Empate com ponto de interrogação

Zuber marca para a Suíça (Foto: Getty images) Arquivos Klefer

A bola rolou. Esperávamos que rolasse redondinha, na batida dos últimos jogos amistosos. Não rolou.

Aí começa o ponto de interrogação. Não rolou legal, por que? Bem, a primeira explicação fica sempre por conta da estreia e, isto venho ouvindo desde 1974, na minha primeira cobertura de Copa do Mundo.

Paralelo a isso, lá vem nova interrogação, o que faltou? Vou começar. A contusão de Dani Alves foi uma tragédia. Aliás, não sei se tragédia foi a contusão de Dani Alves ou, a convocação – e condução a titular – de Danilo. Ficamos capengas. A Seleção só ataca pela esquerda.

Aqui no blog, brinquei um dia, perguntado quem você levaria para o seu time, se Danilo ou Pikachu? Infelizmente, por hoje, acho que acertei.

Poucos jogadores que decidem mesmo atuaram soltos, sem peso nos ombros. Talvez três: Marcelo, Neymar e Coutinho. Os outros sentiram e, não criaram…

No lance do gol da Suíça houve empurrão claro, que árbitro e arbitragem de vídeo (VAR) comeram mosca. Claro que este recurso é saudável, mas como fato novo ainda há tropeços. Talvez, como no tênis, deveria haver duas oportunidades – por cada tempo – do capitão do time solicitar a arbitragem de vídeo.

Enfim, empate com sabor de frustração. Qualquer brasileiro esperava mais.

Ia esquecendo. Achei as trocas do nosso treinador meio que seis, meia dúzia…

Vida que segue. Precisamos melhorar.