O Flamengo fora das quatro linhas

Dimba (Reprodução da internet).

Meu amigo Michel Assef sempre disse que clube de futebol é uma utopia, em que a pessoa entra para fazer amigos e, em fração de segundos ganha um montão de inimigos.

Isto vai de encontro à filosofia de vida do meu inesquecível pai no rádio, Doalcei Bueno de Camargo que, sem medir as palavras, dizia: “o ser humano é um grande filho da puta. Há exceções”.

Juntando-se um e outro, Michel e Doalcei, talvez tenhamos o retrato do Flamengo de hoje fora das quatro linhas. Não vou aqui advogar em causa própria e cansar os meus amigos e companheiros do blog com a sórdida artimanha de que fui vítima, corrigida em primeira instância pelo judiciário.

Neste exato momento, há dois movimentos que chamam a atenção de todos. No primeiro – e que será apreciado hoje em reunião do Conselho de Administração – há a tentativa de impugnação da candidatura de Ricardo Lomba, sob a alegação de que, como Auditor da Receita Federal, estaria impedido de exercer o cargo de presidente do Flamengo.

Na verdade, sem qualquer envolvimento político de minha parte, um argumento absurdo, pois no estatuto do Flamengo não há qualquer menção à possibilidade de impedimento pelo motivo alegado. Na realidade, se fosse o caso, quem teria que se manifestar era a Receita Federal que, até agora, sabedora da intenção de Ricardo Lomba em ser presidente do Flamengo, simplesmente não se manifestou e, por conseguinte, como quem cala consente, está de acordo. Aliás, já há um caso rigorosamente igual, pois, o Fluminense elegeu seu presidente em idêntica situação.

Pior ainda, a iniciativa do candidato de oposição ao cargo de vice-presidente nas próximas eleições, aproveitando-se da posição que ocupa atualmente, de presidente do Conselho Deliberativo, para formar uma comissão a fim de analisar a venda de Lucas Paquetá para o Milan. Na comissão formada, há a figura de Arthur Rocha, responsável pela contratação de Dimba, a mais estranha transação – compra e venda – nos 123 anos de vida do mais querido clube do Brasil.

Incrível como alguém que é candidato da oposição – e atua como presidente do Conselho Deliberativo, com óbvios objetivos políticos – tem a coragem, a ousadia e a cara de pau de colocar em dúvida a dignidade de quem dirige o clube com transparência e absoluta correção.

E, que ninguém venha aqui dizer que é apenas uma comissão para avaliar um fato. Conversa fiada. A atitude foi tomada e a comissão criada, com o propósito de levantar suspeita com relação a negociação envolvendo Lucas Paquetá.

Em síntese, poderíamos ter tido um ano, esportivamente falando, bem melhor, ficando a sensação clara de que, apesar de certa frustração pela perda de alguns títulos que tínhamos condições de conquistar, que, pelo  menos dentro das quatro linhas o Flamengo é bem mais próximo de quem o ama, do que fora delas, onde a vaidade e os interesses pessoais falam muitíssimo mais alto.

1 Comentário

  1. Ah se todos remassem para o mesmo lado.

    Já disse aqui e ratifico: como sócio Off-Rio desde fevereiro de 2013, jamais vou apoiar aqueles que torcem para o mal do clube, visando tomá-lo posteriormente.

    Reply
  2. Caro Kleber,
    É por essas e outras que o nosso amado clube não sai do lugar. Entra ano, sai ano e o Flamengo cada vez mais se apequenano. Se eu sou o Bandeira ja teria procurado o Judiciário. Kleber, não estranhe se as vésperas da eleição a oposição chegar a conclusão que a venda do Paquetá foi uma fraude e que o lomba não possa concorrer a eleição. E pior, O Wallim anda dizendo em canais de YouTube que é o novo Papa Francisco e Bap é o papa João paulo II. Quem sabe o Landim não é Jesus cristo? Enquanto, esses dirigentes que não são Flamengo perceberem que a instiruição é maior que eles, vamos viver de ilusões, de cheirinho e de chacota.
    SRN

    Reply
  3. Grande Guru!
    Evidente que é uma perseguição covarde e rasteira sobre a tentativa de impugnar a candidatura do Lomba.
    Pedro, presidente do Flor e também funcionário da Receita Federal, pediu licença do órgão para cumprir seu mandato.
    Foi essa a informação que li no diário LANCE.
    “O problema em relação à candidatura de Lomba é que ele é fiscal da Receita Federal e há uma lei federal que proíbe servidor público de “participar de gerência ou administração de sociedade privada, personificada ou não personificada, exercer o comércio, exceto na qualidade de acionista, cotista ou comanditário”…
    Independente do problema acima mencionado, está mais que claro, a perseguição escancarada da oposição. Acho até, que a partir desse episódio, já não estão mais tão a vontade como antes.
    A impressão que tenho, é que os sócios estão vislumbrando o que realmente ELES são. Prepotentes, arrogantes, pretensiosos e, enfim, mais preocupados com eles que com o Flamengo.
    Varrer com os “cupins do clube”, nada mais é, que retomar o que perderam nas urnas, de forma vexatória e de goleada.
    A nova/velha gestão, com hábitos covardes e oportunistas, a cada dia que passa, demonstra claramente que o Flamengo é irrelevante para as ambições deles…
    O poder acima de tudo e de todos, custe o preço que custar…

    Reply
  4. Infelizmente Kleber, tens total razão. O Flamengo é utópico e megalomaníaco dentro e fora de seus corredores da Gávea.

    Enquanto 40 milhões continuarem a achar que:

    -Flamengo é tão somente futebol;
    -Que temos que ganhar tudo a qualquer custo;
    -Que um título vale mais que uma estrutura bem montada e de primeiro mundo como no Ninho do Urubu;
    -Que salários atrasados não são mais realidades no clube;
    -Continuarem a negligenciar a política interna do clube;
    -Negligenciar as finanças do clube, como outrora;
    -Pagar as nossas dívidas não era obrigação…..

    Seremos utópicos e megalomaníacos.

    Reply
  5. Eduardo bandeira teve seus erros ..poren vai deixa sua marca registrada…pra me ta de parabens. Prefiro o que ele vai deixar do que se a gente tivesse ganhado um brasileiro..por isso vira naturalmente

    Reply
  6. Então ficamos combinados assim: Temos uma baita estrutura, um CT de Primeiro Mundo, dívida equacionada, ações trabalhistas sob controle, salários e impostos em dia, todo ano classificados para a Libertadores. Que bela empresa, bem administrada, tudo certo! Só faltou um detalhe nesses seis anos(SEIS ANOS, não são seis meses): Um título de expressão nacional ou internacional. Ah! Isso é bobagem, afinal temos 40 milhões de torcedores que deveriam se dar por satisfeitos, título pra quê? Corinthians, Palmeiras , Grêmio são campeões todo ano mas não tem os balanços no azul como nós. Que orgulho, Sr. EBM, que orgulho!
    Até quando vamos aturar isso?

    Reply
    • Valeu, bom mesmo deve ser ficar 17 anos (de 1995 a 2012) com um (1) título brasileiro e uma (1) Copa do Brasil, que orgulho, não?! ahh, esqueci 2005 também é tido como título por não termos sido rebaixado (vide a ironia de Felipe Melo).
      Satisfeito com o futebol, não estou. Mas que é verdade que subimos de patamar, não podemos negar. Hoje o Flamengo disputa (de verdade) todos os campeonatos que disputa, e isso pode ter a certeza que continuará na próxima gestão, seja ela quem for. Claro, torceremos por títulos.
      SRN

      Reply
    • Depende meu amigo. Se para ganhar título tem que enganar ou dar tombo nos outros e mesmo assim ficar correndo para não cair, prefiro sem títulos. Sou Flamengo independente do time ganhar ou não. Prefiro almoçar arroz e feijão do que caviar e depois com cobrador ou oficial de justiça na minha porta.

      Reply
  7. Não tenham dúvidas, o Bandeira não ganhou título de expressão pelo Flamengo , nas deixa uma estrutura p que as próximas administrações possam ter condições de levantar muitas taças, parabéns EBM !!

    Reply
  8. Como sócio do clube desde 1977, afirmo com tranquilidade que o grupo da situação é que pode dar a segurança que o clube merece e precisa. Tivemos falhas na administração Bandeira? Evidente que sim, mas em compensação mais de 400 milhões de dividas foram quitadas e nunca mais apareceu o nome do clube em editais de protestos e cobranças. Votar na chapa que o Bandeira apoia é o melhor para todos nós, pois aventureiros querem novamente dominar o clube para talvez permanecer por lá uma eternidade como foi no passado. Uma sugestão que vou dar ao nosso futuro presidente Lomba: Kleber Leite vice presidente de futebol. Com apoio explicito do Kleber e sabendo que ele será o comandante do futebol no clube, é a certeza da vitoria. Vamos divulgar, vamos pedir, vamos ganhar.

    Reply
  9. É lamentável esse tipo de atitude da oposição, se aproveitando dos conselhos do clube para tumultuar o ambiente e se auto promover. Espero que os sócios tenham o bom senso de avaliar o risco de uma mudança radical agora. Com o grupo do EBM sabemos que o clube não corre riscos, faltando apenas “descobrir” que se faz necessário alguém que realmente entenda de futebol à frente desta pasta. Acho que após 6 anos ele já deve ter aprendido o caminho das pedras. Eu não quero ver o meu Flamengo correndo riscos na mão de pessoas que já demonstraram ter pouca ética, ou quase nenhuma. Por um Flamengo estável e vencedor, dentro e fora de campo, FORA Landim e Rodrigo Dunshee!!!

    Reply
  10. Prezados,
    Lamentável que o processo eleitoral do Flamengo esteja caminhando para uma “vasquização”, ou seja, cheio de manobras e artifícios que fatalmente o levarão para o Judiciário… Essa sede por poder, da chapa composta por grande parte dos derrotados do último pleito, presidida por um sujeito que nem no Flamengo estará, é bastante preocupante. Temo ver que tudo que avançamos em 6 anos seja jogado no lixo…
    E que me desculpem os que acham que foram “seis anos de derrota”, vocês devem estar sofrendo amnésia que apagou todo o ocorrido entre o final do anos 90 até 2012… Prefiro muito mais ficar puto por se segundo, vice da Copa BR e Sula, do que festejar a manutenção na série A, ver Libertadores apenas de 5 em 5 anos e ver os jogadores um pouquinho melhores saindo com liminar da Vara do Trabalho…

    Reply
    • Concordo e assino embaixo com honras! Esse povo derrotista fala como se o Flamengo tivesse sido, depois dos anos 80, uma grande máquina dentro e fora de campo. Esqueceram do Vampeta zoando, dos outros que saíam pq não recebiam, do que é passar metade (senão mais) do campeonato na zona de rebaixamento, vendo a torcida invadir e jogar rojão nos jogadores, enfim… aliás, também como se desse pra ganhar tudo todo ano no Brasil. Nego acha que é Europa, que tem 2 times brigando por título todos os anos…

      Reply
  11. Kleber,concordo com o colega relatou acima….meu sonho era o senhor vir de VP de futebol e o Braz vir de diretor de futebol em uma gestão da SITUAÇÃO com o Lomba de presidente e o Wrobel no patrimonio…..ae mesmo com esses chacais remando contra,a formula de sucesso seria certa…..será que os chacais não querem se candidatar a um pleito la em são cristovao nao?

    Reply
  12. Nem tanto ao céu nem tanto à terra, meus amigos. Não podemos – jamais – negligenciar os enormes ganhos administrativos e financeiros que tivemos nos últimos anos, frutos de um movimento que ao longo do tempo desprendeu-se de sua essência em meio às mais vis vaidades de muitos, hoje travestidos de situação e oposição. Todavia, justificar a continuidade do que aí está – e vejam, refiro-me não a pessoas ou correntes políticas, mas sim a atual situação desportiva de nosso futebol – é nos apequenarmos. De fato, ocupar posições nas primeiras páginas de tabelas é o mínimo que podemos esperar de um clube da magnitude, força e paixão, modéstia à parte (nem tão à parte assim). Disputar nunca nos bastou, tampouco bastará qualquer que seja o tempo, qualquer que sejam os homens. Infelizmente, o nível político ora apresentado não nos leva a imaginar dias vindouros repletos de glorias dentro dos gramados. Enquanto isso, vemos nossos adversários do continente, brasileiros e hermanos, somando taças que têm passado longe de nosso território. O continente é pequeno diante da grandeza – ainda potencial, dói frisar – de nossa nação. Mais Flamengo e menos baixarias, Srs. Vaidade e soberba não combinam com nossas matizes. Ainda sonhando em ver os objetivos do clube acima dos pessoais, em tocar reunir e perceber as forças que lá existem novamente convergindo. Sonho? Talvez. Deus me fez assim, Flamengo até morrer!

    Reply
  13. Com todo o respeito aos amigos, o Flamengo nao pode se contentar com vice, 6o lugar e tais. O clube se organizou, se fortaleceu e agora temos que ganhar. Nos brigamos para nao cair pq tivemos Edmundo Santos Silva que destruiu o clube. Disso, o Kleber pode falar melhor.
    Mas o nosso DNA e vencer. Nao podemos nos contentar com menos. Isso e papo de derrotado, perdedor. E mesmo quando brigavamos para nao cair, nos nunca caimos. Pq? Por causa dessa camisa. No Maracanã eramos temidos. Hoje, antes do jogo, ja sei o resultado. Temos q mudar. Ver CUrintia e Crefisa passando o rodo nao da.

    Reply

Comente.