Flamengo e o “Festival Pré-Copa”

Philippe Coutinho comemora o segundo gol da Seleção Brasileira em Moscou (Foto: Kirill Kudryavtsev/AFP)

Vamos começar pelo verdadeiro festival de futebol, que rolou nesta tarde/noite, para nós, aqui no Brasil.

Estou até zonzo de tanto zapear (trocar de canal). O único jogo inteiro que vi, foi o da Seleção Brasileira, que jogou sem o seu principal jogador. Este, a meu conceito, foi o fato mais importante, pois mesmo sem Neymar, a atuação do time brasileiro foi prá lá de convincente.

Como nós rubro-negros só pensamos no vermelho e preto, via o jogo coletivo da Seleção e não havia como não pensar no Flamengo, sem fazer certas comparações.

Na Seleção Brasileira, a individualidade ocorre no momento exato, normalmente próximo à área adversária, enquanto que a individualidade do time rubro-negro acontece a todo momento – e em qualquer lugar do campo. Tática cujo nome é “Murici”, onde cada um cuida de si.

Voltando à Seleção, já que sobre o Flamengo falaremos adiante, a impressão que o  time de Tite deixou, foi a melhor possível.

Como sabia que os Russos jogariam super retrancados, Tite optou por um time bastante ofensivo e, deu certo. Resta saber se, quando o jogo for contra um peso pesado, como por exemplo a Alemanha, na terça-feira, Tite manterá o time que começou. Tenho minhas dúvidas….

Após o jogo do Brasil, festival de zapeadas. O jogo que mais despertou a minha atenção foi entre Alemanha e Espanha, cujo resultado foi 1 a 1. Jogão! Esta seleção espanhola, que os “especialistas” não estão levando fé, tem tudo para ser uma baita surpresa nesta copa. Aqui no Brasil, veio uma seleção espanhola envelhecida. Hoje, o time está renovado e com pinta de que vai ser sucesso na copa.

A Argentina, sem Messi, meteu 2 a 0 na Itália. Apesar da vitória, dá para arriscar a afirmativa de que, sem Messi, a Argentina fazer um bom papel na Rússia, só com muito milagre…

Vi algo inédito. A primeira vitória da Colômbia sobre a França. Como ando batendo de frente com os “especialistas”, ao contrário do que apregoam eles, tenho sérias dúvidas com respeito à badalada seleção francesa.


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Vamos ao nosso Mengo. Claro que, como em qualquer clube brasileiro, há no nosso time pontos vulneráveis. Sei perfeitamente que, por melhor que seja o treinador, sem material humano minimamente competente, não há solução.

Como dizia o saudoso treinador Otto Glória, “sem ovos, não se faz omelete”. O problema é que com o elenco que temos, dá pra fazer omelete, sim. Iria além e aqui afirmo: o único elenco que eu trocaria pelo nosso, se possível fosse, claro, seria o do Palmeiras. Não vejo no cenário brasileiro nenhum elenco superior. Vejo alguns iguais. Melhor, só o Palmeiras.

Dito isto, não há como não concluir que, antes de pensar em corrigir o elenco, precisamos fazer o dever de casa e melhorar, e muito, com o que temos. A sensação que tenho é a de que as pessoas não sabem o que pensam e o que querem.

Em um determinado momento, Pará é o cara na lateral direita. Depois, Rodnei é a solução e, para finalizar, já querem o Pará de novo. Na outra lateral, o peruano Trauco, recomendado por Guerrero, chegou cheio de moral e jogando uma bola redondinha. Pelo jeito, esqueceu como se joga bola e, Renê foi guindado a titular absoluto…

Éverton 22, para muitos seria o ideal, pois resolveria o problema da lateral esquerda e abriria brecha para a escalação de Vinícius Júnior. Apesar de muitos pensarem assim, só ontem Carpegiani se tocou…

Jonas, que não faz tanto tempo foi empurrado por empréstimo por ser considerado tecnicamente fraco, virou titular absoluto. Cuellar, que era o dono da posição, elogiado por Deus e o mundo, virou reserva.

Diego, de ponta de lança, como os antigos chamavam o camisa 10, se transformou em volante, jogando, em consequência, muito longe da área adversária. Éverton Ribeiro, embora bem melhor do que no ano passado, não se acha em campo, onde está desempenhando um papel de marcação, que antes, nunca havia feito.

Ceifador, que custou caro, não ceifa. Só de pênalti… Felipe Vizeu, tecnicamente limitado, joga com o corpo aqui e a cabeça na Itália.

Se houvesse a possibilidade de se jogar com duas bolas, talvez resolvêssemos um problema que aumenta a cada dia, sem que ninguém resolva. Uma bola para todos os jogadores e, uma exclusiva, para Lucas Paquetá. Será que ninguém vê que o excesso de individualismo deste bom jogador, o está matando e, freando o time?

E, o nosso melhor atacante, Vinícius Júnior é o TITULAR ABSOLUTO DO BANCO DE RESERVAS.

Com respeito ao treinador, que confiança se pode ter, se foi ele contratado para ser gerente e acabou dirigindo o time? E nem falei no plano tático, onde adotamos o esquema de um único volante de origem.

Enfim, acho que esta paradinha, pelo fato de termos sido eliminados ontem, abre espaço para uma profunda reflexão interna, onde, pelo que pude aqui expor, se muda de ideia com muita facilidade e, em consequência, nada se conclui.

1 Comentário

  1. Kleber, nao da para se iludir. O elenco do Flamengo é fraco.Há inumeras deficiencias. Vejamos:os laterais são fracos. na direita, Rodnei pode ser um bom reserva e se for bem trabalhado, poderá alcançar voos maiores. Na esquerda, nenhum presta. A zaga é fraquissima. Toma gol de tudo que é jeito:bola aerea, contra-ataque, infiltração. E tudo de forma sistemática. O ataque é cardiaco. Tirando VJ, ninguem é agudo. E no meio, a indigência é grande. Apenas o Paquetá tem lampejos interessantes quando não está pensando que é um malabarista. Diego e ER estão num nivel muito baixo, dificil ate entender.
    Para piorar, o desenho tático esta completamente errado. O exemplo claro é o que vc disse: ER é obrigado a correr atras de lateral! Alem disso, é um time que joga descompactado, os jogadores nunca estão proximos, nao ha infiltrações, ultrapassagens, tabelas. Apenas o velho e bom chuveirinho. Entra técnico e sai técnico, a mesma coisa. Desde 2016 é isso.
    Infelizmente, perdemos a chance de mudar o rumo, limpar esse elenco, mudar a mentalidade. Esse elenco é frouxo, covarde, sem ambição, sem DNA rubro-negro. Eles são muito bem pagos mas não sentem derrota. E se sentem, se acostumam com ela. Ou pior, se acovardam.
    A minha vibe é acreditar no milagre de ver esse time fazer algo alem do que brigar por posições intermediarias. E torcer para que em nov/18 os sócios escolham alguem capaz de entender o que é ser flamenguista: nao se conformar com derrotas, ter dificuldade para dormir e para comer quando o time perde e sentir que nada mais importa se o time vence.
    Dessa diretoria nao espero nada de bom. Pelo “shape” da turma eles dormem muito bem e comem mais ainda, mesmo com derrotas.
    SRN.

    Reply
  2. Os laterais são fracos. A única boa surpresa poderia ser a contratação do Zeca, já que o presidente do Santos agora pede 7 milhões de euros. Zeca não é gênio, mas sozinho é melhor que os nossos quatro laterais juntos.

    Outra possibilidade pode ser o zagueiro Pablo.

    Reply
  3. Kleber, permita-me discordar da sua afirmação de que temos o segundo melhor elenco do País. Nós jogos em que colocamos o time reserva o desastre foi uma realidade contra Flu e Macaé. Podemos ter, sim, a segunda maior folha de pagamento do futebol brasileiro e a equação custo/benefício também não é favorável. A análise individual do Alexandre logo acima foi perfeita. Há tempos venho afirmando: mal temos um grande time, que dirá um grande elenco. Vamos sofrer esse ano e se não ganharmos esse Carioquinha que você mesmo, lá no início, dizia que só perderíamos pra nós mesmos, aí sim, o bicho vai pegar e o EBM não se elege nem pra síndico do prédio dele. SRN.

    Reply
  4. Kleber estou com você , é o que eu penso também. O vou além se colocarem esse elenco a disposição das outras equipes provavelmente só o Pará e Renê teriam dificuldades de jogar na maioria dos grandes. Lógico que o Palmeiras não precisaria de nenhum jogador e talvez o cruzeiro. Mas estou cansado de dizer que não temos laterais a altura desse time e que o Guerrero faz muita falta para equipe.

    Reply
    • Eu tb acho isso. Varios desses caras separados, em outras equipes, seriam titulares e importantes. Mas o fato é que juntos eles não deram certo.Falta liga ou o esquema de trabalho no Flamengo é tão ruim que produz tais resultados. E do jeito que está, a nossa realidade, tá dificil aturar.

      Reply
  5. Com relação a zaga Rodolfo é melhor que Rever , pois joga com mais seriedade. Quem não lembra da pichotada do Rever contra o Independiente na final do Maracanã ? Rever era reserva do Inter do Diego Aguirre há 5 anos atrás…

    Reply
  6. Caro Kleber
    O melhor do Flamengo é o banco de reservas. O vinicius jr é o melhor atacante e tá no banco, os melhores laterais (ou menos ruins) estão no banco, o melhor zagueiro e mais novo dentre os velhos (Rodolfo) tá no banco, nosso melhor camisa 9 (lincon ou vitor gabriel) tá no banco, nosso melhor volante tá no banco. Infelizmente, nosso melhor técnico não está no banco e sim desempregado (Cuca).
    Quanto ao Paquetá, basta uma conversa sincera e mostrar uns videos de como o Zico conduzia a bola. Se não resolver, banco. E quem está precisando de um banco é o senhor Diego, ele acha que é o novo Zico. ô coitado!!!
    Na minha humilde opinião o time titular deveria ser:
    1. Diego alves
    2. Pará (Mais marcador e cruza melhor)
    3. Rodolfo (Mais novo dentre os mais velhos e mais veloz)
    4. Juan (reservando com o réver)
    6. Patrick (Jovem, talentoso, rápido e tem raça. Ganhariamos um terceiro zagueiro na bola alta e apóia só na boa. Vai render mais que o renê)
    5. Cuellar (volante pelo lado direito)
    8. Paquetá (volante pelo lado esquerdo)
    10. Diego (centralizado próximo dos atacantes)
    7. Vinicius Jr
    9. Ceifador (Se não ceifar, põe um da base)
    11. Everton 22
    SRN

    Reply
  7. Claro que a Rússia é o Madureira do futebol mundial,e ainda arrumaram um pênalti mandrake , mas a seleção brasileira tem padrão e compromisso com as vitórias. Tite, Abel e Cuca estão num patamar bem superior aos demais treinadores. Por ter TITE, a seleção evoluiu. Hoje no mundo, temos Alemanha, Espanha, BRASIL, Bélgica e Argentina para favoritas ao titulo, o resto é zebra!
    Quanto ao nosso Flamengo, “nossos pontos vulneráveis” estão FORA DE CAMPO. Falta comando , planejamento, comprometimento, gente que entenda de futebol. O que esperar de um presidente que atende pelo nome de BANANA? Um Vice de Futebol zumbi? E seus tres principais dirigentes serem conhecidos como OS 3 PATETAS ?
    O futebol do Flamengo esta a cargo dos jogadores mercenários, que jogam , correm e treinam quando querem…Carpegiane não é dos piores , mas não evoluiu e não tem comando sobre os jogadores…
    Enquanto não chegar as eleições , vamos ficar apenas enxugando gelo…
    Quero meu Flamengo de Volta !

    Reply
  8. Caro Kleber e amigos!
    Eu vou preferi falar somente do Flamengo. Para comentar sobre a seleção brasileira teremos o mês de junho inteiro e o resto do ano, sendo campeã ou não da copa.
    O próprio post do Kleber é sempre muito generoso com quem gosta de participar dele. Ele deixa tudo as claras e ao mesmo tempo, deixa um bom tom de debate. Um deles é que estamos apenas abaixo do Palmeiras. Pode até ser. Onde perdemos então para o Grêmio? na raça e na grande capacidade do Renato Gaúcho. Onde perdemos para o Corinthians? na raça e na força da torcida que independente da situação vai ao estádio. Onde perdemos para o Cruzeiro? no conjunto, na raça e na capacidade do técnico, que independente do passado, é muito bom e hoje, um dos melhores do Brasil (e será por muitos anos). Resumindo: aqui já somos o quinto sem precisar citar outros.
    Em muitos post anteriores, sempre citei que o grande problema do Flamengo estão fora das quatro linhas. Se os problemas são visíveis no campo, é porque fora dele tudo é feito em desarmonia com o mundo do futebol competitivo, aliás, somos pessimamente competitivos, vibrantes, audaciosos, catimbeiros e por ai segue. Até o time ridículo do Fluminense sabe catimbar.
    Fora das quatro linhas temos uma administração que resolveu tudo nas finanças e ao mesmo tempo com elas, não soube transformar em investimento, ou seja, eu ganho dinheiro e não sei como aplicar, não sei como transformar dinheiro em mais dinheiro, naõ sei potencilializar minha empresa.
    O Flamengo é um time de força duvidosa. Vai bem um jogo, dois e outros, parece que joga futebol de treino ou mesmo desinteressado.
    O Flamengo planeja bem finanças, mas, pouco entende de moeda de mercado, que o digam Mancuello, Trauco, Marlos, Muralha, Vaz, ER (ainda espero um pouco), Diego (ainda espero mais), Dourado (ainda espero mais) e outros tantos.
    É uma imaginação matemática e simples: se pouco se entende de futebol no Flamengo, de que adianta tanto dinheiro? Dai, as gestões vitoriosas no futebol do Márcio, Kleber, Patricia e outros. Eles pouco tiveram dinheiro ou não tiveram dinheiro algum e ainda assim, podemos contar um titulo mundial, seis brasileiros e outros como copa do Brasil e muitos títulos cariocas e importantes, contanto com adversários gigantes.
    O Flamengo sem dinheiro sempre foi melhor que o Flamengo com dinheiro. O Flamengo sem dinheiro lutava pelo pão de cada dia. O Flamengo com dinheiro de sobra, nos faz crer que seus filhos e herdeiros não precisam suar tanto para trabalhar. No final do mês cada um vai ter o seu, mesmo, que a torcida não vá a campo, até porque, a receita da torcida do Flamengo não é importante para atual gestão.
    Observem todos com muito cuidado e reflexão: a torcida do Flamengo já está deixando o time de lado, seja nos estádios ou mesmo no projeto de sócio torcedor. O Flamengo está hoje como a corrupção no Brasil. Quando a gente acha que vai dá certo, tudo muda para pior.
    Caro Kleber! eu duvido que se você fosse o presidente o Rodrigo Caetano seria mandante do futebol. Duvido muito. Tal pai tal filho. Esse é o Flamengo de hoje. Se meu pai esbanja, não tem porque correr tanto em campo. Se não me cobram resultado, vamos igual ao Zeca Pagodinho: deixa a vida me levar…vida leva eu!
    O Flamengo de hoje eu acredito, depois desacredito, depois acredito, desacredito. Bom, uma hora a dúvida haverá de passar. Infelizmente, a partir de 2019. Tomara Deus.
    SRN

    Reply
    • Francisco, parabéns pelo texto, traduz tudo o que a grande maioria dos rubro-negros pensa hoje. A imagem de (maus)funcionários daquelas antigas repartições públicas, que deixavam o paletó na cadeira e nada faziam pois no fim do mês o salário seria pago da mesma forma, se encaixa muito bem nesses jogadores(?) de hoje. Jogadores experientes, bem remunerados, incapazes de, pelo menos, se dirigirem ao árbitro no início do segundo tempo do Fla-Flu pra pressionar os gandulas que atrasavam a reposição. Sou como você, quarta-feira, acredito, domingo desacredito, quarta acredito de novo, e assim vamos. Que venha 2019! Pena que nós, simples mortais torcedores, não tenhamos representatividade nesse clube pra desfazer esse feitiço, rifar essa turma que nada entende de Futebol e se lambuza com essa dinheirama toda que os presidentes anteriores nunca tiveram. SRN.

      Reply
  9. Caro KL e amigos Trauco foi o melhor jogador em campo no amistoso entre Peru X Suecia;agora uma observação interessante e ninguém comentou na midia, depois da suspensão do Guerreiro o futebol de Trauco caiu demais,faltou confiança?
    Em tempo alguém tem que chamar a atenção do Paqueta, precisa soltar mais a bola.

    Reply
  10. Sócio torcedor menos 20.000 inscrições.È sintomático…!!!!
    No papel o time é bom,qualificado.Em campo não produz os resultados esperados.
    Difícil…
    ABS,

    Reply
  11. Jamais tiraria o Everton de perto do gol colocando-o na lateral. Só casos muito esporádicos.

    Vejo que o Everton Ribeiro faz um papel importante na ajuda da marcação pelo lado direito, mas já que o Vinícius Jr é titular, alguém precisa sair.

    Juan e Rever não dá mais. É Rodolpho e mais um. Nas laterais, já que só tem isso vamos com Rodinei e Renê, embora eu ache que dá para testar alguém da base. Paquetá é melhor vindo de trás como 2 volante do que aberto na ponta, o que facilita ainda a vida do Diego para chegar ao gol. E pra fechar, Vizeu é melhor que o Ceifador. Depois volta o Guerrero e pronto.

    Diego Alves, Rodinei, Rodolpho, Juan e Renê, Jonas, Paquetá, Everton e Diego, Vinícius Jr e Vizeu.

    Reply
  12. Flamengo tem um time mediano, isso é fato e pensar o contrário só faz criar espectativas. O que faz um time mediano, com um presidente que realmente está preocupado com o futebol e não com uma eleição por um partido que com pensamentos complicados? Contrata treinador decente é a resposta. Mas o Bandeira não fez isso em 5 anos de gestão, não será agora que iremos querer isso, não é verdade?
    Como eu já disse no início do ano, é torcer pra 2018 acabar logo. Vamos agradecer e muito o Bandeira, pela reestruturação, mas chega! No futebol foi o pior de todos os tempos.

    Reply
    • Valter Minhoca, Negreiros, Igor, Dill, Toró, Vandinho, Sambueza, Diego Maurício >>>> Diego, Guerrero, Everton Ribeiro, Vinícius Jr.

      João Carlos, Waldemar Lemos, Silas >>>>> Rueda, Carpeggiani, Mano

      Reply
  13. Caríssimo presidente,
    Vamos lá:

    D. Alves
    Zeca (contrata logo!!!!)
    Rever
    Rodholfo
    Éverton Cardoso
    Jonas
    Cuellar
    Diego
    Éverton Ribeiro
    Vinicius Junior
    Henrique Ceifador

    Banco:
    César
    Júlio César
    Rodinei
    Geuvanio
    Lucas Paquetá (se deixar de ser mascarado)
    Trauco
    Vítor Gabriel (muito melhor do que o Lincoln)
    Juan

    SRN

    Reply
  14. Acho que o Flamengo deveria fazer um esforço e contratar o Zeca do Santos para as laterais. Está bem nitido que o Rene não é jogador para o Flamengo e o Trauco pode ser titular, desde que tenhamos alguem para cobrir seus avanços como quando chegou ao clube. Na direita com toda sinceridade não os vejo como titulares, podendo no maximo ser banco.

    Reply

Comente.