Temas de segunda…feira!

(Reproução da TV)

O grande rubro-negro Carlos Peixoto, eufórico, enviou mensagem informando que a Rede Globo acaba de divulgar que Juninho Pernambucano não mais pertence ao seu quadro de funcionários.

Claro que, como rubro-negro, Carlos Peixoto não deve ter gostado do episódio em que, para defender o lateral esquerdo Renê, Juninho Pernambucano, em momento de infelicidade verbal, deixou no ar que, por ser nordestino, Renê era perseguido no Flamengo.

Este fato me chamou muito a atenção, pois embora pareça simples, a comunicação – que é uma benção de Papai do Céu – tem a característica de não perdoar a falta de sensibilidade. Claro que Juninho verbalizou, provavelmente, algo que não podia estar passando na sua cabeça.

Quantos e quantos jogadores nordestinos já foram abraçados e viraram ídolos da nação rubro-negra? Pior ainda, o fato de o Flamengo ter demonstrado interesse e tentado a contratação do próprio Juninho Pernambucano. O Vasco foi mais rápido no gatilho e ficou com o jogador.

Enfim, atribuo este tipo de situação a uma pane mental que, lamentavelmente, às vezes custa muito caro para quem comete o deslize. Infelizmente, não foi somente este deslize. Houve outros e, para evitar problemas maiores, a Globo entendeu que o afastamento do ex-craque era a melhor alternativa.

Ainda sobre o tema, acho absolutamente injusto o comentário de que na Globo ninguém pode ter opinião. Trabalhei, com enorme orgulho e durante muito tempo, na Rádio Globo que, à época, tinha a força da televisão de hoje em dia.

Jamais, em tempo algum, tive o meu direito de opinar cerceado por quem quer que seja. Portanto, não é justo se imaginar que o afastamento de Juninho, tenha ocorrido, por exemplo, para se fazer média com a torcida do Flamengo.

Cito aqui o episódio envolvendo o ex-jogador e belo comentarista Casagrande, o Casão, que em alto e bom som afirmou que Neymar, provavelmente muito mimado, deveria se preocupar com sua imagem, pois pelas últimas atitudes poderia estar angariando uma antipatia mundial.

A crítica, forte, é verdade, ao principal jogador do futebol brasileiro, idolatrado pela maioria esmagadora de quem aqui nasceu, foi admitida pela direção da emissora, que entendeu ter sido feita de forma respeitosa, embora contundente.

Que Juninho – uma ótima pessoa – tenha aprendido a lição de que, na latinha e em frente às câmeras, é preciso pensar antes de falar.


(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

E quando Diego voltar?

Esta foi a pergunta que ouvi demais durante o dia de hoje e, confesso, sem entender a dúvida. Ora bolas, quando Diego voltar, sai o Geuvânio que, a bem da verdade, não deveria ter entrado.

Claro que isto ficará para uma outra oportunidade, já que, neste jogo de quinta-feira, com a vantagem de ter vencido a primeira partida em Campinas, Diego ainda não deverá voltar e, não será surpresa se alguém mais for poupado.

Nesta longa jornada até o final do ano, com Campeonato Brasileiro, Copa do Brasil, Libertadores e, tomara que não, a Copa Sul Americana, acho que seria de bom alvitre, como diziam os antigos locutores, que um bom zagueiro de área fosse contratado. Rodrigo Caio, pelo que li, está doido para deixar o São Paulo…

1 Comentário

  1. Acho que não foi só o episódio envolvendo o lateral Renê e sim um conjunto de implicâncias do tal Juninho com o Flamengo, demonstrações constantes de ódio ao time rubro-negro. Fazer tipo , talvez, para fazer uma boa média com a torcida vascaína, malhar o Flamengo é sempre um bom mote para o bom relacionamento com os cruzmaltinos ou qualquer outro time.Nos jogos, sua torcida contra o time da Gávea era muito visível, certa vez chegou a chutar o narrador Luiz Roberto, num jogo do mengo contra o Goiás, o time goiano na eminencia de chutar a gol, no reflexo o Juninho chutou tb, só que a perna do narrador, que rindo transmitiu o insólito acontecimento. O Roberto Dinamite foi o maior ídolo do time de São Janu, desgastou-se muito depois que se arvorou a ser presidente do clube, talvez o Juninho queira se meter neste vácuo. A questão de afirmar que bateu e marcou gols de faltas na Champions, e dizer que o Zico nunca marcou gols no mais importante torneio europeu, sempre uma cutucada nas questões envolvendo o mais querido….bem feito pra ele.

    Reply
  2. Caro Kleber e amigos!
    Não sou do tipo de criticar pessoas. Mesmo não gostando de determinadas situações, por vezes uso o silêncio para ser brando numa tentativa de fazer o outro entender que a arte da diplomacia é arte de saber ouvir.
    Além do mais, por toda minha vida sou e serei marcado pelo espirito conciliador. Partindo disso, quando vejo o Kleber escrever que “foi uma pane mental” no caso ou casos que envolvem o ex jogador Juninho, eu afirmo: ele sempre teve panes mentais e ocasionalmente tinha panes de lucidez. O meu comentário não é raivoso. Ele é lucido.
    O Juninho de hoje, que certamente envergonha nosso nordeste com seus comentários tendenciosos, parece-me um ser humano despeitado, que exerce de forma inconsequente uma função na qual nasceu para comentar sempre a favor do mesmo clube. Talvez, passando o tempo, não seja ele o nome ideal para se tornar o novo Eurico Miranda. Basta continuar a demonstrar o atual caráter.
    Já vi muitos narradores e comentaristas tendenciosos, mas, a voz do Juninho exerce uma expressão de rancor e nas poucas vezes que fui obrigado a ouvi-lo, parecia ser ele a expressão do todo poderoso da Globo.dono das edições, dos programas e dos microfones.
    Se ele saiu ou se vai sair ou se foi demitido ou pediu demissão, pouco vem ao caso. Que Deus conceda a ele a graça de se tornar um ser humano que possa ser admirado por todos. Um comentarista e homem publico mexe com emoções. Ele deveria se comportar como um homem publico e certamente mais digno. Um microfone tipo o da Globo leva a voz de qualquer um ao mundo. Infelizmente o Juninho se tornou o qualquer um pela sua falta de sensibilidade. Isso não é desabafo nem critica. Essa é a verdade que vejo e um dia gostaria de dizer que o Juninho é o orgulho do nordeste e um comentarista que todos desejam ouvir e aplaudir. Por enquanto, continuo muito admirador do Roger Flores, Caio Ribeiro e outros poucos.
    Uma pena que a Globo ainda permita que os tendenciosos ocupem seus microfones e façam do seu eco a luz da podridão de valores. O Kleber chama de pane mental e eu chamo de mau caratismo.
    SRN

    Reply
  3. O episódio que tirou o Juninho da Globo foi quando ele criticou (com total razão) os repórteres setoristas do Flamengo que estavam fazendo um auê, divulgando informações sem checar e ao léu, antes, durante e depois as agressões no aeroporto. Eu sou jornalista, mas concordei 100% com ele. Poderia ficar até amanhã aqui falando sobre as inverdades que li no twitter dos setoristas de vários veículos sobre o Flamengo naqueles dias (ônibus modificado porque trepidava, sendo que foi por medida de segurança; saída de Diego e Diego Alves do clube, etc).

    Juninho foge do senso comum e prefiro o jeito dele ao do Caio, que não fede nem cheira. Infelizmente pagou com o cargo, assim como acontecera recentemente com vários profissionais da Globo e CBN. O Massini, que fugia do senso comum, também foi demitido há uns meses. Era um jornalista que fazia cursos, viajava para estudos in loco no exterior e saia do senso comum onde perdeu ninguém presta, ganhou é seleção.

    Infelizmente, algumas pessoas não têm a capacidade de interpretação e moldam suas opiniões pelo o que ouviram falar ou um contexto distorcido. Uma pena para a profissão que escolhi!

    Sobre o time de quinta, eu pouparia bastante: Diego Alves, Rodinei, Juan, Leo Duarte e Trauco; Jonas, Arão, Jean Lucas; Everton Ribeiro, Geovânio e Guerrero.

    Em seguida vem uma maratona com jogos em Chapecó, Libertadores, Argentina, etc.

    Reply
    • Permita-me discordar sobre o time de quinta-feira.
      Creio que chegamos a um ponto na temporada no qual quem estiver em condições tem que ir para o jogo. Poupar, só se for o caso do DM/comissão técnica constatar um risco de lesão.
      Precisamos garantir as classificações na Copa do Brasil e na Libertadores (principalmente) e garantir a maior pontuação possível no Brasileiro até a parada para a Copa.
      Até porque não sabemos ainda que time teremos no segundo semestre…

      Reply
      • É por isso mesmo Marcos. Bota todo mundo num confronto mais “fácil” e perde nos mais difíceis. Contra o Inter, o Ceifador e Geovânio saíram mancando. O Cuellar e o Paquetá estão visivelmente desgastados e o Rever tá fazendo hora-extra porque o Juan está sem condições.

        Reply
  4. Amigos, não foi a “perseguição” de Juninho ao Mais Querido que culminou com a sua saída. Foi outra declaração infeliz, desta vez contra os próprios jornalistas, que fez com que a direção do SporTV emitisse uma nota oficial repudiando a opinião dele.

    E quanto ao Diego, não há dúvidas de que ele deve voltar. A formação da partida contra o Ceará, com o Guerrero no ataque, creio que seja a melhor opção atualmente.

    Por falar em Guerrero, muitos criticam o jogador pelo seu número baixo de gols. Pode até ser, mas hoje (infelizmente) não existe mais aquele artilheiro que faz 30 gols no Brasileirão. No ano passado, Jô e nosso Henrique Dourado, então jogando pelo Flu, fizeram 18 gols cada um.

    A importância do Guerrero, na minha visão, é que ele além de fazer seus golzinhos, ainda prepara as jogadas para que outros jogadores também coloquem a bola na rede. Com isso, os 30 gols de outrora, fica divido entre vários jogadores.

    Então, fica Guerrero!!!!

    Abs e SRN

    Reply
  5. Sinceramente faltou ao Juninho a qualidade que tinha com a bola , diante das câmeras. Falou muita bobagem, criticou colegas de profissão, tomou um corretivo da própria emissora ao vivo, coisa que eu jamais tinha vista. Nada mais justo que uma demissão.
    Fico vendo a diferença, hoje vendo o show que Petkovic deu comentando no mesmo programa que Juninho comentava. A ponto de André Risek por várias demonstrou um ar de profunda admiração nas colocações do sérvio.
    Com relação a Diego, gente ele é o diferencial do time, jogando em sua posição próximo a área adversária é um grande jogador, bem melhor que Everton ribeiro, só ver o currículo de um e de outro. E com Guerrero no time ele (Diego) vai render muito mais, como já rendeu. Só não pode coloca lo pra jogar de volante, aí não é a dele.
    Éverton Ribeiro vai pra direita, Diego entra próximo a Guerrero e o time vai melhorar muito. E o geovanio de preferência volta pra china.
    Com relação a Rodrigo Caio, flamengo precisa voltar a aprender a contratar jogadores bons em baixa na carreira. O único que contrataram em baixa e não conseguiram manter foi Elias em 2013.
    Seria sim um jogador muito útil, jovem, rápido ,joga em várias posições e está em baixa. Nem que fosse por empréstimo eu tentaria o Rodrigo Caio. Mas isso, nosso pessoal não sabe fazer.

    Reply
  6. Angelin.

    Só para citar um dos idolos RECENTES e NORDESTINOs da massa rubro negra que recobre o Brasil. Inclusive ovacionado em um dos jogos recentes do FLA.
    O próprio Romario pelo que sei tem um pezinho no nordeste.
    O Bebeto e etc …
    Essa questão é simplista demais.

    Reply
  7. Posso estar falando besteira mas vejo muitas semelhanças do Renê com o Ronaldo Angelin. Como a deficiência atual no Flamengo é de um Zagueiro pela esquerda e que seja rápido, acredito que o Renê poderia ser testado como quarto zagueiro, pois seu forte é apenas na marcação. Com isso contrataríamos um bom lateral esquerdo.

    Reply
  8. Vamos dizer o que do Juninho Pernambucano?

    Que aloprou? Ficou maluco? Perdeu a cabeça?

    Que não passa de mais um vascaíno recalcado e rancoroso?

    Quanto ao Diego eu não tenho dúvidas, tem que voltar a armação de jogo sim, gostem ou não!

    Paquetá encontrou o seu lugar no time, e isso temos que festejar.

    Já o lugar do ER7 é na ponta direita.

    Na esquerda é que estão os nosso problemas com a pouca ofensividade e a deficiência na marcação do Renê.

    Quem perde é o Vini, que fica sem apoio na esquerda, pois ou parte para o drible com marcação e dois ou três na sobra ou volta a jogada para o meio.

    O time já percebeu essa parede na frente do Vini e evitou passar a bola para o muleque no segundo tempo do jogo de domingo.

    Reply
    • Tô contigo, senti falta do Diego contra o Inter.
      Geovanio… um abraço e tchau…
      O Renê já está na hora de um banquinho novamente e dar nova chance pré-Copa para o Trauco.

      Reply
  9. Sergio,
    Não quero dar a sensação de perseguição. Jamais faria isso. O meu posicionamento é meramente conceitual. Já falei o que penso. Está mais do que registrado.
    Forte abraço.

    Reply
  10. O Flamengo precisa de um zagueiro jovem e veloz, e Rodrigo Caio se encaixa nesses requisitos, mas convenhamos, sua contratação não é viável. Do São Paulo ele sairá para a Europa. Em 2015 recebeu uma proposta de R$ 44 milhões vinda da Espanha que só não se concretizou por desacertos salariais, e ano passado só não foi para o futebol russo por medo de perder espaço na seleção brasileira com a transferência. Então, de fato o ciclo de Rodrigo Caio no São Paulo está no fim, mas o destino é o velho continente, e não outro clube brasileiro.

    Dentre os nomes viáveis, destaco o de Vitor Hugo, de 26 anos, que brilhou no Palmeiras no Brasileiro de 2016 (quando o clube paulista foi campeão e Vitor entrou na seleção do campeonato), e Emerson Santos, de 23 anos, que se destacou no Botafogo no mesmo Brasileirão e encontra-se sem espaço no Palmeiras. Enquanto nenhum nome chega, no entanto, a boa é apostar no talentoso Patrick, que apesar de mais jovem, passa uma impressão bem melhor do que os atabalhoados Léo Duarte e Thuler…

    Mas não é só de zagueiro que o Fla precisa… As laterais andam super carentes! Dá pra se virar com Rodinei, mas não com Pará, então é necessário que se busque alguém pela direita. O mercado anda beeem escasso nessa posição, mas algum nome precisa chegar. Quanto à lateral esquerda, Trauco claramente não está nos planos e Renê é muito limitado. Uma ótima opção é Douglas Santos, que anda esquecido no Hamburgo-ALE, mas brilhou no Atlético-MG entre 2015 e 2016, e foi titular da seleção olímpica que conquistou o ouro há dois anos. Creio que sua contratação seja viável, já que trata-se de um jogador ainda jovem que perdeu visibilidade e o Hamburgo está prestes a ser rebaixado… Caso não seja possível, no entanto, Uendel, que se destacou no Corinthians mas está no banco no Internacional, também seria uma boa.

    Outra posição em que o Fla precisa de um reforço, porém poucos falam, é a de segundo volante… Paquetá vem jogando muito por ali, mas infelizmente pode sair a qualquer momento, e está claro que não podemos contar com Arão. Jean Lucas passa uma boa impressão, mas ainda é uma incógnita, fora que me parece estar mais para armador do que pra volante. Uma ÓTIMA opção seria Elias, um de nossos (poucos) ídolos recentes, que está no banco no Atlético-MG.

    Reply
  11. Eu assisti as declarações do Juninho e sinceramente não achei que ele tenha agido contra o Flamengo. Acho apenas que ele expressou-se mal, pois o que falou não teve inverdades.Mas uma coisa, cada vez mais eu tenho convicção: o espaço está sendo tomado por ex jogadores e na verdade, deveria ser por profissionais que estudam e preparam-se para o “oficio”. Quer comentar sendo ex jogador? Vá estudar.

    Reply
  12. E quando o Diego voltar???
    Sai Geuvânio, manda o E.Ribeiro para a ponta direita (onde ele mais se destacou no Cruzeiro, inclusive tendo pedido ao Barbieri para jogar por ali) e coloca o Diego – nosso melhor finalizador – no centro.
    Minha preocupação tem sido com a eventuais saídas de Paquetá e Vinicius Jr., o time perderá MUITO.
    O Paquetá é o melhor do time, será substituído pelo Jean Lucas ou Arão. O menino é promissor, mas tem o estilo de jogo bastante diferente, enquanto o Arão é um apagão…
    O Vinicius Jr., ainda que seja naturalmente irregular pela idade, mesmo nos jogos que não vai bem consegue prender o lateral direito do adversário (a vezes chama dois marcadores, o principal e o da cobertura), o que abre espaço para quem vem de trás.

    Reply
  13. Preliminarmente, digo que a maioria dos comentaristas de futebol da TV aberta são ruins. Juninho , quando se atenta apenas ao jogo em si, é de nível razoável para bom ! O problema que ele não consegue apenas falar do jogo tático e técnico e por falar demais “morreu pela boca”…
    Em se tratando de jogadores é dificil separar a imagem do comentarista ao clube que jogou, então, para evitar demonstrações de inveja, como de Juninho perante ao Flamengo. sugiro a Globo a manter comentaristas atrelados a jogos dos clubes pelos quais tiveram passagem…por exemplo Junior a jogos do Flamengo, .. ou ex- atletas que passaram por mais de um clube, tipo Tita, Romario, Luizão, Felipe, Leandro Avila, …talvez a dificuldade seja encontrar gente que se expresse bem e entenda de futebol….

    Reply

Comente.