Diego Alves e o nosso tiroteio

(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

Que seja bem-vindo Diego Alves e que dê paz ao número 1 do Manto Sagrado.

Para os pessimistas, que vivem com a pulga atrás da orelha e desconfiam de tudo e, neste caso específico, argumentam que o Flamengo só repatriou o goleiro pelo fato dele não estar bem por lá, contra-argumento com uma pergunta bem simples: como repatriar alguém que esteja bem na Europa?

Óbvio que, se estivesse ele tinindo, lá ficaria. Fundamental é que esteja bem fisicamente, pois com 32 anos ainda pode queimar muita lenha por aqui. O mais importante é que, tecnicamente, é inquestionável. A motivação de uma nova etapa de vida, a vontade de disputar a próxima Copa do Mundo, e o calor da nossa torcida, serão combustíveis suficientes para cabeça e alma do nosso novo reforço. Jogador brasileiro, repatriado, arrebentando lá fora, só sei de um. E, nem preciso falar…

No Brasil, dois goleiros me chamam a atenção. Um está no Corinthians, e outro no Santos. Aliás, acho que na próxima convocação de Tite os dois estarão na lista. Agora, que já jogaram mais de sete partidas pelo Campeonato Brasileiro, por este motivo, ficam inviáveis. Lá atrás teria sido possível, principalmente Cássio, que estava infeliz e com o Corinthians precisando vender. Qualquer um dos dois seria solução para quase dez anos. De qualquer forma, ante as circunstâncias, tardia, mas excelente a contratação de Diego Alves. Como dizia minha avó Corina, “antes tarde do que nunca”.

Foto: Gilvan de Souza / Flamengo

O nosso tiroteio não é do da Linha Amarela ou da Avenida Brasil. O “tiroteio” a que me refiro, é o nosso, o rubro-negro, em que parte da torcida quer a cabeça de Zé Ricardo, enquanto que há também muita gente que o defenda. Basta ler os comentários do blog para que se tenha uma ideia clara do que estou aqui colocando. Como não sou de ficar em cima do muro, não vejo como oportuna e até justa, a substituição, neste momento, do nosso treinador. Pra começar, a palavra está pessimamente colocada. Zé Ricardo, e qualquer outro profissional em atividade no Brasil, pode ser chamado de técnico, jamais de treinador. O motivo é simples. Treinador é quem comanda os treinamentos e, neste calendário maluco em que se joga, sistematicamente, duas vezes por semana, treinar quando?

Muitos reclamam do excesso de bolas alçadas na área, da falta de triangulações e outras coisas mais. Só que isto só pode ser corrigido, idealizado e depurado, nos treinos. Pergunta: Alguém pode me dizer quando foi realizado o último treino coletivo? E o último treino tático? E, estas perguntas valem para qualquer clube. Enfim, a tarefa de quem precisa arrumar um time, ante as circunstâncias atuais, é dura, quase impossível. A saída é ir se ajeitando nos jogos e, desta forma, a solução jamais será a curto prazo.

Já invadimos o segundo semestre e estamos disputando o Campeonato Brasileiro, a Copa do Brasil e a Copa Sul-Americana, com um elenco que teve um pouco do dedo do atual treinador. Se vier alguém, neste momento, estará totalmente fora de sintonia com o grupo e sem tempo para implantar o seu método de trabalho.

Acho que a diretoria deve seguir com Zé Ricardo, sempre avaliando e, ao final destes quatro meses que restam ou, perto disso, definir que maestro comandará a banda em 2018. Aí, se houver uma mudança, o escolhido, seja ele quem for, terá tempo para montar o que vier a julgar como ideal, além de ter na pré-temporada o tempo mínimo necessário para TREINAR O TIME…

Além de tudo já exposto, ainda há mais uma pergunta: neste momento, tirar Zé Ricardo para colocar quem?

Geuvânio vale uma conversa?

Geuvânio (Foto: Reprodução)

Há certas coisas na vida e, consequentemente no futebol, em que se procura o caminho mais difícil, mais problemático, quando um simples telefonema poderia tornar tudo mais simples e, sem qualquer stress.

Este é o caso que envolve o atacante Geuvânio, praticamente contratado pelo Flamengo e, com o Santos ameaçando recorrer à Fifa, pois na transferência do jogador para o clube chinês foi colocado no contrato entre as partes a preferência para o Santos, em caso de retorno do jogador para o futebol brasileiro. E, para piorar, o Santos tem interesse em ter Geuvânio de volta. Resumo da ópera: problema criado e de solução imprevisível.

Paralelo a tudo aqui colocado, aparece o depoimento do presidente do Santos, Modesto Roma, gente boa, que tive o prazer de conhecer recentemente, dando conta de que gosta muito do presidente do Flamengo, Eduardo Bandeira de Mello, e que estranha não ter sido procurado por ele, já que a relação entre os dois é a melhor possível.

Como diria minha avó Corina, “um razoável acordo é muito melhor do que uma boa briga”. Fica a sugestão.

O início do sonho

(Foto: Divulgação)

Qualquer torcedor apaixonado sonha com um super time e, com a chegada de Éverton Ribeiro, o retorno de Diego e o momento mágico de Vinícius Júnior, não dá para não começar a montar um time que, se Papai do Céu ajudar, pode vir a ser um papão de títulos. E, reparem que não citei Conca, até porque, pelas imagens que vi do jogo treino, acho que o argentino vai demorar um pouquinho a estar em forma.

Sei que no sistema defensivo ainda temos situações polêmicas, como no gol e na zaga de área, pelo lado esquerdo. Pelo que diariamente lemos aqui no blog, Muralha e Rafael Vaz, embora particularmente não veja como jogadores problemáticos, passam bem longe da unanimidade. Ainda no sistema defensivo, os dois jogadores que, no momento, escalaria como volantes titulares também têm sido muito criticados. De qualquer forma, para o time ofensivo que tenho na cabeça, seria impossível jogar sem Márcio Araújo e Willian Arão.

O melhor está por vir e, não tenho nenhuma dúvida de que, muito em breve, vamos ter um quarteto ofensivo dos sonhos, composto por Diego, Éverton Ribeiro, Vinícius Júnior e Guerrero.

Quando este time entrar em campo, ou melhor, quando este quarteto ofensivo for escalado, estará sendo decretado o fim do pesadelo do peruano Guerrero que, invariavelmente joga isolado no ataque, tendo que bater o corner e, fazer o gol de cabeça.

Os que, hoje, criticam Guerrero vão perceber que, por melhor que seja um atacante, jogar sozinho é quase impossível.

E, com Conca em forma, e Éverton, as alternativas para contusões ou cartões serão de muita qualidade. Enfim, acho que já podemos começar a sonhar…

Reforços

Éverton Ribeiro atuando pela Seleção.

Este talvez seja o tema predileto de qualquer torcedor, pois envolve paixão e, mesmo que a dita cuja não seja tão acentuada, como dizia Vovó Corina, “Pai é pai, mãe é mãe, mas novidade é novidade…”.

A simples viagem do diretor de futebol Rodrigo Caetano, já sinaliza que Éverton Ribeiro está no papo…

Não é nenhum gênio, mas inegavelmente pode ajudar muito. Dos outros jogadores mencionados, amaria ver Júlio César, que vi nascer, encerrar sua carreira no Flamengo.

Outro que me anima é Sassá. Aliás, acho que ele tem a cara do Flamengo e, como temos enorme deficiência no ataque, por que não?

Sem ser pessimista, neste momento, temos apenas dois atacantes qualificados. Guerrero e Vinícius Júnior. E, antes que alguém pondere que Vinicius é muito garoto, que pode sentir o peso da responsabilidade, lembro que estou me referindo à qualidade. Apenas isso, embora tenha comigo que, quando o raro talento existe, a idade jamais será problema. Ainda assim, somando-se, necessidade e qualidade, Sassá seria muito bem-vindo, até porque, passaríamos a ter três jogadores bons para duas vagas. Como o campeonato é longo, perfeito…

O problema, é que para ter Sassá agora, o Botafogo, obrigatoriamente, terá que fazer parte do processo, concordando. Apesar das desavenças últimas, por que não dialogar? Quem sabe um troca-troca?

O incrível para mim é o mistério de como duas belíssimas figuras humanas como Carlos Eduardo e Eduardo Bandeira de Mello viverem se bicando. Deveriam, pelas doces almas, viver se abraçando.
Por que não começar agora a reparar este absurdo desencontro?

Todo cuidado é pouco

O zagueiro Rhodolfo atuando pelo Besiktas

Em meio à desclassificação da Copa Libertadores, e do início de uma análise profunda sobre os motivos que levaram o Flamengo a este resultado inesperado, surge a notícia de que o zagueiro Rhodolfo pode ser contratado.

Se há uma conclusão que, arriscaria dizer ser quase que uma unanimidade, é a de que este departamento de inteligência, responsável por avalizar as contratações feitas pelo clube, vem pisando feio na bola, indicando algumas aberrações que custaram um bom dinheiro.

Como dar seguimento a esta negociação – se verdade for – se este departamento está sob suspeita de profunda incompetência?

Sugiro ao nosso presidente Eduardo Bandeira de Mello que, dê tempo ao tempo. Que suspenda qualquer tipo de contratação até que fique apurado por qual motivo o departamento de futebol vem contratando tão mal.

Com o intuito de estar bem informado e de poder ajudar de alguma forma, localizei uma pessoa da minha total e irrestrita confiança que acompanhou a carreira de Rhodolfo. Reproduzo aqui a mensagem que recebi, em resposta à minha consulta sobre o referido jogador:


– “Teve uma carreira de altos e baixos, no início foi bem no Atlético Paranaense, não repetiu no São Paulo, no Grêmio iniciou bem, depois decaiu de produção, depois que foi vendido perdi contato, mas teve algumas lesões sérias, precisam ter muito cuidado no exame médico”.


Como todos podem observar, não é tão simples. Rhodolfo é mais um enorme ponto de interrogação. Pergunto: A esta altura do campeonato, depois de muitas bolas fora, vale a pena correr este risco?

Previsão realista

(Foto: Buda Mendes/Getty Images)

Sem medo de errar, com toda convicção possível, afirmo aqui, neste dia 16 de maio que, com Conca e Diego ou, mesmo só com um dos dois, e se mais um ATACANTE aparecer para ajudar o solitário e competente Guerrero, o Flamengo vai brigar pelo título de campeão brasileiro.

Internamente, a única chance para o ataque repousa no jovem Vinicius Júnior, caso consiga ele se firmar, jogando nos profissionais 80% do que jogava na base, problema muito bem resolvido. Caso contrário, só contratando.

Éverton Ribeiro, se vier e estiver bem, pode ajudar.

Timing é a palavra mágica

(Foto: AFP)

O “timing”, expressão em inglês, talvez tenha a tradução correta como “o tempo certo”, “o momento certo e talvez único”. Sabe aquela história do cavalo passar encilhado na sua frente, podendo ser esta a única chance? Isto aí é o tal do timing.

Numa das mais espetaculares contratações de todos os tempos, o genial Francisco Horta teve a sensibilidade de detectar o momento exato para dar o bote e contratar Roberto Rivelino e, pra quem não sabe, com um cheque voador… Digo isto, voltando ao tema de ontem sobre Lucas Lima.

Hoje, o Globo.com exibiu matéria (ler aqui) dando conta de que, o contrato com o Santos termina realmente no final do ano e, que os direitos econômicos do jogador estão assim distribuídos: 80% pertencentes ao fundo de investimento Doyen; 10% ao representante de Lucas Lima, Edson Khodor; e 10% ao jogador.

Claro que no fundo o que Lucas Lima quer é ir jogar no Barcelona ou algo parecido. Mas, e se não for agora? Em síntese, parto da premissa de que sonhar não custa nada, até porque, por maior que seja o sonho, sempre há, por mais remota que seja, uma possibilidade. O pecado é não acreditar e, consequentemente, não tentar.

Neste caminho até a janela do meio do ano, quando tudo pode acontecer, pode ser que haja um momento único de se transformar o sonho em realidade. Para isso acontecer, se acontecer, é preciso estar muito grudado ao tema, tornar-se íntimo.  Acompanhar e se aproximar de tudo e de todos, diariamente… estar sempre presente, sem ser chato e pronto para dar o bote na hora certa.

Pingadinhas de segunda…feira!

(Reprodução da TV)

. A FERJ colocou na geladeira o “fiscal de linha” que colaborou para que o gol da vitória do Botafogo sobre o Macaé não tivesse sido anulado.

Aqui pra nós: este lance foi tão flagrante, com a bola saindo muito, que o próprio árbitro do jogo tinha a obrigação de ver. O que está em discussão é sobre a necessidade de um auxiliar de linha. Gostaria de saber a opinião de todos aqui no blog. Particularmente, acho desnecessário.


. Curiosa a reação do nosso lateral esquerdo titular da Seleção Brasileira. Marcelo, que é inegavelmente muito bom de bola, ao interagir nas mais variadas formas de comunicação via internet, talvez não tenha levado em conta de que, como dizia um ex-presidente corintiano, “quem entra no fogo é pra se molhar…”

Marcelo parabenizou Neymar, ontem, pelos seus 25 anos e esqueceu que no mesmo dia Cristiano Ronaldo, seu companheiro de clube, também aniversariava. Aí, leu e ouviu o Diabo… É o tal negócio: num universo tão amplo, impossível se lidar somente com pessoas educadas, que discordam com elegância. Infelizmente, e Marcelo já deveria saber que este é o nosso mundo.


(Fotos: Staff Images / Flamengo)

. Na Espanha, os jornais informam que o Barcelona está realmente interessado no garoto Vinícius Junior, de apenas 16 anos, e que tem contrato como Flamengo só até 2019.

Sugiro ao nosso pessoal do futebol, renovar, ONTEM, este contrato.


(Foto: Gilvan de Souza / Flamengo)

. Li a matéria do Globo, dando conta de que as mais variadas associações da simpática Ilha do Governador estariam preocupadas com o impacto que poderá causar ao bairro, os jogos do Flamengo que ali serão realizados.

Com todo respeito, diria que, com uma organização competente, não há o que temer. Acho que, neste caso, estão colocando pelo em ovo…


Rafael Santos, goleiro do Madureira

. O meu amigo Carlos Egon foi o primeiro a elogiar o goleiro do Madureira, de 27 anos e 1,91m de altura. Depois da observação feita aqui pelo Egon, andei dando umas espiadas e, confesso, também gostei. Rafael Santos é uma bela aposta…


. A bela notícia é a recuperação maravilhosa do nosso querido Dr. Michel Assef, além de extraordinário rubro-negro e brilhante criminalista, é o maior assaltante de geladeira nas madrugadas da vida. Daí, apesar de só comer peitinho de frango grelhado e saladinhas nas refeições, continua ganhando peso. O coração, já por demais exigido pela paixão avassaladora pela mulher Lenita, reclamou dos excessos na geladeira e, pediu reforço. Os stents foram colocados e
tudo voltou ao normal.

O fato novo foi divulgado pelo médico, que informou que o nosso Dr. Michel, daqui para frente, tem duas opções: colocar um cadeado na geladeira ou partir para uma operação bariátrica…

Radamés Lattari, outro grande rubro-negro, até por experiência própria, aposta na segunda opção…


. Pergunta que não quer calar: Este campeonato da Primeira Liga terá vida longa?

Pacotão

(Foto: Aldo Carneiro / Pernambuco Press)

. Como vivemos no mundo onde, através da internet, a comunicação ficou praticamente instantânea e, onde criticar ficou muito mais fácil, difícil se encontrar palavras de reconhecimento e, portanto, de elogio.

Claro que o departamento de futebol do Flamengo, desde o início da gestão de Eduardo Bandeira de Mello, cometeu equívocos. Como tenho horror a retrovisor e, consequentemente, olho muito mais para frente do que para trás, não dá para não deixar de observar que a “máquina” pensante do futebol rubro-negro começa a ficar azeitada, atenta e, criativa.

A negociação de Jorge para o Mônaco e, as providências relativas a este fato, demonstram claramente que o nosso time de dirigentes está atento e trabalhando com rapidez e competência. Ante a iminente venda de Jorge, Trauco foi contratado e, como quem tem um, não tem nenhum, Renê, do Sport, está chegando.

Como não elogiar?


(Foto: CBF)

. Agora, um convite a uma profunda meditação. Como é possível um país de pouco mais de três milhões de habitantes, onde os idosos predominam, formar uma seleção de jovens, com idade inferior a 20 anos, melhor do que a nossa, um país com mais de 200 milhões de habitantes e, que respira futebol o dia inteiro?

Há algo errado com esta seleção sub-20 do Brasil, que disputa no Chile o Sul-Americano da categoria. O título, depois da derrota para o Uruguai, ficou complicado. Com certeza, a defesa da má performance será com o argumento de que o importante é ir ao mundial, isto é, pelo menos ficar em quarto lugar. Ao invés de discordar de quem assim pensa, prefiro sugerir uma profunda reflexão com relação ao trabalho realizado. Este será o primeiro passo para se evitar um papelão no mundial.


(Foto: Maurício Rummens Agência Lancepress!)

. Jogador complicado, sempre houve e, sempre haverá. Quando o jogador é complicado, mas é bom de bola, sempre se deu um jeito e, outro jeito não há.

O tema do momento é o atacante Sassá, do Botafogo. Pelo que li e ouvi, aprontou algumas, o que deixou o a diretoria do Botafogo irritada que, em consequência, puniu o jogador. Até aí, perfeito. O problema é quando os dirigentes punem o jogador, e por tabela, também o clube. Punir Sassá, ok. Agora, não inscrever o atacante na Libertadores, anunciando como medida punitiva, é de doer, pois aí quem está sendo punido é o clube.

Já vi este filme muitas vezes. Como em todas as outras, o Botafogo vai perder e, os dirigentes vão se arrepender.

Antes que alguém leia este raciocínio de forma distorcida, quero deixar bem claro que indisciplina tem que ser punida, porém, com inteligência.

Quinta, com cara de sexta-feira, 13!!!

FLAVIO GODINHO

Embora, como cidadão, tenha a obrigação de respeitar as leis, da mesma forma, como vivemos num processo democrático, me reservo o direito de, neste caso, discordar dela.

Esta tal prisão preventiva, é duro de ser admitida. Como alguém pode ser preso sem ter sido julgado? E, na frente, se absolvido for, como reparar tamanha destruição?

Em síntese, em primeira instância, lanço o meu protesto como cidadão e, até por uma questão de coerência, me recuso a discutir o tema até que julgamento haja.

O que mais uma vez me impressiona é sentir no ar a sordidez do ser humano que, como fuga para frustrações pessoais, vibra com a desgraça alheia.

A cada dia que passa amo mais os meus cachorros…


(Foto: Gilvan de Souza/Flamengo)

JORGE

Esta foi, se assim se pode dizer, uma tragédia anunciada. Há no ar duas discussões. A primeira, é se a diretoria agiu corretamente negociando o jogador. A segunda, se esta mesma diretoria tomou providências para “tapar o buraco”.

Pessoalmente, prefiro não me pronunciar com relação ao primeiro item, até porque, quem lá está é que sabe onde o calo aperta…

Apesar de muita gente imaginar que o Flamengo está nadando em dinheiro, tenho a certeza de que a coisa não é bem assim. Jorge foi negociado por absoluta necessidade financeira.

O segundo ponto é altamente favorável à diretoria. Como a possibilidade de negociação era grande, Trauco foi contratado. Agora, se Trauco é bom de bola, aí são outros quinhentos…


MARCELO CIRINO = BERRÍO

O meu consultor e, muito bom, Roger Flores, afirma que Cirino e Berrío tem as mesmas características, onde sobrevivem pela força e pela velocidade.

Não é pelo fato de Marcelo Cirino não ter dado certo que se deva ficar desconfiado do atacante colombiano.

Faltou a Cirino um esquema de jogo adequado às suas características, um bom lançador e, uma personalidade mais firme, mais guerreira, com cara de Flamengo. Cirino sucumbiu, baixou a cabeça, se entregou…

Se este Berrío for firme, se marrento for e personalidade tiver, pode dar certo, sim! Até porque, força e velocidade podem ajudar muito. Vai depender também do esquema de jogo e de um muito bom “garçom”.

Paulo Borges, Búfalo Gil, Paraná e outros, tiveram enorme sucesso com as mesmas características. Também é bom lembrar que Paulo Borges, tinha força e velocidade, mas havia um talento chamado Parada, naquele timaço do Bangu. Da mesma forma, Gerson, consagrou Paraná no São Paulo, e Rivelino era o “MAITRE” de Búfalo Gil…

Velocidade e força são importantes, desde que, haja alguém criativo. Aí, o casamento é perfeito…

Com Conca e Diego juntos, a chance de Berrío não acertar é desprezível.

Com Conca e Diego juntos, Cirino viveria um outro mundo…