Paquetá e o árbitro de vídeo

Sala onde ficam os árbitros de vídeo. (Foto: Dmitri Lovetsky / AP) Klefer

Vamos começar pelo mais espinafrado da Copa, o árbitro de vídeo. Em tudo que é lugar no planeta, este foi o tema mais discutido. A CBF, até com razão, encaminhou mensagem à FIFA, indagando sobre os reais critérios deste fato novo no futebol.

Pelo que tenho visto, dona FIFA terá enorme dificuldade em responder a esta simples e pertinente pergunta, pelo simples fato de não haver um critério definido. O que deduzimos é que tudo depende do entendimento entre o árbitro das quatro linhas, e o árbitro de vídeo.

Como seres humanos, nem sempre a comunicação é perfeita, daí a sensação de que batem cabeça. E, batem mesmo…

Já registrei aqui e repito que, a exemplo do tênis, quem se julgar prejudicado deveria ter – ao menos – uma vez em cada tempo, o direito de exigir a ação do árbitro de vídeo. Se tivesse razão, não contaria como já tivesse usado o recurso. Neste jogo contra a Suíça, duvido que o capitão da Seleção Brasileira não tivesse usado este artifício, caso estivesse ele disponível.

Como bem lembrou uma torcedora brasileira na “resenha” pós jogo, todo início é assim mesmo e os ajustes serão naturais. O importante é a continuidade deste bom fato novo.


Paquetá e Vinícius Jr. comemorando gol pelo Flamengo (Foto: Gilvan de Souza Fernanda Tórtima / Flamengo) 

E, os jornais ingleses estão dando conta de que o Liverpool está próximo de formalizar uma proposta por Paquetá. Segundo informam, o valor disponível seria 43 milhões de libras ou, 212 milhões de reais, praticamente o valor da multa, que é de 50 milhões de euros ou, 216 milhões de reais.

A notícia é preocupante, na medida em que, já não contando com Guerrero, Vinícius Júnior e Vizeu, ficar também sem Paquetá seria o caminho para que todos os sonhos rubro-negros fossem para o espaço.

Tomara que o nosso pessoal entenda que, sem milho, não há pipoca. Enquanto a bola rola na Copa, a hora de repor perdas definitivas – e possíveis – é essa!

E, por favor, que ninguém venha com a história de que não há material humano de qualidade disponível. Há sim!

Sem esta ação rápida, o líder corre o seríssimo risco de deixar de ser seguido…

Neste dia de Copa, até agora, deu o que tinha que dar. Bélgica e Suécia eram barbadas…