O Dia da Polêmica

1 – Por que motivo o time do Flamengo não engrena de vez?

2 – Muitos companheiros aqui no blog, afirmam ser incompatível um time com grandes investimentos ser dirigido por um treinador iniciando a carreira. Isto faz sentido?

3 – Há um certo suspense com relação a quem vai acender a pira olímpica na festa de abertura. Quem é o seu candidato?

4 – Qual foi o seu sentimento quando soube que os apartamentos destinados aos atletas olímpicos que chegavam, estavam praticamente “no osso”?

5 – Você acha que esta Olimpíada vai ser um sucesso ou tem receio de um grande fiasco?

6 – Que esportes você pretende acompanhar?

7 – Qual o esporte coletivo você considera verdadeira barbada o Brasil conseguir a medalha de ouro? Vale dizer…nenhum!

COMEÇANDO…


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

1 – Para começar, o time não está completo. Quando entrarem o zagueiro argentino e, principalmente, Diego, o panorama será outro. De qualquer forma – e venho batendo nisto faz tempo – o treinador tem que definir o time titular de uma vez por todas. A indefinição traz insegurança e a “orquestra” não afina nunca.


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

2 – Em tese, não há como negar que, quem pensa assim está coberto de razão. Cada um, no seu cada um. O problema é que as circunstâncias, em determinado momento, obrigaram a diretoria a seguir por este caminho. Com todo respeito a quem está começando, definitivamente, o Flamengo é ponto final e não, ponto de largada.


201004061920573090_ampliada3 – Acho que a maior expressão esportiva do país deva ter este privilégio. Portanto, Pelé!


danos olimpicos4 – Fiquei com uma vergonha danada…


alojamentos-rio-2016-olimpiada-20160723-00055 – Pela improviso ser uma forte característica do povo brasileiro, acho que vai ser uma grande olimpíada. Claro que, haverá em cada um de nós uma ponta de preocupação em que tudo dê certo, sentimento que passa ao largo de quem não seja brasileiro. Vamos conviver com um pouquinho de medo, mas com esperança.


esportes-116 – No meu caso: Futebol, Judô, Vôlei, Tênis e Ginástica Olímpica.


(Foto: Eduardo Anizelli / Folhapress)

(Foto: Eduardo Anizelli / Folhapress)

7 – Futebol!!! Se não conquistarmos esta medalha de ouro, melhor parar. Já estou com o meu ingresso para a finalíssima no Maraca.


Agora, é com vocês…

 

Pingadinhas de segunda…feira!!!

(Foto: André Mourão/MoWA Press)

(Foto: André Mourão/MoWA Press)

. A notícia dando conta de que Renato Augusto pode substituir Douglas Costa na seleção olímpica, é espetacular!!! Nada contra Douglas Costa. O motivo de alegria, é pelo fato deste time do Brasil passar a ter um jogador com a cara do Rio. No caso de Renato Augusto, melhor ainda, pois além de ter a cara do Rio, joga muito, é determinado e tem o coração rubro-negro. Diria, sem medo de errar, perfeito…


(Foto: FIVB)

(Foto: FIVB)

. A polêmica é antiga. Embora o dia da polêmica seja amanhã, não dá para não comentar hoje. As meninas do vôlei, repetindo o que algumas tenistas já colocaram, protestam pelo fato da premiação do vôlei feminino ser inferior à do vôlei masculino. Como as meninas do tênis, as nossas meninas do vôlei classificam o fato como “movimento machista”. Sem entrar no mérito da questão, até porque sou apaixonado pelos infindáveis talentos de Sheila, Sharapova e cia…, diria que tudo não passa de uma situação de mercado. Exemplo: Você pode achar que um imóvel de sua propriedade vale tanto. Isto, é uma coisa. A outra coisa, é o que o mercado diz que vale. E, esta é a regra do jogo, mesmo que machista pareça.


(Foto: Reprodução)

(Foto: Reprodução)

. Não dá para não dar um pitaco no comentário feito aqui no blog pelo companheiro Diogo.S.Oliveira que, se tivesse que escolher para o Flamengo entre Cristiano Ronaldo e Messi, escolheria o atacante português. Diogo, amigo, há uma enorme diferença entre o gênio e o extraordinário jogador. O gênio, é Messi! Pergunte a qualquer torcedor do Barcelona, mesmo após esta final de Eurocopa, se toparia trocar Messi por Cristiano Ronaldo. Aliás, final de Eurocopa que Cristiano Ronaldo não jogou. Outro grande equívoco é Messi ser carimbado como um jogador sem alma e frio. Ninguém é tão vitorioso, ninguém ganha tanto, se alma não tem. Messi, é Messi… hoje, pela genialidade, único!!!

Vou além: morreria feliz, no segundo seguinte, ao ver Messi com o Manto Sagrado. Seria a glória suprema.


(Foto: Getty Images)

(Foto: Getty Images)

. Vocês viram quem foi eleito o craque da Eurocopa? O francês Griezmann. Preciso dizer mais?


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

. Estes dois gols de Felipe Vizeu, se foram importantes para o Flamengo, a reboque, também trazem a polêmica do dia. O nosso capita do tri, Carlos Alberto Torres, criticou a contratação de Leandro Damião que, segundo ele, tirará o espaço natural de Felipe Viseu. Na realidade, é muito difícil à distância se concluir alguma coisa sem que se tenha a noção exata do que os dirigentes estão imaginando. De fora, eu não contrataria Leandro Damião e sim, primeiro, um jogador criativo e, na sequência, um atacante para ser titular ao lado de Guerrero. Agora, há situações em que os dirigentes, por motivos óbvios, não podem comentar e, mesmo assim, são obrigados a agir. Exemplo? E se, na janela que fecha depois, Guerrero for negociado, como é que fica? Se Damião não é contratado, ficaria só Felipe Vizeu e, já concordamos com a máxima da minha avó Corina: “quem tem um, não tem nenhum”…

Enfim, só quem está com a mão na massa sabe o tamanho da pizza… de nossa parte, acho que falo por todos os companheiros deste blog, só queremos que seja saborosa…

Sharapova

maria-sharapova-press-conference_1oqw33por72621pdgf7sdz26s5Esta história do doping da bela tenista Maria Sharapova é de deixar qualquer um intrigado e, no meu caso, decepcionado, não com ela, e sim com a raça humana.

No dia 22 de dezembro do ano passado, a WADA, agência mundial antidoping, distribuiu uma circular dando conta de que o medicamento Meldonium, ou Mildronate, utilizado para o tratamento de isquemia, quando falta sangue em algumas partes do corpo, ajuda na oxigenação dos músculos, aumentando o desempenho do atleta.

A Wada comunicou ainda que chegou a esta conclusão em 16 de setembro do ano passado, e que, a partir de 1º de janeiro deste ano, a citada substância seria considerada doping.

No dia 26 de janeiro, quando Sharapova foi eliminada nas quartas de final do aberto da Austrália pela americana Serena Williams, o material foi colhido e, agora, o resultado divulgado, indicando que Sharapova jogou sob os efeitos do tal Meldonium.

Sharapova afirma que utiliza o medicamento desde 2006 por recomendação médica, e que não leu o comunicado distribuído pela WADA, considerando que, a partir de 1º de janeiro de 2016, a substancia seria considerada doping.

A partir daí, sem que a tenista pudesse prestar maiores esclarecimentos, três patrocinadores “tiraram o time de campo”, ou seja, largaram a tenista sem que esta pudesse ter tido direito de se defender e, o governo Russo, querendo livrar a sua própria cara, ainda sem ter maiores detalhes sobre o tema, e sequer tendo a preocupação de ouvir a atleta, divulgou nota dando conta de que este tipo de comportamento isolado de Sharapova não refletia o que é o esporte na Rússia, que era um caso atípico. A nota termina da seguinte forma: “isso não pode ser projetado para o esporte russo”.

Francamente, bando de covardes e interesseiros que vivem voltados única e exclusivamente para o próprio umbigo, incapazes de, ao menos, dar a quem de direito a oportunidade sagrada de defesa.

Sharapova, que ainda não foi julgada, foi fuzilada pelos seus patrocinadores e pelos dirigentes esportivos do seu próprio país. Bando de covardes, oportunistas de carteirinha… protótipos e veículos do mau-caratismo.

 

 

Pingadinhas e respostas

Emerson Sheik completará 38 anos em 06/09 (foto: Gilvan de Souza / Flamengo).

Emerson Sheik completará 38 anos em 06/09 (foto: Gilvan de Souza / Flamengo).

. O companheiro deste Blog, LEYMIR, no seu comentário, levanta para mim a bola com relação à experiência que tive quando foi composto o ataque com Edmundo, Romário e Sávio.

Naturalmente, e de forma perspicaz, Leymir tenta trazer o passado não tão distante para o presente, já que, hoje, o Flamengo joga, ou jogou até aqui, com três atacantes.

Leymir, amigo, há alguma semelhança sim, embora não se possa comparar a qualidade técnica, onde indiscutivelmente o passado daria uma surra no presente. Tanto lá atrás como agora, como eram três atacantes, um deles deveria sempre ir para o sacrifício e voltar um pouquinho mais para compor o meio de campo. Tirando fora os centroavantes – no caso Romário e Guerrero – Edmundo e Sávio, naquele time; e Cirino e Emerson, no atual, teriam que voltar para ajudar.

Com toda sinceridade, entre os quatro citados, o único com característica para executar também esta função é Emerson Sheik. O problema é que, pelos seus quase 38 anos, ele até começa bem e, como os vários aniversários aconteceram, termina mal. Cirino, Sávio e Edmundo, nenhum deles tem na marcação um mínimo de vocação. Claro que, tanto lá atrás como agora, não havia, e não há, no setor de meio campo, um jogador super criativo que fizesse, ou faça, o ataque funcionar. Lá atrás, havia também um probleminha que era a pontinha de vaidade, o que hoje, felizmente, não noto.

A missão de consertar, tirando um atacante e colocando no time mais um jogador de meio-campo, hoje, é bem mais fácil. Convenhamos que barrar Cirino ou Emerson seja muitíssimo menos problemático do que colocar Sávio ou Edmundo no banco.  Como diriam os argentinos, “¿me explico?”

. O meu companheiro IVAN BAYARDINO, no seu comentário, faz uma série de perguntas, onde nem todas, pelo que apurei, posso responder. De qualquer forma, há uma boa notícia: a diretoria pretende contratar e anunciar o mais rápido possível a chegada de um zagueiro de área para ser titular absoluto e, quem sabe, capitão do time.

Sobre a estratégia cigana, de jogar uma partida fora e outra também, esta semana já é uma amostra grátis. Amanhã, o nosso mando de campo é em Vitória e, no final de semana, o Fla-Flu será em Brasília.

Hoje, almocei com meu afilhado Roger Flores, que pensa exatamente como eu. Aliás, Roger é até mais contundente ao afirmar que, mesmo se o Raulino de Oliveira, em Volta Redonda, viesse a se tornar “o campo oficial” do Flamengo, ainda assim as permanentes viagens até a Cidade do Aço acabariam influenciando negativamente no rendimento do time. Roger, como eu, não entende como os dirigentes tiveram tanto tempo para encontrar uma solução, sabedores do problema criado pelas olimpíadas, e não tomaram nenhuma providência. Pelo jeito, infelizmente, tragédia anunciada…

. Para quem não sabe: O jogador que Muricy Ramalho queria muito era Diego Souza. A diretoria do futebol não gostou da ideia e, por isso, Diego Souza não foi contratado. Esta lacuna foi preenchida pelo argentino Mancuello que, pelo que fui informado, teve o dedo de Muricy Ramalho.

. E os dois russos que denunciaram o esquema do doping e morreram um atrás do outro, acometidos por infartos fulminantes… Estranho, não? Os parentes afirmaram que os dois gozavam de saúde de ferro… Estranho, não?

Ace da maldade no tênis

Polymeric-1024x707Claro que, qualquer ação que agrida a moralidade no esporte deve ser combatida até a última gota, mas esta história da denúncia de que alguns jogos foram “arranjados”e, dos que participam do torneiro que neste momento está sendo disputado, oito tenistas já foram corrompidos, sendo inclusive um deles um notório ganhador, põe sob suspeição todos os tenistas, criando um clima de desconfiança geral para os atletas e para a própria competição.

Jogar no ar uma notícia desta forma, sem “dar nome aos bois”, me parece de uma irresponsabilidade “maracaneana”. Enquanto não for provado que focinho de porco não é tomada, muitos geniais tenistas, e figuras humanas incorruptíveis, serão olhados com desconfiança.

Notícia deste tipo requer o máximo de cuidado. Afinal, está em jogo a dignidade das pessoas.

Pingadinhas de segunda-feira

Rodrigo e Fred disputam a bola pelo alto (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Rodrigo e Fred disputam a bola pelo alto (Foto: Nelson Perez/Fluminense FC)

Tremenda zebra o resultado de ontem entre Vaco e Fluminense. Tudo, inclusive tudo, conspirava a favor do tricolor: Batalha ganha no judiciário para ocupar no Maracanã, conforme contrato, o espaço escolhido para sua torcida; o Presidente do Vasco, Eurico Miranda, revoltado a ponto de sugerir que os torcedores do Vaco não fossem ao jogo; a apresentação de Ronaldinho Gaúcho; um mar de bandeiras tricolores; Maracanã de quase uma torcida só e, no final do filme, CRÉU!!!


Ontem, voltei a ficar impressionado com a atuação do zagueiro Rodrigo. Atuação simplesmente perfeita. Sufocou Fred e, há muito tempo não vejo um zagueiro se antecipar com tanta precisão. A antecipação é uma jogada que requer muita intuição, onde o defensor consegue ler o pensamento do atacante, o que convenhamos, não é fácil. Apesar da idade, Rodrigo tem 34 anos, a forma física é invejável para um zagueiro que, além de zagueiro, empurra o seu time para frente, participando das jogadas ofensivas e, além de tudo isto, bate muito bem na bola, tanto é, que é o cobrador de faltas no time do Vasco. Se fosse escalado para dar as notas aos jogadores neste jogo, Rodrigo levaria um 10. Tipo do jogador para se ficar atento para a temporada 2016…


Comovente a reação do mundo do surf, comemorando o fato do surfista tricampeão mundial, Mick Fanning, ter sobrevivido ao ataque de um enorme tubarão. O curioso é que, apesar de todos saberem que nesta praia onde aconteceu o ataque haja sempre um grande número de tubarões, a FIFA do Surf programe competições nestas condições, colocando em risco a vida dos surfistas. Tremenda irresponsabilidade.


Hoje, no “Redação Sportv”, foi mostrado um importante jornal Peruano em que, toda a primeira página era dedicada ao nosso Guerrero. Matéria enorme exaltando o Peruano que conquistou a maior torcida do Brasil, marcando três gols, nos seus três primeiros jogos. Guerrero é Rei em duas nações…


E o meia Ederson, que atuava na Lazio da Itália. Confesso que não o reconheceria se com ele me encontrasse. Alguém já o viu jogar. Que tal?


Curiosa a reação de Wallace que, entrevistado, meio de humor comprometido, disse que “a torcida do Flamengo não veio aqui hoje por nós. Veio pelo Guerrero”. Que mágoa é essa? Aliás, no fundo, ele tem toda razão. A maioria de rubro-negros que foi sábado ao Maracanã, foi realmente para ver Guerrero. E isto é algum pecado?

Vale a pena ler e, opinar

Companheiros e amigos deste blog: Há no ar, e o momento é oportuno, uma rara oportunidade de se discutir o quão injusto o Estado tem sido com os clubes que, com enorme esforço, seguram a bandeira olímpica do Brasil. Neste tema, sem medo de errar, ao longo de 120 anos, o Flamengo vem sendo o verdadeiro porta bandeira dos esportes olímpicos, gastando incalculável fortuna e, nada recebendo em troca.

Convido vocês para que leiam dois comentários sobre o tema. Os dois muito profundos, oportunos e inteligentes, embora, e nada mais normal, haja em algum momento alguma discordância entre eles.

O primeiro, do companheiro Eduardo Bisotto, e o segundo, desta bandeira rubro-negra, que é Radamés Lattari. Leiam e, opinem. A opinião de cada um pode ser um empurrão para alguém em Brasília acordar.


De: Eduardo Bisotto

Kleber, me permita discordar.

1º – Não é em “qualquer lugar civilizado” que o Estado resolve a equação esportiva. Aliás, é justamente o contrário. A maior potência olímpica do Planeta, os Estados Unidos, tem toda a gestão esportiva em mãos privadas. A formação é feita nas Universidades e os atletas se profissionalizam a partir disso.

2º – Que dívida o país teria com o Flamengo pela decisão do Flamengo (e de seus associados) em investir em esportes deficitários? Em tempo: esta equação só poderia ser levantada se a contabilidade histórica fosse realizada nos mínimos detalhes. Ou seja: botar na ponta da caneta quanto custaram ao longo dos tempos os esportes olímpicos e quanto eles deram de retorno para o país, ao mesmo tempo em que se computam os prejuízos havidos com o futebol.

Em tempo: parabéns pelo blog. A despeito da eventual discordância de idéias, é raríssimo um dirigente esportivo e empresário do seu quilate, ainda mais enfrentando uma grave crise em escala global, manter um espaço tão transparente para divulgação daquilo que pensa.

Meus cumprimentos!


De: Radamés Lattari

Caro Kleber,

Este artigo me agrada muito, sou um apaixonado pelo Flamengo e esporte em geral, herança boa deixada por meu pai.
Concordo com vc quando diz que o governo tem uma divida com o Flamengo, e digo o porque.
1 – No Brasil não existe politica esportiva.
2 – Nossas escolas públicas não possuem instalações esportivas e nossos profissionais nem sempre são preparados para a iniciação esportiva.
3 – Nos países civilizados os alunos com problemas é que frequentam escolas particulares , normalmente se estuda nas escolas do governo
4 – A verba destinada aos Comitês Olímpicos é muito superior a que é destinada ao nosso.
5 – No Brasil são os clubes que formam os atletas que representam o nosso país, usando o uniforme com os patrocinadores das confederações nos pódios, os clubes neste momento não tem direito a nada.
6 – Clubes vivem da paixão, paixão não se vende, os patrocinadores é que vivem das vendas dos seus produtos.
7 – Realmente hoje através de leis de incentivo os clubes tem conseguido verbas, mas estas são insuficientes para cobrir todas as despesas.
8 – Mas e o passado… Ao longo dos anos os clubes contraíram dívidas com os seus esportes olímpicos e o governo jamais os ajudou, veja o exemplo no próximo item.
9 – Nos jogos Olímpicos de Los Angeles em 84 quase a metade da delegação brasileira era composta por atletas ou profissionais de diversos setores do Flamengo.
10 – Portanto se o hoje o governo deve menos aos clubes formadores, não podemos esquecer que ao longo dos anos esta dívida é gigantesca.
Kleber, primeiro quero elogiar e defender sua tese que sempre foi a minha também, mas numa próxima oportunidade escreverei a minha preocupação quanto ao futuro do esporte brasileiro, acredito que teremos uma imensa crise após os jogos Rio 2016, poucos esportes vão sobreviver e somente uma elite de atletas vai conseguir prosseguir com seus treinamentos em alto nível devido a uma ajuda do COB que evoluiu muito, mas quem faz este esporte com o apoio do governo vai sofrer muito, vejo o futuro do esporte brasileiro com muita preocupação.
Abraço e Saudações Rubronegras,
Radamés Lattari


A bola está com vocês…

Até quando?

Jade Barbosa, ginasta do Flamengo que está em Toronto. (Foto: Gilvan de Souza / FlaImagem)

Jade Barbosa, ginasta do Flamengo que está em Toronto. (Foto: Gilvan de Souza / FlaImagem)

Peço licença aos meus queridos companheiros e amigos deste blog para fugir um pouquinho do assunto que nos incomoda, que é o futuro do futebol do Flamengo, para mergulhar em algo também profundo.

No Globo.com, quem abrir a página principal vai se deparar com a seguinte manchete: “NO PAN, FLA GOLEIA TIMÃO E É O CLUBE DE FUTEBOL COM MAIS ATLETAS EM TORONTO”. Isto quer dizer que, o Flamengo, graças ao seu próprio esforço e, rigorosamente às suas custas, contribui cedendo 19 atletas que representam o Brasil nos jogos Pan-Americanos. Em qualquer país civilizado compete ao estado encaminhar a juventude para as atividades culturais e esportivas, até porque, nas grandes competições olímpicas, quem é representado é o país, e não o clube. Não fosse o esforço, pra lá de centenário do Flamengo que, entre atletas e treinadores, já chegou a ter um terço de uma delegação olímpica brasileira, o nosso país seria a maior chacota olímpica entre todos os países do mundo. Claro que, longe está o Brasil de ser uma potência nos esportes olímpicos. A bem da verdade, pela nossa população e pela nossa dimensão, houvesse por parte do estado um mínimo de seriedade e competência num programa visando bons resultados esportivos, poderíamos sim, fazer parte de um G4 olímpico. Porém, sabido é que, jamais isto foi prioridade para os nossos governantes e, não fosse por alguns clubes, entre eles e, principalmente, o Flamengo, os resultados modestos conseguidos nas competições olímpicas teriam se transformado em “mico esportivo mundial”. Aonde eu quero chegar? Simples. A conta que o governo federal aponta para o Flamengo como devedor, é uma conta falsa, injusta e vergonhosa. Para quem não sabe, no Flamengo, o único esporte superavitário é o futebol. Todos os outros esportes, eu disse, TODOS, são deficitários, isto é, o dinheiro, e muito dinheiro, sai, e nenhum entra. Não tivesse o Flamengo, ao longo dos seus 120 anos, ocupado o lugar do estado na formação dos jovens, certamente não haveria esta dívida acumulada ao longo do tempo. Um encontro de contas, sonhar não custa nada, minimizaria a vergonha para o estado e faria justiça ao clube mais popular deste país.

 

Judô para Todos

Neste dia de profunda tristeza pela dor de toda família do meu querido amigo José Mandarino, ex vice-presidente de futebol do Vasco da Gama, que perdeu sua filha mais nova no dia de hoje, deixo uma imagem de fé e esperança.

Os brasileirinhos judocas, com síndrome de Down, vencendo por ippon as barreiras do preconceito e fazendo o Brasil brilhar.

Nós da Klefer, temos orgulho em participar deste projeto de amor, fé e esperança.

Guga

TENNIS-BRAZIL-KUERTEN-RETIREMENTEmocionante o quadro do programa do super boa-praça Luciano Hulk, onde alguém importante é pesquisado sobre fatos que marcaram o seu passado. Hoje, com a simplicidade de sempre e o enorme poder de comunicação que Papai do céu lhe deu, GUGA, o personagem do programa, mais uma vez emocionou a todos. O nosso ídolo falou de uma casa que conheceu ainda menino e, principalmente, da sala desta casa e dos momentos vividos nela com sua família, em especial com seu pai, que faleceu quando ele tinha oito aninhos. Os craques da produção do Luciano reconstituíram a sala tal qual ela era. Exatamente igual. A bem da verdade, tiveram o auxílio pra lá de luxuoso desta simpatia que é a mãe do Guga, dona Alice. Tenho a impressão de que, mesmo quem não é um apaixonado por tênis deve ter se emocionado. Como não se emocionar e não chorar?

Depois de Zico, sem errar, GUGA foi a pessoa por quem mais torci na vida. O seu talento me deixava perplexo e, confesso, me apaixonei pela figura humana que nunca tive a oportunidade sequer de cumprimentar. Via Guga fui apresentado ao tênis e, de lá para cá, não larguei mais.

Um dia, fui entrevistado e me perguntaram que esportista eu gostaria que tivesse sempre atuado com a camisa do Flamengo. Não pensei. Saiu como um foguete: GUGA!!!

Que figurinha adorável. Que ser humano notável. Que gênio!!! Ser o número 1 do mundo no tênis, sendo brasileiro!!!!!!! Coisa de Deus… GUGA, agora, anunciou Luciano, vai fazer parte da equipe de esportes da TV Globo. Que ideia feliz…Vamos poder continuar convivendo com ele. ESPETACULAR!!!

Parabéns ao Luciano e equipe. Gol de placa! Aliás, ACE de Placa!!!