O jogo

Foto: Staff Images

Foto: Staff Images

Primeiro tempo, de doer. No segundo, brilhou a estrela de Paulinho. Estrela tão brilhante que comoveu até o goleiro adversário…

O placar de 2 x 0 classifica o Flamengo para a próxima etapa da Copa do Brasil e anima a galera para o jogo contra o Vasco. Aliás, o papo que rolava durante o jogo era só sobre o encontro de domingo.

Resumo da ópera: Everton e Paulinho, já!!!

Boite e burrice

No Maraca. Assustado com tanta falta de respeito e incompetência. Falta de respeito com torcedores e jogadores. Incrível que só um terço da iluminação seja usada no Maracanã. Será que ninguém, seja lá de que clube for, vai enquadrar o idiota que determinou esta aberração?

A incompetência é da dupla Flamengo/Maracanã. Como é possível, em 2015, ninguém entender a força da comunicação? Não há um único torcedor na parte frontal às câmeras de TV.

Ruim para a imagem do Flamengo, ruim para o futebol brasileiro. O que custava acomodar o público que está atrás do gol, neste precioso e decisivo lugar.

Quanta incompetência…

Tragédia anunciada

Foto: Staff Images

Foto: Staff Images

Planejamento, nota zero. Tudo errado, desde o jogo de domingo passado, pelo Campeonato Brasileiro, quando os jogadores importantes deveriam ter sido poupados, até hoje, com a escalação de uma zaga lenta, e Samir no banco… De doer…  As alterações foram de matar. Elton… Dizer mais o que…

Ia concluir dizendo que Vanderlei é o responsável por tirar o Flamengo do pesadelo do rebaixamento no Campeonato Brasileiro, da mesma forma que é o responsável pela eliminação na Copa do Brasil. Ia errando. O mérito de tirar o Flamengo do sufoco no Brasileiro foi só dele. A ridícula eliminação da Copa do Brasil, ele divide com os dirigentes e “profissionais” que foram contemplativos e omissos, ante decisões absurdas como a de não poupar os principais jogadores no jogo contra a Chapecoense. O castigo veio a cavalo… Montado por um galo.

Tragédia anunciada…

Seja o que Deus quiser

Foto: Staff Images

Foto: Staff Images

Joguinho complicado este de hoje. Complicado e curioso. Pelo que li e ouvi, embora a vantagem do Flamengo seja considerável, há um temor maior por parte da torcida do Flamengo do que por parte da torcida do Atlético. O fato do jogo ser no Mineirão, a absoluta necessidade de vitória que se encaixe no regulamento, o recente jogo contra o Corinthians e os desfalques no time do Flamengo, são motivos para fazer a torcida do Galo cantar alto… No lado rubro-negro, o fato de, mesmo com vantagem, decidir fora de casa e, principalmente, pelos desfalques, faz com que a turma esteja preparada para torcer como nunca, mas colocando as barbas de molho… A grande vantagem do Flamengo, sem dúvida, foi o placar no Maracanã. Tipo do jogo esquisito em que o Atlético pode colocar 3 x 0, mas se tomar um gol no finalzinho, babau…

Na Vila, o pau também vai comer. A vantagem do Cruzeiro no primeiro jogo foi muito pequena, e um jogo na Vila é muito mais difícil que um no Mineirão. Imprevisível.

Agora, é torcer para o tempo passar rápido, sentar em frente à telinha às dez da noite, e seja o que Deus quiser…

Pingos de uma noite perfeita

Foto: Staff Images

Foto: Staff Images

  • O trânsito de ontem, na ida para o Maraca, foi prenúncio de que estava começando uma noite perfeita. Este horário de 22:00h, criticado por boa parte de quem escreve ou fala sobre futebol, tem a vantagem do deslocamento com facilidade, pois sai fora da hora do rush. Nos jogos que começam às 19:30h, há casos de pessoas que só conseguem chegar para ver o segundo tempo. Numa cidade com trânsito caótico como o Rio, evento, seja ele qual for, quanto mais tarde melhor… O problema é para quem tem que acordar cedo. Menor stress no trânsito e muitos mais bocejos no dia seguinte. É aquele tal negócio: se ficar o bicho pega. Se correr o bicho come.
  • Apesar do noticiário dando conta de que todos os ingressos foram vendidos, havia um número considerável de cadeiras vazias. Tenho quase a certeza de que os cambistas se deram mal. Compraram e não conseguiram repassar tudo, talvez pelo preço dos ingressos que foram majorados por se tratar de uma semifinal de Copa do Brasil ou, talvez esteja na cabeça do torcedor que decisão pra valer é no segundo jogo. Fato é que, o Maraca estava lindo, mas não lotado.
  • Este negócio de não se vender cerveja dentro dos estádios precisa ser revisto. Parece o lance do marido traído pela mulher dentro de sua própria casa que, como solução para o problema, trocou o sofá da sala. O sofá, ou melhor, a cerveja só trocou de lugar. Agora, não mais nos estádios e sim, em todos os botecos vizinhos. O resultado é que na vontade de tomar umas e outras, e na pressa de entrar no estádio, o torcedor acaba bebendo mais do que normalmente beberia com calma no local do jogo. Isto sem falar na confusão para entrar. Quase todos ao mesmo tempo e com a língua já enrolada…
  • O meu primeiro sentimento no jogo foi de preocupação. Já disse aqui e repito agora que em jogo parelho o fator sorte é decisivo e, ontem, o Flamengo de cara perdeu um gol feito. Não bastasse isso, mais duas chances de gol foram desperdiçadas ainda no primeiro tempo. Achei que não era um dia de sopro favorável…
  • A dona sorte, que não deu o ar da graça no primeiro tempo, chegou fogosa e vestida de vermelho e preto na segunda metade do jogo. No primeiro gol do Flamengo, a falta cometida pelo jogador do Atlético foi em cima da linha. Vi e revi, depois em casa, uma dezena de vezes. Realmente foi em cima da linha e, como a linha faz parte da área, foi pênalti, e não marcado pelo árbitro. Como a sorte estava do nosso lado, na sequência deste lance, aconteceu o gol de cabeça de Cáceres.
    No segundo gol, ouve um toque de mão de Cáceres e, como o Atlético levou vantagem no lance, o juiz mandou o jogo prosseguir. Aí, a sorte sorriu duplamente para o Flamengo. Se fosse marcado o toque, Cáceres, que já tinha cartão amarelo, seria expulso e, na sequência do lance o ataque do Atlético não só não deu em nada, como propiciou o contra-ataque do Flamengo com Gabriel derrubado na área. Deu tudo certo…
  • A torcida do Flamengo vibrou com a jogada do habilidoso Gabriel como se tivesse sido um gol. O banho de cuia, de cabeça, dado por ele no início da jogada, foi genial. As entortadas, até o pênalti ser cometido, foram de fazer inveja a Robinho e Messi. Como é bom ver um jogador talentoso… Melhor ainda, com a camisa do nosso time…
  • O companheiro do Diário Lance que foi o responsável por dar as notas aos que atuaram neste jogo, sapecou uma nota 4 para Léo Moura que, com todo respeito, a meu ver, fez uma partida perfeita. Se não foi mais agudo pela direita, foi pelo fato daquele espaço ter sido ocupado pelo Marcio Araújo, este sim, em noite de pouca inspiração. Imaginei até que, no segundo tempo, Vanderlei pudesse trocar o posicionamento dos dois, fato que não aconteceu.
    Parece que a bola tem uma profunda atração pelos pés de Léo Moura. Talvez pela maneira delicada como sempre é tratada. Isto sem falar no molejo do nosso lateral e, por isso, o adversário nunca sabe para que lado ele vai. Léo Moura, a meu conceito, está a cada jogo escrevendo seu nome na página dos melhores jogadores do Flamengo em todos os tempos. Talento, caráter ímpar, liderança e tempo de casa. Este é o nosso Léo.
  • E o Samir, hein? Parece um veterano. Esta é a maior joia deste elenco do Flamengo.
  • Não tão jovem, pois já tem 27 anos, quem também está brilhando e conseguiu por méritos próprios o seu espaço foi o goleiro Paulo Vitor. Para mim, tem sido uma alegria especial ver o sucesso do menino com quem convivi e sempre acreditei. Paulo Vitor se transformou num baita goleiro. Neste episódio, não se deve esquecer da presença de Vanderlei Luxemburgo, que acreditou e apostou no goleiro que muitos duvidavam e que hoje é quase unanimidade.
  • Como não há nada na vida, por melhor que seja, que não tenha um lado negativo, o ruim de ontem foi a contusão de Everton. Como a contusão é muscular, preocupa. Acho até pouco provável que jogue quarta-feira. O problema maior é que, pela sua forma de jogar, Everton não tem um substituto. A esperança é Vanderlei tirar um coelho da cartola…
  • E por falar em Vanderlei… ALÔ VANDERLEI!!! DOMINGO, CONTRA A CHAPECOENSE, RESERVAS E JUNIORES DO GOLEIRO AO PONTA ESQUERDA!!! NADA DE DAR SOPA PARA O AZAR!!! Por favor

Hora errada

Quase todos os assuntos pertinentes ao Flamengo são pesquisados e divulgados na internet pelo grande rubro-negro Mario Cruz. Em meio a noticiário farto e variado, eis que surge um fato novo e preocupante. O papo é que Vanderlei Luxemburgo estaria entrando numa esteira de atrito com a diretoria do Flamengo. O que se comenta é que, como estava afastado das quatro linhas por falta de interesse dos grandes clubes brasileiros, Vanderlei resolveu encarar o desafio proposto pelo Flamengo, e topou o salário de 300 mil reais, salário este bem inferior ao que recebia na época das “vacas gordas”.

Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press

Foto: Paulo Sérgio/LANCE!Press

O tempo passou e se hoje não está uma maravilha para o Flamengo, verdade é que melhorou bastante. Vanderlei encontrou o Flamengo na lanterna do Campeonato Brasileiro e, hoje, o clube ocupa a décima primeira posição, tendo a princípio, afastado o fantasma do rebaixamento. Faltando nove jogos para o final do campeonato, basta ao Flamengo vencer três e aí já estaria com 46 pontos ou, livre matematicamente do mico de ser rebaixado. Além disso, Vanderlei colocou o Flamengo na fase semifinal da Copa do Brasil. Inegavelmente um belo trabalho, com um elenco que podemos classificar de mediano.

Agora, o que se comenta é que Vanderlei começa a discutir o seu futuro na Gávea, já tendo colocado na mesa o quanto quer para continuar. Pelo que comentam, a pedida é superior ao dobro do salário atual e, para ficar, Vanderlei exige a contratação de três reforços de peso.

Não gostaria que este tema caísse na discussão se Vanderlei vale o que está pedindo. Acho até que, dependendo da produtividade, pode-se ir até além do que ele pede e, sobre os três reforços, isto me parece óbvio e me recuso a acreditar que a diretoria do Flamengo não pense da mesma forma. O que discordo, é com relação ao momento, pois futebol é algo muito mais sensível do que a maioria possa imaginar e, este tipo de coisa acaba atrapalhando. Vira assunto prioritário nas rodinhas, causa desconfiança e tumultua o ambiente. Pelo ponto que se chegou, há duas soluções. A primeira, se a diretoria estiver convencida de que o melhor para o Flamengo é Vanderlei continuar, é acertar “ontem” com o treinador e tornar público. A segunda, se não há uma certeza por parte da diretoria, é chamar Vanderlei, e dizer que um dia após o último jogo decisivo para o Flamengo, seja pelo Brasileirão ou pela Copa do Brasil, o assunto será discutido entre as partes. E, claro, obter o de acordo de Vanderlei, o que evitaria qualquer tipo de risco de ir ele para outro clube.

Enfim, tudo normal, num momento inoportuno.

 

 

Maratona

Foto: Staff Images

Foto: Staff Images

Quarta-feira o jogo é contra o Inter, no Maraca. Depois, viagem “continental” para Manaus. Jogo no sábado contra o Botafogo. Retorno ao Rio e na quarta seguinte o primeiro jogo decisivo pela Copa do Brasil contra o Atlético Mineiro. Se palpitar pudesse, optaria pela força máxima contra o Inter, motivando o time e a torcida. Este é o jogo chave. Ganhando do Inter, um super e suculento mistão em Manaus para o jogo contra o Botafogo, com o time que vai decidir contra o Atlético, treinando e descansando no Rio, livre desta viagem de sete horas. Se não houver uma estratégia inteligente, só um milagre de São Judas Tadeu…

Fla gangorra

E a gangorra voltou a parar na parte de baixo e com isso, um domingo triste para a torcida do Flamengo.

Foto: Heuler Andrey/Getty Images

Foto: Heuler Andrey/Getty Images

Um jogo de lances e atitudes pouco comuns. O gol do Flamengo foi de autoria de quem jamais imaginou fazer o gol. Neste caso, a regra é clara, mas, com todo respeito, não é justa. Èverton foi quem teve a intenção de chutar a gol e a bola entraria de qualquer forma, mesmo que não resvalasse em Eduardo da Silva, que acabou ganhando um gol de presente.

Este zagueiro Marcelo, que na sua estreia no Maracanã demonstrou muita afobação, com a sequência dos jogos foi melhorando. Dependendo de uma série de fatores pode até se tornar um bom zagueiro, desde que, para começar, entenda que o futebol exige que a cabeça funcione e, bem. No lance do pênalti, foi afobado e não usou a cabeça. Bastava acompanhar o atacante do Atlético Paranaense e, na pior das hipóteses, aconteceria um escanteio. O carrinho foi muito pouco inteligente. Quando a cabeça não pensa… o Flamengo, dança…

Aos 13 minutos do segundo tempo, também de forma afobada, Vanderlei tirou três jogadores, colocando outros três. Perigoso, pois se houvesse algum caso de contusão o time ficaria inferiorizado numericamente. Se as alterações fossem feitas depois dos trinta minutos do segundo tempo, tudo bem. Jogar quase metade de uma partida sem poder mais fazer nenhuma alteração foi um risco sem a menor necessidade. Por falar nisso, nenhuma das três substituições contribuiu em nada para que o panorama do jogo fosse modificado.

Infelizmente, alguns jogadores que às vezes brilham quando entram no decorrer do jogo, quando começam, não conseguem convencer. Quando muito se esperava do Gabriel, o taco espirrou… e, pelo jeito, Alecsandro, sem ser nenhuma sumidade, vai fazer uma falta enorme. Neste jogo, deu para reparar que Anderson Pico, que parece ser bom jogador, está realmente meio rechonchudo.

Na quarta, já tem o Internacional que hoje escorregou para o Corinthians em Porto Alegre. Curioso este time do Inter. Bom no papel, mas não dá pra confiar. Pelo jeito, restou o São Paulo para tentar chegar no Cruzeiro e, se isto não acontecer, este Campeonato Brasileiro vai virar aquela procissão que conhecemos. Com todo respeito aos que gostam dos pontos corridos, não há comparação entre a Copa do Brasil e o Brasileirão. A Copa do Brasil dá de 10 x 0 em emoção.

Pegou mal, Jefferson

Foto: Wander Roberto/VIPCOMM

Foto: Wander Roberto/VIPCOMM

Quartas de final da Copa do Brasil. Caminho mais curto para a Libertadores. Competição que pode salvar o ano de qualquer clube. Competição onde a surpresa é rotina, como se viu no jogo entre Atlético Mineiro e Corinthians.

Ontem, quando apareceu a primeira imagem do jogo em Belo Horizonte, a primeira coisa que vi foi a careca reluzente do Diego Tardelli. Imediatamente me dei conta de que, numa demonstração de profissionalismo e compromisso com uma meta a ser alcançada, os jogadores de Corinthians e Atlético que jogaram pela Seleção Brasileira, mesmo após uma viagem prá lá de desgastante, estavam em campo defendendo seus clubes.

Hoje, leio que, em função da longa viagem, Jefferson, GOLEIRO, que num jogo tem um milhão de vezes menos desgaste do que um atacante como Tardelli, e dois milhões de vezes menos desgaste que um meio-campo como Elias, não vai jogar uma partida que é decisiva para o Botafogo. O jogo é difícil? Claro que é.  O Santos é favorito? Óbvio que é. Só que nesta Copa do Brasil, como diria o saudoso e querido companheiro Afonso Soares, “muita noiva volta do altar”. Em síntese, nesta competição tudo é possível, desde que os jogadores tenham vontade de jogar. Parece que não é o caso de Jefferson. Papelão!!!

Copa do Brasil

Foto: Staff Images

Foto: Staff Images

FLAMENGO x AMÉRICA DE NATAL
Jogo difícil, como será sempre para o time de Vanderlei quando o adversário jogar trancadinho sem arriscar muito e, consequentemente, anular a maior, ou única, arma eficiente do Flamengo, que é o contra-ataque. O árbitro foi extremamente severo na expulsão de Marcelo e, mesmo não sendo uma Brastemp, Alecgol, se ficar de fora no próximo jogo, vai fazer falta. Quem entrou muito bem no jogo foi Gabriel, o único a arriscar o drible. Criou a jogada e fez o gol da vitória.

ATLÉTICO x CORINTHIANS
Há determinados jogos em que o fator sorte é decisivo e, este jogo entre Atlético e Corinthians foi um deles. Melhor para o Atlético que foi quem a dona sorte escolheu. Em dois, dos quatro gols do Atlético, a bola desviou em alguém para entrar. Este jogo me fez lembrar Flamengo x América do México, no Maracanã. Nos três gols dos mexicanos a bola desviou em alguém para enganar o goleiro e entrar. Futebol é isso aí… Tudo pode acontecer.

FLAMENGO x ATLÉTICO
O bicho vai pegar. Tomara que no sorteio o Flamengo faça o segundo jogo no Maraca. Acho que a cota de sorte do Atlético esgotou hoje.