Com susto e sem zebra

Júlio César defende pênalti decisivo. (Foto: Magalhaes/JR)

Estava em dúvida sobre que jogo assistir na rodada da degola. Meu afilhado Roger Flores sugeriu o jogo do Vasco que, para ele, seria mais animado. E, ainda argumentou que a Globo centralizaria a transmissão em Vasco x Ceará, entremeando com os principais lances de Fluminense x América Mineiro.

As emoções ficaram guardadas para o segundo tempo, em especial, após o gol do Sport, pois se o Vasco levasse um, estaria rebaixado. Por este jogo, o Vasco mereceu permanecer, pois perdeu dois gols, enquanto que o Ceará, perdeu um.

E o Fluminense, hein? O herói foi o goleiro Júlio César que, até pênalti pegou. Após oito jogos sem marcar, no momento perfeito, pintou o gol da salvação.

Enfim, os dois cariocas se safaram. Pode até neste blog rubro-negro não ser “politicamente correto”, mas prefiro ser honesto comigo mesmo e afirmar que entendendo o drama, torci para Fluminense e Vasco não serem rebaixados. Não vejo nenhuma graça quando um grande clube cai para a segunda divisão.

Hoje, ouvindo algumas opiniões no rádio sobre o ano rubro-negro, deu vontade de entrar no ar para dizer que o papelão deste ano sem nenhum título pode ser resumido da seguinte forma:

1 – Liderança institucional, nota zero.
2 – Liderança no departamento de futebol, nota zero.
3 – Competência na condução do departamento de futebol, nota zero.
4 – Contratações, nota zero!!!

De bom, só a nossa torcida. Nota 1.000!!!

Que 2019 chegue rápido e que as lambanças não sejam repetidas.

1 Comentário

  1. Eu flamenguista há mais de 55 anos, confesso ter torcido para o Vasco e o Fluminense permanecerem na primeira divisão. O Rio está numa crise impar, não só economica, mas de ética, de moral, de falta de respeito e claro de futebol.Nunca vi o futebol do Rio andando tão rapido ao ostracismo. O Flamengo, colioca uma média de mais de 50 mil pessoas em seus jogos e os outros? Cade o Botafogo, Fluminense e Vasco? É hora de retomada do Maracanã, é hora de da propria radio Globo voltar a andar de maõs dadas com o futebol do Rio, unindo-se futebol, radio Globo, radio Tupi e torcedor. Talvez tenhamos que resgatar o Maracanã, fazendo nele os principais jogos porque ele é o futebol do Rio. Os 4 grandes deveriam priorizar o Estadio, fazendo com ele o socio torcedor. Adianta muito pouco o Flamengo rico e sem adversarios no Rio.Empresários do ramo, como o proprio presidente Kleber Leite que é do ramo,estudando formulas,ações, para reerguer o futebol do Rio.Evidente que teriamos de ter a participação de politicos, mas é o jeito, antes que tenhamos que em 2019 ficar torcendo para que dois ou tres grandes clubes não caiam.

    Reply
    • Caro Gustavo, dos 3 o Vasco é o unico que tem potencial de receita porque tem um torcida grande,mas Flu e Bota muito difícil ter estrutura física e financeira para competirem na elite do futebol Brasileiro. A não ser que aconteça de outra Unimed botar dinheiro em um desses 2, caso contrário serão cada vez mais pequenos. E o Vasco precisaria de um forte programa de austeridade , pagamentos de dividas e remodelagem do seu estádio para em um futuro ter estrutura financeira e física para ser competitivo.

      Reply
  2. Fluminense se salvou na bacia das almas e o Vasco porque o Ceará não precisava mais. Se precisasse, o Vasco cairia. Lamento, sinceramente, por esses clubes, pois a mentalidade do Flamengo ainda é ser o maior do Rio. Os adversários são tristes.

    Quanto ao ano do Flamengo, discordo totalmente de quem fala em ano fracasso, série de vexames, isso e aquilo. Parece que o time lutou para não cair, o clube viveu dias de salários atrasados e o noticiário ficou mais na página policial do que na esportiva.

    Esse cenário de caos não me agrada e pode fazer ressurgir pessoas que muito maltrataram o clube nas últimas décadas. Vamos aguardar o dia 8.

    Reply
  3. Henrique, amigo,
    Acho que, embora muitíssimo bem intencionado, você mistura as estações.
    Não falei em, administração, marketing, finanças ou patrimônio. Falei de, FUTEBOL!!!
    E, com o que foi gasto, de forma incompetente e inconsequente, não há como não se criticar. O ano acabou e, nem o campeonato carioca conquistamos. Você acha isto normal?
    Este ano, perdemos o tempo todo para nós mesmos. Sobrou soberba. Faltou um mínimo de sensibilidade, humildade, conhecimento de causa, competência e sorte. Faltou tudo!!!
    Forte abraço.

    Reply
  4. Sem dúvida, o ano do Flamengo foi de imenso fracasso sim.
    Se vc tem recursos, vc investe e se investe tem que ter retorno.
    Como quem comandou o clube nesses anos só entende de finanças e nao de futebol e o que é pior; sao prepotentes, ganaciosos e extremamente vaidosos, o futebol foi por agua abaixo e só chegou em segundo, porque esse foi tecnicamente o mais fraco dos brasileiros até hoje disputado e alguns times como cruzeiro e Grêmio priorizaram outras competiçoes.
    Não pode um clube como o Flamengo, disputar um carioca contra esses clubes que lutam apenas pra não cair no brasileiro e sequer chegar a final.
    Não pode ser eliminado por um clube que na libertares foi eliminado pelo colo colo e quase cai no brasileiro e não conseguir vence-lo, sendo que uma semana depois venceu esse time em sua casa por 3×0.
    Não pode comemorar um segundo lugar em um brasileiro, quando vc investe em apenas um jogador 54 milhoes. Valor esse que acredito que no máximo 6 times investiram pro ano todo.
    Não pode pagar quem comanda o futebol, premios; por 2 vice campeonatos.
    Comemoram a melhor campanha do brasileiro em pontos concorridos? Melhor campanha uma ova. Melhor campanha foram nos anos de 80,82,83,87,92 e 2009 que fomos campeoes brasileiros. Melhor campanha é quando vc é campeao, o resto é desculpa de incompetentes que maltrataram o torcedor com tecnicos estagiarios, com jogadores ridiculos (vide URIBE), com renovaçoes paternalistas e discursos sempre conformistas.
    Grana que gastaram com Vitinho que é um jogador bonzinho, com conhecimento de causa, dava pra contratar no minimo 3 jogadores de extrema qualidade.
    Mas como o presidente Kleber citou, sobrou soberba e falta de conhecimento de causa.
    Que venha 2019.

    Reply
  5. “Reflexões Rubro Negras – Elenco de Putas”

    PUTAS PELAS PATAS (Rogério Skylab)

    Então você me deu a mão.
    Puro gesto tresloucado.
    Você me deu a mão e
    eu não pude imaginar.

    Que a mão pudesse se dar.
    Você a deu
    como quem diz :
    viu, a mão se dá.

    Ah, puta, logo compreendi.
    És puta para estender
    a pata, não a mão.

    Que puta não tem mão,
    tem pata, como todas :
    putas pelas patas.

    Reply
  6. Torci muito para o rebaixamento do Sport, alias quero o falso campeão de 87 na serie C…E o bom foi que a Chape não caiu !
    Quanto aos cariocas, se mantiverem essa submissão a FERJ e a CBF vão continuar somente lutando contra o Z4. Com o titulo do Palmeiras, os paulistas chegaram a marca de 32 títulos brasileiros, ou seja , mais que Cariocas , Gaúchos e Mineiros juntos..precisamos acordar urgente !
    No tocante a futebol somente, óbvio que o maior fracasso carioca em 2018 foi o Flamengo ! Pois gastou mais do que os outros 03 grandes juntos e ganhou o que? Certidão negativa de débitos da Light e da Cedae ! .
    Melhor fez o Botafogo que gastou 1/3 do Flamengo e ainda ganhou o estadual… Isso comparando apenas 2018, porque se compararmos os últimos 05 anos o fracasso rubro negro só é inferior ao time do Eurico , que foi duas vezes rebaixado …. em 05 anos nossa incompetente diretoria gastou 300 milhões !
    Pior, que a dupla DEBI e LOIDE, que lideram a nossa corrida presidencial , dificilmente terão competência para mudar esse quadro de vexames !
    chapa branca neles…

    Reply
  7. Uma coisa é certa, o EBM foi o presidente que mais mandou bananas pra torcida, sinais obscenos, tudo isso escondido atrás de 3,4 brutamontes pagos pelo clube. E sábado fechou com chave de ouro, protagonizando mais uma confusão com a torcida, logo nossa torcida, que é o maior patrimônio do clube.

    Reply
  8. “O Dono do Puteiro”

    Quantos Maracanaços Rubro negros foram na gestão EBM?

    Eu comecei a registra-los após 0x3 do Corinthinans no 1o. turno do Brasileirão de 2015.

    De lá para cá formam seguramente mais de 6 edições desse vexame rubro-negro!

    Saudações!!!

    Reply
  9. Caro Kleber, a temporada chega ao fim e com ele a hora da análise e cobrança pelos objetivos não alcançados. Não direi que esse ano foi o mais decepcionante na nossa história pois 1981, por não termo a sido campeões do brasileiro, é imbatível. Além de tudo que está em seu post, uma coisa que me incomodou enormemente foi a indolência, a falta de comprometimento, a facilidade com que nossa equipe aceitou as derrotas ao longo de todas as competições em que participamos. Contra o time Paranaense não foi diferente. Mesmo com o estádio lotado de rubronegros os jogadores, desde o momento Inicial, jamais demonstraram garra, vontade de vencer, um mínimo de respeito com todos os torcedores presentes no Maracanã ou espalhados por todo o Brasil. Pra mim, o segundo tempo, principalmente, foi motivo de vergonha e revolta. Espero que a nova diretoria coloque no departamento de futebol alguém que realmente conheça futebol. Também não vejo diferença entre as chapas encabeçadas pelo Lomba e pelo Valim mas a presença do atual responsável pelo CoDe desequilibra negativamente para a chapa branca e me faz torcer pela Vitória da chapa apoiada pela situação. Abraços.

    Reply
  10. Pessoal, vale dar uma lida na coluna do Renato Mauricio Prado de ontem:

    “A partida não valia nada e, por isso, quando ouvi a algazarra da cachorrada lá fora, até estranhei. Mas era ele mesmo quem chegava.

    – Veio comemorar o vice, Bagá? – provoquei.

    – Nada a comemorar em 2018, chefia. Vim dar adeus a uma temporada em que poderíamos ter ganhado um bando de canecos, mas saímos de mãos abananado, por causa da incompetência dos que caras que dirigiram o nosso futebol. Graças a Deus, estão de saída – replicou o ciclope, com cara de poucos amigos.

    Anunciada a escalação, o monstro, já devidamente aboletado no pufe do salão, torceu o nariz:

    – Vitinho no banco? Por que jogar com dois volantes, contra os reservas do Furacão, num jogo que não vale nada? Devia ter entrado com o Paquetá ao lado do Arão e mantido o Vitinho – resmunga.

    Contra-argumento, lembrando que o jogador andou sentindo dores musculares durante a semana, mas o ciclope responde com um muxoxo:

    – Então, não deveria estar nem no banco. E está.

    Bola rolando, o jogo é morno. Pouco mais que um casados e solteiros de festa de fim de ano. Bolinha na tela anuncia gol do Atlético Mineiro, contra o Botafogo, em Belo Horizonte. E o confronto do Maracanã passa a valer menos ainda, pois o resultado do Independência garante a sexta vaga para o Galo, obrigando o Furacão a buscar a sua participação na Libertadores através da Sul-Americana.

    Coincidência ou não, em seguida, Diego bate um escanteio e Rodolpho, de cabeça, abre o placar no Rio. Sisudo estava, sisudo continuou o Bagá:

    – Não vai comemorar? – estranho.

    – Comemorar o que, chefia? Se tivéssemos demitido o estagiário bem mais cedo, aí sim eu estaria comemorando. O hepta! Mas o Bandeira, o Lomba e o tal do Noval achavam o Barbieri a última bolacha do pacote, deu nisso…

    Aproveito a deixa e pergunto sobre o futuro:

    – Quem você preferia? Renato ou Abel?

    O colosso de ébano apela para a ironia:

    – O Abel, claro. Mas lá em 2016, quando o Muricy saiu e o trouxa do Bandeira não quis. Já imaginou quanta coisa teríamos ganho de lá pra cá? Aí inventaram o Zé Ricardo, depois o Rueda, que só veio pra nos deixar na mão, o Carpegiani e o estagiário. Abelão vai chegar agora com quase três anos de atraso! Mas é um senhor treinador. Como o Gaúcho. Pra mim, estão ali, cabeça a cabeça.

    Em campo, Diego sofre uma falta dura e me permite puxar outro assunto quente no rubro-negro carioca:

    – Você quer que o Diego continue ou prefere que ele saia?

    – Que fique, claro. Com o Abelão, aposto que o futebol dele vai reaparecer. E com a saída do Paquetá, não podemos perder mais um meio-campo como ele. Mas tem que parar de cartão amarelo todo jogo – comenta, irritado com uma advertência que parecia ter sido dada ao camisa dez por reclamação, mas, na verdade, foi para Piris da Mota.

    Segue o jogo, Everton Ribeiro quase marca, num chute de curva, bem colocado, e o ciclope o elogia:

    – Esse custou a engrenar, mas agora tem jogado o fino. Vai acontecer o mesmo com o Vitinho, aposto. A torcida precisa ter paciência com essa turma que vem lá da conchinchina, completamente fora de forma – ensina.

    Intervalo no Maraca, quero saber do Bagá quais são as apostas dele para os dois rebaixados que ainda faltam e serão definidos hoje, numa rodada pra lá de tensa:

    – Se pudesse escolher, Vasco e Fluminense! – dispara, sacolejando a pança, com uma gargalhada bizarra de poucos dentes e muita gengiva (inflamada). Mas, falando sério, acho que os dois escaparão, porque a Chape não vai ganhar do São Paulo e o América, no máximo, empatará com o Flu. Pra mim, caem Chape e América. O Sport escapa, ganhando do Santos, que já está de férias, lá na Ilha do Retiro.

    – E a final da Libertadores, Bagá? Achou legal ser jogada no Santiago Bernabeu?

    – Uma vergonha, chefia. Um horror, né? Que fizessem no Monumental de Nuñez, com portões fechados. Mas levar pra fora da Argentina? Pra Europa? É assinar o atestado de óbito do futebol na América do Sul. Pra mim, não faz o menor sentido. Já pensou Flamengo e Vasco decidindo o Brasileiro em Miami? – conclui, com uma lógica respeitável.

    A bola volta a rolar no outrora maior e mais bonito estádio do mundo, o Atlético Paranaense coloca alguns titulares e isso é o bastante para empatar e virar o placar da partida, que termina com confusão e expulsões – de William Arão e Roni. De relance, do lado da Fla-Manguaça, se vê uma faixa com os dizeres “Adeus Bandeira, até nunca mais”.

    – É justo, Bagá?

    – É, chefia. Reconheço que ele reorganizou a parada da dívida e montou um CT de respeito. Mas errou o que podia e o que não podia no futebol. Por ignorância e marra. E a alma do Flamengo é o futebol. O resto é o resto. Deu mole na bola, não tem perdão. Ninguém vai sentir falta de um presidente perdedor.

    Cruel, Bagá, cruel. Mas, como sempre, prenhe de razão.”

    Reply
  11. Não acredito que, com a recusa de Renato, nenhuma das chapas tenha procurado Carille. Lamentável. No Flamengo Carille poderia montar uma baita equipe, terá dinheiro, coisa que não teve no Corinthians, fazendo milagre com um Jô que estava afundado na bebida, com o vovô Sheik, Romero e Cia.

    O cara aprendeu durante anos e quando teve oportunidade não decepcionou com um categórico heptacampeonato brasileiro e bi paulista, defesa que quase não levava gols, meio campo de jogadas efetivas e rápidas, ataque mortal, que após boas jogadas construídas, o gol era mera consequência. O time sabia também, sempre que preciso, propor o jogo com infiltrações, tabelas rápidas e triangulações que deixavam Jô na cara do gol.

    Como não cogitar a contratação de um técnico de excelente trabalho recente? Ele está doido para voltar! O Corinthians ofereceu uma merreca de salário, comparado ao que o Fla costuma pagar. Para vocês terem a noção, o Corinthians só ainda não fechou com Carille por não estar conseguindo pagar uma multa de 3 milhões, coisa que não é nada para o Fla.

    Vão querer pagar 700 mil no Abel, que vive de um mundial de 13 anos atrás? Igual o Muricy veio carregando a fama do passado! Olhem o retrospecto recente de Abel, como os times dele jogavam desde o Inter em 2014 quando tomou de 5 da chapecoense com um elenco colorado caríssimo. Além de seu trabalho no Al Jazira que tomou outra goleada de 4×0.

    Acorda Flamengo! Estamos jogando novamente no ralo o planejamento.

    Reply
  12. Caro Kleber, pule de 10: Renê é, com todo merecimento, o lateral esquerdo da Seleção Bola de Prata da Placard/ESPN. O Lucas Paquetá também foi premiado. Abraços.

    Reply
  13. Caro Kléber e amigos!
    Particularmente torçi para a Chape não cair. Por todo sofrimento vivido e que ainda está em nossas mentes, valia uma recompensa vinda do Céu e ela veio.
    O Sport para cair só faltava o Milton Mendes e eles o contrataram. Deu no que deu.
    Quanto ao futebol do Rio e vendo esse time do Fluminense, imagino que a série B faria bem a eles assim como fez ao Inter. O Flu teve sorte num pênalti telegrafado com louvor. E por falar na defesa, por qualquer espirro o goleiro Júlio Cézar caia e ficava batendo papo com o médico. Que Santa vergonha.
    O pior é que dizem que o goleiro foi um herói. Daí se ver o quanto o nosso futebol está em decadência. O futebol está perdendo sua áurea, a sua bravura e luz. No ar estão muitos atores e pseudo jogadores do nada.
    Quanto ao FLAMENGO, será sempre gigante pela própria natureza, torcida imbatível. O grande erro do ano e que foi crucial foi insistir no Barbieri. Daí nota 1000 na administração e uma nota baixa para o futebol.
    Apesar de tudo, anotem aí, o EBM vai ser lembrando por muitos anos pelos grandes acertos: CT, contas em dia, dinheiro em caixa e outros atributos o credenciam para isso.
    Se fosse pelo menos um quilo sensato teria saído como CAMPEÃO brasileiro.
    Mas, depois de tudo não esqueçamos nunca. Entre títulos e glórias o Flamengo era pessimamente visto no mercado. Jamais podemos esquecer a frase do Vampeta. Hoje já estamos de cabeça erguida.
    Que o LANDIM ou LOMBA não invistam nos mesmos erros no futebol. E no dia que qualquer um dos dois atrasar uma conta…..talvez a gente volte a lembrar do passado.
    Nunca será fácil administrar esse clube. O passado precisava ser consertado. Daqui para a frente imagino que teremos outros títulos. Amém!
    SRN

    Reply
  14. Caro Kleber, seu post está perfeito, o futebol do Flamengo foi muito aquém da expectativa ,perdemos nossa essência , alma inclusive . Minha fase de ira com o presidente de finanças Eduardo Bandeira de Mello passou, agora é assimilar mais um ano de fracasso esportivo e focar em 2019 que inclusive já teve uma patinada feia no caso Renato Gaúcho.
    Temos que estar de olhos muito abertos, toda essa turma da chapa azul original, que agora esta dividida não é do ramo do futebol e o mínimo que tem que ser feito é delegar e dar voz ativa a alguém capaz e do ramo pra tocar o futebol, algo claro mas que tenho minhas dúvidas que será feito. Que o fracasso tenha dado um mínimo de humildade e sabedoria a essa turma. SRN

    Reply

Comente.