(Foto: Alexandre Vidal / Flamengo)

O doce Portuga, além de competente, tem sorte

Jogo? Não houve, até porque, para haver jogo é necessário que dois times estejam em campo e, queiram jogar.

Neste Flamengo e Botafogo, um time não quis jogar e, além disso, apelou para a violência o tempo todo.

Para quem gosta de futebol e odeia o antijogo, o gol do Flamengo, no finalzinho, soou como um bálsamo. Irritante o comportamento de quase todo time do Botafogo, em especial do botinudo argentino Carli.

O gol, com o jogo acabando, foi um castigo merecido para quem entrou em campo para catimbar e dar porrada.

Virando a página. O nosso time não foi bem, em que alguns jogadores erraram demais, especialmente, Arão e Renê.

Em uma análise fria, talvez mais infeliz ainda foi o nosso doce Portuga.

O Flamengo com um jogador a mais, ele, ao invés de tirar um volante ou um zagueiro, tira um atacante para a entrada de Lincoln, visivelmente fora de forma e gordo.

Tirar Gérson, para colocar Lucas Silva?

E Filipe Luís que ia entrar aos 43 do segundo tempo…

Para finalizar, ainda deu tempo de entrar Piris da Motta…

Em síntese, em noite profundamente infeliz do nosso treinador, somamos três pontos.

O nosso Portuga, é competente e, neste jogo, ficou claro que, ainda bem, tem muita sorte.

O curioso ocorreu muito tempo depois do jogo. Um homem de capa verde, carregando uma enorme mala, saiu de fininho após pedir um Uber, com destino à capital paulista.

MENGOOOOO!!!!!