Eles também erram

Lucas Lima recebe cartão amarelo contra o Ceará (Foto: Marcos Ribolli)

Quando se tem amor a um clube é mais do que normal que a exigência seja maior, e o sentido crítico também. Por isso mesmo, aqui no blog, em função da nossa paixão, muitas vezes criticamos aqueles que comandam o nosso futebol. Não há nada de pessoal, apenas, coerência, pois, sempre queremos para o Flamengo o melhor e, se possível for, a perfeição.

Como a nossa paixão ocupa quase a totalidade do nosso tempo, esquecemos de olhar para o lado, para os nossos vizinhos, inclusive aqueles efusivamente elogiados pela competência e pela organização.

Faço esta introdução para dizer que, por aqui acordei e, espantado fiquei, ao ler os depoimentos do bom dirigente palmeirense, Alexandre Mattos, e do meu amigo Felipão, em que eles espinafraram o árbitro do jogo contra o Ceará, que alijou do jogo de sábado que vem, contra o Flamengo, quatro jogadores, um por expulsão e três pelo terceiro cartão amarelo.

Lendo, me dei conta de que, apesar de bons profissionais, eles também erram. Esqueceram que o jogo contra o Flamengo pode ser para eles o mais importante do campeonato? Como não poupar, pelos menos os pendurados em uma partida, em casa, contra um time que vive lutando para não cair? O rodízio, em função do numeroso e qualificado elenco, não tem sido uma rotina na vida do Palmeiras neste campeonato? Então, como não pensaram nisso?

Ao contrário, e elogiar é preciso, o nosso pessoal esteve muito atento no jogo contra o Paraná. Não dava para poupar ninguém, pois estamos correndo atrás para ver como é que fica na frente…

Na medida em que o jogo ia ficando mole, os pendurados iam sendo sacados. Nossa turma estava atenta. O pessoal do Palmeiras dormiu no ponto. Eles também erram.

Agora, para não perder o hábito da crítica. Será que ninguém percebeu o incômodo em Diego Alves? Será que a intempestiva e equivocada decisão do goleiro, se rebelando e não viajando, não poderia ter sido evitada com um bom papo?

Disse no post anterior e aqui repito. Dirigente bom é o que se antecipa ao problema, interferindo no momento exato, evitando o pior. Domingo Bosco foi o “Zico” nesta matéria…

Agora, colocar Diego Alves em campo, contra o Palmeiras, é o mesmo que fazer continência para a baderna. Há de se punir com jeito, mantendo a dignidade, porém, não prejudicando o time. Banquinho no próximo jogo e depois, vida normal. Diego Alves é um baita goleiro, um dos melhores do Brasil e claro, o melhor do Flamengo.

Final de semana decisivo. Para o Brasil e, para nosotros…

(Foto: Staff Images / Flamengo)

Caramba, que final de semana que vem é esse? Preliminar, com jeito de final de Copa do Mundo, Flamengo x Palmeiras, sábado, no Maraca. Domingo, além do futuro do nosso Rio de Janeiro, já tão castigado, Capitão x PT!!!

Vou voltar correndo, até porque, são deveres inadiáveis com as nossas nações, a verde e amarela, e a Rubro-Negra.

Vi o jogo pelo Premiere, todo picado, onde a imagem chegava e num minutinho, para minha loucura, dava adeus. Dos quatro gols, só perdi o de Paquetá, que vi no intervalo.

O jogo, meu irmão Egon comenta. Só torço para que o assunto envolvendo Diego Alves seja conduzido com inteligência. No futebol, o bom administrador é o que antevê o problema, matando antes que nasça. Infelizmente, isto não ocorreu. Paciência. Agora, é trabalhar para que a semana não tenha nenhuma turbulência. Tomara que consigam.

E, para comentar a nossa goleada, rolo a bola para o Egon.

Dá-lhe garoto!!!” (homenagem a Jorge Curi)

 

(Foto: Staff Images / Flamengo)

Flamengo x Flamengo

Como se não bastasse a política de nível rasteiro, mais um episódio de Flamengo x Flamengo…

“O meia estará no banco de reservas em Curitiba, o goleiro se sentiu injustiçado e pediu dispensa da partida. O clube vê o ato como indisciplina e avalia qual punição aplicar”.

Não existe paz nem dentro nem fora de campo!

Quando parece que as coisas estão engrenando, um “cascudo” se acha no direito de chacoalhar o ambiente, mesmo tendo Diego Ribas como exemplo.

Nosso meia, já recuperado, sentou no banco, entrou no decorrer da partida como bom profissional que é, e segue a vida…

Já Diego Alves, mesmo parecendo um ser equilibrado, me decepcionou terrivelmente. Pra piorar, criou ambiente muito constrangedor com um menino que hoje é titular com toda justiça.

Continuamos perdendo para nós mesmos, com atitudes egoístas como essas.

Quanto ao jogo, nada que possa ser mais relevante que a atitude do nosso goleiro.

Continuamos correndo atrás do líder, mas com uma melhora considerável em relação ao que vínhamos jogando. 10 gols em 3 jogos, seja contra quem for, é uma estatística pra lá de aceitável.

Jogo morno e absolutamente dominado por nós.

Alguns detalhes a serem considerados! Pela segunda vez, nossos atacantes estão voltando a marcar. Vitinho, Uribe e Dourado, enfim apareceram. Obra e arte de Dorival Júnior. Nada é por acaso…

Como disse Diego: “O bem do Flamengo é muito maior que a minha titularidade”…

Aprenda esse dever de casa, Diego Alves.

Quanto às notas, nenhum destaque! Mas o craque do coletivo foi Diego Ribas. Esse sim merece nota 1000…

Vamos continuar acreditando. Esse é o nosso DNA.

Saudações.

Carlos Egon Prates

Flamengo na meia contramão

Treino do Flamengo – 18/10/18 (Foto: Gilvan de Souza)

O título do post pode ser explicado da seguinte forma. Quem está na nossa frente – Palmeiras (59) e Inter (56) – joga, nesta rodada, em casa. O Palmeiras, contra o Ceará, e o Inter, contra o Santos. Em tese, o jogo do Inter é mais difícil.

Já o Flamengo, pega o Paraná, em Curitiba.  Portanto, seremos – olhando para frente na tabela – o único a jogar fora, o que podemos chamar de contramão. Só que, convenhamos, também em tese, não dá para imaginar, a esta altura do campeonato, não colocar três pontinhos para dentro, jogando contra, entre todos, o adversário mais fraco.

Olhando logo para trás na tabela, fica difícil imaginar que o São Paulo (52) não vença o Atlético Paranaense que, só é Furacão em casa, e que o Grêmio, mesmo com time reserva, não resolva a vida diante do América Mineiro.

Em síntese, duvido muito que nesta rodada tenhamos algum tipo de ajuda. O que não podemos deixar de fazer, é o “dever de casa”…

Palmeiras e Grêmio ainda irão sofrer por conta da Libertadores. Irão sofrer nela, pois agora o pau vai roncar e, por ela, no Campeonato Brasileiro, pelo desgaste natural e pela necessidade de ter que colocar em campo, volta e meia, um time reserva.

Claro que o jogo é jogado e lambari é pescado, isto é, que tudo pode acontecer nesta rodada, mas dentro da lógica, para nós, o jogo da decisão, de se saber se vamos ou não, será contra o Palmeiras, sábado, 27, no Maraca. Aí, o bicho vai pegar e vamos ficar sabendo para onde ele vai…

Qualquer resultado anormal, nesta rodada, para mim, será zebra gigantesca. Quem pisar na bola, dança!!!

Como ignorar o momento?

(Reprodução da internet)

Recebi dois arquivos. Um vídeo genuinamente rubro-negro, e outro, uma mensagem em áudio de um gênio da vida e da comunicação, que é Arnaldo Jabor, este último, encaminhado por um outro mestre do tema, Luisinho Campos.

Claro que o somatório dos dois arquivos conduz a um lugar comum no futuro do Rio de Janeiro.

Meu parceiro e amigo querido deste blog, Robert Rodrigues, levantou a hipótese de não nos envolvermos no processo político. Chegou a citar, acho que partindo do Nino – se não for, desculpe – uma colocação política que teve que alijar. O Robert é a razão e, cumpre a sua missão com rara dignidade, porém, com ele argumentei que neste momento, como virar as costas para o futuro de nossa gente. Por que não levantar o tema político, se ele interfere em tudo?

Vou levantar a bola, primeiro em casa, com a diretoria do Flamengo recebendo um dos candidatos ao governo do Rio. E, fechando, o depoimento de Arnaldo Jabor que, sem citar quem quer que seja, alerta para o perigo do momento que vivemos.

Concluindo: Como no futebol, não havendo baixaria, grosseria e coisas do gênero, a opinião, como sempre, é livre.

Não posso deixar de dizer que me calou fundo o depoimento de Arnaldo Jabor. Genial…




Não peço voto, até porque, nem para mim mesmo pedi, quando candidato fui à presidência do Flamengo. Quando abordava alguém, pedia apenas a atenção da pessoa, sem pedir voto. A decisão é de quem ouve, de quem lê, de quem sofre, de quem quer o nosso Rio melhor.

Refletir muito, é preciso.

Engolimos um elefante e engasgamos com um caroço de azeitona

Na rua do Russel, ouvi do meu querido e inesquecível amigo Jorge Curi o que está aí em cima, como título deste post, traduzindo o que pensava ele sobre a Rádio Globo. Isto não lembra ou se aplica a uma instituição pela qual somos apaixonados?

O tempo passou, muita coisa mudou e, para melhor. E neste caminho, o nosso Flamengo, como o mais gigante clube brasileiro, engoliu vários impensáveis elefantes.

Não faz muito tempo, Márcio Braga, Michel Assef, João Araújo e Joel Tepet, foram reivindicar ao Dr. Roberto Marinho que a TV Globo pagasse alguma coisa quando transmitisse os jogos do Flamengo. A resposta inicial, do genial  empresário da comunicação, foi a de que quem deveria pagar era o Flamengo, pois transmitindo os jogos, a TV Globo estava divulgando o clube.

A “briga” que começou neste episódio, se transformou em extraordinária receita para o Rubro-Negro, onde, só pelo Campeonato Brasileiro, os 100 milhões já ficaram para traz faz tempo. Este foi um dos elefantes que engolimos.

Outro? O sócio torcedor, que tive a honra de lançar em 1995, cujo título era “Sócio Off Rio”, que caminhou junto com a FLA TV.  Este talvez tenha sido o maior elefante que engolimos, na medida em que já chegou a ultrapassar as outras receitas e, pelo potencial de torcedores que temos, ainda baterá todos os recordes de faturamento.

Outros elefantes, maiores e menores, engolimos neste caminho. O problema é que, paralelo a isso, engasgamos estupidamente com alguns caroços de azeitona.

Agora mesmo, os rubro-negros – mesmo divididos em chapas, azul, verde e branca – deveriam estar unidos, através de uma comissão de transição, cuidando do futuro imediato, ou seja, tomando as providências mais urgentes para um bom desempenho do clube no ano que vem.

O “timing” é tudo no futebol e na vida. As boas oportunidades não esperam. Vendemos Paquetá e Vinícius Júnior, e o planejamento para 2019 vai depender de quem vencer a eleição. Um absurdo! Será que o que houver de bom no mercado, esperará até lá?

Em síntese, este é um caroço de azeitona. Como tal, pequenino e fácil de ser engolido e, nele engasgamos. Ao invés de juntos estarem projetando o nosso futuro, estão brigando, com bandeira levantada para impugnar candidatura, presidente de Conselho usando o cargo em benefício próprio, como candidato e, até o impeachment do presidente é cogitado.

Quanta perda de tempo…

No fundo, os caroços de azeitona não são engolidos pelo fato das pessoas estarem muito mais preocupadas com as suas aspirações pessoais, do que com os reais interesses do Flamengo.

As dúvidas Rubro-Negras

Ricardo Lomba (Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Há duas atuais dúvidas que dividem as cabeças Rubro-Negras, sendo uma dentro e, a outra, fora das quatro linhas.

A primeira diz respeito às próximas eleições, onde se questiona se Ricardo Lomba, candidato da situação, poderá ou não concorrer.

Nunca tomei sequer um cafezinho com o presidente Eduardo Bandeira de Mello e, sequer apresentado fui ao atual vice de futebol – e candidato – Ricardo Lomba. Portanto, não há de minha parte nada afetivo que possa interferir na minha linha de raciocínio. Dito isto, vamos lá.

Não existe no estatuto do Flamengo uma única linha que diga que um funcionário da Receita Federal, ou um funcionário público, esteja impedido de concorrer a qualquer cargo eletivo. Desta forma e, em última análise, se existe uma discussão ela não é pertinente ao Flamengo. Outra coisa: seria Ricardo Lomba irresponsável a ponto de colocar em risco o seu ganha pão?

Em síntese, fica para mim a sensação clara de que, não havendo impedimento por parte do Flamengo e, pela firmeza com que o candidato se posiciona, não há ou haverá qualquer tipo de problema por parte do órgão público.

Como tudo no Flamengo nos dias de hoje, as decisões ficam ao sabor da politicagem, comandada pelos presidentes dos conselhos. A verdade, a justiça? Ah… isto é relativo…

E, se não bastasse, o candidato de oposição ao cargo de vice-presidente é o atual presidente do Conselho Deliberativo. E isto, pode?


Nas quatro linhas, a dúvida é se Diego deve voltar ao time ou esquentar o banco de reservas. Respeito a opinião de todos e não sou dono da verdade, porém, como não sou “Murilo” e procuro ser coerente o máximo possível, deixo clara a minha posição de que Diego deva ser escalado.

Se tivéssemos um bom centroavante, admitiria discutir o tema. Como não temos e, dentro do que venho defendendo aqui – e faz tempo -, a melhor solução é adiantar e dar liberdade a Paquetá.

E seja o que Deus quiser…

Os matemáticos

(Reprodução da internet)

Os matemáticos, pelo conhecimento e pragmatismo, não só são confiáveis, como fazem parte das nossas vidas.

Agora mesmo, foi definido que, matematicamente, o Palmeiras tem 68% de chance de ser o Campeão Brasileiro. Na sequência, Inter com 20% e, nós com modestos 9%.

Respeito os números, embora nunca estivéssemos juntos na mesma praia (lá atrás, preferi o “clássico ao científico”, onde a mais importante Maria na minha vida, a Maria José , irmã do Zico, foi minha professora de filosofia e responsável direta pelo caminho que optei) porém, respeito a objetividade da matemática que, embora ciência exata, pode escorregar quando o tema é futebol.

Tudo bem que, levando-se em conta retrospecto e projeções, os números prováveis sejam os que acima citamos e, aqui pra nós, fazem sentido.

Só que o futebol é diferente de qualquer outro esporte e, pior ainda para os matemáticos, o Flamengo, com os seus mistérios indecifráveis, é o eterno calcanhar de Aquiles dos apaixonados pelos números. Em síntese, o Flamengo é a perigosa exceção para qualquer tipo de cálculo.

Lembram de 2005, quando TODOS os matemáticos afirmaram que a possibilidade de o Flamengo cair para a segunda divisão era de 94%? E em 2009, quando o galope rubro-negro atropelou todos os calculistas?

Sintetizando. Quem é Flamengo sabe que a matemática é relativa. O poder desta paixão é capaz de operar verdadeiros milagres que a ciência exata jamais irá entender.

Em se tratando de Flamengo, tudo é possível. Inclusive, ser Campeão Brasileiro tendo apenas, segundo os matemáticos, míseros 9% de possibilidades.

Matemática, se cuide!!! A exceção está pronta para atropelar a lógica.

Embora nem todos os que se dizem rubro-negros estejam torcendo a favor.

Bem, aí já é outra história…


Em tempo:

Continuo esperando as respostas do presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo:

1- Quem era, à época, o advogado responsável pela defesa do Flamengo na demanda contra o Consórcio Plaza?
2- Por que o Flamengo jamais acionou o Consórcio, que deu causa ao rompimento do contrato?


Em tempo 2:

Muito obrigado aos amigos queridos deste blog, pelas manifestações  de amor, confiança e carinho. Tenham a certeza de que a causa é justa.

O pior presidente da história do Flamengo

Alguns amigos me enviaram o seguinte depoimento do presidente do Conselho de administração do Flamengo, Sr. Rodrigo Dunshee, publicado em sua conta no Twitter:

O Sr. Rodrigo, como advogado, deveria ter uma melhor noção da língua pátria. O verbo “atacar” foi utilizado de forma completamente equivocada. Não ataquei o Sr. Rodrigo em nenhum momento no post anterior. Apenas, registrei ser um absurdo, o presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo, candidato da oposição ao cargo de vice-presidente, usar o cargo para abrir inquérito em que, em última análise, visa atingir ao presidente Eduardo Bandeira de Mello, e o vice-presidente de futebol, Ricardo Lomba, candidato da situação à presidência do clube. Considerei a medida, antiética. Será que alguém em sã consciência, pensa em contrário?

O Sr. Rodrigo mente. Jamais causei qualquer prejuízo ao Flamengo. Agi com lisura, como todos devem fazer e, além disso, por questão de foro íntimo, jamais no exercício da presidência, no período de 1995 a 1998 e, como vice-presidente de futebol, entre 2005 e 2009, nunca admiti que, mesmo no exercício das minhas funções, o Flamengo me pagasse passagens aéreas, estadias, almoços, jantares e, por aí vai. E, durante estes noves anos viajei mundo afora, pois tenho a certeza de ter sido um dirigente atuante. Até os ingressos dos meus filhos fazia questão de pagar. Os arquivos do clube e os funcionários que ainda lá estão, são a garantia do que aqui afirmo.

O prejuízo que o Flamengo teve neste triste episódio do Consórcio Plaza deve ser colocado na conta de quem presidia o clube à época do rompimento do contrato por parte do Consórcio e, principalmente, de quem defendia juridicamente os interesses do clube. Portanto, o Sr. Rodrigo mente.

Além de mentir, o Sr. Rodrigo omite que fui absolvido por expressiva maioria na reunião do Conselho competente para me julgar – o de Administração – e que a justiça, a quem recorri, tornou em primeira instância, nula, a reunião do conselho comandada por ele.

O Sr. Rodrigo sim, me agrediu, me caluniou, ao afirmar ter sido eu, o pior presidente da história, e de ter causado um prejuízo de mais de 100 milhões ao clube.

O Sr. Rodrigo esqueceu apenas de responder de maneira simples, o que questionei a ele no post anterior:

1- Quem era, à época, o advogado responsável pela defesa do Flamengo na demanda contra o Consórcio Plaza?
2- Por que o Flamengo jamais acionou o Consórcio, que deu causa ao rompimento do contrato?

Para encerrar. Não sou advogado do presidente Eduardo. Sou apenas um ex-presidente do clube que tem o direito e a obrigação de se manifestar, diante de atitude injusta e antiética. No caso, as vítimas foram o Eduardo e o Ricardo. Fosse quem fosse, agiria da mesma forma.

Aguardo as respostas do Sr. Rodrigo.

 

Maldade e alegria. 3 a 0 no Fla-Flu

1 – Maldade

Ia fazer um vídeo, pois estaria pronto para responder algumas perguntas, cujo tema central seria a iniciativa do presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo em abrir inquérito sobre a venda de Paquetá para o Milan e, a repercussão que teve este fato.

Ontem, externei meu ponto de vista, pelo WhatsApp em um grupo de rubro-negros, onde incluído estava o presidente do Conselho que leu e, claro, não gostou. Neste depoimento, apenas registrei o óbvio. Como pode o presidente do Conselho Deliberativo, candidato de oposição a vice-presidente do clube, se utilizar do cargo que ocupa para bombardear o adversário?

Evidente que, no mínimo, ético não é. Indo além, classifico como covardia, isto sem falar em injustiça. Por que? Pelo que já coloquei no post anterior. Quando se fala em abrir inquérito, o que qualquer pessoa normal imagina? Claro que, a possibilidade de patifaria. E, injusto é, pelo fato de que o presidente e quem responde pelo futebol serem pessoas de bem, honradas, que não merecem este ataque regado a irresponsabilidade e politicagem rasteira.

O presidente do Conselho, que preferiu sair do grupo a debater, afirmou que descarreguei nele a mágoa de ter sido punido pelo seu Conselho. Omitiu que, em primeira instância, a justiça comum já corrigiu aquela barbaridade, tornando sem efeito a decisão do Conselho e, omitiu ainda que, no voto e no Conselho competente para me julgar, fui absolvido por expressiva maioria. O que veio depois, todos sabem. Uma manobra odiosa, encabeçada pelos presidentes dos dois conselhos, com a finalidade única de me eliminar do quadro social.

O presidente do Conselho Deliberativo, fosse qualquer outra pessoa, deveria sim, era estar colocando no banco dos réus o responsável pela defesa do Flamengo neste caso do Consórcio Plaza, pois, ao invés de acionar quem deu causa ao rompimento do contrato, estranhamente optou por defender a tese de que o presidente do clube havia contraído um empréstimo sem a autorização do Conselho Deliberativo, fato mais do que provado que jamais ocorreu e, por isso, o Flamengo sofreu vários revezes no judiciário, até entender que o acordo era a melhor saída.

As perguntas a serem respondidas pelo presidente do Conselho Deliberativo são as seguintes:

A – Quem era, à época, o advogado responsável pela defesa do Flamengo?
D – Por que motivo o Flamengo não acionou o Consórcio Plaza?

Hoje, o ex- presidente Luiz Augusto  Veloso, também indignado com a baixaria política, se mostrava revoltado pelo fato de no dia de um jogo tão importante, com o torcedor do Flamengo sonhando com o título de Campeão Brasileiro, o noticiário todo era em cima do tal do inquérito a ser aberto pelo presidente do Conselho de Administração, levantando suspeita sobre a conduta de quem dirige o clube e de quem dirige o futebol ou, para simplificar, seus opositores.

A indignação do ex-presidente Luiz Augusto é perfeita e compreensível. Para estas pessoas o que importa são os seus objetivos políticos, mesmo que na contramão do que seja bom para Flamengo.

Já disse o que precisava e entalado estava. O vídeo fica para uma próxima oportunidade. Questão de tempo…


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

2 – Alegria. Fla 3 x 0 Flu

Como não estou por aqui, rolo a bola do mais charmoso clássico do futebol brasileiro para meu amigo/irmão, Carlos Egon Prates.

Diga aí querido Egon…

Meeeeengooooooo!!!

Chove canivete em Angra dos Reis!

Apesar do papo ser bem menos relevante que o texto do Guru, no andar de cima, essa chuva absurda diz respeito ao milagre que vimos hoje no Maraca. Vencemos com dois gols de centroavante… e, um de Léo Duarte.

Isso só perde para o Furacão Michael que destruiu a Flórida…

Temos um pequeno problema que precisamos resolver urgentemente. Após a saída do VJr, não temos saída de bola rápida. O famosos contra-ataque…

Éverton carrega muito a bola, Vitinho está sem pique e, Uribe prendendo os zagueiros, não pode ajudar. Aquele esticão que Vinicius fazia tão bem, não vai rolar tão cedo.

Nossa saída da defesa – quando recupera a bola – é muito lenta e cadenciada. Nem Arão nem Cuellar são rápidos.


Enfim, estamos coladinhos no Palmeiras e o nosso 3º gol demonstra que o vento está sobrando a nosso favor. Se aquilo fosse mês passado, com certeza Uribe sairia com bola e tudo ou, daria com a cabeça no poste…

Notinhas das crianças

César – Está sendo o excelente goleiro que ganhou a Copinha. Se não estamos sentindo falta do Diego Alves, é porque o cara está bem – 8

Pará – Aquela coisinha que Tite jamais irá convocar, mas que quebra o galho pela entrega e correria pelo corredor – 5

Léo Duarte – E agora José??? Hoje não posso cair de cacete no carinha. Apesar do Flor não fazer nenhuma cosquinha, foi responsável por um belo gol de cabeça. Hoje merece uma notinha esperta – 7

Réver – Se jogar, raramente tomamos gols de cabeça! Sobe por toda nossa defesa e mais os reservas. Jogador importantíssimo no nosso setor defensivo – 8

Renê – Marcador ferrenho! Pelo seu lado só ciscaram e nada aconteceu. Posso estar enganado! Mas está muito melhor que quando chegou do Sport – 7

Cuellar – Sem dúvida alguma é o melhor volante do país! Além de não perder a viagem, raramente faz faltas. Fundamental! – 9

Arão – Três oportunidades da entrada da área, sem nenhuma marcação, e não aproveitou nenhuma. Perdemos 2 pontos para o Bahia por ele ter perdido a bola do jogo no último minuto – 5

Paquetá – Parece que o anúncio da venda não afetou sua atuação. Continua fazendo gracinhas desnecessárias, mas é o diferenciado do time – 7

Éverton Ribeiro – Se soltasse mais a bola ao invés de correr com ela, seria mais objetivo. Sabe tudo, mas abusa do individualismo. Dificulta o fácil – 7

Vitinho – Está provando que tem o pé calibrado. Dois passes, dois gols… Parece que está acordando do sono profundo e entrando mais no jogo. Mas falta aquela arrancada – 7

Uribe Da Massa – Será que enfim temos centroavante??? Depois dos gols hoje, vamos aliviar a barra do colombiano. Se movimentou bem e não deu descanso ao poderoso Digão – 9

Dorival – Faz tempo que não vemos seis gols em dois jogos. Acho que a rapaziada entendeu o verbo “matar”, embora ainda esteja perdendo gols feitos. Uribe e Arão não me deixa mentir. O placar foi camarada para o Flor. 6 a 0 não seria nenhum absurdo…”

Carlos Egon Prates

E para terminar, um vídeo da torcida rubro-negra torcendo a favor, gravado pelo Deputado Federal – e grande rubro-negro – Vinícius Farah.

Quem é quem no Flamengo. Chegou a hora de saber

Amigos,

Li que o presidente do Conselho Deliberativo do Flamengo abrirá um inquérito para apurar a venda de Paquetá.

Li e, não acreditei. Como alguém que é candidato de oposição, a vice-presidente do clube, utilizando o cargo de presidente do Conselho Deliberativo, assume tal postura?

Isto é pra lá de antiético. Isto é vergonhoso. Maldade pura… Até porque, aqui pra nós, quando se fala em abertura de inquérito, quem é que não imagina que haja alguma patifaria?

E, aí está a maldade. Esta diretoria, comandada pelo Eduardo, teve inúmeros acertos e um único e gravíssimo equívoco, qual seja, a total falta de sensibilidade para tocar o nosso futebol. Agora, querer pegar um episódio, realmente digno de críticas no seu encaminhamento, e transformar isto em uma possibilidade de patifaria, vai uma distância enorme.

Da mesma forma que critico a falta de sensibilidade no trato do futebol por parte desta turma que dirige o clube, não tenho nenhuma dúvida com relação à lisura com que todos eles tratam os interesses do Flamengo. Aliás, está na cara de todos que lá estiveram e dos que ainda estão.

Portanto, mesmo crítico pelo açodamento na venda de Paquetá, achei um exagero, com pinceladas contundentes de maldade, se abrir um inquérito para este caso. E, pior ainda, na medida em que quem propõe a abertura do inquérito é um candidato da oposição, ocupando o cargo de presidente do Conselho Deliberativo que, em última análise, é quem julga. Que maldade, que injustiça, que grosseria…

Conto tudo isto para dizer que, em um grupo composto por inúmeros rubro-negros, externei, de forma sucinta, este meu ponto de vista. Reproduzo agora, o que escrevi e, o que veio como resposta do presidente do Conselho Deliberativo, além claro, da minha tréplica. O debate não prosseguiu e vocês saberão o motivo lendo o que vem a seguir.



Por hoje, para finalizar, prometo para amanhã, um vídeo, olho no olho,  para que todos possam avaliar, com absoluta precisão, quem é quem no Flamengo.

Forte abraço a todos.