Quinta-feira quente

. Conforme anunciamos aqui, “um século atrás”, o Governador Luiz Fernando Pezão bateu o martelo e determinou nova licitação para o Maracanã, inclusive com a participação dos clubes. No momento de turbulência em que vive o país, medida mais do que pertinente. Agora, que cada clube procure seus parceiros e, como diziam os antigos, “leva quem tiver mais garrafas vazias para vender…”


(Foto: Rodrigo Rodrigues/CBF)

. No sorteio da Copa do Brasil, foi sorteio para o Flamengo (graças a Deus), e “azareio” para o Fluminense. O Flamengo pega o Atlético Goianiense e o tricolor vai pegar o Grêmio. Em contrapartida, o Flamengo decide fora, enquanto que o Fluminense faz o segundo jogo no Rio. O Botafogo, terceiro carioca participante, pegou o Sport Recife, com o segundo jogo programado para a capital pernambucana.


(Fotos: Pedro Vilela / Agencia i7 / Mineirão)

. O sucesso de ontem no Mineirão, quando jogaram Cruzeiro e São Paulo, foi a criação do “ARCÃOBANCADA”, que é o espaço criado para os cães, inclusive com direito a veterinário e treinador. Muitos torcedores puderam torcer, tendo ao lado o melhor amigo. Quem lá esteve, achou o ambiente simplesmente espetacular.


(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

. E Vinícius Júnior não será inscrito para a fase decisiva do Campeonato Carioca, embora o regulamento permitisse. A comissão técnica entendeu que não deveria alterar a programação feita para o jogador.

Com todo respeito a quem pensa assim, discordo. Zico, na Copa de 74, e Maradona, na de 78, foram vítimas de avaliações equivocadas. Pelé, em 58, na Copa, a dupla Robinho e Neymar, no Campeonato Brasileiro, e nosso goleiro Júlio César, na Copa dos Campeões Mundiais e na Copa de Ouro, são exemplos de meninos que entraram e venceram. Todos dizem que, apesar de jovem, Vinícius tem cabeça boa. Se é diferenciado, por que não colocá-lo para jogar?

Além de todos estes argumentos, há o psicológico. A frustração que representou para a torcida a contusão de Diego seria compensada pela esperança de ver este menino de ouro em campo. Enfim, tomara que ele não faça falta…

Confirmando

Há no ar um verdadeiro tiroteio de notícias com relação ao futuro do Maracanã.

Há quem garanta que a empresa francesa Lagardère já se ajeitou com a Odebrecht. Hoje mesmo, mantive contato com uma pessoa de minha total confiança, que me afirmou, embora nada estivesse assinado entre as duas empresas, que o Maracanã ser assumido pela Lagardère – se alguém quisesse apostar – era uma autêntica barbada…

Mais tarde, finalzinho da noite de quinta-feira, tive a confirmação de que o Governador Pezão – sensível ao momento que vive o país – está absolutamente convencido de que uma nova licitação, absolutamente transparente, é  a única saída para definir o futuro do Maracanã. Aliás, esta informação foi dada aqui no blog, se não estou equivocado, no final do mês passado.

Em síntese, o governador amadureceu o sentimento inicial e, autêntica barbada passou a ser uma nova licitação para se conhecer o futuro dono do “maior do mundo”.

Briga de cachorro grande. Leva quem tiver coleira vermelha e preta.

Vinícius Júnior

(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

O querido companheiro Anderson Santos, preocupado com a situação de Vinícius Jr, cujo contrato com o Flamengo só vai até 2019, me enviou a seguinte mensagem:


“Bom dia Kleber.

Queria tirar uma dúvida:

Depois do sucesso do nosso Vinícius Junior, surgiu a notícia que vários clubes na Europa estariam dispostos a pagar a multa que hoje é de 100,5 milhões de reais( 30 milhões de euros).

Há quem diga que a diretoria do Flamengo esteja correndo para renovar o contrato do jovem que até onde sei, vai até 2019.

Há quem afirme, que a Traffic, empresa que cuida dos direitos do jogador, esteja irredutível quanto a renovação.

Pergunto:

Vinícius pode ser vendido nessa próxima janela, mesmo sem completar 18 anos?

Queria que se fosse possível o senhor explicasse como funciona a venda de jogadores que são menor de idade e ou que ainda estejam sob o primeiro contrato.

Abç”

Anderson Santos


Anderson e amigos rubro-negros:

O tema é preocupante. Assim que li a mensagem, com as dúvidas e preocupações do Anderson, procurei me informar, ouvindo um conhecido, competente e vitorioso empresário que, pelo seu depoimento pragmático e sincero, precisa ser preservado.

Vamos às dúvidas:

    • Um clube do exterior pode comprar agora Vinícius Jr, que ainda não completou 18 anos?
      – EMPRESÁRIO: “Sim, desde que pague a multa estipulada em contrato (30 milhões de euros), muito embora só possa inscrever o jogador quando este completar 18 anos”.
    • Um clube do exterior pode comprar Vinícius Jr, pagando a multa estipulada em contrato e, emprestar o jogador para o Flamengo até que complete ele 18 anos?
      – EMPRESÁRIO: “Sim, nenhum problema”.
    • Um clube do exterior pode comprar Vinícius Jr, pagando a multa estipulada em contrato e emprestar para qualquer outro clube do Brasil, até que ele complete 18 anos?
      – EMPRESÁRIO: “Sim, pode”.
    • Na sua opinião, qual deve ser a estratégia dos representantes desta empresa?
      – EMPRESÁRIO: “Fazer dinheiro e, quanto antes, melhor. Aliás, de cada dez empresários, nove pensariam desta forma. A exceção é quando há um vínculo muito forte entre o clube e o empresário em questão. Aí, neste caso, visando a manutenção da relação com o clube, o empresário passa a racionar de forma diferente, pois tem a perder se a parceria com o clube for quebrada”.
    • Os representantes desta empresa e os dirigentes do Flamengo já começaram a tratar da renovação de contrato. Como é que este “tabuleiro de xadrez” está sendo mexido?
      – EMPRESÁRIO: “O Flamengo tentando renovar o contrato, pagando ao jogador salário de gente grande e exigindo aumento significativo na multa. A empresa deve topar renovar com significativo aumento salarial para o jogador, porém, mantendo a multa atual”.

O assunto poderia ter parado aí. Porém, como queria me aprofundar mais, voltei no tempo, corri atrás da notícia e novamente, não podendo divulgar a fonte, acabei descobrindo o que realmente preocupa o pessoal do Flamengo.

O problema é que não há apenas uma multa prevista neste contrato. Existem duas multas: uma para o exterior, no valor de 30 milhões de euros; e outra para o mercado brasileiro, esta de 30 milhões de reais.

Isto, em tese, é preocupante, pois o Barcelona, por exemplo, pode arranjar por aqui uma barriga de aluguel. Um clube brasileiro pode pagar a multa de 30 milhões de reais, utilizar o jogador até que este complete 18 anos e, ato contínuo, o repassa ao Barcelona. Claro que, para que isto aconteça o jogador tem que estar de acordo e, pelo que levantei, Vinícius Junior é rubro-negro de corpo e alma, e toda família dele também. Além disso, também já apurei, todos muito corretos com respeito aos valores de vida.

Querem saber – depois de tudo que ouvi – o que acho que vai acontecer?
Vamos lá e, da forma mais pragmática possível. O contrato de Vinícius Junior será renovado por mais cinco anos. O salário que hoje é de dez mil reais, deve, para começar, ganhar mais um zero. A multa para o mercado brasileiro deve ser igualada à multa para o exterior e, esta mantida como está. Se o final do filme não for esse, será muito próximo disso. O importante, é que o final será feliz para todos.

MA e ME

MARACANÃ

A tal reunião entre os representantes do governo do Estado e da Odebrecht aconteceu, porém, a informação que tenho é a de que, não se sabe com que propósito, a empresa baiana está enrolando…

Desta forma, vai por água abaixo aquela informação dando conta de que a Lagardère, empresa francesa, já estava com tudo resolvido. No fundo, a intenção real do Governo do Estado, ante a posição de nenhuma colaboração por parte da Odebrecht, é realizar uma nova licitação.

O problema é que para fazer isso, tem o Governo do Estado, obrigatoriamente, que se submeter à Lei de Concessão, que torna o processo naturalmente lento, e de definição, com boa vontade, a médio prazo.

Na situação atual, caberá ao Flamengo tomar a iniciativa de negociar jogo a jogo com os representantes da Odebrecht. Infelizmente, o panorama é esse.


Messi discute com árbitro brasileiro durante eliminatórias (Foto: AFP PHOTO / Juan Mabromata).

MESSI

A suspensão de Messi por 4 jogos, imposta pela FIFA, pegou o mundo do futebol de surpresa. Primeiro, pelo fato de ser desproporcional.

A indisciplina cometida por Messi teve tamanho inferior à pena aplicada. Quatro jogos de suspensão é um exagero. Se Messi tomou quatro jogos, Luiz Fabiano, se julgado fosse pelo mesmo Comitê Disciplinar da Fifa, levaria quarenta.

O ponto mais importante é o que este fato gera de consequência, já que a situação da seleção argentina nas eliminatórias é delicada e, o retrospecto dos resultados quando Messi não joga é assustador.

Tudo pode estar acontecendo. A FIFA, depois dos sucessivos escândalos, querendo demonstrar firmeza e austeridade e, sem dúvida alguma, fica flagrante que a AFA, antes poderosa e respeitada quando Júlio Grondona era seu presidente, virou para a FIFA um gatinho angorá…

Acho que a FIFA está dando um tiro no próprio pé, pois esta condenação pra lá de exagerada, pode representar a ausência da Argentina na Copa do Mundo da Rússia e, em consequência, o melhor jogador do mundo, ao invés de jogar, assistir pela TV…

Dúvida, impaciência, incerteza e esperança

(Reprodução da TV)

DÚVIDA

Passado o momento da emoção, com os nervos e coração na mais absoluta ordem, fiquei matutando… O pênalti, ou a penalidade máxima – e o nome já diz tudo – é tão letal que, para marcar, o árbitro tem que ter convicção absoluta. Na dúvida, qualquer soprador de apito deixa o jogo rolar, pois um erro deste tamanho poderá ter uma influência decisiva no resultado do jogo. Partindo desta premissa, é difícil entender a marcação do pênalti de ontem.

Como é que alguém pode ter certeza de alguma coisa que não viu? Sim, porque se a bola foi de encontro à barriga de Renê, e lance mais claro é impossível, como o nosso folclórico “Índio” pode ter certeza de algo que não existiu?

Outro detalhe que causa espanto é o fato de o árbitro ter o recurso eletrônico para se comunicar com seus inúmeros auxiliares e, ainda assim, tenha cometido erro tão bisonho. Caramba, são dois bandeirinhas, mais dois espiões de linha de fundo, além do auxiliar que levanta a placa de substituição. E, ninguém viu o que realmente aconteceu? Muito estranho…


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

IMPACIÊNCIA

Paulo César Ferreira, conselheiro e polêmico rubro-negro, um belo dia teve uma tirada simplesmente genial: “uma coisa, é uma coisa. Outra coisa, é outra coisa.” A colocação de uma simplicidade Maracaneana, é pragmática, ao extremo. Vamos ao nosso tema que tem tudo a ver com o que acabo de colocar.

Todos sabem de que tamanho vejo o Flamengo. Seja lá para o que for, há de se pensar grande e sempre na melhor das soluções. Pensando assim, foi possível em 1995 trazer para o Flamengo o melhor jogador do mundo. Claro que, ante esta premissa, quem vier me perguntar que treinador gostaria de ver no Flamengo, certamente espera como resposta, no mínimo, Pep Guardiola… Aí é hora do “uma coisa, é uma coisa. Outra coisa, é outra coisa.”

Pelos comentários, e todos de excelente nível, noto que há uma quantidade significativa de torcedores rubro-negros incomodados com a presença de Zé Ricardo no comando do time. Uma coisa, é querer o melhor do mundo para o Flamengo. Outra coisa, é poder ter o melhor do mundo no Flamengo. Por isso mesmo, restritos estamos ao mercado interno, e a este ou aquele treinador do continente sul-americano e, no atual contexto, neste momento, não vejo nenhum nome disponível que, se dirigente fosse, me comovesse na tentativa de brigar muito por esta contratação.

Pode ser que a maioria tenha razão quando fala da inexperiência de Zé Ricardo. Posso, lá atrás, já ter concordado. Só que agora Zé Ricardo está mais maduro, mais pronto, mais confiante em si mesmo. Gosto da figura dele. Treinador de um grande clube, a meu conceito, tem a obrigação de ter um bom poder de comunicação, ter uma boa imagem, pois sendo o profissional mais assediado pela imprensa, não deixa de ser um porta-voz do clube ou, quase que uma marca, um símbolo…

Zé Ricardo me passa firmeza, como ser humano e como profissional. No que diz respeito ao seu desempenho, os números são altamente favoráveis e, é bom não esquecer que, por uma série de circunstâncias, quase que todas as contratações ocorreram sem que ele tivesse indicado.

Enfim, acho que hoje temos um treinador mais maduro, quase pronto. Como não gosto de ficar em cima do muro, achei importante colocar o que penso. Claro que, com todo respeito a quem pensa de forma diferente. A estes companheiros e amigos do blog, peço um pouquinho mais de paciência com o nosso treinador.


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

INCERTEZA

Esta palavra deve estar na cabeça de muitos rubro-negros no que diz respeito a alguns jogadores. Já disse e repito que, no cenário nacional, o Flamengo tem um bom elenco e, em função disso, duvido que tenha uma participação ruim em qualquer campeonato longo, como, por exemplo, o Campeonato Brasileiro. A certeza de título, já é outra história…

Em competições mais curtas ou eliminatórias, como Carioca, Copa do Brasil e Libertadores, o time pesa mais. Por isso mesmo começo a me questionar com relação a alguns jogadores. Mancuello é o primeiro. Afinal, que instrumento toca o argentino? Ontem, a tentativa de, numa eventualidade, ser ele o substituto de Diego, foi frustrante e preocupante. E o Berrío? Sei lá… apesar do belo gol de ontem, demonstra muito pouca intimidade com a bola, sendo a velocidade a sua única arma disponível. Muito pouco…

Tenho o pressentimento, e é puro palpite, que um ou dois garotos vão resolver o problema do Zé Ricardo. Até por uma questão de coerência com o que penso, VINÍCIUS JR, JÁ!!! Até porque, ele também precisa amadurecer, e jogador só amadurece jogando…


ESPERANÇA

Ainda não tive nenhuma informação sobre a reunião entre a Odebrecht e o Governo do Estado. Embora no momento o panorama seja nebuloso, com perspectivas remotas de um casamento Flamengo e Maracanã, confesso que não me conformo com isso.

Há quem defenda a tese de que o Flamengo deve partir para a construção do seu estádio próprio. Tudo bem, é um ponto de vista. Agora, algumas perguntas são necessárias. Em quanto tempo este estádio estará em pé, passando antes pela aquisição do terreno, criação e aprovação de projeto, e construção? A pergunta seguinte é simples: enquanto isto, vamos ficar jogando onde? Na Ilha? Tudo bem que um jogo ou outro, sim. Mas, e os jogos pra arrebentar? Oitavas, quartas, semifinal ou final de Libertadores, jogamos onde?

Não discuto a construção do estádio próprio. Discuto, a vida do Flamengo não parar enquanto este estádio não for construído. Respeito e admiro o presidente Eduardo Bandeira de Mello e toda sua impecável diretoria, mas há de se pensar este tema com mais prudência e pragmatismo do que com emoção.

Hoje, embora o Maracanã dependa basicamente do Flamengo, também somos dependentes dele. Amanhã, pode ser outra história. Hoje, mesmo tendo que “engolir sapo”, sem o Maraca, não dá…

N, P, M.

(Foto: Pedro Martins / MoWa Press)

No nosso vocabulário comercial, há o MPM (Meta Por Mérito) porém, aqui, o NPM quer dizer: Neymar, Paulinho e Maracanã, as letras iniciais dos nossos protagonistas deste post.

A goleada da Seleção Brasileira, contra o Uruguai, no Estádio Centenário, foi importante e consagradora.

O que Neymar jogou, poucos gibis registram atuação igual. Um primeiro tempo primoroso, perfeito… E no segundo, um gol que podemos – sem medo – colocar como uma obra de arte. Arriscaria dizer que foi esta a melhor atuação de Neymar. Não só pelo que ele jogou, como pela dificuldade do jogo. O nosso melhor jogador amadurece a cada cinco minutos…

E Paulinho, hein? O que dizer de um jogador que faz três gols, pela Seleção, na casa do Uruguai? Que personalidade. Que jogador…

O único ponto negativo da Seleção foi a quantidade de bolas aéreas que perdemos para os uruguaios. Pelo alto, o perigo foi permanente… Vitória, ESPETACULAR!!!

MARACANÃ

Mudando de assunto. Pelo que venho sendo informado – e por tudo que hoje foi noticiado – a francesa Lagardère vai assumir o Maracanã por 30 anos. O Flamengo, que estava colado em outra empresa, distribuiu nota oficial, dando conta de que, com a Lagardère não joga no Maraca.

O problema é que as empresas parceiras do Flamengo desistiram da briga e deixaram o terreno livre para a empresa francesa.

Será que não está faltando alguém que faça este meio de campo e, junte as partes?

Enfim, vamos aguardar o que vai acontecer nesta sexta-feira.

Bom senso, é preciso… Flamengo e Maracanã, foram feitos um para o outro…

Conselho do mestre

(Reprodução da internet)

Houve um momento, se a memória não me trai, em 96, em que o nosso treinador e o principal jogador entraram na minha sala e o tema que eles levaram para discussão era a necessidade de se contratar um baita goleiro, pois quem vinha jogando, embora tecnicamente bom, chamava gol… Isto é, não tinha muita sorte e, inclusive, acabara de se contundir.

Como era inviável contratar naquele momento um goleiro do nível que eles queriam, e que a camisa 1 do Flamengo merecia e merece, a solução a curtíssimo prazo tinha que ser doméstica. A primeira providência foi a convocação para a surpreendente reunião do nosso treinador dos juniores, Marcos Paquetá. Em síntese, sem medo de emitir o parecer, disse que o melhor goleiro do Flamengo, englobando-se todas as categorias, inclusive a de profissionais, era um menino que havia completado 17 anos, dos juvenis, cujo nome era Júlio César.

Isto gerou um certo desconforto na reunião, pois disse não entender como sendo tão bom e tão elogiado, já não estava ele nos juniores. Isto é outro papo e, aqui, fica apenas para registro.

Encerrada a reunião, Júlio César foi chamado para integrar o elenco de profissionais. Ainda com certa dúvida, não com relação ao talento e sim, à pouca idade, fui conversar e me aconselhar com um dos grandes mestres da bola, meu querido amigo Telê Santana.

No seu apartamento no Leme, Telê me fez duas perguntas. A primeira: O garoto é bom ou muito bom? A segunda: a cabeça dele é boa? Como já havia apurado tudo sobre Júlio César, respondi que não era bom, era excepcional, e que aos 17, tinha cabeça ótima e objetivos definidos.

Na sequência, o mestre concluiu: “não tenha nenhum receio. Jogador deste nível e com cabeça boa, não tem erro. Põe pra jogar!” O restante da história, a própria história conta…

Conto isto para mergulhar no presente. Vinícius Júnior, já!!! Talento além da conta e, por tudo que ouvi, cabecinha boa. Portanto, talento raro não faz parte da regra geral. Talento raro é exceção e, como tal, deve ser tratado. Não estou aqui dizendo para que peguem a camisa 11 e entreguem pra ele. Estou apenas defendendo a tese de que a hora é essa!!! A camisa 11 do Flamengo, quem viver verá, ele irá pegar naturalmente, no tempo dele…

Para encerrar: Recebi a informação de que o martelo do Maracanã pode ser batido amanhã, quando o fato novo deverá ser anunciado.

À demain…

Passando do ponto

 

(Foto: André Horta/Fotoarena / LANCE!Press)

Tudo está de pernas para o ar em nosso país, inclusive no futebol.

Algumas pessoas ligadas ao mundo do futebol que por aqui passaram e já se foram, se voltar pudessem, iriam concluir que desembarcaram em um outro planeta que, alguém se equivocara na confecção do milagre…

Quem é do tempo em que a máxima do futebol era “o espetáculo não pode parar” deve estar tendo uma enorme dificuldade para assimilar esta confusa modernidade, onde campeonatos são interrompidos e que o clássico dos milhões de outrora, seja obrigado a ser jogado em um outro estado, mesmo valendo pelo Campeonato Carioca.

Esta novela do Maracanã parece não ter fim e, chega a ser tragicômica a notícia de que Flamengo e Vasco jogarão neste final de semana, não mais no sábado e sim, no domingo, em Brasília, pelo fato do aluguel do Maracanã ter sido considerado abusivo e impagável pelos dois clubes. Será que quem negocia pelo outro lado não consegue raciocinar que inerte, sem vida, é que o Maracanã fica caro? Isto sem falar na total falta de compromisso com o interesse popular e com a nossa própria cultura. Que loucura…

Não é possível que não haja alguém que possa fazer este meio de campo, juntando as partes, apelando para o bom senso de todos, dando fim a esta novela insuportável. Isto mais parece um filme de terror em que vários Dráculas chupam o sangue de todos os bobinhos que adoram futebol…

Que tristeza… Onde fomos parar.


Antes tarde do que nunca

Acabo de receber a informação – e a fonte é absolutamente confiável – que, ante o comportamento da Odebrecht, que “corre para não chegar”, o Governador Luiz Fernando Pezão está convencido de que uma nova licitação, inclusive sendo permitida a participação dos clubes, é a única solução para pôr fim a esta novela insuportável.

ALELUIA!!!

Falta de sensibilidade

Não vou conseguir dormir se não deixar escapar o meu sentimento com relação a quão seja importante no ser humano, o mínimo exigível de sensibilidade.

Vamos começar pelo futebol, até porque, será o aquecimento para um assunto mais agudo. Como tenho feito até aqui, me preparei para ver o último jogo da seleção brasileira sub-17, às dez da noite, contra a seleção do Chile. Para conquistar o título, bastava um empate para a nossa seleção. Na realidade o que eu queria mesmo era ver o menino Vinícius Junior, eleito antes do jogo final, o craque do campeonato e, também o artilheiro.

Como vi todos os jogos, como poderia perder a final? E, como deixar de ser testemunha, ao vivo e a cores, da consagração desta joia rubro-negra?

O jogo foi fácil para o Brasil, embora muito pegado e, com Vinicius Junior muito marcado. Metemos 3 a 0, e faltando uns quinze minutos para acabar o jogo, quando a expectativa era pelo gol do nosso craque, se sairia ou não, eis que o treinador da seleção, em momento de rara falta de sensibilidade, retira de campo o motivo principal da grande maioria de quem assistia o jogo já não ter ido dormir.

Do nada, ignorando a inteligência, o bom senso, e em flagrante desrespeito ao óbvio, tira de campo quem merecia ficar até a última gota do jogo. Que insensibilidade…

Segundo assunto, este extrapolando o nosso tema central que é o futebol, e o coração dele, que é o Flamengo.

Esta história da carne, da “Operação Carne Fraca”, merece uma profunda reflexão. Ninguém é tão idiota que não imagine que exista pilantragem em tudo que nos rodeia. A lei do “farinha pouca, meu pirão primeiro” ou, “a de se levar vantagem em tudo” e, não importa como, está – infelizmente – dentro do contexto da nossa cultura. Espinafram a classe política, mas ela nada mais é do que o reflexo do nosso povo, até porque, todos, “inclusive todos” que lá estão, foram conduzidos por quem?

Depois de tudo que li e ouvi, fico com a clara sensação de que a ação da Polícia Federal foi desproporcional, colocando em risco a economia do país. Que nesta história há falcatruas, nenhuma dúvida, até porque, por aqui, há em quase tudo. Porém, dar a dimensão que foi dada, vai uma distância enorme.

Algumas coisas me intrigam. Quem dá o sinal verde para a Polícia Federal tomar tal atitude, na ação e na comunicação? Ou, a Polícia Federal tem total liberdade para agir como lhe der na telha?

No fundo, foi bom ter começado pelo futebol. Neste caso, apontamos a falta de sensibilidade de um profissional, certamente competente, até porque, acabou de conquistar um título importante. Da mesma forma, também comprovadamente competente, a nossa Polícia Federal, desta vez, errou na tinta…

Sensibilidade, é tudo…

Pingadinhas de terça…feira!!!

O garoto Manu com Mascherano.

. O pessoal do Grêmio está subindo nas tamancas e declarando guerra ao Barcelona. Emanuel Ferreira, o Manu, hoje com 11 anos, chegou do Nordeste há dois anos para um teste no Grêmio e, com nove aninhos deixou a gauchada enlouquecida. O tempo passou e, eis que o nosso Manu aparece este ano vestindo a camisa do Barcelona, com o pai tendo emprego garantido na Catalunha…

Na minha época de garoto, à primeira vista, o comentário seria de que “deram uma perna de anão” no Grêmio, porém, este tema merece uma análise mais profunda. Pela legislação atual, nenhum jogador pode assinar qualquer contrato com idade inferior a 16 anos, o que torna qualquer ligação, de qualquer menino com um clube, muito frágil.

O que meus amigos gaúchos afirmam é que o empresário de Manu (é verdade! com 11 anos, Manu já tem empresário…) convicto da genialidade do seu “cliente”, providenciou um teste no Barça. Manu encantou e, mesmo não havendo nenhum vínculo entre as partes, com o pai já devidamente empregado e recebendo em euro, Manu vai ficando por lá e, dentro de dois anos poderá ter sua ligação com o clube espanhol devidamente registrada. O Grêmio promete recorrer à FIFA, inconformado com a situação, mas como não há qualquer documento que ligue Manu ao Barça, vai ser difícil reverter o quadro, até porque, a vontade de Manu e Cia… é ficar por lá.

Vamos guardar bem este nome e acompanhar. Quem sabe estamos diante de Messi 2, a missão…


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

. Hoje, vinha ouvindo no carro a Rádio CBN e, para os nossos companheiros de latinha, Zé Ricardo vai começar o jogo desta quarta-feira com Berrío, na direita. Embora não tenha um contato estreito com o treinador, já me julgo um razoável conhecedor do que vai naquela cabecinha e, seria capaz de apostar que vamos começar o jogo com Gabriel.

Sei que este é um jogador muito combatido, mas faço questão de afirmar que, se assim optar, Zé Ricardo estará sendo coerente pelo passado recente e, prudente, levando-se em conta as circunstâncias do jogo. Indo um pouco além, ousaria dizer que alguns jogadores evoluem com o tempo. Ficam melhores, mesmo! E, a meu conceito, este é o caso de Gabriel, a quem considero um jogador útil para compor o elenco. Como já defendo Márcio Araújo, depois dessa, estou pronto para as cornetadas. Futebol, é isso mesmo…


Gustavo Scarpa se machuca durante partida entre Fluminense X Ypiranga-RS. (Foto: Rudy Trindade)

. A diferença entre Flamengo e Fluminense, dentro das quatro linhas favorece ao Flamengo, porém, a diferença não é tão gritante. Esta distância aumenta quando fazemos a comparação entre os dois elencos. Aí, a vantagem do Flamengo é muito boa. Puxo o assunto para falar sobre a fissura no pé deste talentoso Gustavo Scarpa, que deverá parar por quatro ou cinco semanas. Em síntese, o favoritismo do Flamengo para conquistar o Campeonato Carioca, aumentou sensivelmente…


(Foto: Lúcio Adolfo)

. Coisa complicada a volta de Bruno ao futebol. Pela internet, uma enxurrada de ofensas ao goleiro e ao seu empregador. Os patrocinadores do clube certamente não foram consultados sobre a polêmica contratação e, inconformados com a possibilidade da transmissão de uma imagem negativa para as marcas, estão tirando o time de campo… É verdade que alguns torcedores foram assistir e apoiar o primeiro treino de Bruno, pelo Boa, seu novo clube.

Tudo vai depender muito da cabeça do Bruno, pois em cada jogo ele terá que ouvir, com certeza,  da torcida adversária, cobras e lagartos… A provocação será permanente, como aconteceu com Edmundo, após o acidente de automóvel na Lagoa. Neste aspecto, Edmundo foi light, matando no peito as provocações e reconstruindo, com a ajuda do tempo, a sua carreira. Não vai ser fácil para Bruno….