Esclarecimento 2

Desculpem, queridos companheiros do blog, mas preciso voltar ao assunto abordado no post de ontem, cujo título foi “Esclarecimento” (ler aqui).

Citei ontem o absurdo comercial de se pagar uma propina no mês de abril e, o contrato relativo a este malfeito só ser assinado em dezembro.

Na realidade, acabei omitindo o que há de mais importante, de irrefutável. A procuradoria dos Estados Unidos, em documento tornado público nos últimos dias, cita duas empresas – Itasca e Exterpise – em que uma delas teria recebido, em abril de 2011, da Klefer Int. a importância de um milhão de dólares, quantia esta que seria destinada a pagar propina pelo contrato referente a Copa do Brasil.

Três detalhes:

1 – Em abril de 2011 sequer sonhávamos em celebrar este contrato. Bem no inicio de dezembro de 2011, fui procurado pelo presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Ouvi dele que, pelo fato da Conmebol ter declarado J. Hawilla persona non grata ao futebol sul-americano e, de ter proibido todas as federações do continente sul-americano a ter qualquer relação comercial com a Traffic, a CBF, atendendo orientação de seu departamento jurídico, não renovaria o contrato da Copa do Brasil com a Traffic e, atendendo determinação da Conmebol, celebraria com outra empresa um novo contrato. Disse que tinha uma semana para dar solução ao tema e nos pediu uma proposta. Debatemos internamente o assunto e, uma semana após apresentamos proposta, que foi aceita. Ato contínuo, assinamos o contrato. Tudo isto que aqui relato, ocorreu no mês de dezembro de 2011. A insinuação – até porque a procuradoria não acusa e sim, colocando sempre no condicional, insinua – de que este depósito, em abril de 2011, se destinaria a pagar propina pela Copa do Brasil, vai por terra, na medida em que, em abril de 2011 sequer imaginávamos comprar os direitos relativos à Copa do Brasil.

2 – Jamais ouvimos falar e nunca nos relacionamos de qualquer forma com as empresas citadas: Itasca e Exterpise.

3 – Estamos fazendo levantamento interno de todas as operações feitas pela Klefer, material este que será encaminhado à procuradoria dos Estados Unidos, pelo nosso advogado Dr. Michel Assef Filho.

Esclarecimento

Já escrevi aqui no blog que já havia dito tudo que poderia falar com relação à investigação americana que apura malfeitos no mundo do futebol. Como viajei e ilhado estava, com a comunicação comprometida, tanto é que nem pude ver o último jogo do Flamengo, só tomei conhecimento hoje sobre o noticiário que, embora tenha vindo da Espanha, tem como base a investigação americana.

Não posso – e me desculpo com todos os companheiros do blog por retornar a um assunto de ordem pessoal – deixar de colocar os seguintes pontos, mesmo contrariando a opinião de nossos advogados, que entendem que deveria eu esperar o momento oportuno. Como a minha formação é a do jornalismo, com todo respeito, não dá para deixar de dizer o seguinte:

1 – Jamais tive como pessoa física, ou através da Klefer, qualquer relação ou interesse comercial com o senhor Sandro Rosell.

2 – Desconheço e ninguém na Klefer tem conhecimento, de uma empresa de nome Itasca, que teria sido beneficiada por um depósito feito pela Klefer.

3 – O documento dos procuradores coloca no condicional que a Klefer Internacional PODERIA TER FEITO um depósito no valor de um milhão de dólares, em abril de 2011, para pagar propina pela Copa do Brasil. Informo que o contrato da Copa do Brasil foi assinado em dezembro de 2011. Como imaginar que um depósito feito em abril, seja destinado a um contrato que só foi assinado em dezembro e só começaria a ter validade em janeiro de 2015? Garanto que não há nos departamentos, jurídico e comercial, nenhum profissional que correria este risco. Em síntese, não somos idiotas.

4 – Quando o advogado Raphael Mattos foi ontem procurado para falar sobre o tema, de forma prudente e responsável, disse que precisava de tempo, pois desconhecia os fatos novos. Apenas isso. Como o Dr. Raphael Mattos estava viajando, a reunião de hoje, onde tomamos conhecimento com mais profundidade e debatemos o assunto, foi realizada com os Doutores Michel Assef e Michel Assef Filho.

5 –  Vontade de falar mais, tenho, e muita. Não faltará oportunidade quando chegar o momento exato.

Boas notícias

Treino do Flamengo – 26/05/2017 (Fotos: Divulgação / Flamengo)

Hoje, sinto o nosso ambiente no Flamengo bem mais descontraído. Mais uma vez repito e, pelos comentários, muitos companheiros pensam como eu. Tudo bem que a atuação contra o Atlético Goianiense, apesar da vitória, foi muito ruim. Só que os jogadores são seres humanos que sofrem influência psicológica e, isto ocorreu em função da desclassificação da Libertadores.

Diria mesmo que, o jogo pela Copa do Brasil foi o da ressaca… e isto vai passar. Aliás, já passou. Pelas fotos e vídeos dá pra notar o clima bem mais descontraído. Apesar do gramado sintético e, pelo jeito, ainda sem Éverton, dá para acreditar num bom resultado no domingo.

Sugestão

Treino do Flamengo – 26/05/2017  (Fotos: Divulgação / Flamengo)

Leio, e feliz da vida, que Conca e Diego estão prontos para o batente, e que neste meio de semana os dois – juntos, no mesmo time – participarão de um jogo treino, com adversário ainda a ser conhecido. Por que não fazer este jogo treino na Arena Flamengo, alçapão do Urubu, na Ilha do Governador?

Como será um jogo treino, acho que não haverá problema quanto a aprovação da Arena junto às autoridades competentes para o evento. A Arena está linda, o gramado perfeitinho e, uma bela oportunidade para o torcedor ir aprendendo o caminho…

Sem medo de errar, será matéria para o Jornal Nacional.

Assustado e preocupado

(Foto: CÉLIO MESSIAS/ESTADÃO CONTEÚDO)

Ontem, aliás madrugada de hoje, ouvi do meu querido Carlos Egon que, a atuação do nosso time havia sido muito ruim.

Daqui, raciocinei que o jogo, apesar de valer uma classificação para a próxima etapa da Copa do Brasil, trazia a facilidade que encontramos na partida de sábado pelo Campeonato Brasileiro e, por este motivo, o time devia ter entrado em campo mais relaxado do que deveria, daí a má atuação.

Acabei de falar com o Egon e fui para o blog. Confesso que fiquei assustado com seu texto e, mais ainda, com as notas por ele atribuídas. Fui dormir preocupado e, ao acordar, lendo os comentários, fiquei além de preocupado, assustado.

Reparem que desta feita, houve quase que uma unanimidade com relação ao trabalho que vem sendo feito pelo treinador Zé Ricardo. Até onde li, apenas um companheiro, entre todos, livrava a cara do nosso treinador. Não bastasse isso, uma quantidade considerável de jogadores foi descartada.

Pelo que li, de antemão, sei que o que vou aqui dizer não vai agradar à maioria absoluta dos companheiros, mas, é o tal negócio: amigo não é aquele que diz o que o outro quer ouvir, e sim, o que o outro precisa ouvir. Quanto mais em se tratando desta nossa família rubro-negra, que discorda, mas ama.

Amigos, acho que em função de uma atuação horrorosa, vá lá, a conclusão de um todo está distorcida.

Muralha é um Yashin? Claro que não. Mas, pergunto: no atual futebol brasileiro, quantos são bem superiores a ele? O nosso quarteto de zagueiros – Pará, Rever, Vaz e Trauco – é ruim? Será que já esquecemos de César Martins e Wallace? No meio defensivo, vocês acham mesmo Márcio Araújo, Arão e Éverton ruins?

Não há técnico no mundo que faça um time ser vencedor, se não houver um mínimo de criatividade no meio-campo. E, não há time no mundo que conquiste algo importante tendo apenas um atacante.

Com a saída de Diego e, sem poder ainda contar com Conca, não há solução, pois só estes dois sabem criar. E, só com Guerrero no ataque, definitivamente, não dá.

Contratar um atacante JÁ, é o mais primário dever de casa a ser feito. E, enquanto isso, por favor, Zé Ricardo, não invente e coloque o Vinícius Júnior para jogar 90 minutos.

No mais, acabar com este “centro de inteligência” que contrata com total incompetência.

Era isso. Falei com o coração, sem esquecer a razão.

Mengão pós jogo

(Foto: Celio Messias / Estadão Conteúdo)

Como sempre, quando – apesar de todo esforço possível, como agora – fica impossível para mim ver o nosso jogo, quem coloca a bola para rolar é o nosso doce, talentoso e bem-humorado, Carlos Egon Prates.

Diga aí, querido Egon…


Bem! Jurava que o festival de horror tivesse ficado na Argentina. Perdemos, com um festival de lambanças do Zé.

Vencemos hoje, com Zé fazendo um esforço abissal pra sair de Goiás eliminado…
Não existe nota maior que 5, pra qualquer jogador.

O Atlético tomou um gol, encostou a marcação no meio de campo e, foram para o suicídio. Deu certo! E, por pouco não deu MUITO certo…

Guerrero, nosso pivô, responsável pela chegada do meio, não viu cor de bola. O técnico do Atlético encostou o zagueiro no cangote dele. Babou!!!

Apesar das inúmeras faltas sobre o centroavante, a jogada morria ali.

Conseguimos (não sei como) jogar muito menos que contra o San Lorenzo. Definitivamente, saímos no lucro de Goiás…

Vamos às notinhas, que só serão dadas, por consideração ao meu amigo Kleber.
ELES não mereciam!!!

MURALHA – Sem culpa pontual em nada mas, culpado pela péssima reposição de bola. Pode cair em qualquer lugar – 3

PARÁ – De certa forma atacou com certa objetividade. Em compensação, fez um balaio de lambanças na marcação. O 1-2 sobre ele, só não foi notado pelo Zé Ricardo – 3

RÉVER – Nunca vi tão nervoso e afoito. Uma das poucas atuações pífias que assisti do nosso capitão – 2

VAZ – Definitivamente é o Fio Maravilha da nossa defesa. Alterna jogadas interessantes, com absurdas. Em dois lances, quase entrega a rapadura – 1

RENÊ – Posso quase garantir que, no futebol brasileiro, não existe lateral-esquerdo parecido com ele. Na contramão da modernidade, não passa do meio de campo. Só marca!!! – 3

MÁRCIO CARAMUJO – A pior partida que vi jogando esse ano! Errou tudo que podia e não podia. Até mesmo tropeços hilários na bola – 1

ARÃO – Coisa do outro mundo! Um terror tanto no meio como atacando. Nada deu certo para nosso volante – 1

TRAUCO – Para Traque faltou pouco. O perninha curta foi um dos responsáveis pela avalanche do Atlético. Nem marcava nem atacava – 1

ÉDERSON – Só foi notado quando perdeu um gol por querer cortar pra dentro. Não entrou em campo – 0

RODINEI – Ajudou na marcação, mas não foi o “ponta” que tem sido em outros jogos. Por outro lado, os lançamentos também não aconteceram. Valeu pela garra demonstrada – 4

GUERRERO – Continuo afirmando que é o melhor pivô “brasileiro”. Dentro da área é um jogador comum. Evidentemente, valeu pelo gol, mas hoje, não ganhou uma bola do zagueiro do Atlético – 4

MATHEUS SÁVIO – Entrou sob vaias, cruzou uma bola vadia e, caprichosamente entrou no cantinho. Como sou complicado para esquecer traumas, só pelas lambanças na terra do Maradona… – 0

ZÉ RICARDO – Pensei que tivesse aprendido na Argentina! Novamente jogou o time adversário pra cima de nós. Com a saída do Rodinei, deu sorte com o gol do Matheus. Por outro lado, perdemos a pouca posse de bola que tínhamos no ataque. Além, é claro, de liberar o lateral deles. Substituição básica e chorada pela Nação. Sai Rodinei, entra Vinicius Jr. Simples assim! As entradas de Rômulo, ManCUello e Matheus Sávio, tornaram Guerrero mais solitário ainda – 0

Valeu pela classificação, mas não valeu pela péssima partida que fizemos.

Abs amigos

Carlos Egon Prates

Esta, a família do blog já sabia… E faz tempo…


O Clube de Regatas do Flamengo e o Real Madrid C.F. chegaram a um acordo para a transferência dos direitos federativos do atleta Vinicius Junior a partir de julho de 2018. Além das informações já divulgadas, o Flamengo vem a público comunicar que:

– O valor total da negociação é de 45 milhões de euros;

– Recentemente, Vinicius Júnior renovou seu contrato de trabalho com o Flamengo. Este contrato prevê aumento salarial para o atleta e incremento da multa rescisória de 30 para 45 milhões de euros;

– O contrato de Vinicius Júnior com o Flamengo prevê a permanência do jogador no clube até julho de 2019. O acordo firmado com o Real Madrid mantém esse prazo através de contrato de empréstimo ao Flamengo. Porém, o atleta poderá se transferir para o clube espanhol já a partir de julho de 2018, caso seja sua vontade e haja acordo entre os dois clubes;

– Toda a negociação comprova o carinho que o atleta tem pelo Flamengo e o clube gostaria de ressaltar que todas as partes envolvidas buscaram o melhor para a formação e carreira do atleta.

Sobre Vinícius Júnior

Vinicius José Paixão de Oliveira Júnior tem 16 anos (12/07/2000) e é natural do município de São Gonçalo, na região metropolitana do Rio de Janeiro.

Atuando pela seleção brasileira sub-17, Vinicius Júnior foi artilheiro e craque da última edição do Campeonato Sul-Americano. Com o Manto Sagrado, o jovem brilhou em todas as categorias de base e foi destaque da Copa São Paulo de Futebol Júnior deste ano. Estreou no time profissional no empate em 1 a 1 com o Atlético-MG no Maracanã e voltou a atuar na vitória por 3 a 0 sobre o Atlético-GO, no último sábado (20), no Serra Dourada, pelo Campeonato Brasileiro.

Ao lado de outros jovens talentos rubro-negros, Vinicius fez parte do projeto “Pratas do Ninho”, que busca, de forma planejada, realizar a transição de atletas da base para o futebol profissional.



Antes que os oportunistas de carteirinha apareçam para espinafrar a diretoria do Flamengo por deixar sair um gênio da bola tão jovem, preciso deixar claro que, a meu conceito, outra opção não havia.

Esta é a maior transferência de um jogador brasileiro para o exterior: 45 milhões de euros por um jogador de 16 anos. Ponto!

Como uma única observação: que parte significativa deste recurso seja aplicada no futebol. E, com sabedoria. E ainda, se possível, passando longe da opinião do nosso “Centro de Inteligência”…

Pingadinhas de segunda…feira!

(Reprodução da internet)

. Em apenas duas rodadas está dado o recado: se o Campeonato Brasileiro do ano passado foi marcado pelo equilíbrio, este ano a disputa será mais acirrada ainda. Impressionante como os times estão nivelados.


(Fonte: Twitter do Vasco)

. E não é que sem o seu melhor jogador, o Vasco tirou a barriga da miséria… Mesmo assim, continuo firme no conceito de que nada substitui o talento. Nesse time do Vasco, Nenê ver o jogo do banco, deve ser difícil, pois o elenco carece de talentos. Nesta matéria, além de Nenê, só se salva Douglas, que realmente é bom jogador.


(Foto: Fernando Michel/Lancepress)

. Com todo respeito ao Fluminense, a vitória sobre o Atlético Mineiro, no alçapão do Galo, pode ser considerada uma meia zebra. De negativo, a arbitragem. Flagrante ficou que o árbitro se deixou “impressionar” pelo ruído do alçapão…


(Foto: Staff Images / Flamengo)

. Lá ia eu dizer que é desagradável jogar contra o mesmo adversário duas vezes seguidas e, por competições diferentes. No fundo, ruim mesmo é para quem perde o primeiro jogo por 3 a 0, ter que pegar o mesmo adversário três dias depois…

. No que nos compete, o negócio é ganhar o jogo de depois de amanhã, garantindo o seguimento na Copa do Brasil. E, no dia seguinte, refletir muito e concluir que jogamos duas vezes contra ninguém.

. Por isso acho precipitado qualquer tipo de avaliação individual no nosso time. O pessoal aqui gostou do Éderson no primeiro jogo. Preciso de mais um pouco de tempo, e de adversário também…


. Hoje, vi de cima a nossa Arena na Ilha do Governador. Todos que estavam nas janelas, do lado direito do avião, ficaram embasbacados. A nossa Arena está simplesmente LINDA!!!


(Foto: Gilvan de Souza/ Flamengo)

. A pergunta que não quer calar – e que vale um “bolão”. Em que jogo Conca vai estrear? Quem arrisca?


. Meu parceiro Robert Rodrigues enviou uma enxurrada de matérias dos principais jornais do mundo sobre o garoto Vinícius Júnior. Tenho o palpite de que, muito antes do que se imagina, Guerrero, finalmente, vai ter um companheiro de ataque…

Muito cuidado nessa hora

(Foto: Staff Images / Flamengo)

Todos que aqui convivem sabem que sou um otimista de carteirinha. Talvez seja, muito mais do que uma característica rubro-negra, um conceito de vida, de quem acredita, de quem quer o bem, de quem ama a vida. E, quem ama a vida não tem tempo para desencontros, desamor, picuinhas e birras.

Abro desta forma para, depois de uma vitória por 3 a 0, chamar atenção para uma possível euforia que pode ser perigosa.

Ganhar: maravilhoso. Três pontinhos no Brasileirão: espetacular. O problema é que não devemos nos enganar. Jogamos contra um time muito fraco, aliás, muitíssimo fraco, candidatíssimo, já na segunda rodada, ao rebaixamento.

Dito isto, elogiar as atuações dos nossos laterais – principalmente Trauco – da nossa zaga, do nosso meio pegador e… ponto!

Continuo achando, apesar do esforço, Ederson completamente fora de esquadro. Sem Diego ou Conca, a criação estará sempre comprometida.

Sem Guerrero, com o que temos, num jogo pra valer, será de doer. E o nosso Zé Ricardo, insensível continua. Com todo estádio – atenção!!!! O jogo foi em Goiânia – pedindo Vinícius Júnior, lá vem ele, de novo, com Matheus Sávio…

Legal, muito bom ver o garoto Vinícius Júnior, que voltou a entrar no finalzinho, fazer uma jogada espetacular. Demonstrou, além do talento que já conhecemos, personalidade…

Como dizia minha avó Corina: “o que é do homem, o bicho não come”.

Juízo rapaziada. Ganhar é maravilhoso, mas hoje há de se avaliar bem a vitória.

E o Palmeiras, hein?