Para refletir

O Flamengo é finalista da Copa do Brasil sub 17. O primeiro jogo, em Santos, 1 a 1. Em Nova Iguaçu, com um gramado perfeito, novo empate e, pelo mesmo placar. Nos pênaltis, o Flamengo eliminou o Santos e a final será contra o Fluminense, que superou o Palmeiras (veja o último pênalti e a comemoração da garotada no vídeo acima, publicado na conta oficial do Flamengo no Twitter).

Claro que torci e fiquei feliz com a classificação para a final, porém, um detalhe muito me chamou atenção. Estou impressionado como hoje em dia, até a garotada demonstra um egoísmo preocupante. O Flamengo, mesmo com dez jogadores no segundo tempo, poderia ter vencido e, isto só não ocorreu em função de, em três oportunidades, o “farinha pouca meu pirão primeiro” dominar as cabecinhas dos nossos jogadores.

No desespero de aparecer a qualquer custo, os meninos abriram mão do jogo coletivo e, por pouco, em função disso, não perderam a vaga para a final. Em três oportunidades no segundo tempo, tendo um companheiro completamente livre para fazer o gol, o egoísmo falou mais alto, quase comprometendo o objetivo que era a vitória.

Acho que estas atitudes têm muito a ver com as influências ruins. Não deve faltar quem fique buzinando no ouvido dos meninos que o jogo, o clube, o objetivo, enfim, tudo é segundo plano. O negócio é meter gol, pois este é o caminho mais rápido e eficaz para aparecer.

Que as influências do mal existem, não tenho nenhuma dúvida. O que me preocupa, pelo que vi neste jogo, é que não haja um trabalho no sentido de conscientizar a garotada que o futebol é um esporte coletivo, onde o egoísmo não cabe, pois pode contaminar e comprometer o resultado. Tomara que os dirigentes e comissão técnica tenham notado esta aberração e que hajam rápido.

Neste jogo, um lance curioso que eu estava doido para ver. Na cobrança de pênaltis, o jogador do Santos fez a cavadinha e, bem-feita. Só que o goleiro do Flamengo não escolheu nenhum canto para pular. Parado ficou e, com extrema facilidade, fez a defesa. O santista ficou com cara de bobo. Certamente para ele, cavadinha, nunca mais…

1 Comentário

  1. Essa garotada, que não é nada diferente de Paquetá e Vinícius Junior em termos de preciosismo, deveria se espelhar no volante (5) DANIEL CABRAL. Um protótipo de Carpegiani no trato com a bola. Um jogador objetivo e clássico que não dá mais que 2 toques na bola.
    Esse “egoismo” é rotina em TODAS as categorias de base do Flamengo.

    Reply
  2. Caro Kleber
    O Egoísmo, não é um mal só dos jogadores do Flamengo, é o mal da sociedade. Quanto aos garotos, pra quê investir na base? Entra ano, sai ano, a diretoria só contrata, contrata e nunca dão chances para os moleques. O último que teve chance tá saindo esculachado do Flamengo, mesmo tendo deixado milhões no cofre do clube e ser o grande responsável pelo time ter mudado de patamar. Digo, Paquetá.
    SRN

    Reply
  3. “Remato Gaúcho”

    Kleber meu queridão! Mudando de assunto, se me permite!

    O caso Renato Gaúcho em 2019, assim como o Brasileirão 2018 me parece “fatura encerrada”.

    As declarações na coletiva deixaram bem claro que ele ficará no Grêmio. Aliás ele só não ficaria em duas situações:

    A primeira se o Grêmio não tivesse disposto a continuar pagando os 1mi que ele recebe, e nesse quesito o Grêmio aumentou a oferta para 1.3mi + gratificações + hotel + passagens para o Rio!

    A outra possibilidade seria “apalavrar” o técnico conosco em 2019, o que é literalmente impossível antes das nossas eleições!

    Disposto a pagar, o que fez o Grêmio? Apalavrou com o Renato antes das eleições rubro negras! Cheque matte!

    Como se diz no Turfe, Abel Braga na gestão Godinho é “Pole de 10”. Na gestão Lomba, Dorival fica.

    Em resumo, Renato Gaúcho é muito um sonho de consumo rubro-negro em função do que sua imagem e história representa para o clube.

    Do ponto de vista técnico esta obviamente super-valorizado, exemplo: “Não é mais técnico” que Dorival e Abel Braga por exemplo, duas de nossas opções para 2019, concordas?

    Saudações!!!

    Reply
    • Nino,
      Essas eleições do Flamengo deveriam ser no final de outubro ou início de novembro, dando maior prazo para a transição e possibilitando que o Presidente eleito já inicie o planejamento da temporada seguinte… Eleições em dezembro se configuram como um atraso para o futebol, pois todos os bons jogadores e técnicos já se ajeitaram e pré negociaram com outros clubes. O clube perde boas oportunidades com essas eleições no final do ano.

      Fica dica aos que tem voz ativa no clube!

      Reply
      • Diego meu nobre!

        Sinceramente não acredito que a mudança da data de eleição mudasse esse cenário!

        Ter uma nova diretoria eleita no meio do ano por exemplo, ao meu ver é pior!

        Saudações!!!

        Reply
  4. Bom Dia Kleber.Acordei hoje na intenção de comentar o jogo de ontem que vi na íntegra e para minha surpresa vc também viu.
    Qdo li o título imaginei que se vc escrevesse algo fora daquele contexto que ambos vimos vc ia tomar uma canelada rs,e infelizmente vimos o mesmo jogo.Dentro do seu texto gostaria de ressaltar as”Influências” e embora vc não tenha especificado porquê são inúmeras as variantes gostaria de destacar a família,isto já começa cedo com o endeusamento da criança por acharem que estão acima do bem e do mal.
    PS.O que deu na cabeça do lateral direito em dar um soco no rosto do jogador do Santos que estava imobilizado pelo nosso goleiro,tremenda covardia.

    Reply
  5. NIno, amigo,
    Como comentou,com extrema propriedade, o nosso Diego, esta eleição no final do ano engessa qualquer possibilidade de planejamento. Realmente, isto precisa mudar.
    Lamento que não tenha havido a tentativa de, ante objetivo comum, as duas chapas não trabalharem juntas. No caso, se Renato for consenso, um absurdo já não estar contratado.
    Forte abraço.

    Reply
    • Sinceramente meu Guru!

      Mesmo com todos os esforços possíveis, considerando as ações do Grêmio em manter o técnico, RG ficou literalmente fora de nosso alcance…

      Ele esta excessivamente valorizado e justamente prestigiado no Grêmio.

      Saudações!!!

      Reply
  6. Os garotos são assim , porque , assim como nos profissionais, na base também falta homem para falar grosso com os atletas…Falta disciplinadores tipo: Tele, Leão, A.Lopes,Solich…..
    Futebol ta com muito “mimimi”…

    Reply
  7. Caro Kleber,
    Sou seu fã desde à época da Rádio Globo, Tupi; gostaria de dar minha opinião, concordo co a opinião do Nino, Abel/Dorival não ficam devendo nada ao Renato, Renato é muito marketing, é muito protegido da imprensa; vou dar um exemplo no último jogo entre Flax Grêmio, o Renato tirou um tak de Mateus Fernandes, jogodar de meio de campo, que estava fazendo um bom jogo, ou seja abriu o meio de campo, o que fez o Dorival, colocou Marlon e Berrío aberto nas pontas e matou o jogo, ou seja, é um técnico comum, pagar um caminhão de dinhiero é jogar dinhero fora, cantrate um bom jogoador com esse salário vc verá que é mais negócio. Em tempo: O Flamengo precisa de uma diretoria competente, um diretor de futebol(mas de futebol!), uum coordenador de futebol, de pele rubronegra e colocar ex-jogadores no futebol, infantil, juvenil e júnior, o resto aNação faz.

    Reply

Comente.