“Azareio” de novo?

(Foto: Jorge Adorno / Reuters) Kléber Leite

Na Copa do Brasil, quando o sorteio indicou o Grêmio como adversário, a maioria de quem aqui comenta entendeu que não foi sorteio e sim, azareio…

Agora, nas oitavas de final da Libertadores, pela quantidade enorme de clubes brasileiros classificados, era certo que houvesse confronto nacional e, quis o destino que o Flamengo fosse um dos clubes e que, o Cruzeiro fosse o nosso adversário. Neste caso, duplo azareio…

As situações são distintas. Na Copa do Brasil, o sorteio indica não só o adversário, como também quem faz o segundo jogo, o decisivo, em casa.

Na Libertadores, só há sorteio para se conhecer o adversário, pois decidir em casa fica por conta do mérito na fase de classificação.

Neste caso, o sorteio foi bom, pois pela Copa do Brasil vamos fazer, contra o Grêmio, o segundo jogo no Maracanã.

Na Libertadores, pela melhor campanha do Cruzeiro na fase de grupos, a decisão será no Mineirão.

Há quem não dê importância em fazer o jogo decisivo em casa. Ao contrário, acho que seja uma bela vantagem.

No nosso caso na Libertadores, quando vamos tentar resolver no primeiro jogo, exatamente neste, não contaremos com Lucas Paquetá.

Só nos resta torcer para que a bola maior, a do jogo, seja mais amiga do que tem sido a bola menor, a famosa bolinha dos sorteios. Isto é, dos azareios…

Em síntese, dos três piores adversários hipotéticos – Palmeiras, Grêmio e Cruzeiro – vamos encarar dois.

Há, porém, uma vantagem. Se ultrapassarmos estas barreiras o moral vai lá em cima e os adversários bem abaixo…

Vamos à luta!!!

Página inicial de Kleber Leite