Deu o que tinha que dar

Boavista 0 x 2 Flamengo – 18/02/2018 (Fotos: Gilvan de Souza / Flamengo)

Para começar, não é tão simples entrar em campo com a obrigação de ganhar. Esta decisão de Taça Guanabara, se fosse contra qualquer dos grandes, seria um jogo de menos responsabilidade, pois embora tecnicamente superior, a camisa que estivesse em campo imporia um respeito natural e a obrigação de vencer seria reduzida a um percentual pequeno.

O primeiro tempo foi muito enrolado, com muitos toques e pouca objetividade. E, não esquecendo o fato do time ter sido escalado – e muito bem por Carpegiani – com apenas um volante, no caso, Cuellar. Acho esta atitude corajosa e pertinente, até porque, é assim que se joga contra um time que, sabidamente, é inferior. Claro que, quando o adversário for um peso-pesado, algum meia será sacado para a entrada do segundo volante.

Mais uma vez o torcedor enxergou com sabedoria e o coro pedindo Vinícius Júnior deve ter influenciado na decisão de Carpegiani. A torcida que pediu Vinícius, vaiou a saída de Paquetá e, com toda razão. Naquele momento, a alteração óbvia era a saída de Renê, com Éverton indo para a lateral esquerda.

Vinícius entrou, incendiou o jogo e, o primeiro título do ano pintou. Os dois gols foram duas obras de arte em termos de lançamento. O primeiro de Diego e, o segundo de Éverton Ribeiro. Aliás, os jogadores de meio poderiam ter criado mais. Diego, ainda assim, foi o melhor. Paquetá, Éverton e Éverton Ribeiro foram discretos.

Acho que, finalmente, Carpegiani começa a entender que o time com Rodnei fica mais agudo. César, sem nenhum trabalho. Réver e Rhodolfo suaram mais tentando as cabeçadas ofensivas, do que defendendo. Cuellar, o único volante, foi mais do que suficiente para segurar o ataque do Boavista. O Ceifador, não ceifou. Discretíssimo…

Além de levantar o caneco, a certeza de disputar a semifinal do Campeonato, contando com a vantagem do empate. E, como diz o velho Lobo, vantagem não se despreza…

Parabéns aos Campeões!!!

1 Comentário

  1. Kleber, como crítico do Diego, quero ressaltar que, na minha opinião, a atuação dele foi perfeita. Acertou tudo. Foi, sem sombra de dúvidas o melhor em campo. Com esse esquema implantado pelo Carpegiani, quem sabe ele deixe de ser aquele jogador burocrático e nos dar alegria.
    Não acho que devemos jogar com mais um meia junto ao Cuellar. O time está mostrando uma consistência defensiva sem deixar de ser ofensivo.
    Acho que o Carpegiani está no caminho certo.

    Reply
  2. Kleber, já divergimos nessa questao aqui em outros jogos, mas trago o ponto ao debate novamente, pois não consigo ler a disposição das pecas em campo como v.: Everton não jogou de meio campo, muito menos Paquetá, em minha humilde opinião.
    Saudações Rubro-Negras e vamos com tudo para cima do River.

    Reply
  3. Meu caro Luiz Carlos, ganhar título, para nós é importantíssimo. Imagine se o tivéssimos perdido. Que furdunço não seria?
    Mas ficou realmente evidente nossos defeitos. Fraqueza de Pará. Fraqueza extrema de Renê. Zaqueiros veteranos e portanto, lentos. Do meio pra frente, bons jogadores, mas falta aquela confiança, aquela jogada bem tramada, aquela confiança de que” agora vamos fazer o gol”….
    Estamos enchendo a bola do Paquetá, porém ele carece de objetividade, do passe ou chute final. Everton corre muito, mas erra demais, passes e cruzamentos.
    Espero que nossa camisa não seja muito pesada a ponto de nosso Henrique deixar de ceifar.
    De bom mesmo, Cuellar (que não joga os primeiros jogos da liberta) Diego, Everton Ribeiro, ambos evoluindo e Vinícius Jr.
    A pulga continua atrás da orelha.
    Mas o resultado foi bom!
    SRN

    Reply
    • Caro Mauro, concordo inteiramente com você. Não estou empolgado, muito pelo contrário, assim, como você, também estou com a pulga atrás da orelha.
      Realmente temos uma zaga lenta, tanto pela idade, bem como, pela característica deles. Porém, são experientes e não corremos mais o risco de escalar o Vaz, o que é um alento.
      Cuellar vai fazer muita falta nesses dois jogos. Eu colocaria o Jonas, pois é mais marcador do que os outros dois que temos nessa posição.
      Do meio para frente, tive uma boa surpresa com o Diego, de quem sou crítico ferrenho. Como você bem disse, Diego, Everton Ribeiro (que está bem melhor do que no ano passado) e o VJ estão evoluindo.
      Agora, temos que considerar que estamos em início de temporada, cuja preparação começou tarde, não por culpa do Flamengo, mais pelo calendário desgastante que tivemos.
      Quanto ao Paquetá, alguém tem que chamar esse rapaz e orientá-lo no sentido de ser mais objetivo, porque, futebol ele tem e muito.
      Já o Ewerton Cardoso, que jogou muito contra o Botafogo, hoje, deixou a desejar. Muita correria e pouca inspiração.
      Os nossos laterais, sinceramente, com exceção do Zeca, não temos muita opção de contratação no Brasil. Acho o Rene apenas bom marcador e só e vejo o Pará totalmente fora de forma. (não gosto do Trauco).
      Ah! O Ceifador! Está totalmente fora de ritmo. Acho que ele ainda vai dar muitas alegrias a nossa torcida.
      Agora, é botar a meninada para jogar a maior parte desse carioquinha e torcer para que o time evolua com esse sistema de jogo que Carpegiani implantou (que eu estou gostando).
      Um abraço.

      Reply
      • Luiz,

        Acho que de fato temos algumas posições realmente preocupantes, a a mais preocupante é a de fato do de 2o. volante. O time pouco jogou com 2o. volante esse ano e William Arão é o nosso único homem da posição, isso me preocupa.

        Os laterais são outro detalhe preocupante em minha opinião.

        Reply
        • Nino,
          Concordo em parte com você, mas, que lateral poderíamos contratar?
          Se o Flamengo contratasse um 2º volante, quem, na sua opinião, deveria sair do time?
          É complicado. Acho que esse esquema poderá dar certo se houver um comprometimento dos jogadores do meio em efetuar a marcação que o Carpegiani quer.
          Eu, sinceramente, vejo esse esquema com bons olhos. Vejo um time do meio para frente sem posição fixa. Diego, Paquetá e Everton Ribeiro não ficam fixos, ficam trocando de posição constantemente, o que confunde o time adversário e o mais importante, não se descuidando da marcação. Vi, nesse último jogo, esses 3 voltando e combatendo na nossa defesa.
          Sei que ainda não tivemos um jogo contra um time mais encorpado. Até agora foi mamão com açúcar. Vamos aguardar.
          Um abraço.

          Reply
  4. Caro Presidente, muito boa a análise, como de hábito. E a frase, “muitos toques e pouca objetividade” me remete diretamente ao menino Lucas Paquetá. Bom jogador, habilidoso, bate bem faltas, mas pouco objetivo, além de chutar mal com a bola em movimento. Alguém precisa orientá-lo sob pena de o perdermos como aconteceu recentemente com Adryan, Erick Flores, Thomás, etc… .
    Parabéns aos campeões da 21a.Taça Guanabara , o Vasco, segundo maior ganhador, já não nos vê nem com binóculo!

    Reply
  5. Quando se joga com um time totalmente fachado e com a obrigação de ganhar a partida, tudo tende a ficar mais difícil. Pra piorar, o Boa Vista fez muito bem esse papel.

    Mas o Carpegiani fez bem ao tirar o Pará e optar por Rodinei. De fato deixou o time mais agudo.

    Na minha opinião Paquetá não fez sua melhor partida. Eu o tiraria. Renê é mais do mesmo. Também tiraria.

    VJ entrou muito bem. Diego e ER7 fizeram o que deles esperamos. O passe final.

    E só.

    Valeu pelo caneco.

    Reply
    • Meu querido e amado Anderson,

      Devemos guardar os nossos neurônios, pq o jogo de ontem, bem como todo 1o. turno do Carioção não passa de um universo micro diante dos fatores macro-esportivos que comporão o ano rubro-negro daqui para frente.

      Não identificamos nenhum fator altamente preocupante nessa pré-temporada, muito ao contrário, isso já é um bom indício.

      Sua análise serve apenas para nos injetar ainda mais um pouco de esperança, esperança de que esse ano as coisas se encaixem mais, que o Flamengo seja mais Flamengo, essa é a expectativa.

      Reply
  6. Sinceramente, entendo que o time deveria estar sendo preparado para a primeira partida da libertadores e caso esteja, jogar com 1 volante contra o River poderá aer um tiro no pé.
    Acho que o carpegiane está arriscando demais…
    Por fim, Fora Para! Fora Rene!

    Reply
  7. Se eu não me engano, esse foi o segundo jogo do time titular em 2018. Lógico que falta ritmo e entrosamento com a nova forma de jogar, a qual eu aprovo bastante.

    Rodinei é titular e o Renê precisa ir para o banco. Meu sonho ainda é trazer o Zeca. Além dele, um zagueiro veloz e o Guerrero. Aí pronto!

    Não quero me empolgar muito até pelo fato de o Flamengo ter jogado até este momento apenas contra time semi-amadores. Nosso primeiro teste de verdade será contra o River Plate. Sem torcida e sem o Cuellar (como marca e rouba bola) será uma pedreira!

    Aliás, gostaria de ver o Julio Cesar na Taça Rio.

    Reply
  8. O que falta para o Flamengo construir um estádio semelhante a Arena da Baixada na Gavea? Esse papo de que os moradores do Leblon são contrários ao projeto não cola. Eles também eram contra o Shopping Leblon e ele foi construído. O que não faz sentido é o Flamengo construir um estádio em um local perigoso como Manguinhos e deixar de proporcionar ao torcedor a possibilidade de assistir ao Flamengo na Gavea. Além disso, as autoridades não tem moral para impedir a construção do Estádio na Gavea uma vez que permitiram a destruição do tombado e verdadeiro Maracanã, ou seja, compactuaram com um crime que foi a reforma do Maracanã. SRN

    Reply
    • André, a associação de moradores do Leblon tem força demais aqui no Rio. Composta pelo pessoal de grana da cidade, eles não querem preto e pobre na porta da casa deles. Te garanto que o público do Shopping Leblon não é esse.

      Quanto ao estádio em Manguinhos, acho ótimo. Ali é bem localizado, tem transporte para todos os cantos da cidade, como Baixada Fluminense e Niterói. Além de melhorar um pouco a estrutura da região e por consequência a qualidade de vida daqueles moradores, quem sabe abrindo as instalações do clube para aquelas crianças fazendo com que elas tenham alguma ocupação sadia, diferente da realidade de muitos deles.

      Abs e SRN

      Reply
      • Paulo Henrique, Entendo o seu ponto de vista, mas fico imaginando como será esperar um ônibus na Avenida Brasil por volta da meia-noite na saída de um jogo no meio da semana. A meu ver será muito perigoso. Além disso, aquela região de Manguinhos não tem trem ou metrô. O estádio do Palmeiras é em uma região nobre de São Paulo e nem por isso deixou de ser construído. O Flamengo já tem o terreno na Gávea. A questão é meramente política. Gostaria de lembrar que o governo do Rio não vetou a realização de um bloco que levou cerca de 800 mil pessoas à orla de Copacabana no Carnaval de 2018. Um estádio como a Arena da Baixada ou como o Estádio do Palmeiras na Gávea é o que falta para o Flamengo. O Novo Maracanã é caríssimo e não é mais o Maracanã de verdade. Abs e SRN

        Reply
        • Amigo, por isso é que eu digo ser uma boa oportunidade para melhorar aquela região. Não tem trem, mas terá (assim espero) o BRT por ali passando. Mas depende das nossas autoridades (inexistentes) para aproveitar uma oportunidade como essa. Se não me engano, o shopping na época que o presidente Kleber Leite estava a frente do clube não saiu por conta dos moradores, sendo que anos mais tarde, acho que dois quarteirões depois, inauguraram o Shopping Leblon.

          Sigo vendo como uma grande oportunidade de revitalizar aquela região, que é perto de São Januário, mas só que bem melhor localizado.

          Abs e SRN

          Reply
  9. Valeu pelo título.Mas ainda falta muito para o time estar pronto.
    Sobraram as evidências.Não temos laterais.Para,Rodinei e Renê são muito fracos.Será que conseguem melhorar ???
    ABS.

    Reply
  10. “Apalpar o palpável”

    A conquista do 1o. turno é como um micro-planeta de gás, outrora era espuma com brilho e perfume, hj em dia é apenas gás sem cheio definido.

    A glória da conquista é suficiente para que acabe hj mesmo e passemos a fazer as contas da digamos, pré-temporada do time até agora.

    Capegiani parece se estabilizar juntamente com outros membros da equipe, o ambiente é positivo. Isso tudo só nos remete para a melhor das esperança no por vir, no realmente palpável, nossa estreia na Libertadores.

    Parabéns ao grupo pelo trabalho até agora realizado em 2018, estou satisfeito!

    Reply
  11. Nenhuma empolgação, afinal, o carioca não é parâmetro pra coisa nenhuma. No final da temporada passada, o ex zagueiro Mozer, que hoje faz parte da Comissão Técnica ousou lembrar que o Flamengo foi campeão invicto do estadual, na ocasião o couro comeu encima do ex zagueiro, mas pelo que observamos, uma simples e medíocre Tç GB já empolga grande parte dos nossos torcedores. Ontem deu pro gasto, o arrumadinho Boa Vista demonstrou as sua imensas fragilidades, o esquema com um volante marcador é ousado sim, mas contra um adversário mais qualificado poderá fazer água. Nenhum grande destaque no jogo…

    Reply
  12. Essa conquista, para mim, era óbvia: o Flamengo é muito superior aos adversários no RJ e não tinha como não vencer a Taça GB. Mais um troféu guardado. Importante sim.
    Importante também foi vermos a evolução do time, desde o início com o time sub-20 e depois com a entrada gradativa dos titulares. O novo esquema é bom e tem tudo para emplacar, só precisa ser incrementado com algumas variações. Até porque, o Vinícius Jr não vai poder ficar pro 2o tempo a vida toda…
    Eu acho que o planejamento foi bem feito e foi executado da forma correta, sem contar com contratações que acabaram não acontecendo. Por mais que muita gente na torcida tenha desconfianças por isso, a equipe é qualificada e tem uma espinha dorsal forte. Precisa, sim, de melhores desempenhos do quarteto criativo (Everton, ER7, Diego e Paquetá), isso será fundamental para as partidas da Libertadores. É fato que, qualquer que tenha sido a melhor partida que jogamos esse ano, ela nem de longe apresentou o grande futebol necessário para nossas ambições continentais. Talvez nem para as nacionais. Potencial para evolução há muito e eu acredito bastante no trabalho do Carpegiani. A minha questão é se teremos tempo para isso até a Libertadores.
    Fato é que a ausência do Cuellar é um grande problema. Não temos outro sequer perto do nível dele. O Romulo ainda não chegou no Flamengo, o Arão não joga na mesma posição e o Jonas, a meu ver, pode se mudar definitivamente pra longe do RJ. Eu, como talvez grande parte da torcida, gostaria de ver o Ronaldo titular. Meu único receio é que, se ele der meio mole, vira outro Mattheus Oliveira ou Mattheus Sávio, especialmente porque ele joga numa posição em que um erro qualquer pode ser ainda mais fatal que nos outros casos. Aliás, achei injustíssimas as perseguições a ambos os Mattheus às épocas, porém, águas passadas. Não os veria nem como reservas no elenco atual.
    Agora que os maiores “desafetos” da torcida foram embora (Gabriel, Vaz, Muralha etc.), começaram as eleições para bode expiatórios de 2018. Os eleitos da vez são Pará e Renê. É evidente que nenhum deles tem bola para ser titular do Mengão há muito tempo, não é de hoje. Eu sou favorável à troca deles por Rodinei e Trauco. Atualmente são as melhores opções. Não vou falar em “gostaria que contratassem”, pois não adianta. Vamos com o que temos. Além do mais, não vejo grandes nomes de bobeira por aí. E não, o Zeca não é um grande nome, mesmo que seja melhor que o Pará e o Renê juntos. Outra discordância que tenho até com o que o nosso caro KL escreveu, entre outros que já comentaram aqui, é que o Everton tenha que ser deslocado para a lateral. Não, não tem nada disso, não funciona e ele não sabe jogar na lateral. Ele tende a sair da posição e acaba virando uma “Avenida Everton”, a dele é chegar mais na frente, não tem jeito! É o mesmo que querer escalar o Berrío ou o Vinícius Jr na lateral direita! Não vai funcionar.
    Ainda sobre bodes expiatórios, acho que o Flamengo deve jogar a Taça Rio com os jogadores contestados e os que entram menos, mesclados com alguns novos contratados e os sub-20. O time que eu escalaria seria:

    Júlio César (ou Diego Alves); Klebinho, Léo Duarte, Patrick e Trauco; Ronaldo, Romulo e Paquetá; Marlos Moreno, Geuvânio e Lincoln

    No 2o tempo, poderiam entrar, por exemplo, Jean Lucas, Pepê e Vítor Gabriel ou algum outro sub-20 que também mereça.

    JC (ou DA): um deles precisa de ritmo para a Libertadores, pois só o César está à altura no momento.
    Klebinho: temos em casa uma alternativa ao Pará e ao Rodinei e precisamos prepará-lo para tal.
    Léo Duarte: um zagueiro de excelente potencial, precisa de ritmo de jogo, já que temos um trio de “senhores” no time titular.
    Patrick: depois da final da Copa SP, precisa ser nosso “novo Juan”.
    Trauco: para recuperar o ritmo de jogo.
    Ronaldo: precisa ser testado para se firmar como reserva imediato do Cuellar.
    Romulo: tem que tratar de mostrar a que veio. Ou, no mínimo, arranjar um interessado em levá-lo.
    Paquetá: acho que é um bom teste dar o protagonismo criativo ao Paquetá para que possa evoluir mais. É hora de se dar a responsabilidade a ele para ver se ele mantém o pique.
    Marlos Moreno: um jogador bastante interessante e que deve ser aproveitado na temporada. Também precisa de ritmo.
    Geuvânio: idem opinião sobre o Romulo.
    Lincoln: acho que não é mais hora de contar com o Vizeu. O negócio é preparar o Lincoln para ser nosso homem-gol em breve.

    A Taça Rio tem que ser aproveitada exclusivamente para buscarmos opções ao elenco considerado principal. Vamos precisar de muitas opções, o ano é longo, são muitas competições e, naturalmente, temos que entrar em todas elas com a expectativa de sermos os campeões! Ser Flamengo é assim e isso precisa ser posto em prática dentro de campo.
    SRNs!

    Reply
  13. Kleber ganhar títulos sempre é bom e o Boavista bem organizado dificultou muito as ações do Flamengo.O Paquetá (e não é de hoje)precisa de uma bola só para ele,bom jogador mais precisa ser mais coletivo.
    O sistema defensivo ainda precisa ser testado neste novo modelo,Rodinei e Renê podem não ser os laterais preferidos mas o time ficou mais sólido porque não avançam a toda hora guardando mais a posição. Acho que ele vai colocar um 3°zagueiro e os laterais vão fechar por dentro dando mais liberdade para quem joga pelas pontas.É os zagueiros precisam de pelo menos de um jovem para os confrontos direto ou para evitar tabelas rápidas.

    Reply
  14. Caro Kleber e amigos!
    Era de fato um jogo chato, ou seja, jogar contra um franco atirador é sempre doloroso. O Boa Vista é bem armado, porém, sem jogar com aquela vontade de ontem, será sempre um time comum, apesar de alguns atletas conhecidos e que jogam mais em fim de carreira.
    Concordo quando o Mauro acima falou da nossa defesa. Ela é um ponto preocupante e precisa ser vista com muito carinho, em especial, jogando hoje com apenas um volante.
    Valeu pelo título que moralmente teria que ser ganho, apesar, de ter que enfrentar uma retranca pesada.
    Os laterais complicam um pouco, mesmo sendo o Renê muito bom marcador.
    No lado direito, poderia ser tentado o Willian Arão. Acho que daria certo. É alto, rápido e gostar de atacar, além do que, tem melhor passe que os atuais.
    No geral, o saldo é positivo e vamos engrenando as peças no seu devido lugar.
    Que seja o primeiro título de todos em 2018.
    SRN

    Reply
  15. Tudo bem, caro Kleber, ganhamos, deu o que tinha que dar, é isso que esperávamos.

    Mas que regulamento é esse em que o clube ganha o primeiro turno e mesmo que ganhe o segundo, o máximo que assegurará é uma vaga na final com a vantagem do empate.

    O campeonato já não é dos mais atrativos, e ainda avacalham dessa maneira com o regulamento? O incrível pode acontecer, ganharmos dois turnos, mesmo que invicto, e ainda assim não sermos o campeão estadual.

    Como dizia o Didi nos trapalhões: “Me engana que eu gosto.”

    Reply
  16. Helder, quem manda nessa joça é o Eurico. Achando que dificilmente o Vasco venceria um turno, inventaram uma m. De regulamento visando o cruzmaltino nas finais.
    Por isso, esse fracasso de público.
    Curioso é que o Vasquinho, nas mãos do Zé Ricardo melhorou muito e tem uns garotos jogando muito.
    Temos que abrir os olhos. O Paulinho é mto bom jogador.
    Mas é o regulamento mais exdruxulo do mundo. Uma lástima. Esse Roubinho vai terminar por matar o já combalido futebol carioca.
    SRN

    Reply
    • Certo, caro Mauro, mas como nosso representante na Ferj assinou o documento que regulamenta a competição, que como você mesmo diz, é exdrúxulo?

      Maracanã abandonado, estádio público cedido a clube quebrado e que ainda por cima se nega a compartilhar com os outros clubes, do meso estado, por razões bisonhas, estádio velhos e caindo aos pedações e clubes a beira da bancarrota. O que será do futebol no estado do Rio de Janeiro nos próximos anos?

      Sinceramente, a coisa preocupa.

      Reply

Comente.