O fim da malandragem nas Copas

O tal árbitro de vídeo, com a sua já famosa sinalização retangular, avisando que a decisão foi tomada pela imagem da TV, está programado para decretar o fim da malandragem no futebol.

Não há, com tanta tecnologia, a menor possibilidade de qualquer lance passar batido.

Este tema é muito mais profundo do que se possa imaginar e, tem abertura para uma dezena de situações.

Voltando no tempo, se lá atrás houvesse o árbitro de vídeo, na Copa de 66 a campeã poderia ter sido a Alemanha.

O genial gol de gelo, do endiabrado Dé, não faria parte do folclore do futebol, pois teria sido anulado.

A famosa cotovelada de Pelé certamente teria representado a expulsão do Rei do Futebol.

O pulinho de Nilton Santos, na Copa de 62, para fora da área, teria sido em vão…

Há muitos mais lances que aqui poderiam ser citados, mas o que apresentei já deixa claro que a malandragem já era…

Bom ou ruim? Pelo romantismo e para os saudosistas, o corte na malandragem pode ser comparado ao futebol sendo mutilado.

Para os pragmáticos, o importante é preservar a verdade e, ponto final.

Se isto for analisado pelo lado técnico, pela beleza do espetáculo, será, sem dúvida, uma ação a valorizar os jogadores mais talentosos, pois ante “tanto olho”, os botinudos não vão arriscar.

Tudo isto aí, na Copa está garantido, até porque, dinheiro não é problema para FIFA.

O problema será para quem não puder bancar o fato novo. Hoje, no programa “Redação Sportv”, o talentoso André Rizek anunciou os números que a Conmebol diz gastar, por jogo, para ter o árbitro de vídeo: 500 mil reais.

Caramba, se os clubes estão discutindo quantia infinitamente menor para jogar no Maracanã, como bancar o árbitro de vídeo e suas parafernálias?

E nem estou falando em segunda, terceira e quarta divisões…

O resumo da ópera é que a malandragem terá um corte parcial. Quem puder bancar o custo da tecnologia, malandragem fora. Quem não puder, continuará convivendo com ela.

E a Itália, hein? Pela bola sete para ver a Copa pela TV…

1 Comentário

  1. Francamente Kleber, não tem como custar 500mil por jogo, pelo amor de Deus!

    São o que? Uma produtora com 6 dúzias de monitores e 6 gravadores? Passagens aéreas, hotéis?

    Isso tudo para que? Fazer uma ou duas intervenções por jogo? Ou se barateia a solução ou ela não vinga.

    Eu pessoalmente achei muito estranho a interferencial, ao menos deixou de ser o o futebol que estamos acostumados.

    Acho que algo razoável era ter o tal árbitro de vídeo com um equipamento digamos, elementar! Aliás não precisa de muito, concorda?

    Reply
  2. Kleber, você sintetizou bem: para os saudosistas a mutilação do Futebol. Eu me incluo nesses. Existe coisa mais chata do que aquele “Challenge” do Vôlei? O ginásio inteiro olhando para um monitor e esperando ele decidir o que dois árbitros não viram? Em nome do politicamente correto eles vão matando a galinha dos ovos de ouro, o lúdico, a dúvida, a discussão. Tudo isso vai acabar. Pobre Futebol, vai ser jogado daqui a alguns anos só no PES e no FIFA, os jogadores estarão seguros, sentados no sofá ou deitados no tapete da sala.

    Reply
  3. Prezados Kléber e demais amigos,
    Por favor, quem tiver possibilidade avisar ao staff do GUERRERO que o jornalista JUCA KFOURI tem informação importante que deverá ser útil para a defesa do GUERRERO! Obrigado

    Reply
    • Rapaz, será que o Juca fez a mesma experiência que o jornalista paulista que tomou o chá de coca e se submeteu ao exame anti-doping no caso do Zetti? Ele foi absolvido, vai que dá certo kkkkk.

      Reply
  4. NãO VAI FUNCIONAR.

    O motivo é muito simples, esses cartolas tem a capacidade de FAZER A COISA CERTA DA FORMA ERRADA. Duvidam ?

    Para mim o maior VILãO do futebol é o IMPEDIMENTO. O atacante tem que SE MANTER MARCADO = na mesma linha do ultimo ADVERSARIO.
    Além disso o fato de ter apenas 1 soprador de apito. Devia ser criada uma ZONA onde o impeditemto não existiria.
    Uma outra mudança é que deveria ter um tempo minimo para a bola passar do meio de campo.
    Além de um time a partir de 5 ou 10 faltas ter algum tipo de perda/penalidade.
    Deveria poder 5 SUBSTITUIçOES.
    A parada técnica deveria ser regra.

    Reply
  5. Perfeito o seu comentário Fernando Roberto.👏👏👏👏
    Até a decana revista Placar emitiu uma edição inteira apenas com abordagem sobre PES e FIFA.
    Pobre do nosso futebol.

    Reply
  6. Arbitro de vídeo conseguiu inventar um pênalti pro Brasil na pelada contra o Japão….
    Se for serio, teremos partidas de futebol com 4h de duração…
    Não seria mais barato profissionalizar os árbitros?

    Reply

Comente.