Malvadão todo remendado… mas arretado

Flamengo 2 x 1 Bahia

Amigos,
Quando pude – e a causa era justa – alucinado por saber como estava o nosso jogo, só vi a cabeçada de David Luiz. Que maravilha!!! Que loucura!!!
Uma vitória, para mim, construída em – talvez – menos de um minuto. A glória!!!
Como aqui impera a verdade, quem comenta é quem viu tudo, “Inclusive, tudo!!!”
Feliz da vida, achando que o meu olhar apaixonado e guloso em ser líder tenha tido influência na extraordinária impulsão de David Luiz, anuncio o nosso doce e genial Rei de Angra, que tudo viu e tem olhar de amor crítico e justo pela nossa paixão maior.
Com muita alegria….
Dá-lhe Egon!!!
Mengoooooo!!!
 


 
Amigos! No meu post anterior, ponderei que seria válido um “teste” com Ortiz como volante. Tite deu uma força e o cara jogou muita bola contra o Athletico.

Entramos em campo contra um baiano jogando redondinho e, ambos já aparecendo no retrovisor do Fogão.

Pra não dizer que não falei de flores, pra lá de justo todas as homenagens feitas ao Éverton Ribeiro. Meu sonho, é futuramente ver o Totói no nosso Sub-15. Nasceu na Gávea e em breve estará de volta.

Primeiro tempo de estudos com a moçada pisando em ovos. Nos nossos!!!
Até os 22 minutos fui conferir na tabela se o jogo era mesmo no Maraca. O Bahia tocava a bola como se estivesse na Fonte Nova.

Numa tabela by Jesus, Gérson de fora da área acerta um canudo no cantinho do baiano. Malvadão 1 a 0…
Numa absoluta falta de atenção, Everaldo recebe a bola, com Ayrton errando o bote e Rossi ficando pelo meio do caminho.
Placar justo na minha opinião de rubro-negro, meio que cara de pau…

Voltamos, agora jogando no Maraca, e com BH em campo. Por outro lado, perdemos a correria com a saída de Lorran.
Jogo equilibrado com mais posse de bola pra nós. Entra nosso traíra predileto e empurra o Baêa pra trás. Nosso jogo passa pra direita, com o vesgo Wesley e o genial Gérson em tabelinhas pra cima do lateral enlouquecido.
Aos 49 minutos, escanteio a nosso favor! O cara do jogo coloca a bola no canto, com mãos jardineiras, e com capricho absurdo pra cabeça de David Luiz…

Amores! Sem sete titulares, isso que assistimos hoje é prova que o Manto joga sozinho. É só entregar a alma a ele.
Vou ver se acho um baiano em Angra…

Carlos Egon Prates