Despedida triste

(Foto: Staff Images / Flamengo)

No final do ano passado, enviei mensagem ao presidente Eduardo Bandeira de Mello, lembrando que deveríamos ter toda atenção com relação à confecção da tabela para o Campeonato Brasileiro de 2018, pois durante dois anos seguidos o Flamengo jogou a última partida fora de casa, quando o critério era no sentido de que houvesse sempre o revezamento.

A CBF entendeu o pleito rubro-negro como justo e, divulgou a tabela, com o Flamengo fazendo o último jogo em casa, exatamente este, contra o Atlético Paranaense.

O que todos nós sonhamos foi fazer deste jogo uma festa, mas comemorando o título em casa, no calor da nossa torcida. Infelizmente, não disputamos o título neste jogo e, tão pouco pudemos comemorar uma simples vitória no último jogo da temporada.

Primeiro tempo, com leve predomínio do Flamengo, que saiu em vantagem em gol de cabeça de Rhodolfo, em falha do goleiro do Atlético Paranaense.

Em escalação política, visando encontrar um lugar para Paquetá, o time entrou em campo sem um único jogador de ataque veloz que, o nosso morno treinador tentou consertar, colocando Berrío em campo. Só que errou tirando Éverton Ribeiro, quando deveria ter sacado Uribe, mais uma vez, de uma nulidade impressionante.

Aliás, além de não contribuir como atacante, falhou no início da jogada do primeiro gol do time paranaense. Na transmissão, o locutor Gustavo Villani indagou ao baita comentarista Lédio Carmona onde o Flamengo deveria se reforçar para 2019. Lédio citou as laterais, um meia para o lugar de Paquetá, e um atacante. Se a mim fosse feita esta pergunta, não titubearia em afirmar que, prioritariamente, precisamos de um senhor atacante. Duro é depender de Uribe…

Erramos muito na formatação do elenco. Comentava durante o jogo que duvidava que, no Madureira, no Olaria ou no Bonsucesso, não se encontre um jogador igual ao paraguaio Pires da Mota… e, infinitamente mais barato…

Que os erros cometidos pelos “gênios” do departamento de futebol não sejam repetidos no ano que vem.

Muito ruim, no último jogo do ano, ouvir o Maracanã inteiro chamar o time de sem-vergonha.

Vida que segue. E, já lembrando que, o Flamengo, pelo erro da CBF, tem o direito de, em 2019, também fazer o último jogo em casa. Tomara que seja para a torcida gritar “é campeão” e não, “time sem-vergonha”.

Feliz 2019!!!

1 Comentário

  1. Caro Kléber!
    Sem retoques.
    Poderia ter sido melhor realmente o jogo de hoje é o ano.
    Vamos ver o que a nova diretoria apronta de bom….ou ….?
    SRN

    Reply
  2. Terminada a temporada, mais uma vez o Fla tem a oportunidade de fazer um planejamento minimamente competente, o problema é que esse planejamento já está atrasado, e o pior, a demora nos processos decisórios mais uma vez vai prejudicando o início de mais uma temporada, levamos novamente um pé na bunda do Renato, e nos resta o ultrapassado e sem bons trabalhos recentes Abel Braga. Não sou fã, mas dada a atual conjuntura, talvez até Dorival seja viável, mas deixo claro que seria fundamental procurar por Carille, o melhor disponível.

    Hoje o jogo demonstrou mais uma vez a competência do técnico Thiago Nunes, espetáculo de trabalho e ainda pode ser campeão depois de pegar o time na zona de rebaixamento. O jogo demonstrou nenhuma vontade do elenco flamenguista em ganhar o jogo, mesmo apoiado por quase 70000 torcedores apaixonados e sofridos com um enorme jejum de títulos mesmo após tanto investimento, esse apoio parece não ter impactado nossos jogadores contra os reservas do furacão. Não havia forma mais simbólica para a despedida de Bandeira de Mello que não fosse sendo vice e perdendo para os reservas diante de 70000 em casa, melancolia pura, assim como durante toda sua gestão no futebol. Hoje nossa freguesia só aumentou, vale lembrar os 3×0 no lombo em 20 minutos em Curitiba.

    É preciso uma reformulação com responsabilidade, a tarefa não é fácil, só Rodinei, por exemplo, teve o contrato renovado recentemente. Vejam outro pequeno exemplo da incompetência futebolística, Rony, atacante do furacão, é melhor que Uribe e Ceifador juntos, jogadores que ganham altos salários e demandam grande investimento.

    E assim o Fla vai seguindo, e seguindo atrasado no planejamento, será 2019 mais um ano de jejum? Haja incompetência e assim vamos carregando a cruz do jejum.

    Reply
  3. Pelo amor de Deus, Ricardo Lomba é mais do mesmo, não sabe nada… Precisamos de mudança nessa estrutura do futebol. Marcos Bráz é um ótimo nome para VP de futebol… O grupo do Landim está mais encorpado e creio que seja a melhor opção neste pleito…

    Landim2019
    SRN

    Reply
    • Caro Diego, concordo com você sobre Lomba, mas vamos aos fatos, o que Marcos Braz fez para ser um excelente VP? Qual o planejamento exemplar ele fez para 2009? O que se viu foi um título que caiu no nosso colo, dado uma série de condições atípicas e contando com um excelente momento de alguns jogadores. Nada de planejamento. Aliás um dos principais nomes do time, Petkovic, veio por questões de dívidas e deu no que deu, os jogadores se fecharam, eles mesmos confirmam isso, e contar com o imponderável não pode ser regra.

      Digo mais, sobre Landim, o que tem de inovador e competente na gestão de futebol que ele propõe? Não dar autonomia para quem entende de futebol e deixar para um comitê que não sabe o que é uma bola decidir os rumos do futebol é a solução? Nosso mestre Egon alerta sobre isso e concordo 100%. Esse modelo fracassado já existe hoje, é só mais uma semelhança dentre muitas entre Lomba e Landim, que vivem se elogiando e são tão iguais que poderiam se unir, pois, pelo que estou vendo, com qualquer um dos dois, pouca coisa vai mudar.

      Claro, Landim tem alguns aspectos positivos na proposta de futebol, como uma cobrança sempre firme no departamento de futebol, metas claras, passar um pente fino nos departamentos de inteligência e na comissão técnica, indo em busca dos melhores profissionais do mercado, coisa que alerto aqui faz tempo, dado os excelentes profissionais de comissão técnica e inteligência que possuem Grêmio e Corinthians por exemplo, e que o Fla tanto carece dado os inúmeros erros que vemos ano após ano.

      Agora, já que só tem esses dois, é por esses aspectos positivos citados acima que optaria por Landim. Porém não espere que mude muita coisa seja quem for o vencedor, afinal, já estamos para trás na preparação para 2019, e com jogadores pífios ganhando altos salários e com enorme tempo de contrato, Rodinei é um exemplo. A herança deixada no futebol não é nada boa e não será fácil oxigenar isso.

      Deixo claro também que tanto Lomba como Landim são excelentes pessoas, honestos e super bem intencionados, poderiam até se unir já que um não descarta a colaboração do outro numa futura gestão, mas desconfio da competência futebolística de quem os cercam.

      Reply
    • Segundo informações hoje na Gávea (fonte não conhecida), no comitê de campanha do Landim, caso ele vença a eleição, o VP de futebol será Marcos Braz. Repasso o que ouvi. SRN

      Reply
    • Amigo
      Vc critica o Lomba só por que apoia o Landim?
      O VP de futebol que vc quer é o mesmo que disse para todo Brasil escutar que jogador bom tem que ter privilégios. É isso que vc quer para o Flamengo?
      Abs

      Reply
      • Critico o Lomba por ele estar no cargo de VP de futebol e não ter feito nada para que a situação mudasse. O Flamengo continua a mesma bagunça… O Lomba me parece uma ótima pessoa, mas não demonstra competência e conhecimento para comanda um clube do tamanho do Flamengo. O mesmo disse várias vezes que até outro dia estava na arquibancada.
        Prefiro apostar na dúvida ( Landim) pois Marcos Bráz pode nO ter feito um grande trabalho, mas soube administrar um grupo com egos aflorados em 2009. Conhece do meio e teve um grande professor que foi o Kleber Leite.

        Mas respeito quem entenda e queira o Lomba a frente do Flamengo. Apenas não acho que tenho conhecimento e competência para tal. E já demonstrou que não conhece o meio futebolístico.

        SRN

        Reply
      • Perfeito Denis…
        Marcos Braz – meu amigo pessoal – é gente da melhor qualidade. Mas entende tanto de futebol quanto os novos/velhos.
        O fato de ter sido campeão em 2009 pouco sinifica, pois na verdade, o time foi montado por Kleber Leite na gestão Márcio Braga. Após a licença médica, assumiu Delair e Braz, saindo Márcio e Kleber…
        Não existe nas duas chapas favoritas, NENHUMA figura que entenda minimamente de futebol.
        Todos leigos e burocratas…
        E, mesmo que contrate alguém, também não terá carta branca nem independência para levar nosso futebol.
        ELES NÃO PERMITEM…

        Reply
  4. Kleber, você falou quase tudo o que eu gostaria de falar, só faltou dizer que o time jogou de uma maneira preguiçosa, me irritando quando ainda ganhava de 1a0. Não aguento mais Uribe ,Ceifador,Pires da Mota,Marlos Moreno, Geovânio e Rômulo. Centroavante tem que ser prioridade para 2019.

    Reply
  5. Caro Kléber, se alguém ainda tinha a coragem de defender a permanência do Dorival em 2019 deve ter se convencido hoje de que não, ele não é técnico para o Flamengo, quem sabe uma versão 2.0 mais envernizada do Papai Joel, salvador de rebaixamentos e nada mais. Hoje ele escalou errado um time cheio de armandinhos, demorou a mexer quando o Tiago Nunes começou a colocar seus titulares e, quando o fez, errou de novo. Arão, nervoso e não jogando nada, deveria ter sido sacado, tava na cara que seria expulso.E o Paquetá, hein? Um dos armandinhos do Dorival, não jogou nada, tomou amarelo e por pouco não tomou o vermelho. Pra fechar com chave de ouro sua participação, ajoelhou-se para as câmeras no meio campo, deixou rolar lágrimas de crocodilo e, ao se levantar, rosto seco, lembrou um certo canastrão na Copa do Mundo. Só faltou dizer aos repórteres: “Vocês não sabem o que eu passei!”
    Vá com Deus! E nao se esqueça de agradecer muito ao Rueda que te tirou do banco e ao Vinícius Jr. que fez você jogar um pouquinho acima da média antes da Copa. Pena que ele foi embora e seu futebol desapareceu. Na Itália vai ter que jogar um pouquinho mais, sem chiliques e presepadas, senão vai virar um Gabigol e voltar pra casa, cheio de Euros mas sem brilhar na Europa. O time não é sem vergonha mas temos que descobrir onde fica essa chavinha “banana on-banana off” e sumir com ela. SRN.

    Reply
  6. ACABOU !!!
    ACABOU !!!
    ACABOU !!!

    ÚLTIMO VEXAME DA ERA BANANA DE MELLO, perder para o time reserva do Atlético PR, no Maraca com 60.000 rubro negros, é dose para mamute cibernético!!!

    SRN

    Reply
    • Me desculpe, mas vc ainda acredita no Flamengo em jogos “festivos” ou onde se jogue sem alguma responsabilidade? Por sorte já tínhamos o segundo lugar garantido, então, a derrota só serviu para nos irritar. Mas basta ver quem é que tinha mais motivação em relação ao jogo de ontem… ah, eram os reservas? Sim, mas quem tem mais motivação do que eles nessa altura? Sem falar que jogaram sem responsabilidade, pois já sabiam que pegar o G6 seria praticamente impossível. Agora ele vão atrás da Sula e acredito que vão ganhar.
      Tenho lido muitos elogios em sites com notícias sobre o Flamengo em relação ao treinador do Atlético PR. Dizem que é muito bom, que devia vir pro Flamengo, assim como já falaram do Jair Ventura e até recentemente do Fábio Carille. Mas peraí: estagiários não eram ruins? O Flamengo não devia ter só grandes treinadores? Agora querem estagiários do outros? Sinto alguma falta de coerência na nossa torcida de vez em quando. Idem quando comemoram a saída do Bandeira e dizem “quero meu Flamengo de vola”. Qual? O que não pagava salários? O que brigava no Z4? Por favor…
      E que venha 2019!
      SRNs!

      Reply
      • Fábio Carille é estagiário? Para mim não. O cara passou quase 10 anos estagiando com Mano Menezes e Tite. Assumiu um Corinthians cambaleante e foi campeão de forma categórica do Brasileirão e bi paulista, eliminando seu principal e rico rival, depois continuou esfolando rivais ricos no brasileiro com um elenco modesto e comum, nada de magnífico e caro.

        O cara sabe montar uma excelente defesa, sabe armar o time para jogar em velocidade de forma mortal e quando precisa propor o jogo também o faz com triangulações e infiltrações objetivas sempre encontrando um Jô da vida para colocar a bola para dentro. Jô que foi recuperado, pois pouco tempo antes estava gordo e afundado em festas e bebidas.

        Desculpe, mas o tempo de estágio de Carille acabou faz tempo.

        Reply
        • Meu caro, com todo o respeito à sua opinião, você diz que não acha que ele seja estagiário, mas ao mesmo tempo os que ele passou 10 anos estagiando. Com Tite e Mano Menezes. Isso o credencia a que mesmo? Treinou o Corinthians ano passado e foi campeão porque foi o único time grande que disputou o campeonato desde o início sem dar bola pra Copa do Brasil ou Libertadores. O Flamengo podia ter feito o mesmo esse ano não fosse a queda de desempenho ridícula pós-Copa o Mundo. Não acho que ele seria bom e nem a torcida o respeitaria como treinador grande caso ele viesse para o Flamengo, hipoteticamente falando. E, com o elenco que sobrou no Corinthians esse ano, também duvido que ele teria feito campanha digna de G6.
          SRNs!

          Reply
      • Marcus, desculpe mas quando falamos “quero meu Flamengo de volta” não nos referimos às ameaças de rebaixamento, que não foram tantas assim nos seis anos que antecederam a “fundação” do clube pelos azuis(na verdade quase caímos no primeiro ano da gestão, pela lambança no caso André Santos). Queremos sim garra e comprometimento, coisa que esses engomadinhos dos cabelos de brilhantina não têm. E ainda temos que aturar o Diego dizer no Bola da Vez que se sentiu um pouco culpado pela demissão do Estagiário.

        Reply
        • Até consigo concordar com o seu comentário, mas isso é falta de pulso do comando do futebol. Mas é melhor assim do que conviver com jogador-problema. A questão da raça passa por uma mudança na gestão do futebol e outra em parte do elenco que é nitidamente descompromissada. O Flamengo de antes tinha mais raça porque era a única coisa que o elenco tinha para oferecer. Esse elenco notoriamente joga mais bola, mas precisa muito de mais tesão.
          SRNs!

          Reply
  7. É isso aí, caro Kleber. Nada a acrescentar.
    Pior foi que eu acreditei que seria uma linda festa, com uma vitória que fecharia esse ciclo do EBM pelo menos honradamente. Ledo engano.
    Que venha 2019!

    Reply
  8. Caro Kleber
    Comentário cirurgico. Agora, veja a situação que o Flamengo se encontra, esse Uribe é horroroso e o pior é que ele é melhor que o Ceifador. Desastre total. Na minha opinião, precisamos para o time titular de um lateral direito, um lateral esquerdo, um segundo volante, um camisa 10 (porque o Diego não consegue ter sequência), um camisa 9 de verdade, pois o uribe é fake news e um excelente atacante de lado. E mais algumas peças para compor o elenco. Agora, quanto a barca tem alguns que não farão falta: Pará, rodinei, trauco, rómulo, marlos, geuvânio, ceifador, uribe. E claro, resolver a situação do Diego alves.
    SRN

    Reply
  9. Ouvi um comentarista,na TV,afirmar que o ex- técnico do São Paulo, Aguirre, está nos planos de uma das chapas super favoritas para dirigir o Flamengo, em 2019.

    Sinceramente, essa é uma senha poderosa demais para fazer com que eu me aposente, enquanto torcedor do Flamengo.

    Tudo tem limite.

    Reply
  10. Flamengo precisa reformular esse elenco. Com esses vagabundos medrosos e fracassados nao vamos a lugar nenhum. Landim começou mal tomando a perna de anão do Renight. Se forem atras de Abel, sera o fim. O cara vive do mundial com o Inter e o brasileiro com o FluminenC. De lanpra ca, so trabalho bosta. Rogerio Ceni vem de um trabalho excelente e tem moral com a boleirada. Poderia ser o Zidane do Flamengo. Mas o essencial e uma barca lotada. Kleber, esse Piris da Motta na minha pelada ha 20 anos atras seria banco do banco. Joga nada!
    Por fim: adeus EBM, ate nunca mais.

    Reply
  11. Aos amigos que defendiam a permanência fo Dorival, essa derrota foi o recado, perder dentro de casa e dd virada!?…o nó tatico que o Dorival tomou fo técnico fo thiago nunes,assim cono tonou do ze recardo do Botafogo..gente o Dorival é só um bom técnico,mais pro Flamengo deslanchar e ganhar titulos não serve.

    Reply
  12. “Os Reis do Cu”

    Parafraseando nosso ilustre carioca e tricolor Rogério Skylab em sua trilogia, “O Rei do Cu”, “Nas portas do Cu” e “Por Dentro do Cu”, é que me veio a inspiração para fechar com chave de outro a temporada de 2018.

    Perder por 1×2 para o time reserva do Atlético Paranaense, em casa, diante da nossa torcida, com Maracanã lotado?

    Vão me desculpar, “Mas que Cu” de elenco nós temos! Que jogadores sem vergonha, sem moral, sem brilho!

    Saudações rubro negras!

    Reply
  13. Boa noite, amigos,
    Tudo normal!!! É só encher o Maracanã, que o Flamengo apronta com a torcida.Se o Fla for para alguma final em 2019, a torcida NÃO deve ir ao Maraca, pois esse time do vice vai fazer o que sabe: PERDER!!!
    Como provavelmente não haverá mudança de mentalidade, e a turma que não entende nada de futebol vai apenas mudar os nomes, as vergonhas irão continuar. Pôxa, esses caras estão me transformando em torcedor pessimista. Essa nunca foi uma característica da nossa torcida.
    Que Noé passe com sua barca na Gávea, e encha com as porcarias que temos no clube.
    SRN.

    Reply
  14. 2018 ACABOU. Foi a ano que cancelei meu canal Premiére.
    Fla incompetente. Jamais seria campeão um time que perde dos reservas do Grêmio e do Atlético. Patético. Coisa de timinho. Maraca é a casa dos vexames. Derrota para o Ceará, para o Cruzeiro, São Paulo e agora contra o Atlético. Maraca lotado é sinônimo de vergonha.

    Reply
  15. Caríssimo presidente,
    Realmente lamentável mais esse vexame. Parece que foi pra fechar mais um ano marcado por eles: os vexames!
    Não justifica de maneira alguma, mas não é de hoje que o Atlético-PR joga o futebol mais bonito entre as equipes brasileiras. Não rifam a bola em momento algum.
    De qualquer maneira, até que o resultado serviu pra não deixar dúvidas que o Dorival NÃO é o técnico para 2019. Por favor, não cometam esse equívoco, que acarretará no desperdício de toda a pré-temporada.
    Por último, os votos e desejos para 2019:
    Que Paquetá seja feliz (mas já vai tarde!);
    Que Rodinei, Trauco, Geuvanio, H.Dourado e Romulo encontrem outros destinos;
    Que os jogadores da base aprendam o que é profissionalismo e foquem menos nas farras e festas. Mais treinos irão representar menos quilos na cintura desses jovens;
    Que o novo presidente entenda que o Flamengo precisa de um técnico realmente vencedor e de, ao menos, um jogador consagrado internacionalmente, e capaz de liderar o time aos títulos (façam um esforço sobrenatural e tragam o Diego Costa, por exemplo).
    Outros nomes, agora dentro da realidade do Brasil e que fariam a diferença: Dedé, Geromel (zagueiros), Dodô, Rafinha, Jorge e Fagner (todos laterais), Rodriguinho, Ramirez, Cazares….
    SRN

    Reply
  16. Melancólica despedida de 2018 e do ciclo futebolístico de EBM e sua turma. Será que estes jogadores não têm nenhuma sensibilidade, mais 70 mil Rubro-negros no estádio, uma demonstração impressionante de força, de popularidade e como sempre afirmou o Kleber Leite, de um time que chega as raias do popularesco. Enfrentamos o time de reservas do Atlético Paranaense e mesmo assim demos mais um vexame. Um primeiro tempo mediano, um segundo tempo pavoroso, sem alma, sem vontade, preguiçoso. Falta comando sim, esses jogadores de M…..DA , fazem o que querem e ninguém cobra nada. E como está medíocre o futebol jogado no Brasil, com todos os defeitos e deficiências este arremedo de time ainda conseguiu ser vice campeão. Pior é que ainda irão receber uma boa prata pelo segundo lugar, tá tudo errado no atual futebol do Flamengo. Não há otimismo que possa dizer o contrário…..

    Reply
  17. Caro Kléber e amigos!
    Esse time do Atlético tem o estilo do Fernando Diniz ainda. De toda forma, jogamos em clima de festa e o Atlético na base do nada a perder. Não culpo Dorival por ontem, pois, acho que algumas situações individuais facilitaram os gols adversários. Acho que depois do 1 x 0 o time imaginou que estava tudo resolvido. De toda sorte de time, aqui no Brasil podemos montar uma equipe bem mais competitiva que essa. A gente precisa trabalharbem as contratações e um camisa 9 precisa ser buscado com de microscópio. Os que temos não dá nem na Série B.
    Agora é eleger o novo ou nem tão novo assim e fazer o dever de casa.
    Eu iria de KL na VP e os títulos viriam. Na vida a gente além de competência precisa de Luz. O KL tem os dois.
    SRN e tomara que o blog não tenha recesso.

    Reply
  18. Kleber que pena seu afastamento da política….com o clube saneado precisaríamos de alguém com seu entendimento e sua ousadia no comando do futebol….Dorival não mais,espero que acabe essa ladainha!precisamos de um goleiro top que César NÃO É !laterais uma pra esquerda pra disputar posição com Rene e se possível 2 direitas sendo um pra assumir sem pensar!um meia foda pro lugar do Paquetá,um zagueiro rápido e sim o mais necessário UM CENTROAVANTE que decida!pelo amor de Deus não ouçam a nossa torcida que eh mt burra e nao quis Fred nem Love,se um deles estivesse lá não estaríamos assim….tragam alguém INCONTESTÁVEL!e cobranças por metassss!SRN

    Reply
  19. Vou só repetir o que faço há três anos:
    “O Flamengo, infelizmente, não ganha títulos de expressão enquanto tiver essa mentalidade e pessoas que nada sabem de futebol no comando”.
    Tenho esperança que ano que vem começa uma era de títulos com a saída de Bandeira de Melo, pois não é possível que entre um presidente tão arrogante e que nada sabe de futebol como ele.

    Reply
  20. Prezado Kleber e amigos,
    Não é novidade o que aconteceu ontem, apenas uma repetição do que aconteceu princialmente nos ultimos 3 anos.
    Vou repetir aqui o que tenho escrito nas poucas vezes que participo, mas sempre leio todos os comentários. NOME NÃO GANHA JOGO, ontem tomamos um banho de bola, do o nosso adversário, mostrando aos “NOSSOS CRAQUES”, que para jogar bola tem de ter, garra , determinação, vibração, e é o que falta aos nossos jogadores, que só tem nome, e os mesmos durante esse ano e os anteriores continuam na mesma batida.
    Alguns dizem que Diego e Everton, não precisam marcar, só criar e não fazem uma coisa nem outra, aliás, de vez enquando fazem jogadas tipo, Diego contra o Grêmio e Everton contra o Cruzeiro e só, e muitos ENDEUSAM os caras e esperamos sentados até a próxima, e o que é incrivel, a maioria escrevem que tem de renovar, pois são essenciais para o time, assim como era Guerrero
    Lembrando: PERDEMOS PARA OS RESERVAS DO ADVERSÁRIO, e não é a primeira vez que isso acontece.
    NÃO ADIANTA CONTRATAR JOGADOR SOMENTE DE NOME.
    Sds a todos.

    Reply
  21. VEXAMES, incompetência, falta de respeito a camisa, as tradições do clube e a sua torcida, esse é o legado deixado por esta omissa Diretoria e por esse elenco de mercenários, comandados por Paquetá , o mercenário MOR !
    Mais um ano jogado no lixo. Graças a uma diretoria tão incompetente que gastou 300 milhões em 05 anos , para ganhar 02 campeonatos cariocas…
    Esse elenco e essa diretoria não merecem a torcida que tem. Nação que encheu os estádios e ontem , apesar de novamente assaltada nos preços dos ingressos, incentivou o time , mas no fim , sem paciência, hostilizou e xingou, ou seja, fez o que esse time e essa diretoria merecem…E ficou barato, se fosse em SP , teríamos pancadaria na saída da delegação…
    Infelizmente , para 2019 a previsão é tenebrosa também, pois Landim e Lomba , além de marionetes de seus donos, são tão frouxos quanto Banana de Mello… Espero e farei campanha pela chapa branca. Chega de covardes !
    Para 2019, pelo menos 1 dúzia de jogadores precisam sair e claro, esse fracassado Dorival Jr também…
    Para que 2018 não seja um ano só de decepções no futebol, torcerei muito para Chapecoense NÃO cair, vamos ver o que a máfia paulista vai decidir no Z4…
    Bandeira de Mello nunca mais !

    Reply
  22. Prezado Kleber, não tenho certeza, mas, acho que foi em meados de abril que dei um até 2019 a todos aqui do Blog, dizendo que o nosso querido Flamengo não ganharia absolutamente nada esse ano. Mesmo não acreditando, claro que torci muito pelo imponderável. Não sou pitonisa, médium, vidente ou qualquer tipo de ser com capacidade de prever o futuro, longe disso. Porém, como acompanho futebol desde os meu 8 anos e lá se vão 60 anos, creio que tenho algum embasamento para ter pelo menos uma noção de futebol. As vezes até nos enganamos, pois como já dizia Benjamim Wrigth (O Comentarista que diz a verdade), “Futebol é uma Caixinha de Surpresas”.
    Apesar de ter parado de participar, em momento algum deixei de ver o que os colegas desse maravilhoso blog escreviam. Só desisti de participar para não ser repetitivo, pois, cansei de dizer que não tínhamos time, que Diego Ribas é um jogador comum, que qualquer treinador não conseguiria fazer nada para mudar alguma coisa, tanto por ter um elenco fraco e principalmente por não ter autonomia e amparo dessa Diretoria de Futebol amadora.
    Espero que em 2019, com uma mudança na Presidência do Flamengo, mude também a mentalidade de administrar o futebol e esse Centro de Incompetência seja totalmente reformulado.
    Um grande abraço, um Feliz Natal e um Ano Novo para você e para todos aqui no Blog, e que as mudanças, não só no mais querido, como também no País, aconteçam urgentemente.
    Brasil e Flamengo acima de tudo e Deus acima de todos.

    Reply
    • Anderson, aguardemos pelas impressões do nosso Guru mas assisti apenas uns 15 minutos e desliguei a TV. Fala, fala…e não diz nada. Fiquei até com pena dele quando disse que se sentia um pouco culpado pela demissão do Estagiário. Um pouco? E pela efetivação dele, não era confortável tê -lo como técnico? Deu no que deu…

      Reply
  23. Prezados,
    Só acredito em um 2019 melhor se mudar meio time: Lateral direita, um zagueiro, um segundo volante (Arão não me engana), um meia agressivo, um jogador de lado que saiba driblar, um 9 que faça gols e o principal UM TREINADOR (Não acreditem no fogo de palha Burrival, nunca ganhou nada e vive de ser bombeiro)

    Se não vier, nem adianta perder tempo assistindo aos jogos.

    Reply
  24. O 2º gol foi falha absurda do Piris da Mota.

    O 1º gol achei falha do Rodolpho e Cesar, além da óbvia do Uribe.

    A minha lista de dispensas para 2019:
    – Goleiros: Thiago e Diego Alves
    – Laterais: Rodinei, Klebinho e Trauco
    – Zagueiros: Rodolpho
    – Volantes: Rômulo
    – Meias: Matheus Sávio
    – Atacantes: Marlos Moreno, Geovânio, Henrique Dourado

    Sugestão de reforços:

    – Goleiro: Tiago Volpi
    – Lateral-direito: Fagner, Guga (Avaí)
    – Lateral-esquerdo: não sei
    – Zagueiro: Victor Hugo (ex-Palmeiras), Rodrigo Caio (SP)
    – Meia: Moisés (Palmeiras)
    – Atacante: Keno, Calleri, Pablo, Bruno Henrique, Tardelli

    Outra coisa, o Flamengo tem bons nomes na base que são melhores que os que lá estão. Para as pontas e ataque, apostaria nos garotos como Victor Gabriel e Bill. Também não sou a favor de trazer jogadores muito velhos, pois é preciso renovar o time usando os experientes que lá estão como Diego, Cuellar, Everton, etc.

    Reply
  25. Querido Kleber, ainda que om atraso farei algumas colocações.
    A inocência é linda mas já virou estória a ser contada em livros…
    Onde é mais provável a obtenção de vantagens para alguns, em negociações internacionais de milhões de dólares com comissões e percentuais secretos ou em negócios sem custo e apenas promessas de participação em venda futura?
    O que explica a ávida corrida às cadeiras de comando do clube? Ser dirigente de um grande clube é melhor do que ser prefeito de uma cidade!!! Não há MP, tribunais de contas e afins…
    Em diversas ocasiões já foi postado aqui por muitos as atitudes anti éticas e desesperadas de algumas pessoas em busca do poder no clube, seria apenas o poder pelo poder? Não estou afirmando e tampouco acusando, mas a pergunta é pertinente e cabe reflexão, afinal um clube tão rico e com jogadores com nível técnico tão baixo é, no mínimo, suspeito.
    Bem, vamos torcer para que isso tudo que escrevi seja apenas teoria da conspiração e nossos dirigentes sejam anjos de candura e exemplos de caráter e boa fé.
    Esperemos um 2019 com as alegrias que merecemos após todas as angústias e decepções vividas este ano!
    Um forte abraço!

    Reply
  26. Indico aos amigos o texto do Cosme Rimoli.

    “Conversei com minha esposa e minha mãe.

    “Estou com medo de deixar o Flamengo.

    “Uma sensação que nunca vivi.”

    Esta confissão de Lucas Paquetá chegou à Itália.

    O Milan pagou 35 milhões de euros pelo jogador.

    Foram cerca de R$ 153 milhões.

    Dessa quantia, o clube rubro negro ficará com 24,5 milhões de euros, cerca de R$ 107 milhões. O dinheiro será dividido em quatro parcelas.

    O restante ficará com os empresários do atleta.

    O clube carioca era dono de 70% dos direitos do seu ídolo.

    A negociação foi fechada em outubro, na reta final do Brasileiro.

    Quando o Flamengo brigava pelo título.

    E Lucas Paquetá estava muito bem.

    A maneira que ocorreu a transação acabou questionada publicamente pela oposição do clube. Afinal, a situação havia jurado que só liberaria a grande esperança rubro negra pela multa, estipulada em contrato. Ela era de 50 milhões de euros, cerca de R$ 218 milhões.

    O Milan havia vencido o duelo com o PSG, anunciavam os dirigentes flamenguistas.

    Mas em Paris a notícia era que o clube da bilionária família qatariana havia apenas sondado o jogador. Se quisesse realmente comprá-lo, seu poder financeiro atualmente é muito maior do que a equipe italiana.

    O Conselho Deliberativo do Flamengo chegou até a abrir um inquérito para investigar a transação. Conselheiros acreditaram que tudo foi errado. O clube perdeu dinheiro, já que teria como vender o atleta pelo total da multa.

    Membros da oposição garantiam que a saída aconteceu de forma antecipada, apostavam que na janela do meio de 2019, ele seria vendido pelos R$ 218 milhões. Ficou no ar que teria sido manobra revanchista do presidente Bandeira de Mello, no final do segundo mandato.

    Desde que a transação foi fechada, o jogador de 21 anos passou a ter momentos instáveis em campo.

    Seu futebol decaiu de maneira impressionante.

    Se mostrava tenso, irritadiço.

    Estava claro que se obrigava a, antes de ir para a Itália, fazer do Flamengo campeão do Brasil.

    Paquetá chegou ao clube com oito anos.

    Franzino fez um programa de fortalecimento muscular muito sério.

    Lembrou até o que foi feito com o maior ídolo rubro-negro, Zico.

    Convocado desde garoto para as seleções brasileiras de base, Lucas Paquetá carregava há tempos a responsabilidade de se transformar no maior ídolo do Flamengo. E que cuja venda seria importantíssima, garantido dezenas de milhões de euros ao clube.

    Quando a janela do meio deste ano foi aberta, dirigentes deixavam transparecer que havia inúmeros interessados no jogador. Chelsea, Manchester City, Liverpool, PSG, Milan. O empresário do meia, Eduardo Uram, confirmava a busca por vários clubes, sem dizer quais.

    Paquetá acabou ficando.

    Teve sua primeira convocação para a Seleção de Tite, em agosto.

    Não conseguiu impressionar como todos esperavam.

    O talento do meia canhoto é indiscutível.

    Habilidoso, rápido, com ótima visão de jogo, excelente bola parada.

    Mas emocionalmente há muito o que desenvolver.

    A sua venda em outubro mexeu demais com os nervos do jogador.

    Fez o futebol despencar.

    A confiança sumiu.

    Vieram a precipitação, a incrível falta de precisão.

    Que culminou em um lance que pode ter decidido o Brasileiro.

    O Flamengo massacrava o Palmeiras no Maracanã.

    Lotado, naquele 27 de outubro.

    A partida estava empatada em 1 a 1, eram 37 minutos do segundo tempo.

    Marlos Moreno fez o que quis com Gustavo Gómes, improvisado na lateral direita, levou a bola até a linha de fundo pela esquerda. Rolou a bola para Lucas Paquetá, além da marca do pênalti. Livre, sozinho, era marcar, acabar com a invencibilidade do primeiro colocado Brasileiro, deixar a vantagem paulista a apenas dois pontos. E dar uma ducha de confiança no time rubro-negro.

    Mas, tenso, Paquetá chutou, de maneira inacreditável, por cima.

    O lance o atormentou até o final da participação do Flamengo, ontem.

    Ele acredita que poderia ter dado o Brasileiro ao clube do coração.

    Os jogos se seguiram: empate com o São Paulo, derrota para o Botafogo, vitória contra o Santos, Sport, Grêmio e Cruzeiro. Mas foi impossível alcançar o Palmeiras.

    Paquetá se culpa, tem a certeza que tivesse feito aquele gol, no fatídico 27 de outubro, o time venceria o São Paulo e o Botafogo. E também os reservas do Atlético Paranaense, ontem.

    Só que o remorso teve nada de prático.

    O Palmeiras foi decampeão brasileiro.

    E o tempo passou rápido, inclemente.

    Chegou a última partida com a camisa que tanto ama.

    As lágrimas no hino nacional vieram.

    Acompanhadas com 13 anos de lembrança.

    Mais do que a metade da sua ainda curta vida, na Gávea.

    Tratado como uma pessoa especial.

    Um ídolo precoce.

    E todo a insegurança de ir para a Itália.

    Seu futebol leve, de toques refinados, e arrancadas, será colocado à prova.

    O seu anfitrião será o rigoroso inverno europeu.

    Quando acabou a partida, com a derrota rubro-negra, por 2 a 1, com outra atuação fraca, marcada pelo nervosismo, Lucas Paqueta sé ajelhou no gramado do Maracanã.

    E chorou.

    Era como se estisse sendo obrigado a ir embora.

    Embora milionário, sua alma queria ficar.

    “Do que eu vou sentir mais saudades na Itália?

    “Do Flamengo.

    “Vestir essa camisa é muito especial.

    “Desde pequeno foi o que eu batalhei para conquistar.

    “Essa torcida é sem comparações.

    “Quando está bem, vibra.

    “Quando está difícil apoiam mesmo com cobrança.

    “Vou seguir com o Flamengo no coração”, disse o garoto, com olhos marejados.

    Lucas Paquetá é a prova viva da falta de trabalho profundo de psicólogos no futebol brasileiro.

    Ele é um jogador profissional.

    Cobrado em todos os sentidos.

    E um homem de apenas 21 anos, que precisa ter a maturidade para entender que estará rico, mas deixará para trás o clube que o acolheu como sua casa, sua cidade, seu estado, seu país, sua família, seus amigos. Se tornará um trabalhador estrangeiro a mais tentando a sorte no mercado de trabalho mais competitivo possível, na sua área de trabalho, o futebol europeu.

    Não é nada fácil.

    E infelizmente está claro que não há esse cuidado nos clubes.

    Os jovens talentos servem para levantar dinheiro.

    Eles que busquem o preparo psicológico para o que virá pela frente.

    Rápidas conversas com psicólogos, que mal tem espaço na base, e ainda são profundamente rejeitados pelo futebol, não adianta.

    Paquetá vai tenso, desestruturado para a Itália.

    Como já foram muitos.

    Neymar, inclusive.

    Vários conseguiram se reestruturar.

    Outros tantos, não.

    Passou da hora de os clubes trabalharem mais a fundo.

    Preparar de verdade seus atletas para a difícil transição.

    Ou é normal um jogador revelar, ser sincero?

    E dizer que está com medo de deixar seu clube?

    Como fica a equipe que pagou R$ 153 milhões por ele?

    Reply

Comente.