(Foto: Ivan Storti / Santos)

Atirou no que viu e, também, acertou o que não viu

Quando ligo a TV e tenho conhecimento de que o Flamengo não desistiu do atacante Bruno Henrique, do Santos, fica em mim a clara certeza de que o nosso pessoal está pensando grande, pensando de acordo com o tamanho do Flamengo.

Bruno Henrique é um fenômeno? Claro que não. Aliás, fenômeno, excetuando-se Messi, não há, neste momento, nenhum no futebol mundial.

A leitura correta para a contratação de Bruno Henrique deve ser feita no objetivo rubro-negro em conquistas maiores, como Libertadores e o Mundial de Clubes. Para se chegar lá, não basta ter um baita time. Para se chegar a este ponto, um grande elenco é necessário, pois o calendário é duro.

Mengão… é Flórida!!!

Esta foi a manchete que sugeri ao meu amigo Catito Perez, presidente do JB – Jornal do Brasil -, para a edição de domingo passado. Como é de conhecimento de...

Desabafo no Natal

Não sei se estou ficando chato, mas há certas coisas que não tem como não registrar o desânimo com relação às pessoas que dirigem o nosso futebol. Estão...

As dicas de quem conhece

Quando o tema era jogador argentino ou uruguaio, sempre procurava as informações abalizadas e desprovidas de qualquer interesse, de um irmão de vida. Atílio...

Boa sorte!!!

Na vida, vale o que está escrito. E, escrito está, à disposição de todos (acima), a composição definitiva da nova diretoria rubro-negra. Embora em alguns casos...

Sopros de esperança

Passei um final de semana sofrido. Messi, meu filho de quatro patas, um Golden quase gente e, só não é pela bondade e doçura extremas (o ser humano...

Recordar é viver

Em meio ao interesse do Flamengo em montar um time imbatível e, na “largada”, anunciando interesse no “promissor” Felipe Melo, melhor é retornar ao passado e...