Paquetá livre

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo) Artigos de Kleber Leite

Meu amigo e irmão Washington Rodrigues, com razão, estranhava a quantidade de jogadores estrangeiros – de técnica duvidosa – neste elenco do Flamengo. Aliás, hoje, Renato Maurício Prado questionava a quantidade de colombianos no nosso plantel.

Acho que os dois têm razão, mas prefiro me ater a um tema que não é só tático. Diz respeito, também, a um mínimo de inteligência e bom senso.

Com a saída de Vinícius Júnior, e o nosso Egon tem toda razão, o poder ofensivo rubro-negro fica comprometido, debilitado. Aqui pra nós, Marlos Moreno é dose… e, este Uribe, pelo jeito…

Enfim, ficamos reduzidos a Guerrero, que no primeiro tempo ainda rendeu e, no segundo, mal fisicamente, sumiu.

Vamos ao que interessa. Como é que ante problema ofensivo tão agudo, Paquetá é escalado tão atrás?

Uma pessoa ao meu lado, no Maraca, vendo o jogo – e, esta pessoa pouco sabe de futebol – só fez um comentário: “o time do São Paulo parece mais bem arrumado do que o Flamengo”. Sábia observação… até cego percebe…

Em síntese, precisamos arrumar a casa, começando por dar liberdade ao, talvez, maior talento deste elenco. Por favor “professor”, dê liberdade a quem sabe criar. Liberte o Paquetá…

Ah, ia esquecendo. Rômulo, definitivamente, não dá.

Vida que segue… e, por enquanto, segue o líder!!!

De volta para Kléber Leite