Falta geral de talento

(Foto: Alex Pantling/Getty Images)

Fiquei pensando cá com os meus botões, após as derrocadas de seleções como Alemanha, Croácia, Itália, Argentina e por que também não colocar aqui o Brasil, que, a falta do jogador criativo, talvez esteja igualando, nivelando tudo, no mundo do futebol.

Viram o jogo da seleção contra Camarões? Pois é… Neymar não jogou. Saiu cedinho com um problema muscular. E, como já não tínhamos Phillippe Coutinho, criação, ZERO!

Claro que o maior volume de jogo ainda ficou com a nossa seleção, mas não a ponto de haver um desequilíbrio que, só o grande talento é capaz de realizar. Embora não pareça, a diferença entre o bom jogador e o “diferenciado”, é um abismo.

Richarlison, Gabriel Jesus, e todos que jogaram contra Camarões, são bons jogadores. Neymar é a exceção. O único diferenciado. E quem ganha o jogo, quem faz a fila andar, é o “diferenciado˜. E, com todo respeito, na nossa seleção, só há dois: Neymar e Philippe Coutinho. Sem eles, a Seleção Brasileira é igual a qualquer outra.

Já contei este fato aqui no blog, mas como é pertinente ao que afirmo, vou repetir e – por respeito ao jogador – sem citar o nome. Era uma decisão de campeonato, o Flamengo podia ter um desfalque e isto muito me preocupava. Encerrado o apronto, fui até Domingo Bosco e disse a ele da minha preocupação com a possível ausência de um titular no jogo decisivo.

Bosco me ouviu e sapecou: “vá dormir tranquilo. Aqui, o nosso único desfalque é o Zico. Ele é o único impossível de ser substituído. Como ele vai jogar, vamos ganhar e ser campeões”. Ganhamos, fomos campeões e Zico desequilibrou. Bosco era um gênio.

Didi, Gérson, Rivelino, Dirceu Lopes, Paulo César Caju, Parada, Carpegiani, Falcão, Pelé, Tostão, Roberto Dinamite, Jairzinho, Kaká, Ronaldinho Gaúcho, Ronaldo Fenômeno, Romário e Adriano estão entre o que eu vi que, realmente desequilibravam…

Domingo Bosco, se um deles não jogasse, certamente diria que o time entraria capenga.

Hoje, com certa boa vontade, Philippe Coutinho e Neymar. Com muito boa vontade…

1 Comentário

  1. Presidente, como flamenguista tive alguns grandes jogadores em nosso time, mas que desequilibravam, para mim Zico, Zico, Zico, Junior, Junior e Leandro. Domingos Bosco foi um vencedor. Abriu o mercado. Quanto à seleção, sinceramente não parei para assistir porque infelizmente aos poucos estou me separando dela que vi pela tv a primeira vez a quase 50 anos, acredito.Com certeza assisti a copa de 70, mas não sei se assisti na tv antes, não estou lembrado.

    Reply
  2. Caro Kleber e amigos!
    Você está corretíssimo! Com muita boa vontade dois craques e um restante com apenas bom futebol e outros que são amigos do Tite (esse Paulinho é uma invenção e ainda falta o Fagner).
    Como não tenho mais nenhuma confiança na CBF, dirigentes, no técnico e seus auxiliares, fico feliz pela vitória e desejo Feliz Ano Novo para seleção.
    SRN

    Reply
  3. A mediocridade parte e começa no banco da Seleção!

    Aliás o Tite esta fazendo absolutamente o mesmo script que fez para a Copa da Rússia, o final disso todos nós já sabemos.

    Saudações!

    Reply
  4. A Seleção, ou melhor, a CBF, nos afastou. Embora a primeira Copa que assisti tenha sido a de 70, a primeira pela TV ao vivo, tenho como primeira e boa lembrança um amistoso Brasil e Argentina jogado no Sul, acho que em 1969. A garotada vai nos chamar de saudosistas, que não adianta ficar remoendo o passado, mas eram outros tempos. Alguém pode achar, em sã consciência, que esses jogadores passaram alguma noite sem dormir por causa da (quarta) eliminação em Copas? Alguem pode duvidar de que, entra técnico, sai técnico e continuam as convocações suspeitas, com os caras saindo da Rússia pra Inglaterra ou da China para a Espanha logo depois? Acho que a última Copa que torci de verdade foi a de 82. Futebol a partir de então passou a ser Flamengo, e só. E também, ouvir uma coletiva do Tite com aquelas frases feitas de Pastor de auto-ajuda dá náuseas. Prefiro não ver.

    Reply
    • Fernando,
      “E também, ouvir uma coletiva do Tite com aquelas frases feitas de Pastor de auto-ajuda dá náuseas. Prefiro não ver.”.
      É o famoso “encantador de jornalistas”, nunca consegui acompanhar mais de 1 minutos de discurso deste indivíduo… No campo, mais um animador de elenco com ZERO de tática/estratégia.

      Reply
  5. Caro Kleber
    Depois daquela palhaçada na copa da França, nunca mais assistir a um único jogo da seleção da CBF. Ronaldo com convulsão? Isso é molecagem. Acabou. Quando fico sabendo que perdeu, eu acho é bom. A CBF não me representa. Isso aí não é seleção Brasileira. Seleção Brasileira era quando tinham Pelé, Garrincha, Rivelino, Zico, Capita, Clodoaldo, Nilton santos, Didi, Zagallo, Tostão, Júnior, Leandro, etc.
    SRN

    Reply
  6. Boa noite, amigos,
    Com a saída de Neymar, o jogo perdeu o pouco da graça que tinha. Fico imaginando a decepção do torcedor que comprou ingresso, e viu Neymar saindo com cinco minutos de jogo.
    Acabei de ver a seleção sub-20, e quem foi ver Vinicius Junior, acabou vendo o camisa sete da Colômbia chamado Angulo. Fez um belo gol e ainda deu muito trabalho. Jogador ensaboado.
    Flamengo gosta de colombiano. Olho no Angulo. Provavelmente já deve ter time europeu na jogada.
    SRN.

    Reply
  7. Boa noite Presidente
    Pano rápido
    Ouso a afirmar baseado no seu texto que se o nosso time tivesse preservado o Vinicius Junior somente até ao fim desse ano já estaríamos campeões.
    Pergunto será que o dinheiro que o Fla ganhou vale um Campeonato

    Reply
  8. Se não for COPA DO MUNDO, jogo do Brasil ou Hora do Faro… vejo o programa da Record…
    Conseguiram fazer uma seleção de nômades, que nem mesmo nós que acompanhamos futebol diariamente, desconhecemos alguns jogadores…
    Não sei se é falta de interesse ou falta de identidade.

    Reply
  9. Kleber,
    Sobre a seleção não sei, pois não acompanho… Mas no elenco de jogadores que desequilibram poderia entrar um gringo quase brasileiro, o Petkovic… O que acha!?!? Pro pessoal da minha geração (com 31 anos) foi o maior 10 que vimos com a camisa do Flamengo.

    Reply
  10. Se Domingo Bosco vivo estivesse, acho que nem ele teria paciência para assistir ao jogo da seleção que vi – com o canto do olho, admito – ontem.

    Time sem intensidade, jogando de forma burocrática. Acho que o Tite tá se desgastando muito rapidamente. Passou de um líder quase indiscutível, para um técnico normal, que parece se sair melhor diante de certos setores da imprensa que à frente da seleção que dirige.

    Falta na equipe canarinha, assim como no nosso Flamengo, quem entenda de fato de futebol. Ambos não tem problemas financeiros, mas vem passando por problemas de identidade e de liderança.

    Quem souber de algum Domingo Bosco avisa! E se achar um Cláudio Coutinho junto, quem sabe as coisas melhoram?

    Reply
  11. Luiz Oliveira, amigo,
    Esta é uma resposta difícil. Fácil é afirmar que
    enquanto a diretoria faz – e com razão – o discurso da importância do Flamengo ser um clube mundial, age como um clube de terceiro mundo, vendendo seus possíveis futuros ídolos.
    Forte abraço.

    Reply
  12. Depois daquela treta em que o grande Tite, nas semifinais da Copa do Brasil, claramente beneficiou o Palmeiras, e depois, claramente teve que ENGOLIR a desconvocação do Fagner, torcer pra seleção é o mesmo que….
    torcer pra máfia: CBF!

    Reply
  13. Kleber e amigos, tudo o que somos obrigados a assistir sobre a seleção, no fundo não passa de prioridades.

    Mas que prioridade?

    Pelo menos duas décadas se passaram onde a prioridade do jogador brasileiro não é atuar no Brasil e muito menos pela seleção. Se tiver que atuar pela seleção para galgar um clube na Europa….ok. Mas se essa não for a “necessidade” então não há como “esperar” identidade.

    Os nossos melhores jogadores nem sempre vão para a Europa para serem protagonistas. Vez ou outra vão para mercados secundários e mesmo assim não são protagonistas.

    A lógica canibal dos empresários é sair o quanto antes, para qualquer mercado que queira o jogador, e se possível, ficar pulando de galho em galho, de clube em clube cobiçando mais e mais comissões nas vendas. Como por exemplo fez e muito o Diego Ribas.

    São 1500 atletas saindo todos os anos. Desses 40% deveriam estar jogando a Série A.

    Mas se 40% que deveriam jogar a série A foram para o exterior, significa que o mesmo número de jogadores da série B, passa a ocupar seus lugares. 40% da C, ocupa o lugar da série B e, assim por diante até chegarmos a profissionais que não deveriam ser profissionais em série alguma.

    De certo Kleber, identidade não deveria ser algo cobrado dos jogadores. Ou pelo menos não só deles.

    Nossos dirigentes que representavam a CBF foram presos. Respondem a crimes. Havelange, Ricardo Teixeira e todos aqueles que babaram seus ovos por anos são no mínimo cúmplices de toda essa cachorrada.

    É inacreditável que não tenha no Brasil, país com dimensões continentais, um puto de um presidente de clube que seja capaz de se rebelar contra a CBF.

    Aí é um time que ganha um estádio. O Tite que diz aos 4 ventos que não assume a seleção mas que a vaidade fala mais alto e acaba sucumbindo. Presidentes de federações se perpetuando como foi o caso do Caixa D’agua e Rubinho aqui no Rio.

    Máfia do apito. Máfia da aposta. Máfia da Conmenbol. Máfia na Fifa. Máfia dos empresários.

    È CPI da bola, dos estádios, do apito, de dirigentes.

    É dirigente mandando técnico embora como se fosse papel higiênico e técnico pulando de galho em galho catando migalhas aqui e ali.

    Falta muito identidade e vergonha na cara, mas não é só dos jogadores não.

    Reply
  14. Time do Flamengo confirmado: César; Pará, Rhodolfo, Réver e Renê; Cuéllar, Arão e Diego; Everton Ribeiro, Vitinho e Uribe. Léo Duarte no banco, conforme antecipado. A oficial vai sair em instantes. #colunadofla

    Reply

Comente.