Pingadinhas de segunda…feira!!!

(Foto: Gilvan de Souza/CRF)

. Deu na internet que o Inter insiste na contratação de Marcelo Cirino e, já disposto a fazer o negócio, estaria o Flamengo apenas na dependência da aprovação do Atlético Paranaense, detentor de parte dos direitos do jogador. Após o jogo contra o Vila Nova, fica flagrante, e já comentei aqui, que Marcelo Cirino está jogando no Flamengo com um peso de aproximadamente uma tonelada nas costas.

Há no futebol “casamentos” que tinham tudo para dar certo, mas que o dia a dia fez com que fossem para o vinagre. Portanto, ante as circunstancias, tentar a diretoria do Flamengo recuperar o jogador em outro clube e, com isso, minimizar o prejuízo, me parece normal e oportuno. O problema é a reposição. Saindo Cirino, quem entra no lugar dele?


Montillo e Conca

. Hoje, em mesa de almoço em que só estavam rubro-negros, houve uma unanimidade com relação a estratégia adotada pela diretoria do Flamengo, deixando de contratar Montillo, para apostar em Conca. Aliás, a colocação é perfeita. Montillo é uma contratação, pois pode ser utilizado de maneira imediata. Conca, pelos problemas médicos que começam na operação dos ligamentos e terminam em possível problema nos meniscos, na verdade, é uma aposta.

Ao final da temporada, quando se tem um balanço do ano, é possível que tenha sido Conca uma belíssima aposta? Como todo jogo, tudo é possível. O problema é a matemática, ciência exata que trabalha dentro das possibilidades reais. Mais ou menos como jogar na roleta, onde a chance de ganhar aumenta na medida em que se aposta em uma quantidade maior de números. Pode ser que alguém argumente que jogando em um só número é possível ganhar. E, é verdade. Mas só para lembrar, neste caso, seria jogar com um número, contra 36. Pra dar certo, haja sorte…


Matheus Brendon, zagueiro do Paulista (Foto: Reprodução / SporTV)

. Sobre a Copinha, dois comentários. Primeiro, o lance do “gato” no time do Paulista, que acabou desclassificado em benefício do Batatais. Como é que, só agora, no finalzinho da competição, este assunto apareceu, quando todo mundo que via os jogos do Paulista miava quando o “gato” tocava na bola?

E, apenas para lembrar, a final da Copinha já aconteceu e, o Corinthians, com muita sorte, já colocou a mão na taça.


. A iniciativa da CBF na realização deste jogo entre Brasil e Colômbia, com toda a arrecadação revertida para os familiares das vítimas do desastre aéreo, merece todos os elogios. A causa é mais do que justa e, a ideia muito boa. Aliás, propiciar a quem está fora do Rio de Janeiro a possibilidade de comprar um ingresso simbólico, pagando 50 reais, foi uma bela sacada. Vamos torcer para que o Engenhão esteja lotado. Com certeza, na esteira desta tragédia, será uma noite de muitas emoções, onde pela primeira vez o objetivo único é ajudar quem realmente precisa. Para quem tem sentimento e ama o futebol, fica meio que uma obrigação ir lá. Mais do que justo…


. O Corinthians, alucinado está atrás de Drogba. O Coritiba, doido para contratar Ronaldinho Gaúcho. Já vi estes filmes.

Parece que os dirigentes de Corinthians e Coritiba não têm ido ao cinema…


. A matéria completa do Globo.com, com Alexandre Pato, será publicada amanhã. Hoje, ficou clara a vontade de Pato em jogar no Flamengo, fato que já sabia, pois, a família Mattheis, representada por Sandra e Fiorella, tem coração rubro-negro.

Para Fiorella, Pato no Flamengo seria unir o útil ao agradável. Ter o marido jogando no clube do seu coração e, consequentemente, poder viver na cidade dela. Se Pato vier, o Condomínio Mata Porcos, em Correas, reduto rubro-negro, vai ter que reforçar a segurança…

Garotada boa de bola. A sorte é que não deu bola

(Foto: Staff Images / Flamengo)

Nesta longa jornada no mundo da bola está mais do que claro para mim que, quando existe um equilíbrio entre dois times, o fator sorte é decisivo. Ontem, no jogo entre Flamengo e Corinthians, aliás, um jogaço, a dona sorte namorou o adversário e, simplesmente, nos ignorou.

Os dois gols perdidos pelo jovem e talentoso Vinícius Junior – principalmente o primeiro, de cabeça – além da bola na trave do lateral Kleber, que voltou na mão do goleiro, foram os lances que definiram a vitória do time paulista. Isto, sem falar no segundo gol, feito meio sem querer…

Enfim, futebol é assim mesmo. No ano passado, a sorte esteve do nosso lado. Este ano, nos abandonou…

Parabéns aos dois times. O jogo foi excepcional e emocionante, mesmo com o gramado castigado pela chuva forte. O primeiro tempo chegou às raias da perfeição.

Ia esquecendo. Não dá para não fazer um registro com relação ao trio de arbitragem. Nota 10.

Ontem, tivemos a final antecipada da Copinha. Quem viver, verá que tenho razão…

Educação de base

Patrick comemora no alambrado o gol marcado contra o Central-PE (Foto: Estadão Conteúdo)

Outro dia, escrevi aqui que esperava que os responsáveis pela base do Flamengo tivessem dado “uma dura” no camisa 10, Patrick, do nosso time da Copinha. Hoje, soube que a reprimenda necessária, efetivamente, aconteceu.

A hora de educar é essa, onde o jogador começa a dar os primeiros passos importantes na carreira. Se o barco correr frouxo, o hábito ruim vai sendo criado e, depois para consertar fica difícil. Para quem não sabe, Patrick após fazer um gol, de pênalti, em atitude desproporcional, foi comemorar o gol como se tivesse sido o decisivo em uma Copa do Mundo, subindo até o último estágio do alambrado e quase se jogando nos braços da galera.

Resultado? Um catão amarelo, sem a menor necessidade. Atitude incompatível com quem pretende ser um profissional de futebol.

Se lá atrás, quando ainda menino, Felipe Melo tivesse encontrado quem lhe desse bons puxões de orelha, provavelmente teria tido um outro comportamento ao longo da carreira, com resultados bem mais favoráveis.

Educar, enquanto é tempo, é preciso.

Quartas de final ou final antecipada?

Flamengo campeão da Copa São Paulo de Juniores em 2016 (Foto: Marcos Ribolli)

Na quinta-feira, depois de amanhã, se Papai do Céu permitir, estarei em frente à telinha, preparado para o jogo mais aguardado desta Copinha.

Flamengo e Corinthians, invictos, com certeza absoluta proporcionarão um espetáculo de gala. Pena que este não seja o jogo final, já que, pelo muito que vi, foram, até agora, pela qualidade técnica, os times que mais chamaram a atenção, que mais empolgaram.

Como sugestão para os organizadores da Copinha, deixo o pitaco no sentido de que os clubes que fizerem o jogo final sejam separados em grupos distintos para o ano seguinte e, assim sendo, jamais se enfrentariam, qual não fosse numa final.

Se este cuidado tivesse sido tomado, este Flamengo x Corinthians, ao invés de ser depois de amanhã, provavelmente seria no dia 25, o dia da grande final. Pelo que tenho lido, o time do Flamengo, que já perdeu um zagueiro titular por cartão amarelo, está todo pendurado…

Enfim, vamos torcer. E, temos time para torcer, mesmo jogando no campo do adversário. O nosso time, é muito bom. Diria mesmo, superior ao time campeão do ano passado.

Emoção pós jogo

(Fotos: Staff Images / Flamengo)

Melhor, muito melhor e, emocionante, foi o pós jogo. Flamengo e Cruzeiro fizeram uma bela partida pela Copinha, onde uma das equipes seguiria para as quartas de final e, a outra voltaria pra casa. O jogo foi muito bom. O Flamengo melhor, mesmo sem contar com o seu camisa 10, Patrick, que não jogou por um problema muscular.

Mesmo sem o seu armador criativo, o time foi bem. Quando tudo levava a crer que o placar seria 1 a  0, o nosso goleiro saiu sem muita firmeza na cobrança de um escanteio e, no finalzinho do jogo, tomamos o gol de empate.

Quando todos já esperavam a decisão por pênaltis, eis que, de peito, Vinícius Junior – o iluminado – faz 2 a 1 e, fim de papo.

Jamais poderia imaginar que ficaria mais emocionado após o gol da vitória. Fiquei! As entrevistas com três jogadores representaram a medida exata do que representa esta paixão que é o Flamengo. Vi e ouvi o nosso capitão mirim, Dener, dizer que pelo Flamengo perderia, se necessário fosse, uma perna. Adorei a descontração emocionada de Vinicius Junior e, fui derrubado pela emoção do autor do primeiro gol, Jean Lucas, que foi às lágrimas na entrevista e, lá fui eu junto…

Parabéns ao pessoal da base. Mais do que o resultado em si, está flagrante o quanto sabem passar para esta meninada o que é o Flamengo.

E, isto não tem preço… Que Copinha é essa… MEEENGOOOO!!!!!!!!!