O negócio é a Copinha

Flamengo 1 x 0 Bangu – 24/01/2018 (Fotos: Gilvan de Souza / Flamengo)

O jogo contra o Bangu foi na realidade um aperitivo para a Copinha.

Vinícius Júnior, como era de se esperar, em lance genial, deixou Lincoln na cara do gol, e assim, a vitória foi construída.

Ninguém ficou devendo, ou seja, todos foram competentes. Ronaldo, depois de Vinícius Jr., foi o destaque.

A bem  da verdade, não entendi bem a presença de Jean Lucas neste jogo. Imaginava ele ajudando na decisão da Copinha.

Pode ser até que seja precipitado, mas vou arriscar: Vítor Gabriel, em breve, será o nosso centroavante titular.

Agora, é esperar por esta Copinha que, aqui para nós, é um campeonato espetacular.

A nossa garotada é muito boa. Bill é a esperança. Joga muito! A manhã desta quinta-feira tem tudo para ser espetacular!!!

Olho na telinha, coração na boca e, seja o que Deus quiser…

MEEEEEENGOOOOOOO!!!!!!!

1 Comentário

  1. Hoje assistindo a Fox Argentina vi que o lateral esquerdo Insua (com passagens por Boca, Liverpool e Seleção Argentina) hoje no Stuttgart da Alemanha, 32 anos estará livre no mercado no meio do ano. Aliás junto com ele Rafinha do Bayer e também o Francês Gignac que a nação chegou a pedir pelas redes sociais.
    3 boas opções, todas de graça para o meio do ano em setores muito carentes

    Reply
  2. Deixaram os garotos brincar ? Agora senta e APLAUDE !!!

    Os títulares 2017 vão ter que comer a grama para tomar a vaga dos meninos.
    A base chegou, agora amiguinhos só falta o elenco principal TAMBéM corresponder e está feita a FESTA NA FAVELA.
    Base forte + elenco principal equilibrado = POEIRAAAAA, POEIRAAAA …….

    Essa mistura levanta poeira.
    Apertem os sintos.

    Reply
  3. Amado Guru!
    Estamos encaminhando jovens promissores e, jogando um Carioqueta carniça, em que clube grande (?) joga três e perde duas… para times considerados pequenos.
    Já que é pra subir quem pode e descer quem deve, a posição que ocupa Carpegiani é de suma importância. Principalmente se tratando de um ex craque agora “ensinando” jovens promissores.
    Incompreensível não colocar Vinícius Júnior no banco, que ignora solenemente o que significa jogo coletivo.
    Nosso gol nasceu de uma jogada fominha, mas que nem sempre é sucesso. Ignorar melhores opções e, ignorar mais ainda, os outros 9 que jogam com ele, requer pelo menos uns puxões de orelha.
    Como estamos falando de um fundista habilidoso, no começo de carreira, acho que treinar finalizações e jogar coletivamente, lhe fará bem.
    Sei que “precisam” aparecer. Mas devem aprender que futebol é um esporte coletivo e, Carpegiani foi mestre nesse fundamento.
    Virando a página, chamo atenção para o classudo Jean Lucas.
    Porte, passada e acerto de passes, tal qual nosso monstro Andrade.
    Esse vai acontecer…

    Reply
      • Grande Diego!
        Se Arão voltar agarrado ao travesseiro, com toda certeza essa raridade vai passar por cima dele.
        Cabeça erguida, passes corretos e pra frente, são grandes características.
        Além da boa altura pra aguentar o tranco.
        Evidentemente estamos falando de Volta Redonda, Cabofriense e Bangu.
        Um cenário como esse ainda pode ser prematuro. Mas o que sobrou do Chiqueirinho da Barreira, e do charuto apagado, está na reta.
        Vamos ver como se comporta o Príncipe Africano.

        Reply
        • Meu caro vinking!

          Eu tenho uma certa dificuldade de entender o futebol do Arão!

          É difícil de aceitar o time tomando contra ataque e W. Arão dentro da área adversária.

          Some-se isso o fato notório, que na prática o Flamengo joga só com 1 cabeça de área. Arão marca mal, e se perde sua principal virtude, o apoio, vira figura problemática no time.

          Reply
          • Meu amigo!
            Arão é uma cópia paraguaia do Paulinho. Chega bem no ataque e até faz seus golzinhos.
            Marcando e passando, é uma cópia fiel do Minhoca…
            Falta sangue e entrega.

  4. Sobre o jogo, pouco a falar. Apenas que Vinícius Jr e Paquetá queriam levar a bola pra casa. Nunca vi tanto individualismo, mas nesse campeonato semi-amador tá valendo.

    O destaque da noite, pra mim, ficou por conta da entrevista do Carpegiani. Vou colar alguns trechos:

    “Temos que valorizar os meninos. A direção está muito consciente para buscar reforços. Não quero ninguém só para compor o grupo. Temos os meninos”

    “Se eu levar alguns jogadores para o clássico, vamos correr o risco de alguns jogadores terminarem o jogo contra o Vasco no limite. Temos que pesar isso”

    “Aparecendo uma grande jogador, poderá trazer ou não. Estamos dando chance aos meninos. Estou satisfeito. Temos o Guerrero, que é questão de tempo Vai se fazer justiça. Temos o Guerrero e a meninada. Não temos que trazer um outro jogador”.

    Reply
    • Meu raciocínio é alinhado com o do Carpegiani nesse sentido. Não acho que o Flamengo tem que contratar porque é normal contratar todo ano. Acho que é preciso contratar quando necessário. Certamente muitos discordarão, mas estou agradecendo muito o fato de Pablo, Zeca, Love e Wallace não terem chegado a acordo. Se é para trazer um mediano desses a preços exorbitantes, melhor subir a molecada, eles estão vindo quentes. Podem não estar preparados, mas, se não lhes for dada a devida oportunidade, nunca ficarão mesmo. Não vai ser emprestando pro Náutico ou pro Luverdense ou pra equipes da Índia, com todo o respeito aos citados, que vamos preparar melhor nossos jovens para o futuro. Se é para prepará-los que botem-os em campo no Maraca lotado num clássico, num jogo pra valer mesmo, enfim. Temos aí o exemplo do Barco, do Independiente, que, com 18 anos, estava lá na final da Sula correndo atrás para a equipe dele e isso eu vejo muitos dos nossos jovens fazendo também com o Manto, basta deixá-los seguir e orientá-los para que evoluam. Também cito o Grêmio, que achou alguns valores na base, complementados por profissionais experientes, e acabou campeão da Libertadores e vice do Brasileiro. A questão não é ter a maior quantidade de jogadores de nome. Fosse assim e o nosso ataque de 95 teria sido um dos melhores da história do futebol.
      SRNs!

      Reply
  5. Verdade, Presidente. Vitor Gabriel lembra o Imperador quando comecou pela forca fisica, pela facilidade se se impor aos zagueiros.
    Mas eu boto fe no Vizeu. Sei que a maioria nao gosta dele mas seus numeros sao bons. Artilheiro do Sulamericano sub20, decidiu jogos grandes na Sula e isso tudo depois de ficar 8 meses sem jogar por opcao do treineiro vascaino. Ele pode surpreender esse ano, principalmente se os laterais e meias funcionarem.

    Reply
  6. Kleber, prefiro não me alongar para não ser repetitivo, já manifestei a minha opinião que é de , em caso de necessidade , recorrermos a base e só
    contratar CRAQUE. O Carpegianni também disse isso hoje. O jogo estava fluindo bem até que começou o festival de individualismo e nesse aspecto concordo integralmente com comentário do Egon. Amanhã tem mais Flamengo e a minha esperança e de Título.

    Reply
  7. Kleber, venho falanfo há algumas edições do blog, que o Thiago Gabriel será titular.
    É melhor que o Vizeu.
    Sabe fazer pivô, é ótimo cabeceador com grande impulsão, tem velocidade, finaliza com os dois pés (Vizeu só esquerdo) e tem uma certa habilidade.
    Juntamente com Jean Lucas, grande revelação.

    Reply
  8. O grande jogador percebe facilmente que tem que jogar coletivamente, usando sua habilidade para diferenciar-se dos demais.Sou favorável aos jovens da base serem aproveitados, mas ao lado deles tem que ter aquele que seja referencia e que vai faze-lo abrir os olhos para que não prejudique o grupo e nem a preparação. VJ é um bom jogador, para mim ainda longe de ser craque, mas á caminho. Tem que ter um Diego ao lado para não deixa-lo achando ser acima do grupo, pois os meninos dão o sangue e ele dá o drible, os meninos dividem e ele pula, portanto Carpegiane que abra bem os olhos. VJ é uma grande promessa e não uma realidade.

    Reply
  9. É muito bom ver a nossa base valorizada.

    A base quando funciona bem, nos trás o orgulho rubro negro à flor da pele. É uma sensação agradável de ver novos “sucessos” brotando.

    Independente do resultado, acho que a comissão técnica da base, realizo e bem o seu trabalho.

    Vamos que vamos. Lutar sempre!

    Reply
  10. Kleber, lembrando seu comentário bem no início da Copa SP, quando citou que os jogadores estavam priorizando o individualismo e abdicando do coletivo.
    No jogo seguindo o time se encaixou (creio depois de um puxão de orelha) e o jogo coletivo voltou a prevalecer, time compacto, rapido e vamos em busca de mais um título hoje.
    Ontem no Carioca foi ao contrário, um 1° TEMPO coletivo e um 2° TEMPO de muita individualidade, de muito jogo pra torcida. Carpegianni tem que chamar os jogadores na catraca.
    Uma observação: achei prematura as vaias ao Geovanio e vi um Rômulo diferente, roubando bola, querendo jogo.
    SRN

    Reply
  11. Presidente.
    “Pode ser até que seja precipitado, mas vou arriscar: Vítor Gabriel, em breve, será o nosso centroavante titular.”

    Só espero que a Diretoria do Flamengo não me venha com o tal do Henrique Dourado, é um bonde!

    Reply

Comente.