PORQUE NÃO TÍNHAMOS GOLEIRO. TÁ APOSTADO??

    Reply
  3. Caro Kléber e amigos!
    O Flamengo vai ser campeão.
    Que depois disso exista um grande projeto para conquistar a libertadores. Já está na hora!
    SRN

    Reply
  4. Sou mais usar o Everton do que o Vinícius Jr na primeira partida da final.

    Talvez se o Vizeu tivesse feito aquele gol feito após assistência do Everton Ribeiro, a nota do camisa 7 teria sido maior. Mas paciência. É sabido que nosso meia veio de 2 anos do futebol semi-amador do mundo árabe e entrou no meio da nossa temporada sem treino, adaptação, pré-temporada, nada.

    Sobre o César, está nos surpreendendo positivamente, pois suas atuações em 2015 não tiveram 50% do que ele fez nesses dois jogos. No entanto, foram apenas 2 jogos.

    Quarta é não perder de muito. Se tiver uma derrota de um gol ou um empate aí estaremos com a mão na taça.

    Reply
    • Prezado Henrique e amigos do blog. Sempre leio seus comentários, você sempre participativo sempre com boas colocações, mesmo quando não concordo, como essa sua postagem.
      Henriques, quarta é não perder de muito? Perder de pouco? Bastou o Vizeu “perder um gol incrível” e já cai de pau no cara. Vamos lá meu amigo, vamos ganhar, nada de ficar atrás (pelo técnico, sei não), chamando o adversário e tomando sufoco,vê o Vizeu vai sim decidir mais um jogo, coisa que cumprir certo atacante que só tem nome não faz.
      Sds rubro-negra.

      Reply
  5. Querido Kleber.
    Sugestão de pauta bem definida. Vamos segui-la e fazermos o balanço do ano pós 14/12. Embora, nessa altura e com os últimos acontecimentos, acredito que será melhor do que supomos há alguns meses.
    Mudando de um polo ao outro, que festa de premiação do Brasileirão “chinfrin”. Com tantos patrocínios e uma confederação que tem tanto dinheiro que dá “bonificações extras” aos seus dirigentes, esse longo, exaustivo e tido como o mais competitivo campeonato do mundo, merecia uma festa de verdade, num grande salão, com mesas, show com grandes artistas, palco com escadaria central (no auditório apertado da CBF, os premiados saiam lá de trás para percorrer um longo caminho – cadê o cerimonial? – no mínimo deviam deixar todos juntos nas primeiras fileiras). Deviam fazer, não só um evento de premiação, mas um momento de congraçamento, convidando jogadores, técnicos e dirigentes não premiados também para estarem presentes na festa. Só vão os premiados
    Essa festa mixuruca retrata bem a pobreza (de espírito) do futebol brasileiro.
    Fica aqui a minha crítica e uma observação. Encerraram a votação na internet do craque da Galera, 15 minutos antes de anunciarem o ganhador – Hernani, que concorreu com Jô e Juan do Flamengo. Curioso é que a votação era pela internet, mas o Juan não estava presente. Acredito que a nação rubro-negra votou em massa no Juan, mas o ganhador foi de um time que tem a 3a torcida de São Paulo e 1/5 da torcida do Flamengo. Estranho !!! Com também foi estranho o mesmo Hernai ter ganhado pelo gol mais bonito do campeonato – um golzinho simples, de falta. Ganhou até do golaço do meio de campo do Otero, do Galo mineiro que tem torcida maior do que os bambis também. Estranho !!! Muito estranho !!!

    Reply
  6. Kleber, você sugere então que façamos uma avaliação da temporada, mediante aos resultados das duas próximas partidas?

    Um ano inteiro, representa e sintetiza tudo nessas duas semanas?

    Acho no mínimo injusto e cruel.

    Mas quanto a isso, já me posicionei no post anterior!

    Reply
    • Acho que você escreve muito bem, Anderson, mas faltou às aulas de interpretação de texto?

      Não li em momento algum o Kleber pedindo “avaliação da temporada, mediante aos resultados das duas próximas partidas”. Ele pede que foquemos nesses jogos, coloquemos toda nossa energia positiva neles.

      Passados esses embates, aí sim devemos fazer uma avaliação, mas DA TEMPORADA COMO UM TODO E NÃO APENAS DESSES DOIS JOGOS.

      Reply
    • Não entendi assim, caro Anderson.
      Entendi que nosso presidente colocou que não é hora de ficarmos nos concentrando em analisar a performance do time no ano, e sim, nos concentrar nas duas partidas que faltam gerando uma corrente positiva. Depois desses jogos, aí sim, poderemos entrar no mérito dessa questão.
      Como exemplo, ele citou o caso do garoto César que entrou e arrebentou a boca do balão. É pensar positivo e acreditar. Isso contagia positivamente.

      Reply
  7. Anderson, amigo,
    O Fernando Aragão foi muito feliz e, interpretou exatamente o que eu quis dizer.
    A minha mensagem é no sentido de “carinhosamente”, a bem da nossa paixão comum, guardarmos a corneta no armário até o dia 14
    próximo. A mensagem pede união e bons fluidos. Só isso.
    Forte abraço.

    Reply
      • Eu continuo achando desnecessário esperar mais dois jogos para avaliar o ano, depois de termos 81 jogos até o momento.

        Massssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssssss

        Segue o jogo

        Reply
        • Se eu pudesse avaliar o ano do Flamengo hoje, e independente dos últimos 2 jogos, daria nota 8.

          Os 2 pontos faltosos, vem justamente do futebol, onde, embora não esteja de fato na performance que eu quero e espero, está sim na minha opinião, longe de ser medíocre e insatisfatório.

          Por isso na minha opinião, depois de 81 jogos, tenho essa certeza.

          Masssssssssssssssssssssssssssss

          É tão somente a minha OPINIÃO !!!!!!

          Reply
          • Anderson meu queridão!

            Eu falei para vc soltar o verbo para a esquerda e vc soltou para a direita.

            Ops, mas lembrando bem, vc é o anti-cornetas do blog, claro…rs.

            Mas convenhamos nota 8 já é demais não acha? Mesmo sendo tão somente a sua opinião! É dose…Mesmo para o mais incorrigível reacionário (de reação) fisiologista (pró-situação).

            Por esse critério de nr. de jogos, acho que podemos levantar “mais” esse título da temporada, boa ideia meu nobre!

            Agora, onde colocaremos o sofá em 2018?

  8. KL, perfeita análise! Eu penso da mesma forma, falemos do que é necessário na hora em que é necessário. Deixemos as cornetagens sobre o que não funcionou esse ano para o dia 14 em diante.

    Eu concordo que Éverton e Vinícius Jr seriam ideiais para jogar no contra-ataque no Maraca. Porém, quem sai do time titular? Paquetá? Vizeu? Quer dizer, isso se o Éverton estiver MESMO em condições perfeitas de jogo. Se for entrar pra sair porque sentiu dores, melhor nem entrar, como aconteceu com o Réver. Eu acho que, como o time deu uma certa “embalada”, melhor começarmos com os que vêm jogando regularmente. Esses precisam dar um sufoco na zaga adversária para que, no intervalo, entrem o Vinícius Jr e o Éverton, se for o caso, para botar correria em cima da zaga mais desgastada. E, claro, o Lincoln também tem vaga, se o Vizeu não estiver bem.
    Mas vou colocar aqui uma questão interessante: não seriam estes jogos contra o Independiente uma boa hora para entrarmos com o Mancuello? A famosa “lei do ex”, contra a qual já sofremos tanto, inclusive na última rodada do Brasileirão 2017 (e logo com quem…) costuma funcionar não apenas como superstição. Sem falar que acho que ele é o ÚNICO jogador do elenco atual que sabe chutar forte de longe sem mandar a bola na arquibancada, vide o jogo contra o Jr Barranquilla, quando parte do Maraca gritou gol e os narradores calaram-se por um segundo para assegurarem-se que a bola não havia entrado. Fora esse chute, especificamente, basta vermos, também, seu estilo de atuação nos jogos de 2016. Eu acho que ele pode contribuir dentro de campo sim. Mais uma vez, só não sei bem no lugar de quem…
    Gostaria, agora, de ressaltar alguns prós na nossa equipe (e que acho que devem estar à disposição para as finais da Sul Americana):
    – César: tem que ficar como reserva do Diego Alves. Está pronto para ser titular do Mengão quando necessário. Thiago deve ser o seu reserva enquanto o Diego Alves estiver sem condições.
    – Rodinei: gostaria de entender o motivo que o faz ser reserva do Pará. Tem muito mais recurso e velocidade e já nos ajudou em momentos decisivos, como no Fla x Flu do título carioca e na jogada do segundo gol do Vizeu em Barranquilla.
    – Léo Duarte: como Réver, Juan e Rhodolpho, em qualquer constituição (mas especialmente COM o Juan), formam duplas de respeito, considero que este é mais um jovem que já tem maturidade para encarar os desafios de ser titular do Mais Querido. Tem vaga junto com os outros 3.
    – Trauco: começou muito bem, passou por uma má fase, mas acho que está, aos poucos, se recuperando. Depois da saída do Jorge, foi uma boa contratação e tem muito potencial. Precisa, talvez, de um pouco mais de confiança e de algum treino de posicionamento defensivo.
    – Cuellar: que grande jogador temos aqui! Um leão no combate e na saída de bola. Tem que ser titular absoluto sem qualquer contestação!
    – Willian Arão: tem feito jogos importantes e sabe jogar, mas, às vezes, parece que “dorme” em campo. Falta vibração no seu futebol. No meu esquema ideal (4-1-3-2), não seria escalado.
    – Éverton Ribeiro: está retomando sua melhor condição. Sua chegada foi depois de passar 2 anos no quase-amadorismo do futebol árabe (inclusive encontrei com ele em Dubai, onde morei durante 2 anos e falei que ele um dia ia jogar no Mengão!) e sem preparação alguma, no meio de um elenco em formação no meio do campeonato. A hora que ele, Cuellar, Diego e Guerrero se entrosarem, teremos um quarteto de força para 2018.
    – Lucas Paquetá: ano de afirmação desse garoto de enorme potencial. Tem feito jogos muito bons e sua vontade em campo é louvável. Tecnicamente também está em plenas condições. Com um pouco mais de força e experiência, que só se ganha com continuidade, será nosso 10 mais promissor em breve!
    – Vizeu: apesar das contestações, gosto do futebol dele. É dos atacantes de área mais efetivos que saíram da nossa base recentemente e acho que funcionou bem neste ano. Precisa aprimorar um pouco os fundamentos, mas isso faz parte da carreira de um jovem.
    – Vinícius Jr: acho que dispensa comentários. Espero que aproveitem a breve estadia dele no nosso elenco em prol das nossas ambições futuras.
    – Lincoln: se o Vizeu der “meio vacilo”, o Lincoln toma a vaga dele. O garoto de apenas 16 anos já mostrou que vai ter mais futuro até que o Vizeu, basta o Flamengo trabalhá-lo de forma correta e prepará-lo para envergar e honrar o Manto. Isso antes que ele seja vendido…
    Como falei acima, meu esquema para o Flamengo seria o 4-1-3-2, da seguinte forma:

    Diego Alves (César); Rodinei, Réver (Rhodolpho ou Léo Duarte), Juan e Trauco; Cuellar; Paquetá, Éverton Ribeiro e Diego; Vinícius Jr e Guerrero (Vizeu ou Lincoln)

    Essa escalação valeria para os jogos finais da Sul Americana e também para ser pensado para 2018. No caso dos jogos finais, pelas ausências, teria que ser:

    César; Rodinei, Réver (Rhodolpho), Juan e Trauco; Cuellar; Paquetá (Mancuello), Éverton Ribeiro e Diego; Vinícius Jr (Paquetá) e Vizeu (Lincoln)

    E então, caro KL, o que acha dessa formação?

    SRNs!

    Reply
    • Marcus Hartfelder, meu caro!

      Vc escreveu muitas coisas boas, mas eu gostaria de ponderar sobre alguns pontos:

      1o. Não existe a hipótese tolerável do Flamengo jogar no contra ataque no Maracanã (a não ser por um eventual e momentâneo momento no jogo devido ao quesito técnico), isso seria indigno com as nossas tradições. A torcida não toleraria um ultraje destes, mesmo que nosso treinador seja o RETRANQUEIRO MOR da América do Sul, então, que sua doença não seja congênita a nós rubro-negros, afinal isso aqui é Flamengo!

      Outra questão é que não temos de fato os tais CONTRA ATAQUES, não temos! Aliás temos um contra ataque de um homem só, que é o Vizeu, porém outra igual aquela, ah meu caro, vai demorar! Imagina o ER com aquelas perninhas curtas puxando contra ataque? Ou Diego resistindo a dar 400 toques na bola? No way!

      Outra questão que vc comentou: “Deixemos as cornetas de 2017 de lado para 2018”. Mas como? Se a comissão técnica será a mesma, se os diretores serão os mesmos, se as más contratações serão as mesmas.

      Sinceramente….

      Reply
      • Caro Nino,

        Concordo plenamente que o Flamengo, pelas suas tradições, não pode e não deve jogar no Maraca no contra-ataque e que, de fato, ele inexiste na nossa atual formação que, a meu ver, joga um futebol “europeu” demais para a América do Sul. Funciona tanto quanto funcionou esse ano, ou seja, até dá para o gasto, mas tira completamente o tesão de ver um jogo de muito toquinho pro lado, pouca movimentação, nada de ultrapassagens, lançamentos ou passes que deixam as defesas perdidas e, ao que me parece, muita falta de ritmo (em alguns casos) e de vontade (em outros). Acho que falta gente com mais brio em campo. Líderes nós temos, mas parece que eles não se impõem, não sei por qual motivo.

        Agora, desde o jogo contra o Corínthians na Ilha do Urubu, acho que o time começou a melhorar no aspecto vontade e só perdeu para o Santos por conta do Muralha, o que, agora, com tudo resolvido para a Libertadores, eu acho até que foi um sinal para uma troca de goleiro, que não seria feita se não fosse por aquelas falhas.

        Sobre deixar as cornetas de lado, eu acho que o time tem que ser apoiado ou cobrado de acordo com o que mostra em campo. Se não concordamos com as contratações A ou B, já é outra conversa. Sobre a questão do técnico e da comissão técnica, eu deixaria o Rueda trabalhar com sua equipe, com exceção do preparador de goleiros, que precisa ser mudado com urgência. Sobre a diretoria, eu trocaria o Rodrigo Caetano SOMENTE em caso de conseguirmos alguém melhor. Não acho ele top de linha, mas é o que tem. E não dá pra dizer que nosso elenco é limitado. Podemos dizer que foi mal selecionado, tipo aquela compra que vc não necessariamente precisa, mas faz porque o item entrou em promoção. Sem falar que os contratados também o foram para se valorizarem e, consequentemente, reforçarem o caixa do clube em vendas futuras, caso do Trauco, que certamente vai à Copa do Mundo pelo Peru. Começou muito bem, mas deu uma “sumida”. Se ele se valorizar na Copa e for vendido bem, bom para nós, que poderemos investir num lateral melhor que ele. Idem para o Éverton Ribeiro, que não vai à Copa, mas que deve recuperar seu futebol no ano que vem, já que vai passar por pré-temporada, tudo aquilo que não fez esse ano. Entrosamento requer tempo e esse tempo não pode ser gasto no meio das competições.

        Enfim, eu sou contra cornetar por cornetar. Até porque, se olharmos para trás, posso me recordar de outros Flamengos mais raçudos, mais aguerridos, com mais vontade em campo e até com mais qualidade (2009 e 2011/12), mas não com as mesmas campanhas. 16 anos sem disputar final continental? Só 2 anos desde 2009 no G4? Libertadores nosso histórico recente é o mesmo desse ano, infelizmente. E eu sei que esse ano não ficamos no G4 de novo, mas a tendência de tudo que muda no meio de um ano é melhorar no início do outro com a pré-temporada, todos começando juntos, treinando juntos, departamento médico zerado, enfim, “tudo certo”. É isso e fazermos o que fazemos de melhor e por isso somos a Nação: torcer!

        Abraço e SRNs!

        Reply
        • Marcus Hartfelder, meu nobre e ilustre companheiro de blog.

          Primeiramente eu o parabenizo por colocar seus pensamentos de maneira tão clara organizada, e até, se vc me permite o elogio, com muita classe!

          Isto posto, não é nada mais além de um bate papo, onde até nosso pequenos equívocos de interpretação geram ensejo para nos corrigimos e mutuamente evoluirmos para um pensamento ainda superior.

          Sobre o Rueda especificamente, ele é pior treinador do foi o ZR no Flamengo, ponto pacífico! O gringo é infinitamente menos talentoso e criativo, não obstante ambos terem muito em comum.

          Mas o que ocorre sobre esse “futebol europeu tático”? O Rueda é mais radical, menos talentoso, tole mais e é mais defensivo.

          Rueda não gosta de dribles, frequentemente conversa sobre a necessidade de se tocar a bola como um conjunto.

          Como vc mencionou, o grupo, eu disse o grupo, a partir do jogo contra o Corinthians é que passou a “usar a alma”, assim como no jogo contra o Jr. Barranquilla, para compensar a deficiência, tanto técnica de alguns jogadores, mas principalmente a deficiência tática oriunda das concepções do Sr. Rueda.

          Infelizmente não é em todo jogo que isso acontece, em que essa força aparece, o que é perfeitamente normal, dai advém a apatia, que é o desanimo devido as impossibilidades, confundida ora como desinteresse.

          Reply
          • Caro Nino,

            Obrigado pelo elogio e os reverto igualmente a você. Conversa boa e de nível é outra coisa!

            Eu entendo a sua posição quanto ao ZR e o Rueda, mas, na minha humilde opinião, trata-se de uma “pequena” diferença: o ZR trabalhou, se não estou falando besteira, a vida toda no futebol brasileiro. Já o Rueda nunca o fez. Isso basta para decidirmos que até o Apolinho seria (novamente) melhor técnico que o Rueda. E, quanto ao que você escreveu sobre não driblar, mas, sim, trocar passes, é isso que eu chamo de futebol europeu, aquela coisa um tanto sem sal, não tem alma. Até por isso é capaz do Flamengo ter perdido um pouco dessa característica. Ocorre que um treinador que venha de fora terá obrigatoriamente que conhecer o próprio elenco, os elencos dos adversários, quem são os jogadores brasileiros menos famosos, mas que seriam bons reforços… isso sem falar na metodologia de trabalho, que é completamente diferente no Brasil para qualquer outro lugar. Não considero o Rueda um grande treinador, mas também não acho que seja ruim. Só acho que ainda está um pouco deslocado da turma.

            Esse futebol de passes é algo que eu sempre falei com as pessoas, mas a nível de seleções. Eu sempre disse que qualquer Venezuela da vida sabia trocar passes (sem errar muito) e chutar de longe (mesmo sem direção) melhor que as seleções do Brasil, que sempre foram muito mais calcadas nos talentos com que a natureza nos brindou. Mesmo quando faltava entrosamento, sobrava talento e capacidade de improviso e até genialidade em campo. E isso também pode ser visto em times, como o próprio Jr Barranquilla. Pode até ser uma tática “arame liso”, mas é assim que eles fazem e o fazem melhor que os times brasileiros. Deve até ser por isso que os jogadores estrangeiros contratados passam por algumas dificuldades de adaptação, mas isso vem daquela coisa de conhecer os companheiros, os adversários, a metodologia de trabalho etc.

            Sobre o ZR, a saída dele foi pedida pela torcida, que pediu o Rueda e agora quer que o Rueda vá embora. Mesma coisa que aconteceu com Muralha e Paulo Victor. Todos queriam que o PV fosse embora porque tínhamos “goleiro de seleção”, agora todos querem o Muralha fora e a volta do PV, coisa que não vai acontecer. Mas a torcida é apaixonada e, como bem sabemos, a paixão cega as pessoas. Basta lembrarmos o quanto a torcida reclamou quando o “velho” Juan foi recontratado para nossa zaga. Vê se agora alguém reclama? O cara joga o fino da bola na nossa zaga e ainda aparece lá na frente!

            Enfim, o importante é que, gostem da Sul Americana ou não, vamos disputar a final hoje lá e 4a que vem com Maraca lotado, como deve ser. Pode não ser a Libertadores, que é obviamente preferível, mas ainda é um título internacional para o clube. Não lembro das torcidas dos campeões dos anos anteriores não terem comemorado o título…

            Sem falar que, dessa vez, além de disputarmos a Recopa com o Grêmio, ainda teremos a Copa Suruga e a Supercopa Euroamericana, que será jogada contra o Manchester United! Pode até ser que a qualidade técnica seja abismal, porém, vejo muitos prós em jogos assim. Especialmente porque, se dificultarmos a partida contra um grande time europeu, isso certamente chamará atenção da mídia internacional. A marca Flamengo precisa vivenciar isso novamente!

    • Ao menos Sérgio, o gringo cobre as cagadas de marcação do Trauco, o que o Paquetá não faz!

      Além disso o gringo tem um importantíssimo chute de meia distancia a gol. Assino!

      Reply
  9. “A apatia rubro-negra”

    Terminado o Brasileirão, onde o time demonstrou uma impressionante apatia, por vezes julgada por falta de interesse foi notória, mas podemos decodifica-la?

    Temos ouvido frequentemente Rueda se referir a “time de brios”, “time de caráter”, o que sinceramente é uma novidade no discurso de treinadores rubro-negros, pois nossa premissa sempre foi a raça, e em minha opinião nunca faltou, então o que faltou?

    Tenho dito frequentemente que Rueda é um treinador medíocre para a história do futebol rubro-negro. Rueda tem-se mostrado extremamente limitado, tanto do ponto de vista tático como técnico.

    Tenho dito que frequentemente que o Rueda é um treinador que não ajuda o time, sejam em treinamentos específicos no Ninho, sejam em mexidas táticas dentro do jogo e finalmente as tímidas substituições.

    A apatia rubro-negra esta sendo confundida como falta de interesse pelo treinador, quando na verdade é falta de opções táticas e técnicas no jogo (veja que VJ é o único driblador do time). Internamente os jogadores se queixam da falta de treinamentos táticos em campo reduzido, o Rueda prefere treinar em campo aberto!

    Para mim, e que me desculpe-me meu querido Kleber Leite, já é possível fazer um balança do temporada, pois no início do ano “quem considerava a Sula” como algum título de expressão para esse ano?

    Em tempo, VJ continua no Flamengo somente até o início da temporada européia 2018, ou seja, em Junho ele sai…

    Reply
  10. ” O medíocre Rueda”

    Confiança no futebol bem como na vida é tudo, mas parece que o nosso brilhante treinador não conhece essa premissa.

    Vizeu decidiu brilhantemente os últimos três jogos do nosso time. Domingo estava mal, perdeu dois gols. Mas do que adiantou substitui-lo aos 40m do segundo tempo? Como isso ressoa na cabeça do jogador?

    ER, como disse Edmundo, ser substituído pelo treinador todo jogo acaba com a confiança do jogador.

    VJ, onde esse menino estaria se tivesse a confiança do treinador? O invés disso Rueda o usa como “abridor de latas”, como o menino entrando sempre com o time perdendo ou com o time precisando de um algo a mais para ganhar!

    Reply
  11. A sorte é fundamental na vida e no futebol, mas ela por vezes encobre os incompetentes, senão vejamos:

    1o. jogo da Sula no Maracanã contra o Lanus, o time edita uma virada heroica a base da marra, ponto fora da curva!

    2o. jogo da Sula na Argentina. Houveram três pênaltis contra nós, com o árbitro marcado um. Se um dos pênaltis fosse convertido a aquelas alturas a vaca tinha ido para o brejo, ponto fora da curva.

    Jogo na Bahia, somente a presença de “mala branca” poderia, eu disse poderia, explicar tantos absurdos cometidos pelo time do Vitória no jogo!

    Desde o inadmissível gol perdido na risca da pequena área chutado por cima do travessão com jogador livre-livre-livre da Silva, até o absurdo e inexplicável pênalti no fim do jogo.

    Reply
  12. Caro Kleber , o momento como vc mesmo disse é de união , otimismo e alegria por essa final , sim , podemos fechar o ano de forma positiva e prontos para alçar voos maiores em 2018. Hoje temos mais sorte e a torcida saiu do desespero pra euforia , prato perfeito para curtimos esse final de ano que será rubro-negro com certeza .

    Reply
  13. Li em uma matéria que um clube do Japão, pediu o empréstimo do Muralha, sem custos, pagando apenas o salário, a diretoria não quis porque não achou interessante, cara tem jogador que de graça é caro. Quanto foi o prejuízo que esse cara deu pro flamengo?

    Reply
  14. O “professor ” do Independient já disse que o segredo segundo sua analise é ATACAR o FLA pela ESQUERDA. Conclusão meu caro Watson é que se ele pretende nos atacar mais pela ESQUERDA, também ABRIRá mais espaço nas costas desse lado do ataque do Independiente. Talvez ele caia na própria arapuca. A LINGUA PUNE. KKKK
    Agora que CASTIGO a premiação dos MELHORES de 2017. Nenhum jogador do Flamengo, Palmeiras e Atletico-MG foi premiado, justamente os elencos DISPENDIOSOS do Brasil. Isso mesmo eu disse DISPENDIOSOS pois caro mesmo agora é comprar jogador do GREMIO e Corinthians. Mais uma vez ELENCOS GALATICOS terminam o campeonato OFUSCADOS pelo brilho de outros menos badalados. Caro pra VENDER. Tem que juntar muita moedinha.
    Parafraseando João Saldanha, …”quero jogadores que ainda precisem comprar a MANSãO “. Aqueles que ainda estão na fila do MINHA MANSãO, MINHA VIDA . KKK

    Reply
    • FLAD+,
      A frase ”quero jogadores que ainda precisem comprar a MANSãO” define com perfeição o problema do Flamengo, muitos jogadores que já tem a vida feita e carreira estabelecida… Falta aquele cara promissor e com fome de aparecer e ganhar a vida (Everton e Willians de 2009, vindos de Paraná e Santo André, por exemplo). Para isso só dando oportunidades para a base ou garimpando muito bem nos times menores… Nosso elenco é envelhecido!!!

      Reply
  15. Também penso que não é o momento pra exaltarmos as criticas ao ano rubro negro. Agora é passar energia positiva e confiança ao grupo para sermos campeões.
    O Independiente é melhor que o Jr.Barranquila e, me atrevo a dizer que, também é superior ao time do Lanus.
    É Preciso jogar com coragem e inteligência. O time deles joga muito pelos lados do campo.
    Tomara que o RUimEDA entre com Mancuello, ajudaria a impor respeito; e é preciso por um jogador de velocidade na frente, talvez até o Geuvanio ,pois ainda vejo V.Jr.como jogador para 2º tempo, mas também não para entrar faltando apenas 10 minutos, como tem sido.
    Talvez faria a entrada do René, uma vez que Trauco está se arrastando em campo…
    Mas não acredito que “gênio colombiano” faça alguma alteração, é muito travado e cego.
    Tomara que São Judas Tadeu e a Raça tenham viajado com grupo, espero que a nossa omissa diretoria tenha vistoriado os bastidores e estejam de olho na arbitragem, pois futebol não se ganha só dentro de campo.
    Pra cima deles Mengão…

    Reply
      • Pois é amigos, o gênio colombiano, o RUimEDA está na sua terceira final no continente e as cornetas continuam gritando.
        Menos pessoal, menos viúvas do estagiário que foi eliminado pelo possante Palestino na Sula e na primeira fase da Liberta.
        Cornetas , deixem o homem trabalhar em paz !!!!!

        Reply
        • Mas Octacito Ocatacito mio, Ocatacito mio caro!

          Isso é justamente o nivelamento por baixo! Parece que até o intempestivo Renato Gaúcho já aprendeu a lição!

          O engraçado é que os europeus é que estão jogando o futebol dos sul americanos, e nós, o deles (aliás eles estão jogando o deles e no nosso simultaneamente).

          Bem, eu sou pelo possível, afinal Europa, Oriente Médio e Ásia deixam bem poucos jogadores de qualidade para o nosso futebol brasileiro, abaixo de nós só os outros sul-americanos.

          Reply
  16. Qual a importania/peso da Sulamericana?

    Depende do referencial adotado. Para alguns brasileiros o Brasileirao vale mais. Para o resto do mundo a Sulamiricana VALE MUINTO MAIS.

    Quem é o MELHOR técnico do mundo ?

    Resposta:
    OS JOGADORES são o melhor técnico. Jogador não é aluno, é conhecedor das táticas TAMBEM.

    Os melhores times são aqueles onde os JOGADORES sabem se REPOSICIONAR e COMBINAR dentro de campo aquilo que ELES percebem que não está funcionando. O jogadores SENTEM os erros.
    Acreditem ano PASSADO muitas vezes foram osJOGADORES que COMBINARAM dentro de campo seus POSICIONAMENTOS, e corrigiram efetivamente alguns deslizes da formação tática proposta.
    Mudando de assunto,no jogo contra o Vitoria jogamos com um reforço EXTRA CAMPO para nossa zaga.
    http://colunadoflamengo.com/2017/12/sonho-de-rubro-negros-gil-e-fotografado-junto-organizada-do-fla/

    Gosto quando jogador não se esconde.

    Reply
  17. “A Cezar o que é de Cezar”

    Vizeu é ao lado do experiente Luis Rodríguez (Tucuman – Arg), ambos artilheiros da competição com 5 gols.

    Detalhe, Vizeu chega as finais da competição com toda a possibilidade de se sagrar artilheiro isolado da competição.

    Rueda, por favor! Colabora…

    Reply
  18. Prezado presidente,
    Concordo plenamente com sua análise e reproduzo uma parte essencial dela aqui:
    “Sempre acreditei em energia positiva. Isto é, mais ou menos, como se todos remassem, mesmo que calados, na mesma direção, um dando força ao outro. Neste momento, em que estamos a dois jogos de um título continental, para rimar, me parece fundamental…”. Espero estar comemorando dias 13 e 14 da próxima semana!
    Abraços

    Reply

Comente.