O que não queremos

10616501_787985407889225_1665277295937378292_nNo seu último comentário, meu companheiro, parceiro e amigo, Carlos Egon Prates, deu ênfase à importância de se saber o que não queremos para o Flamengo.

Belo tema. Vou começar. Eu, não quero, levando-se em conta o fato de que convivemos num regime presidencialista, que o presidente não tenha a noção exata da importância do Flamengo, do tamanho do Flamengo, da grandeza do Flamengo. O presidente do Flamengo, tem que ter, obrigatoriamente, a cara do Flamengo. Ponto!!!

À partir de agora, se vocês companheiros, concordarem, que tal fazer este exercício? De quem se apresenta como candidato, quem tem a cara do Flamengo? Quem tem carcaça para segurar o tamanho do Flamengo? Esta é a primeira etapa que proponho para o nosso exercício. Este, é o fio da meada…

Vamos começar?

Se por acaso, algum dos candidatos se encaixar no que é indagado de forma positiva pela maioria, parabéns!!! E, vamos juntos, até porque, o nome disto é democracia.

Se, entretanto, o que está no ar, não nos apaixona, que tal aprofundar o tema, sugerindo outros caminhos? Por que, não? Pessoalmente, acho que a melhor solução passa pelo entendimento.

O azul único, reconhecendo os equívocos e desenvolvendo o que deu certo, será o céu. Pergunta: a maldita vaidade vai interferir?

Bem, voltemos ao ponto de partida. Dos candidatos que se apresentam, quem tem a cara do Flamengo?

Por favor, comentem…

1 Comentário

  1. Rodolfo Landim. Sinônimo de competência, unanimidade, nome de peso e Rubro-negro.
    Por falar nele, e aí, ele vai ou não ser o candidato a presidente como dissera a algumas semanas atrás?

    Reply
  2. Kléber sempre leio seus post e sempre vejo que você não concorda com a atual diretoria então por que você não sai Candidato a presidente e conserte o que você acha que essa diretoria fez de errado.

    Reply
    • Caro Rodrigo.
      As pessoas ouvem o barulho mas não sabem onde aconteceu.
      Existe muita rejeição ao Kleber.
      Mas, poucos se deram o trabalho de ler o que realmente aconteceu.
      Já fui muito criticado por defender o Kleber em outros Blogs. As pessoas só leem o que a mídia publica.
      Mas muitas vezes, o contexto é conspiratório e incompleto.
      Se querem entender o problema do Consórcio Plaza, o qual ACHAM ter gerado uma dívida colossal aos cofres do clube, deveriam ler as explicações do presidente, com documentos expostos e verdadeiros. Já foi publicado AQUI
      SE o adiantamento foi pra contratar Edmundo, e este foi contratado e jogou pelo Flamengo, fica difícil entender o teor das acusações.
      SE o adiantamento não foi uma doação, por que os presidentes pós Kleber deixaram aumentar de maneira absurda tal dívida?
      A impressão que temos, é que Kleber foi início meio e fim…
      Quando na verdade, após a gestão dele, passaram pelo cargo, Edmundo, Gilberto Cardoso, Hélio Ferraz, Marcio Braga, Delair, Patrícia e Bandeira de Mello.
      Nem mesmo conseguiram tirar do armário do São Paulo, a Taça das Bolinhas…
      Esse é MEU ponto de vista, amigo Rodrigo.

      Reply
      • Também concordo, as pessoas vão muito pelo embalo da notícia. Algo errado foi feito, sim, mas as contas do presidente Kleber foram aprovadas e isso o isenta de qualquer responsabilidade posterior. Quem não cuidou direito do assunto que se apresente ou que se faça ser apresentado.

        Reply
  3. Kléber, nenhum dos 3 candidatos declarados até o momento (Bandeira, Wallim e Cacau), me convence, seja pelo posicionamento, falta de coerência, discurso ou pelo histórico. Como o Bandeira ainda não protocolou sua candidatura oficialmente e não apresentou um plano de governo, ficamos na especulação, baseado na sua composição política atual. Mas é hoje uma decisão muito difícil. Não dá pra acreditar nas promessas do Cacau e do Wallim.

    Reply
  4. A Gestão atual ao meu ver é muito boa , só deixa a desejar no DEP. De futebol. Penso que com alguns ajustes e pessoas certas no comando do futebol as coisas funcionem melhor.

    Reply
  5. Caro Kleber,
    Ao ler seu comentário de hoje, recordei-me de alguns trechos do Livro “A Bola Não Entra Por Acaso” de Ferran Soriano:
    “Quando estávamos preparando asa eleições para a Diretoria do Barcelona em 2003, refletíamos sobre o que realmente esperavam os sócios da candidatura ganhadora, que necessidade os novos gestores do clube deveriam satisfazer. Em síntese, isto é o que pensávamos que os sócios queriam:
    1. Ganhar. Que se construísse um time vencedor, uma equipe que jogasse bem e ganhasse, uma equipe com a qual fosse possível sonhar.
    2. Que o clube, os sócios e, por extensão, os catalães estivessem bem representados, que tivessem uma boa imagem.”
    “Para conseguir ambas as coisas, o clube tinha de ser administrado de forma excelente, com o objetivo de conseguir a renda necessária para montar equipes competitivas e armar uma organização exemplar em todos os sentidos.”
    (…) Concluímos que, na indústria do futebol, chegamos a uma dicotomia, os clubes que se tornam fornecedores de entretenimento, com marcas de alcance global, e os outros, que ficam circunscritos a mercados locais. Os primeiros poderão continuar crescendo, contratando os melhores jogadores, ganhando campeonatos e obtendo mais renda, o que permitirá, novamente, contratar os melhores para ganhar outra vez, (…) é o círculo virtuoso. Ao contrário, os clubes que não conseguirem continuar nesse ritmo, terão muito menos possibilidades de ganhar e deverão concorrer em mercados menores.”
    Estes os pontos cruciais que deveriam estar em jogo nas próximas eleições, as exigências que deveríamos fazer àqueles que se propõem em dirigir o Flamengo: clube globalizado ou regionalizado?
    Acrescento a estes comentários a necessidade de termos uma casa própria, um Estádio exclusivamente rubro-negro. O Maracanã, assim como Wembley, apenas para grandes decisões.
    Do meu ponto de vista, o grupo chamado azul veio com essa perspectiva. Mas, durante o caminho percorrido, se apequenou. Entre os candidatos já considerados oficiais, não vejo qualquer um com a “cara” do Flamengo: nem EBM, nem Wallim e muito menos o outro. Entre os azuis, os que mais se aproximam: Godinho e Bap (não conheço o Landim). SRN

    Reply
  6. Caro Kleber, algumas considerações:
    A filosofia de gestão financeira da chapa azul foi realmente uma CONQUISTA ,não dá pra abrir mão de ser um clube cidadão ,que respeita seus encargos,fornecedores,etc
    O modelo de administração da chapa azul,em que o topo da pirâmide hierárquica é um colegiado foi um fiasco ,é muito cacique pra pouco índio, o resultado foi esse racha que vemos ,um verdadeiro tumulto em que nosso processo eleitoral esta virando um verdadeiro circo.
    Os 3 nomes que encabeçam as chapas são fracos, chegam a desmotivar ,por incrível que pareça o que mais empolga é o tal do CACAU que como sabemos é o mais fraco dos 3.
    O FLAMENGO precisa URGENTE de experiência no futebol, traquejo e influência política ,estamos TOTALMENTE desnudos em relação a isso e a CHAPA AZUL ,seja o tom que for não tem habilidade pra lidar e tocar isso .Estamos sendo vítima da inabilidade desse pessoal.
    O Flamengo precisa de MAIS ,coisas simples e que precisam de gente “de campo”, não de 20/30 caciques discutindo e se enrolando em filosofia e sim de ação, gente que dê a cara pra bater em questões do dia a dia, será que não tem ninguém pra dialogar com o consórcio Maracanã e exigir que o espaço pra torcida adversária seja menor ele é o triplo de todos os outros estádios…já jogamos no estádio em que nossa torcida não aparecia nas câmeras…. será que é dificil asfaltar 200 metros da entrada do nosso CT, ter alguém pra ser o zelador do Ninho pra não faltar maca por exemplo?….será que o Rodrigo Caetano está bem servido de auxiliares pra tocar nosso futebol?….será que alguém esta fiscalizando nosso departamento médico… e por ai vai, a impressão AZUIS é que vcs estão bem distantes e que só atuam quando algo repercute mal e pior passam a impressão que não gostariam de ser incomodados.
    Agora , meu feeling é que há espaço pra novas composições ou pra uma quarta via, está muito claro o que o Flamengo precisa,pena que este processo político seja tão danoso pro nosso clube……..será que não podíamos passar pra CINCO anos sem direito a reeleiçao o mando de presidente do CLUBE DE REGATAS DO FLAMENGO?

    Reply
  7. Acho que o Rodolfo Landim seria o grande nome para Presidente, porém temos que olhar qual grupo tem maior potencial,o Rodolfo é vice presidente na chapa do Wallin,terá plena participação. Os bons feitos administrativos que o clube teve foram provenientes das pessoas que migraram para está chapa,porém, o reconhecimento por parte destes de que tiveram erros no futebol e o lançamento da chapa com o Zico a frente desse setor carro chefe do clube é o que dá esperança para os próximos três anos. Do lado do Bandeira os erros no futebol persistem e não se vê a proposta de um novo modelo de gestão para os próximos três anos. Colocar o Gerson lá é apenas ter alguém que balance a cabeça positivamente para o que já vem sendo feito. Não queremos a continuidade de erros no futebol,portanto acho que a nova proposta de gestão para o futebol da chapa do Wallin e do Rodolfo é melhor.

    Reply
  8. Querido Kleber.
    Obrigado pelas palavras de carinho. Saiba que é MUITO recíproco.
    Bem! O tema é o seguinte!
    “Dos candidatos que se apresentam, quem tem a cara do Flamengo?”
    Após ler todos os comentários, fico tranquilamente com o do Daniel (mais radical), e do Yvan (com opções).
    Já que não podemos falar em flores, que seria tranquilamente Kleber Leite, vamos falar em botões.
    O que significa botão! Aquilo que está nascendo, e que se não houver nenhuma praga (s), for tratada com carinho, sol e água, futuramente será uma belíssima flor.
    Fase essa, que o amigo já deixou pra trás.
    Me encaixo mais no texto e pensamento do Daniel, pelo fato de não ver entre TODOS, nenhum candidato com o perfil para ser presidente de um clube com os problemas que o Flamengo tem, e as cobranças de mais de 40 milhões de torcedores. Isso, sem falar nos inúmeros Conselhos…
    Para ser nosso presidente, é necessário a loucura e passionalidade do Kalil, a genialidade do Horta, a criatividade do Kleber e, por fim, a paciência e frieza do Bandeira…
    O que mais se aproxima disso tudo, sem dúvida alguma é o Bap.
    Evidentemente, tirando as virtudes do Bandeira.
    O que falta ao Bap, é entender que o Brasil ainda é 3º mundo, e o futebol faz parte das nossas 24 horas de cada dia.
    Talvez, se nosso gênio do marketing fizesse um intensivo na Índia, e lá não tivesse TV para ver a Champions League, com sua pompa, salários, ostentação, público, receitas… talvez entendesse mais os problemas da nossa terrinha Tupinquim em relação ao social.
    Você pode não ter aquilo roxo, mas entender, que para tomar conta de uma RELIGIÃO tão pesada, tem que ao menos, saber delegar para um time de vices, TODOS com aquilo roxo…
    Ora! É fundamental que seu porta-luvas tenha sempre camisinha e vaselina. Mesmo se nada acontecer, não será por cauda disso que a cantada irá naufragar.
    Vejo Bap com grandes rompantes, que muito se aproxima do perfil desejado.
    Mas entendo, que sua posição profissional não favorece a causa.
    Como ser presidente do Flamengo, sendo presidente da Sky… e trabalhando em São Paulo???
    O cara que sentar na cadeira de Presidente do Flamengo, tem que almoçar e jantar nela. Ter uma equipe com uma TV de 100 polegadas, com o mercado inteiro dos jogadores em atividade. De preferência, na sala ao lado…
    Isso não é utopia, amigo Kleber! São condições que o mercado extremamente competitivo exige hoje do futebol que chamamos de profissional, mas, que na verdade, na sua maioria ainda é absolutamente amador.
    TODOS os nomes que concorrem as eleições, são na sua essência, políticos.
    Muito bem sucedidos no que fazem, mas tudo que fazem ou fizeram, nada os interliga ao futebol.
    Não estamos Falando em Piraquê, Caiçaras, Monte Líbano, Iate Clube do Rio de Janeiro, Marinas…
    Estamos nos referindo a um CLUBE DE FUTEBOL, onde a bocha, esgrima, ginástica rítmica, water polo e outros… devem ficar sempre em plano secundário.
    O que adianta um clube saneado, com patrimônio saudável, uma piscina azul, se nem todos os sócios são rubro-negros de coração?
    Foi justamente por este caminho, que Patrícia Amorim se elegeu.
    A Selva de Pedra é ao lado! Nada mais oportuno.
    TAMBÉM… temos que ter isso tudo em dia. Afinal, somos TAMBÉM um clube social.
    Portanto, se Bap conseguir aceitar mais a realidade, entender que a geral acabou mas que o geraldino ainda existe, se entregar 24 horas ao Flamengo, e convocar uma seleção de pessoas que entendam o que significa a grandeza do Flamengo, meu candidato seria ele.
    Como isso não será possível, amo a mulher que não conheço…
    Meu candidato é o que já foi presidente, e me fez rir mais do que chorar.
    O grande problema, é que ele não quer entender a p**** da convocação.
    Está andando muito com o Bandeira Samaritano de Mello…

    Reply
  9. Como estava escrevendo não tinha lido o do Pedro.
    Mas na verdade, TODOS os comentários são muito pertinentes.
    Todos querem mais atenção ao futebol, com pessoas DE futebol…
    As finanças estão de vento em popa. Pelo menos!!!

    Reply
  10. Pergunta escrutinadora, Sr. Presidente. Difícil dar uma resposta na ponta da língua. Diria com certeza, Kleber Leite é um deles. Mas sabemos que não és candidato.
    O Bandeira defendeu o Flamengo de forma digna. Wallim foi um desastre na VP de futebol. Mas tem sangue rubro negro. Landim é utopia, ele não vai ser Presidente embora seja um grande nome.
    A turma do parquinho, nem pensar.
    Preocupa-me o ano de 2016. Todos os atuais patrocinios, exceto Adidas, encerram-sem em Dezembro. Não vejo na atual diretoria alguém capaz de buscar no mercado algo igual ao que o Bap e sua turma conseguiu.
    Pensando no Flamengo, vejo a dupla Wallim/Landim ou Landim/Wallim a melhor para o Flamengo no momento.

    Reply
  11. Minha posição sempre foi a que descreverei.

    Bandeira fez um papel digno, reergueu o clube e teve em sua imagem serena o reflexo ideal para o que o Flamengo precisava há três anos. Agora não. Necessitamos galgar degraus maiores e o grupo Wallim/ Landim / BAP sem dúvidas apresenta mais condições de oferecer um Flamengo gigante não só em arrecadação, mas também no futebol. Realmente precisamos que deixem bem claro se a política de cobrar ingressos caros, ponto que discordo deste primeiro mandato, será insistentemente defendida caso sejam eleitos.
    O futebol é caro, salários exorbitantes, porém deve-se deixar um espaço para o torcedor com menos condições financeiras assistir às partidas.
    Com estas questões esclarecidas e resolvidas, acho que o pleito de dezembro já tem um grande favorito. Mesmo sem achar que sua imagem vende facilmente, sou Wallim!

    Reply
  12. Grande Carlos Egon , vc disse tudo e mais um pouco , perfeito seu comentário , se o BAP entendesse o nosso recado … O FLAMENGO é pra ser vivido ,respirado 24 horas por dia por quem quer ser seu tutor. É uma tarefa árdua que exige dedicação e competência exclusiva . Vc foi muito feliz na análise ……

    Reply
  13. Nenhum dos candidatos atuais conhecem o Flamengo a fundo e nem merecem ser presidentes do clube. No atual cenário, duas figuras merecem isso e seria a chapa dos meus sonhos: Alexandre Póvoa e Rodrigo Tostes – a competência total reunida, sem politicagem. Basquete campeão do mundo, esportes olímpicos em outro patamar, Gávea reformada, Finanças ajustadas, planejamento, enfim, o Flamengo dos nossos sonhos.

    Qual foi a participação importante que o Wallim/Landim individualmente tiveram na primeira gestão ? O Eduardo tem os seus méritos, mas caiu de pára-quedas e se recusa a largar o osso agora em prol do Flamengo? Cacau Cotta é brincadeira de péssimo gosto, não tem nem nível pessoal para ser presidente do Flamengo. Convençamos o Póvoa e o Tostes a assumirem esse desafio, ainda dá tempo !

    Reply
  14. Sinceramente Kleber, a política está estragando o Flamengo! Os egos estão passando por cima da entidade maior! Estou sem motivação para opinar a respeito!

    Reply
  15. Manteria o Bandeira (SEM O CONSELHO GESTOR).
    E sinceramente e repito aqui constantemente, é que o ideal seria a fusão das chapas.
    Quanto a acreditar ou não nos dirigentes isto é de ordem pessoal de cada um….se vc não gerir corretamente a partir de agora, vc vai colocar seus bens em disponibilidade…..quem sentar na cadeira da presidência será exatamente igual ao atual.
    Se faz necessário sim, é observarmos se existem interesses comerciais ,políticos por trás disto ou somente a paixão pelo Fla os fizeram tão rivais…..

    Reply

Comente.